História Não Se Esqueça De Mim...(Imagine V - BTS) Segunda Temporada - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtan Boys, Bts, Hobi, Hoseok, Jeon, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Kim, K-pop, Min, Namjoon, Park, Rap Monster, Seok, Suga, Taehyung, Yoongi
Exibições 234
Palavras 2.509
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishounen, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


DESCULPEM A DEMORA em compessação vai ter TRETA E HENTAIIIII UHAAA gente é +18 por isso se não gostar pule essa parte okay 😈🙈🙉
ENTÃO VOU FAZER UM GRUPO NO WHATS DEIXEM OS NUMEROS SE QUISEREM ENTRAR 😋😘

Capítulo 5 - Afogando as mágoas


Fanfic / Fanfiction Não Se Esqueça De Mim...(Imagine V - BTS) Segunda Temporada - Capítulo 5 - Afogando as mágoas

Já era quase 1h30min da manhã e nenhuma noticia de Taehyung e Hoseok. Aiko tentava ligar a todo o momento para Hoseok, mas só dava caixa postal. Meu coração palpitava acelerado, esperando por noticias... Só espero que Tae não tenha feito nenhuma burrada...

 

[...]

*POV’s Taehyung:

Creio que já não estava nesse planeta de tanta bebida em minha cabeça. Hoseok sentando a minha frente, apenas pedia para eu parar.

- chega TaeTae! Você já está bêbado...

- bêbado? Que bêbado? Eu estou bem! Haha....

- vamos! Vou te levar para casa...

- que casa? Uma casa onde minha própria mulher me esconde as coisas? Que tipo de casa é essa?

- Tae... Pare de falar você já está mau...

- Hoseok... Droga Hoseok! Eu amo aquela mulher, mas tem vezes que ela me decepciona. Como pode mentir para mim? Eu a amo incondicionalmente... – Comecei a chorar do nada com o copo em minha mão. – Será que ela não me ama da mesma forma?

- Taehyung chega de bobagens! Claro que ela te ama. Eu entendo que você está chateado, mas entendo que ela só queria te proteger...

- proteger? Eu? E quanto a ela? Quem a protege? Eu a protejo! Mas ela tem um bloqueio quanto a isso! Minha vida agora significa protege-la... Droga Hoseok, porque está defendendo ela?

- não estou defendendo ninguém, só tente entende-la! Bom agora você não vai entender nada, pois está “podre” de bêbado. Agora vamos que ___________ vai ficar furiosa de ver você bêbado dessa forma.

- furiosa? Eu estou furioso com ela!

Percebi alguém sentar mais a frente na bancada do bar em frente ao garçom.

- uma, por favor? A mesma de sempre, quero comemorar. rs. – Reconheci a voz de algum lugar, mas estou confuso... – consegui me vingar da minha querida priminha, por me rejeitar durante todos esses anos.

Sim!!! É aquele desgraçado do Evandro... Vou mata-lo agora mesmo!

Levantei-me bruscamente derrubando a cadeira, dando um susto em Hoseok.

- aonde você vai Tae?

Aproximei-me de Evandro, virando bruscamente para mim, e soquei seu rosto o fazendo cair.

- mas o q.... AHHH ENTÃO É VOCÊ!!! – ele exclama levantando rapidamente.

Preparo-me para terminar meu trabalho.

Ele tenta acertar meu rosto, mas esquivei. Ele levantou o punho novamente, dessa vez acertando meu rosto, fiquei atordoado e caí no chão ela venho para chutar minha barriga, mas eu consegui segurar sua perna e puxa-la a fim de derrubara-lo. Fui para cima dele novamente e soquei seu rosto com toda a raiva que estava em mim. Ele pegou uma garrafa e conseguiu quebra-la em minha cabeça. Evandro percebeu que fiquei tonto e me empurrou de cima dele. Dando-me socos novamente. Consegui empurra-lo, e quando fui para cima dele novamente, Hoseok e outras pessoas conseguiram nos separar.

- EU VOU TE ENCONTRAR NOVAMENTE EU QUANDO ESSE DIA CHEGAR VOU, TER O PRZER DE TE MATAR EVANDRO!

Exclamei sendo segurado por Hoseok e um cliente do bar...

- VAMOS VER ENTÃO... QUANDO ESSE DIA CHEGAR EU JÁ VOU TER “COMIDO” TUA MULHER...

- SEU FILHO DA PUTA NÃO OUSE FALAR DELA...

Tentei me soltar para acabar com a raça daquele merda, mas conseguiram conter meus braços.

Evandro foi retirado por outros dois homens do bar.

- vamos Tae... Você está sangrando... – Hoseok exclama.

- que sangrando? Não estou sentindo nada...

Comecei a gargalhar como um maluco.

- vamos!

Hoseok pegou meu braço envolvendo seu pescoço, apoiando-me até o carro.

Ele dirigiu até a minha casa.

- MEU DEUS TAE O QUE ACONTECEU? – ________exclama apavorada com as mãos na boca.

- ele entrou numa briga de bar! – Hoseok afirma.

- com quem? – ela pergunta, pegando em meu rosto olhando por toda a extensão do mesmo.

- com... Seu primo!

________bota as mãos no rosto, como se estivesse segurando o choro.

- Hoseok, por favor, me ajuda a leva-lo para o quarto, vou cuidar desses machucados.

Hoseok e ela me seguram guiando-me até o quarto. Eles me colocam na cama.

- vamos Aiko!

- sim, vamos! _________ qualquer coisa nos chame. – Aiko exclama.

- ok, obrigada!

_________fecha a porta trancando-a. Ela para em minha frente ainda de pé, apenas observa com uma feição de preocupação.

- eu, já sei o que vou fazer para passar essa bebedeira.

- como você sabe que estou bêbado? – pergunto meio atordoado e soluçando.

- eu não sou burra Kim Taehyung! – Sinto um pouco de medo quando ela fala meu sobrenome. – Dá para sentir o cheiro forte de longe.

Ela se aproxima pegando meu braço, levantando-me, até guiar-me ao banheiro.

- sabia que você fica linda brava hehe.

- dá para você fechar a “matraca” seu bafo de cachaça está me incomodando!

- eu não me lembro de ter bebido cachaça!

- cala a boca e entra.

Ela me empurra para baixo do chuveiro com roupa e tudo.

- Merda ___________ o que está fazendo?

- eu vou curar essa bebedeira na marra! Agora tira a roupa!

- se eu tirar você tira também?

Ela me dá um tapa forte no braço.

- AÍ!!! Isso dói!

- é pra doer mesmo, para aprender a parar de falar de besteira!

Ela abriu o feixe do meu casaco, tirando do meu corpo, fazendo o mesmo com minha camisa e calça... Deixando-me totalmente nu.

- agora fica ai que eu já volto...

- mas está gelada!

- é para estar!

- viu como você é má?!

- cala boca se não jogo gelo puro em cima de você!

Ela saiu do recinto deixando-me ali por alguns minutos.

[...]

Abaixei em baixo do chuveiro. Minha consciência aos poucos estava voltando junto com uma dor de cabeça insuportável.

Ela voltou com o roupão desligando o chuveiro. Vestindo o roupão em meu corpo como se eu fosse uma criancinha sendo vestida por sua mãe.

Eu não conseguia desviar o olhar de seu rosto.

- venha...

Ela me puxa para ficar de pé. Saímos do banheiro adentrando nosso quarto.

- deita na cama! Vou pegar o quite de prontos socorros para tratar esses machucados!

Fiz o que ela mandou a vendo sair do quarto... E logo em seguida voltar com a maleta branca.

Sentou-se ao meu lado, abrindo a maleta retirando anti-inflamatórios e curativos.

Não sei por que, mas fiquei apenas observando todos seus movimentos com cara de bobo.

- Aishi __________ isso arde... – ela passou de leve o algodão próximo a minha sobrancelha.

- vai ter que aguentar é para seu bem... – ela exclama com sua voz firme, estava mais séria do que antes.

- está brava comigo não é?

Ela suspira fitando a maleta a procura do curativo certo.

Ela coloca o curativo em minha sobrancelha, logo abaixa sua mão até a abertura do meu roupão, fitando minha barriga.

- Você está mais machucado do que pensei...

Ela exclama passando a mão em toda a extensão de meu abdômen.

Ela fecha meu roupão em seguida, fazendo um sinal de negação com a cabeça. Ela levanta em seguida.

- você não vai me responder? – Pergunto segurando seu pulso. – por favor, amor...

Ela ainda de costas para mim. Parecia estar chorando.

- Me perdoa Taehyung?! – ela exclama sem olhar para mim. – Me desculpa por ser covarde em nem ao menos conseguir falar olhando para seus olhos!

Ela limpa as lágrimas com a outra mão.

Ela retira seu pulso de minha mão e sai do quarto.

Levanto-me colocando um short vermelho e minha camiseta branca.

Vou até onde acho que ela deve estar... Na cozinha. Ela sempre tinha o hábito de quando ficava estressada, nervosa, frustrada com algo ela tentava se distrair para esquecer, então a encontrei lavando a louça.

Escorei-me no batente da porta, ficando um tempo a admirando e pensando que, ela pode ter feito errado em não ter me contando a verdade... Mas foda-se eu não gostava nem um pouco de ficar bravo com ela... Ou de vê-la chorar... São raras as vezes que ela me pede desculpa por algo... Isso quer dizer que ela realmente está arrependida, e que também me ame...

“Eí Tae vá até ela e dê um abraço forte... E deixe de ser burro”. Meu subconsciente exclamava para mim... E bom é o que quero fazer.

Aproximei-me devagar chegando a sua cintura envolvendo meus braços na mesma.

Ela parou o que estava fazendo acariciando meus braços em volta de seu corpo.

- Meu bem! Eu te amo tanto! – sussurrei próximo ao seu ouvido.

- eu também meu anjo!

Ela se vira, e olha em meus olhos segurando meu rosto...

Aproximo-me devagar até colar nossos lábios iniciando um beijo suave, sua língua passava pela minha devagar. Apertei seu corpo contra o meu fazendo-a ficar na ponta dos pés. Soltamos alguns suspiros entre o beijo.

- Tae... – Ela suspirou atiçando ainda mais meus sentidos. – está muito tarde para transarmos...

Direcionei meus beijos a seu pescoço.

- e desde quando temos hora para isso?

- desde quando você me deixou preocupada chegando bêbado e machucado em casa!

- então isso seria um castigo?

- um “aviso” para que não faça mais isso ATÉ quando a culpa for minha!

Ela se afastou até o balcão da cozinha. Mordendo os lábios e me olhando sensualmente.

- Você quer me dar esse “aviso” me provocando desse jeito?

Ela senta no balcão encarando-me.

- então você entendeu?! rs. – Eu aproximo-me devagar dela. – porque que todas as nossas brigas sempre tem que acabar em sexo?

Eu dou uma leve risada.

- porque a gente precisa se reconciliar de alguma forma.

Ando devagar até ela, passo de leve meus dedos em sua coxa exposta. Ela estava com a camisola que dei para ela no último aniversário de casamento. Eu fiz uma bela escolha aquela roupa fica muito bem eu seu corpo bem delineado.

Coloco-me entre suas pernas puxando-as bruscamente para que se encostássemos nossos corpos. Fui direto para seus lábios mordendo-os. Tirando suspiros dos mesmos.

Enquanto nos beijávamos loucamente a excitação ia aparecendo. Ela levou a mão até minha nuca, subindo por entre meus cabelos úmidos.

Levei meus lábios até seu pescoço, mordendo e chupando toda a extensão deixando marcas por todo o local. Gemidos baixos saiam de sua boca fazendo-me ficar mais excitado.

- Vamos brincar?

Perguntei próximo ao seu ouvido.

Ela me respondeu com um gemido, quando suguei o lóbulo de sua orelha.

Ela apertou meu quadril com as pernas colando ainda mais nossos corpos com que fez que nossas intimidades roçassem uma na outra. Ela levou sua boca até meu pescoço beijando e chupando o mesmo, fazendo-me arfar com seus toques. Suas mãos que estavam em meu quadril caminharam até a beira de minha camisa, e começaram a levantar o mesmo tirando a longe. Voltamos o beijo excitado e acalorado. Levei minhas mãos até suas nádegas apertando as mesmas.

Ela começou a rebolar esfregando nossas intimidades, ela já percebeu que meu “amiguinho” já estava à espera dela.

- gosto de te torturar um pouquinho!

Ela sussurra. Empurrando-me um pouco para que pudesse descer do balcão, prensando-me em seguida no mesmo. Seu olhar sedento a luxuria encontra o meu. Ela desce até ficar ajoelhada a minha frente. Puxou meu short até em baixo deixando-me apenas de cueca. Apoie-me no balcão, sabendo o que ela ia fazer. Tirou minha cueca deixando meu membro já ereto exposto. Voltou até meu ouvido.

- só vou brincar um pouquinho com você!

Suas palavras saíram com tanta excitação que queria pega-la logo... Mas entrei eu seu joguinho.

Ela colocou a mão em meu pênis, tirando um gemido abafado de meus lábios.

Começou a me masturbar, fechei meus olhos tentando controlar minha respiração.

- mais rápido amor...

- ainda não...

Ela adorava me torturar dessa forma. Sua mão macia descia e subia por toda a extensão. Fazendo me ficar louco com seus toques.

- vamos ___________, não me torture mais!

- esse é seu castigo por me preocupar!

Ela abaixou novamente a minha frente parando a masturbação e fitando-me. Fitei-a mordi os lábios. Já posso imaginar o que estava se passando em sua mente.

Ela aproximou seus lábios do meu órgão, onde passou a língua por toda a extensão do mesmo. Logo depois o enfiou todo na boca. Colocava todo em sua boca e depois voltava lentamente. Joguei a cabeça para trás. Sentindo seus lábios me torturando cada vez mais. Ela parou antes que eu chegasse ao orgasmo.

Levantou fazendo um caminho de beijos por todo meu corpo até chegar ao lóbulo de minha orelha. Aproveitei para tirar a camisola deixando-a apenas de calcinha.

Arquei um pouco meu corpo até chegar ao seu seio. Comecei a chupar enquanto a outra mão encaminhava para dentro de sua calcinha. Quando cheguei lá ela segurou meus cabelos firmes, massageei seu clitóris com os dedos fazendo a gemer ao pé do meu ouvido, meus dedos entravam e saiam penetrando-a.

Já não aguentava mais tirei rapidamente a mão e rasguei sua calcinha fazendo-a soltar um leve suspiro.

- você tem que parar com essa mania de rasgar minhas roupas!

Ela suspirou.

- é bem mais rápido assim!

Peguei-a no colo colocando-a sentada no balcão novamente. Posicionei com minha mão meu pênis em sua vagina. Comecei a roçar sobre a mesma que estava totalmente umedecida.

- essa é sua vingança?

- talvez!

Respondi vendo-a sorrir maliciosamente.

- Droga Tae...

Ela exclama manhosa.

- só vou empurrar quando você pedir com jeitinho!

- Tae...

- Vai, Fala!

- .... Me “mete” logo!

Empurrei-o com tudo dentro dela, que fez com que ela soltasse um gemido alto. Puxei-a para mim para que ficássemos abraçados.

Estoqueia rapidamente com ela rebolando sobre meu membro gemendo meu nome.

Segurei firme suas coxas fazendo-a ficar mais exposta.

- quero de outro jeito!

Exclamei em seu ouvido.

- como?

Ela perguntou-me ofegante.

Parei de estoca-la afastando-me e puxando-a para descer do balcão. Peguei em sua mão rodando-a para ficar de costas abracei-a por trás beijando seu pescoço.

Rodei junto com ela até ficar de frente a mesa.

- é assim que eu quero!

Empurrei-a em cima da mesa deixando de quatro.

Ela soltou um riso malicioso.

Segurei seus braços em suas costas. Voltando a penetra-la com tudo. Ela soltou um grito. Inclinei-me até chegar ao seu ouvido.

- eu sei que vai ser difícil, mas tenta gemer baixo!

- isso é impossível amor!

Ela exclamou tentando controlar sua respiração.

Continuei com as estocadas cada vez mais fortes e rápidas. Nós não conseguíamos controlar os gemidos altos que poderiam ser ouvidos fora do cômodo.

Ela jogou seu cabelo para o lado. Vi uma brecha para mordiscar seu pescoço e ombro.

Senti-a se desfalecer por cima da mesa chegando ao seu ápice. Continuei até ejacular tudo.

Soltei seus braços deitando em cima dela. Tentando voltar ao normal nossos batimentos.

- a melhor transa de reconciliação que já tivemos! – Exclamei fazendo caricias em seu ombro. Ela sorriu ainda com a respiração alterada. – vem, vou te levar para cama!

Levantei-a em meus braços conduzindo-a para fora até chegar ao nosso quarto.

- só espero que ninguém tenha ouvido!

Sorri com seu comentário. Enquanto me aconchego na curvatura de seu pescoço abraçando-a para adormecermos juntos...


Notas Finais


aproveitem esse hentai porque vai vir treta kkkkk 😈🙈🙉


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...