História Não se pode matar o que já está morto...? - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Alexy, Ambre, Armin, Bia, Castiel, Charlotte, Dakota, Debrah, Iris, Jade, Kentin, Kim, Leigh, Li, Lysandre, Melody, Nathaniel, Nina, Peggy, Personagens Originais, Priya, Professor Faraize, Professora Delanay, Rosalya, Senhora Shermansky, Thomas, Viktor Chavalier, Violette
Tags Adolescente, Amor Doce, Depressão, Loucura
Exibições 8
Palavras 1.500
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá!

Primeiramente, desculpa pela demora... Sei que é sacanagem! Mas é o fim de ano, é eu sou uma aluna, então estou preocupada com minhas notas. Além disto, eu fiquei um pouco doente e agora faço turno como babá do meu priminho. Mas os capítulos irão sair! Sem preocupação... Desculpa novamente!

Capítulo 3 - Nem todos os dias são de trevas...


Fanfic / Fanfiction Não se pode matar o que já está morto...? - Capítulo 3 - Nem todos os dias são de trevas...

Assim que amanhece, Rosa estava com o pé na minha cara e eu com o pé na cara dela. Nessa situação deplorável! Parece que dormimos em um único sofá não deu muito certo... Começo a procurar meu celular, mas assim que não o vejo perto, eu sinto a necessidade de saber a hora! Eu me afasto da Rosa sentindo um calor infernal! De manhã aqui parece que o satanás assoprou o bafo do cão... Até o ar está quente! Puxei o zíper do meu pijama pulando para fora dele. Eu estava usando um top branco com um shortinho por baixo. Não é agradável usar algo como este pijama sem nada por baixo... Ainda bem que Rosa está dormindo para não ver isto.

Fui para o meu quarto tirando do guarda-roupa uma camiseta enorme com estampa dos meus animes favoritos. Procurei meu celular, quando vi que a bateria estava em 5% quase tive um ataque cardíaco! Não acredito que não coloquei para carregar! Corri para o quarto da minha mãe como se fosse o fim do mundo! Coloquei meu celular para carregar no carregador dela com um suspiro pesado.

- A-Ah... Que alívio... – Eu me deito no chão frio.

Finalmente posso olhar a hora, percebi que ainda estava cedo. Nossa! Há como eu aproveitar o dia? Talvez voltar a dormir? Nah... Estou sem sono. As cenas daquele filme não saem da minha cabeça! Pessoas sangrentas... Que bizarro! Acho que vou acordar a Rosa. É culpa dela eu não conseguir dormir!

Sorrateiramente eu me aproximo dela. Após meditar um pouco do que fazer para acorda-la... Resolvi fazer da maneira mais simples! Fui para detrás do sofá é o levantei com toda minha força derrubando a Rosa no chão.

- A-Ah! Meu Deus! O sofá tá vivo! – Ela grita.

- Uh...? – Eu a encaro no chão com a expressão de “WTF?!”.

- Ah... Foi você... – Ela suspira colocando a mão na testa.

- “O sofá tá vivo”... Não vou me esquecer disso tão cedo. – Sorrio cheia da provocação.

- Sua retardada! Não se derruba alguém do sofá! – Ela começa a se levantar fazendo careta.

- Eu derrubo. Estou entediada... – Suspiro.

- Só me derrubou por estar entediada?! – Quando pisco meus olhos, só ouço um barulho estalado quase do lado da minha cabeça. Logo noto que Rosa jogou uma sandália quase na minha cara.

- A-Ah... Garota doida! – Eu me escondi atrás do sofá.

- Doida é você que acorda as pessoas as derrubando do sofá! – Ouço os passos pesados da Rosa dando a volta no sofá.

- Saí demônio! – Eu tento me esconder dela.

- Demônio é a sua avó! – Ela grita.

- Respeita minha avó! Ela nem está aqui para se defender! – Pego uma sandália no chão jogando na direção da Rosa.

- Fala sério... – Rosa se senta no sofá. – Eu não vou correr atrás de você porque eu não sou uma pirralha. – Ela suspira.

- Graças a Deus! – Respiro com alívio.

- Ei, que horas são? – Ela estica os braços.

- Nove da manhã. – Dou de ombros.

- Nossa... Que tarde... – Ela coça os olhos.

- Tarde? Isso é cedo para mim. – Suspiro. – Ei, vamos fazer alguma coisa! – Seguro a sua mão.

- Como o quê...? – Ela arqueia a sobrancelha.

- Ir perturbar o meu vizinho! – Sorrio.

- Ah... Vizinho? Aquele lindo que você fala tanto é ninguém nunca ver? – Ela me encara como se eu fosse uma mentirosa.

- Ele existe! – Balanço os braços.

- Então é hoje a hora de provar. – Ela esfrega as mãos uma na outra.

- Vai tomar banho primeiro sua imunda... – A empurro em direção o meu quarto.

- Ele vai me cheirar por acaso? – Ela arqueia a sobrancelha.

- Nem precisa... Esse cheiro de gambá da para sentir a distância mesmo. Ó catinga do inferno... – Eu me abano.

- Muito engraçado... Mas você não tá lá esses perfumes não... – Rosa faz careta indo para o banheiro.

- Hehehe... Sempre funciona. – Sorrio para o nada. – Espero que o Viktor esteja em casa. – Coço meus ombros.

Eu volto ao meu quarto pegando um macacão jeans de bermuda com uma camiseta e minha roupa íntima. Fui ao banheiro das visitas para meu bom banho de relaxamento. Após todo o processo de arrumação, apenas enxuguei o cabelo é fui procurar a Rosa. Ela ainda estava no banheiro! Que demora é essa...? Bati na porta várias vezes.

- O que foi?! – Rosa responde de voz grossa.

- Você está demorando! O que aconteceu? Entalou-se na privada? – Arqueio a sobrancelha.

- Menina, vai tomar no seu orifício anal... Que diabos... – Ela resmunga.

- Olha os palavrões... – Faço careta me sentando na beira da cama.

Esperei um pouco a Rosa sair do banheiro. Acho que ela levou a sério o lance do fedor... Ela saiu com o cheiro do sabonete grudado no corpo! Agora eu me pergunto se ainda resta sabonete no banheiro... Provavelmente não.

- Vou te esperar lá fora... – Falo sem graça.

- Para que essa chatice? Somos meninas... Tudo que eu tenho você também tem. – Ela aponta para o meu busto.

- A questão é que você tem mais que eu... Não quero ser humilhada. Obrigada pela compreensão! – Faço careta.

- O que eu tenho mais que você? – Ela arqueia a sobrancelha.

- Peito e bunda... Precisa de mais? – Cruzo os braços.

- Ok... Pode sair. – Ela suspira.

Saio do quarto admirando meu poder de convicção. Estou para concordar com o Castiel... Eu sou uma tábua... Mas morro sem admitir! Faço careta coçando a cabeça. Logo Rosa sai do meu quarto parecendo que iria para uma festa. Misericórdia... Ignorei apenas para não fazer uma piadinha sem graça. Eu a levei até a porta do apartamento do Viktor.

- É aqui que o gatinho mora? – Rosa pergunta me dando um cutucão.

- Exatamente. – Assinto estalando os dedos.

- O que está esperando? Aperta a campainha. – Ela sorri.

-... Ok... – Respiro fundo tocando a campainha.

- É agora... Finalmente vou conhecê-lo. – Ela parecia entusiasmada.

- Deixa o Leigh saber disto. – Cruzo os braços.

- Ele não precisa saber destas coisas... E eu o amo mais do que qualquer homem bonito por aí... Sua barraqueira! – Rosa me empurra de leve contra a parede.

- Eu tenho que arranjar dinheiro para comprar meus vídeos games... Faço parte do ramo da Peggy. Eu vendo fofocas... – Respondo brincalhona.

- Palhaça... – Ela revira os olhos.

- Oi...? – Ouço a voz do Viktor enquanto ele abre a porta.

- Viktor! – Sorrio animada.

- Uau... – Rosa abre a boca no formato de “O” perfeito ao vê-lo. Deu para perceber que ela não esconde a própria surpresa.

- Bom dia... O que está fazendo aqui a essa hora da manhã? – Ele coça os olhos um pouco sonolento.

- Minha amiga não acreditava que você era real... Estou aqui só provando que você existe... Além disto... – Fico nas pontas dos pés tentando olhar por cima do seu ombro. – Podemos tomar o café da manhã com você? Estou com fome. – Coloco as mãos na barriga.

- Sua mendiga... – Rosa suspira.

- Eu já estou acostumado... – Ele coça os olhos. – Eu até deixaria... Mas minha namorada está aqui hoje, é prefiro sobreviver mais um dia. – Ele coloca as mãos em meus ombros me virando na direção oposta do seu apartamento.

- Você tem namorada? Eu não sabia... – Cruzo os braços.

- Agora sabe... – Ele responde com um bocejo.

- Aí... Que patada... – Rosa coloca a mão na testa.

- Doeu... Rosa, vamos comer numa lanchonete que ganhamos mais... – Giro nos calcanhares indo embora.

Não que eu quisesse está com raiva... Mas sim, eu estava irritada. Ignorei Rosa todo o caminho até chegarmos à lanchonete. Mais um dia normal na minha vida! Cada coisa... Tenho certeza que vou passar o dia todo com cara de bunda morrendo de raiva daquela patada. É... É isso que vou fazer.

**

Antes de dar a hora de irmos para a escola, Rosa saiu para a loja do Leigh. Desgraçada... Pura sacanagem um negócio desses. Acho que não vou para a escola hoje... Estou me sentindo um pouco tonta e com dor de barriga. Talvez a comida da lanchonete causasse um efeito estranho em mim... Peguei meu celular um pouco sem esperança abrindo o whatsapp, surpreendentemente encontrei uma mensagem do Armin! Que milagre é esse...?

(Whatsapp)

Armin: Ei! Ei! Planeta terra para Sal! Na escuta?

Armin: Ei! Está me ignorando por acaso?

Sallie: Oi... Seu retardado! Claro que não estou te ignorando...

Armin: Uma vida depois ela responde...

Sallie: Opa... Lançou algum jogo novo?

Armin: Não que tenha lançado... Mas comprei um console novo! É comprei um jogo que precisamos muito jogar! Então... Topa vir na minha casa?

Sallie: Claro! Já estou chegando com doritos!

Que se dane dor de barriga! Joguei dentro da minha mochila meu headfone e uma camisa. Toda vez que vou para a casa do Armin, sempre sujo minha camisa com sorvete... Hoje não! Peguei o que eu tinha na gaveta para comprar tudo de doritos! Isso é uma ocasião especial!

**


Notas Finais


Obrigado por lerem novamente apesar da minha demora... Aos primeiros leitores, agradeço também! Eu fico muito feliz com o incentivo é acabo escrevendo um pouco descontrolada... Mas recentemente eu tenho estado meio desanimado, pode ser um pouco o motivo da minha demora! Mas vou me recuperar... Arigatou! *-*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...