História Não somos amigos! Apenas vizinhos! - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, D.O, Kai
Tags Baek, Baekhyun, Exo, Sebaek, Sehun
Visualizações 70
Palavras 2.196
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Escolar, Famí­lia, Fluffy, Musical (Songfic), Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Espero muito que a doadora do plot não me mate pelos erros enormes na ortografia e pontuação.

Primeiramente doadora, por favor me entende casa não esteja de seu agrado. Essa é minha primeira fanfic com a categoria do exo. Nunca fui próxima do grupo, então conhecia muito pouco os integrantes. Por fim optei por usar poucos personagens.

Sobre seu plot, achei maravilhoso, porém não consegui pensar numa oneshot, ou seja acabei fazendo uma twoshot que acabou indo rápido demais... sinto muito.

Porém estou feliz, pois nunca havia feito algo sobre o Exo e esse desafio me deu essa oportunidade! Muitoooo Obrigado pelo pessoal da equipe Me Nota desflop.


Grupo Me Nota Desflop, é feito para nos que temos fanfic não muito conhecida a divulgar e ter dicas maravilhosas, juntamente com betas, e capistas maravilhosos.

Muito obrigado e boa leitura!

#MeNotaRoletaRussa

Capítulo 1 - Baekhyun meu crush!


 – Não acredito nisso Sehun, ainda não esqueceu Baekhyun? - Meu caro amigo intrometido Kyung-soo, senta ao meu lado, a me olhar com um certo sorriso "cômico" em seus lábios avantajados.

–  Já disse que ele é passado! - Digo pausadamente e sem nem mesmo perceber, eu já virava meus olhos com um completo tédio transmitido pela  face. Enquanto observo um garoto de cabelos loiros passar.

Byun Baekhyun! Garoto propaganda do nosso querido colégio! Sorridente, extrovertido e completamente sociável. Assim poderíamos descrever o garoto de cabelos loiros. Seus olhos quando sorriam, poderia se notar ao longe o formato de lua minguante que se formava. Sua pele palida e leitosa como a mais pura neve, poderia ate lhe dizer também, que eu e ele nos conhecíamos, graças a nossa família que sem dúvida alguma era próximas o bastantes para nos convidar á passar os feriados natalinos com sigo.

Nós nos conhecemos desde os quatros anos de idade. Nunca tivemos uma relação próxima, aliás acho que nunca trocamos mais de dez palavras quando "acidentalmente" esbarramos um no outro nesses corredores. Para ser ainda mais sincero, venho nutrindo uma paixão platônica pelo mesmo. Engraçado como eu sabia absolutamente quase tudo sobre sua vida! Até mesmo a pequena mancha avermelhada sobre sua nuca, sobre ele manter uma pose de garoto pop, sendo que em sua playlist tocava apenas músicas dos anos 60 aos 80, que Baekhyun era péssimo em exatas e sempre dava o discurso de que " Exatas são para pessoas que querem tudo em absolutamente controle." Porém, estou feliz por já ter o superado. Ele foi o dono do meu coração durante longos anos e hoje, posso ver com alguém além dele.

Infelizmente ou felizmente ele está comprometido com o capitão do time de futebol. Park Chanyeol não era nenhum "babaca", bom, não ao meu ver. Sempre o via sorrindo e sendo sociável igualmente Baekhyun que era atencioso com exatamente todos. Era até engraçado presenciar os dois trocando carícias, Park era sem dúvida mais alto que Baekhyun, mesmo o loiro sendo um ano mais velho que Chanyeol. 

Confesso que desde a época do primário, eu tinha uma certa inveja do Park. Não que os dois namorasse des dessa época, claro que não! Porém eles já eram bem próximos. O tipo de aproximadamente que nunca tive e provavelmente nunca terei.

Saio de meus devaneios com Kyung-soo "cutucando" meu ombro freneticamente.

–  Acho que seu loirinho está lhe encarando! - Afirma Kyung-soo, que tomava um suco de caixinha, que poderia julgar ser de uva.

Desvio meus olhos para a linha de visão de Baekhyun e acabo observando atentamente. Estava nítido que o garoto me encarava como se uma pequena "lâmpada de idéia" estivesse surgido em sua cabeça. Ele estava a aprontar algo e eu estava a ser envolvido nisso.

          05:30 da manhã seguinte.

Nunca, absolutamente nunca coloque uma música que ame como despertador, você acaba pegando um ódio mortal pela melodia.

Meu despertador tocava como sempre On My Own, era até engraçado! Á música era considerada um tipo de eletrônica....mas aonde eletrônica poderia nos colocar na bad? 

Sim, quando ela é colocada como despertador em plena madrugada. 

Levantei-me de minha cama, caminhando de olhos fechados para meu banheiro. No caminho pude imaginar a vida de uma pessoa completamente cega e pude notar que não era nada bom. Principalmente quando você acaba batendo seu dedinho na quina da porta. Pude sentir a dor até em meus fios de cabelo.

(...)

Após uma boa higiene, pude me ver caminhando lentamente em direção ao meu colégio. 

Ao caminhar, pude ver Park Chanyeol pelo mesmo caminho que eu, porém não estava a ver a cabeleira loira que normalmente fazia esse mesmo caminho.

Olho para meus calçados e pude notar que meu tênis estava desamarrado. Caminho para perto de uma lixeira orgânica e apoio uma de minhas mãos na mesma e com a mão que está livre pude agachar-me e amarrar meu cardaço. 

Enquanto amarrava o mesmo, pude escutar uma voz baixa a me chamar, vindo de dentro da lixeira. Juro que não hora meu coração acelerou e só passava uma coisa em minha cabeça " Corre viado". Porém fui forte o suficiente para apenas responder a tal voz.

– Quem é? Digo! lixeiras não falam, então seria impossível eu estar escutando essa voz não? - Digo em alto bom som, porém com a voz um pouco embargada.

– Se um dia lixeiras falassem, eu finalmente  descobriria se sou corno! - Ali pude notar de quem a voz pertencia, meu caro e ex paixonite Baekhyun.

– Meu Deus Baekhyun! Quer me matar? Aish garoto! - Digo passando minhas mãos sobre meu peito, enquanto Baekhyun olha para os lados a procura de alguém. –  Se esta procurando Chanyeol, ele foi naquela direção! - aponto com meu dedos.

– Oh! - O mesmo solta um murmuro, pega em minhas mãos e me puxa na direção em que Chanyeol caminhava.

Baekhyun caminhava em alta velocidade e eu consequentemente era arrastado e sendo obrigado a nos esconder em cada olhada que Park dava para trás.

– Por que estamos seguindo seu namorado se ele está apenas indo para escola? - sussurro para o mesmo.

– Existem duas opções e você pode escolher em qual acreditar. 1- Estou apenas interessado no bem estar do meu Mozão e quero me certificar que tudo irá correr bem no caminho dele para escola, 2 - Estou vendo dois chifres enorme em cima da minha cabeça e pode acreditar que está pesado! - Diz com seu semblante sério, porém não pude segurar a risada.

– YA! Acho que você está viajando Baekhyun! Chanyeol? Te trair? - Digo ainda dando algumas risadas. Aquilo era hilário, como ele poderia charme que Park o traia?

Porém quando olho para Baekhyun, estava nítido que o mesmo estava abatido, enquanto seus braços estavam esticado apontando em uma direção. Quando rolei meus olhos para onde o loiro apontava, puder ver uma cena completamente constrangedora. Park Chanyeol estava ao beijos com até então, o famoso melhor amigo de Baekhyun, o Jongin. 

De longe poderíamos notar as carícias e os toques mais íntimos. Aquilo sem dúvida alguma, era algo que não teria explicação, nem mesmo uma justificativa. 

– Chany... - O loiro acaba com chamar o mesmo em bom som. 

Park após ouvir a voz do mesmo, afastou-se bruscamente de Jongin ou melhor, Kai, o empurrando para longe fazendo Kai sorrir cínico. 

– Baek, não  é o que está pesando! - Chanyeol ditava desesperado. – Esse garoto me beijou! Ele me forçou Baek!  - o moreno se aproximava de Baekhyun que dava passos para trás.

– Me poupe Chanyeol! Não se faça de santinho agora, todos nós sabemos que você estava gostando do beijo! - Jongin sorri se aproximando de Baek. – Olha cara, eu sinto muito por ter presenciado isso, sei que fui um amigo muito cuzão. Não vou implorar para me escutar, muito menos me perdoar, pois sei que o que eu venho fazendo não é certo, mas agora você sabe a verdadeira face do Chanyeol, ele não é tão bonzinho igual você achava! - Diz se afastando. – Espero que um dia possa me perdoar!

Baekhyun permanecia em silêncio e não posso negar. Aquilo me assustava.

– Baek, meu amor!  - abraça o loiro que o empurra brutalmente. – Não faça isso meu anjo! Você sabe que eu te amo e que nunca lhe trairia! Acredita em mim? Uhum? - Chanyeol olha fixamente  para mim, sem nem ao menos entender do "por que" de eu estar ali! Bom, nem mesmo eu sei. –  O que Sehun faz aqui?

– Eu...Bom eu! - Digo passando minhas mãos sobre meu cabelo. Estava nervoso, eu nem mesmo sabia do porque de eu estar ali. O loiro acaba tomando a frente e acabando respondendo o mais alto.

– Não  importa! Vem Sehun! Vamos embora! - Baekhyun me pega pela pulso, porém Chanyeol o segura.

– Não me toca! - Baekhyun diz alto e o empurra bruscamente seu braço. –  Estou com nojo de você Chanyeol, com nojo de todas as vezes que deixei-me me tocar, de todas as vezes que beijei seu lábios, não sabendo que eu não era o único a toma-los, você foi baixo e asqueroso...Porém não estou surpreso! - O loiro começa a rir sem animo. – Acabamos agora! Não chegue perto de mim, não fale comigo... - O loiro continua a mesma puxar durante umas duas quadras a frente.

Não vou mentir, minha vontade era de ter dito coisas como " Você é um pau no cu Chanyeol" ou até mesmo " Vai tomar no seu cu". Porém o nó que se formava em minha garganta era muito maior que qualquer ato feito. Olhar para Baekhyun e o ver com os olhos avermelhados e inchados me deixavam com o coração partido. Não que eu ainda nutria um sentimento forte pelo o mesmo, mais pude sentir algo aquecer meu coração, sentimentos que estavam guardados estavam retomando para minha caixa, cujo seja meu coração.

– Uhum, Baek... - sou interrompido.

– Sehun, se contar para qualquer um na escola, eu juro com toda a minha força que acaba o com você! - O loiro respira fundo e me encara. – Não me olhe assim! Aish, não é fácil ser corno entende? Amar alguém que não te ama, machuca e muito! - Baek abaixa sua cabeça e brinca com sua dedos, enquanto algumas lagrimas molhavam seu rosto.

Eu sei muito bem como amar alguém que não me ama! –Murmuro apenas para mim msm– 

Vejo Baekhyun se sentar na calçada com pernas de "índio", enquanto me olha novamente com a cara de que "tive uma idéia".

– Oh Sehun! Não devemos guardar rancor, porém, sou uma pessoa diferente e no momento estou com um puta ódio e você vai a ajudar a acabar com isso da forma mais ilaria possível! - O mesmo sorri "cômico".

– Que? Não me envolva nisso garoto! - acabo soltando, não queria ser envolvido ou melhor, não queria ser ainda mais envolvido nisso.

– Aish! Me ajude a me vingar! Estou pensando em uma forma maravilhosa e somente eu vou levar o crédito por isso! - O loiro se levanta em um pulo e novamente sai me puxando pelo pulso.

Virou mania me puxar assim?

– Você não sabe simplesmente me chamar para te seguir? - indago indignado.

– Você me seguiria sabendo que é para me vingar de Park Chanyeol? - O mesmo para no meio do caminho e olha nos meu olhos.

- Lógico que não! 

- Então pronto! - Ele volta a me puxar.

              

                1 Hora Depois

Uma dica! Nunca leve alguém que acabou de descobrir que é corno para um bar.

Nem eu sabia muito bem o que estávamos fazendo lá . Baekhyun já era maior de idade e simplesmente me puxou para um bar que tinha pela região. Ok! Eu sei que não fui eu que levei ele, porém tenho minha parcela de culpa. Eu poderia o impedir, mas minha mente completamente confusa acabou de formular uma plano.

"Fazer Baekhyun beber e me deixar aproveitar de seu corpinho!" 

Que? Lógico que eu não faria um ato desse, mas seria uma boa possibilidade se o idiota aqui não estivesse completamente bêbado.

– Sabe Sehun! - Baek me chama com a voz um pouco embargada. - Você não  é de se jogar fora! 

– YA!  Seu pervertido! - Indago com uma falsa irritação. - Você...Você sabe como eu faço para o crush me notar? - acabo dizendo em risos.

–  Eu sei lá! Tenta...- ele eleva suas mãos para sua cabeça. - Tenta contar seus sentimentos por ele.

Não me julguem! Eu estava bêbado e nem mesmo sei do porque de eu ter dito tal coisa.

– Byun Baekhyun! Vizinho gostoso que nunca terei uma chance, você aceita meus sentimentos? - Digo ainda dando gargalhadas.

– Oh Sehun! Nosso amor é impossível! Eu, um príncipe herdeiro e você um mero camponês! Não podemos levar isso a diante! - Diz entre os risos. – Pera! Isso era brincadeira né? 

– Lógico que sim idiota! - Digo meio sem graça.

Era totalmente lógico que eu estava dizendo a verdade, porém resolvi esquecer tal coisa dita.

– Tive uma idéia! Você! Amanhã! Meu! Novo! Namorado! - Diz entre os risos. 

Eu estava bêbado! Isso era nítido, juntamente com a minha cara de bunda. Mas Baek não estava totalmente ciente de suas atitudes, muito menos das consequências que isso trairia e trouxe. Tentei resistir, tentei de todas as formas não encarar seus lábios e me sentir eufórico por simplesmente querer  os tocar. Nem que seja com a ponta de meus dedos, queria sentir aquela textura e foi o que fiz.

Talvez a vontade de beijar aqueles lábios tenha vindo por conta da bebida ou por simplesmente estar tocando uma música lenta que consequentemente me fez pensar em ter-lo para mim. 

Meus sentimentos por ele sempre foram confusos, embaralhados e indecifrável. 

Porém, com meu coração acelerado e borboletas pedindo para sair de meu estômago, eu elevei minhas mãos até seu pescoço. Sua pele era alva e macia, não poderia negar que aquelé toque significava muito para mim. Fui aproximando lentamente meus lábios dos dele e quando dei por mim, já estávamos em um beijo intenso e coberto por carícias. Posso lhe dizer a coisa mais cliché agora? Seus lábios se encaixavam perfeitamente sobre os meus, nossas línguas brincavam lentamente enquanto minhas mãos percorriam seu pescoço.

Porém fui empurrado em um gesto brusco.

Abro meus olhos e o vejo sair apressado e cambaleando...

Eu estava fodido! Completamente fodido!








Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...