História NaruHina - Escrito nas Estrelas - Capítulo 26


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Akamaru, Chouji Akimichi, Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Hanabi Hyuuga, Hinata Hyuuga, Hiruzen Sarutobi, Hyuuga Hiashi, Ibiki Morino, Ino Yamanaka, Iruka Umino, Itachi Uchiha, Jiraiya, Kakashi Hatake, Kankuro, Kiba Inuzuka, Killer Bee, Konohamaru, Kurama (Kyuubi), Kurenai Yuuhi, Kushina Uzumaki, Maito Gai, Minato "Yondaime" Namikaze, Mirai Sarutobi, Naruto Uzumaki, Orochimaru, Rock Lee, Sai, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha, Shikamaru Nara, Shino Aburame, Shizune, Tamaki, Temari, TenTen Mitsashi, Tsunade Senju, Yamato
Tags Amor, Drama, Felicidade, Kakashi, Konohana, Morte, Naruhina, Naruto, Ninja, Romance, Sasusaku, Shikatem, Tragedia
Exibições 271
Palavras 2.990
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Festa, Hentai, Luta, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shounen, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Voltei com mais um capítulo, minna! Espero que vocês não me matem, mas esse vai ser um capítulo bem triste ;--;

Maaaaas, coisas boas virão, dattebayo! Boa leitura!

Capítulo 26 - Separação


Fanfic / Fanfiction NaruHina - Escrito nas Estrelas - Capítulo 26 - Separação

"Se não quiserem ver suas amadas Hinata e Sakura mortas... fechem seus corações. Quando só houver ódio, frieza e solidão, eu sentirei e pouparei as duas. Mas se eu sentir o mínimo de amor e alegria... Vocês se arrependerão, Uzumaki Naruto e Uchiha Sasuke!"

A chuva caía fortemente naquela noite. Haviam se passado dias de viagem, mas Naruto não conseguia tirar aquelas palavras da cabeça. O loiro e Sasuke não trocaram palavras desde o acontecimento, se comunicavam com olhares pesados e angustiantes, Naruto sentia a sinceridade por trás da tristeza do seu amigo, que havia se aproximado de Sakura, e agora ambos eram forçadas a tomar a decisão mais difícil das vidas, mentir para a mulher que amam só para salvá-las. Naruto passou todo o caminho de volta para Konoha imaginando o quê diria para Hinata, ou se seria melhor evitar vê-la. Não. Não conseguiria olhar naqueles olhos tão cheios de amor e felicidade e falar mentiras para que se separassem. Ele teve força para parar uma guerra, mas não para machucar mais uma vez a sua hime. Não. Tinha que ser mentira. Aquilo não poderia estar acontecendo. Tinha que ser alguma brincadeira de mal gosto.

(Flashback)

- Nani?! Deixe de brincadeira, seu merda! - Naruto gritou ferozmente contra o zumbi, que apenas riu. Atrás dele, Sasuke fechava seu punho, tremendo de raiva. Já pensava em ativar seu Sharingan e acabar com aquela farsa, quando o homem voltou a falar.

- Eu sou um ser ancestral, crianças... A mera existência de vocês aqui perante mim foi fruto do meu trabalho. Eu existia muito antes de Ootsutsuki Kaguya comer do Fruto do Chakra e acabar com os conflitos que assolavam o mundo! Muito antes de Hagoromo e Hamura se unirem para a derrotá-la! Muito antes da palavra ninja sequer existir! - O morto-vivo falava num tom violento e assustador, fazendo com quê os dois ninjas dessem um passo pra trás, arregalando os olhos. A energia maligna que emanava do homem era sentida, como um mal pressentimento. Um frio na barriga que deixava Naruto e Sasuke cada vez mais inclinados a acreditar naquelas palavras.

- Eu sou um sentimento... Algo que existe desde os primórdios do tempo, fruto do pecado e arquiteto da discórdia. Eu sou a sombra que vaga pelos corações dos homens, que incita a guerra, a violência, a fome e a morte. Eu sou o assassino no beco, esperando para atacar sua presa. Eu sou o medo que tomou conta da infância de vocês, que cresceram sem pais graças à desgraça que assola o mundo shinobi! Eu sou... - O zumbi abriu os braços, fazendo com quê uma energia escura e pesada saísse de suas costas, rapidamente tomando uma forma densa, uma imagem de uma caveira, semelhante ao símbolo da morte. Naruto e Sasuke se arrepiaram com aquelas palavras, engolindo seco.

- Eu sou a escuridão, fedelhos... Eu sou o ódio, o mal... Eu sou... Daruku. - Naruto e Sasuke se sentiram paralisados, um medo tomava conta de seus corpos de uma maneira que nunca sentiram antes. Se sentiam vazios de poder. Mesmo com todo o poder adquirido ao longo dos anos, estavam rendidos em frente aquele ser.

- A era ninja está perto de acabar. O mundo será mergulhado em discórdia mais uma vez, e dessa vez vocês não poderão fazer nada para parar isso. É a engrenagem da vida. A escuridão é o motor de tudo. No fim, a última coisa que verão será o meu rosto, antes de cair no eterno escuro da morte. É assim para todo mundo. - O homem começou a se aproximar dos dois ninjas com passos lentos, com um sorriso ainda mais assustador do quê antes.

- Ainda sim... eu posso lhes conceder um pouco de felicidade em não tirar a vida de suas amadas, se assim aceitarem o fardo da solidão. Será moleza para vocês... que passaram a vida inteira sozinhos. Façam isso, e serão poupados de segurar os cadáveres de suas mulheres, como assim está escrito para acontecer.

Naruto não aguentava mais. Por mais assustado que estivesse, era muita coisa para absorver. Não poderia existir alguém assim. Nada mais poderia lhe separar de Hinata, ele havia prometido isso a si mesmo. A dor que sentia no peito era muito grande, imaginando uma vida sem ela. Mas pior que isso eram as imagens que passavam pela sua cabeça, a morena banhada de sangue, um corpo sem vida em seus braços. Aqueles olhos que já brilharam tanto, que foram a luz na sua própria escuridão quando ele havia atingido o fundo do poço tantas vezes, agora sem vida. Não, isso não podia estar acontecendo.

O loiro tomou impulso e sem nenhum aviso partiu para cima do homem, que sem nenhum esforço segurou o soco que estava mirado para a sua cabeça. Sorriu em deboche e levou seu dedo até a barriga de Naruto, jorrando dele um feixe de energia quase que invisível que perfurou Naruto sem o ferir fisicamente, ao invés disso atingindo Kurama em seu interior, fechando assim todos os pontos de chakra de Naruto, o desacordando na mesma hora. Sasuke arregalou os olhos com aquele poder monstruoso, mas logo se recompôs e ativou seu Sharingan, só para ver que o homem não estava mais lá.

Uma sombra se materializou atrás dele, e quando seus olhos se encontraram já era tarde demais. Uma espada feita de pura energia negra se fez presente ao perfurar o peito de Sasuke, que segurou os gritos de dor contidos em sua garganta. Começou a se sentir sufocado e suando frio, mas logo se deu conta de quê não passava de uma ilusão, não existia sangue, ferimento ou espada que o atravessava. Genjutsu? Não podia ser. Seu Sharingan e Rinnegan estavam num nível muito avançada para cair num simples genjutsu. 'Daruku' se fez presente na frente do moreno, sorrindo - O medo é necessário para a evolução. O medo de que um pode ser destruído a qualquer momento, sem aviso. - O homem cruzou os braços, sua expressão se tornando séria - Um dia, você entendeu isso, Sasuke. Mas seus caminhos mudaram... por causa dela. - Num piscar de olhos, o moreno se viu olhando todas as memórias que já teve de Sakura, desde o seu primeiro encontro na academia, até o mais recente. Em sua frente, Daruku parecia ter perfurado o seu peito, mas não havia nenhum sangue ou ferida. Mesmo assim, era como se segurasse seu coração - Arrancarei o seu coração junto à todos esses sentimentos até você entender, Uchiha Sasuke! Você não pertence ao brilho da amor, e sim à escuridão do ódio! Se lembre de suas palavras quando mais novo! Cresça só para odiar, fique forte só para matar! Esse era o seu objetivo de vida, Uchiha Sasuke!! - Num segundo, Daruku parecia ter esmagado o coração do Uchiha dentro do seu peito, que grunhiu de dor e se jogou ao chão, ficando de joelhos enquanto buscava por uma maneira de respirar. O homem lhe olhava por cima quase que com pena.

- Me dói ver alguém como você assim... Me sinto ofendido de quê todas as pessoas que selecionei para essa missão falharam. Madara, Obito, você... O destino dos Uchiha é a covardia, pelo visto. Tramando a destruição da própria vila por de baixo dos panos, fingindo alegrias falsas e fazendo falsas promessas. - Sasuke levantou os olhos uma última vez até o homem, sentia-os pesando cada vez mais, até que finalmente desistiu e deixou o cansaço e a dor o vencer, caindo com o rosto no chão. Naruto também estava estirado no chão a poucos metros, completamente sugado. Daruku deu um sorriso vitorioso e sumiu na escuridão da noite, deixando pra trás dúvidas e medo.

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

"Eu te amo, Naruto-kun..."

Naruto se sentou em pulo, gritando. Sua cabeça pesava assim como sua respiração inconsistente, sua testa era dominado por pingos de suor. Varreu os arredores com os olhos mas não sentiu nada, até que os parou, fitando Sasuke. O moreno estava encostado numa árvore, olhando o chão. Lágrimas caíam incessantemente do seu rosto, e suas mãos sangravam por debaixo de suas luvas de tanto serem apertadas. As palavras estavam entaladas na garganta de Naruto, que ainda procurava achar sentido na noite passada. Aliás, nem tinha percebido que já a noite do outro dia, a mesma escuridão que tomava conta do dia passada agora se fazia presente, com apenas a luz da lua iluminando o pequeno espaço florestal aonde estavam. Naruto sonhou com Hinata a noite inteira, quase como se alguém tivesse controlando seu sono. O aperto que sentia em seu coração só piorava, e agora ainda mais em ver o estado do seu melhor amigo.

- S-sasuke... - Naruto fez menção de se levantar e ir até o seu amigo, mas foi parado por uma intensa dor no abdômen, botando a mão sobre a barriga rapidamente, numa tentativa falha de apaziguar a dor - Acabou, Naruto...

O loiro arregalou os olhos, fitando Sasuke com surpreso. Seu olhar estava frio e distante, como o Sasuke de muito tempo atrás - Acho que é isso. Somos fadados a vagar pela Terra, sozinhos e desamparados. - Naruto sentiu uma lágrima fria escorrer pelo seu rosto, rangeu os dentes enquanto abaixava sua cabeça, tremendo com um misto de emoções que não sabia como classificar. Raiva, dor, amargura, solidão, desespero... Só sentia vontade de se levantar dali e dar um murro no rosto do moreno, mas no fundo sabia que ele estava certo. Não podia. A vida de Hinata não pertencia só a ele. Como ficariam seu pai e Hanabi, se ela morresse pelo seu egoísmo? Não conseguiria olhar nos olhos deles e se desculpar, pois a culpa seria dele.

Realmente... acabou.

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Naruto e Sasuke olhavam a entrada de Konoha, suas ruas vazias e a chuva que assolava o lugar. Sentiam o vento forte que passava arrastando pequenos papéis e restos de mais um dia de celebração. A neve estava sendo escorrida pela água também, como a alegria dos dois havia sido escorrida pelo ralo presente em seus corações agora. Ambos tinham uma expressão de pura depressão, até mesmo Sasuke não pôde conter as lágrimas em pensar no quê teria que fazer em seguida.

O loiro já não usava mais o cachecol feito por Hinata, havia o guardado dentro da sua bolsa, ainda sonhando com o dia em quê poderia usá-lo novamente. Os dois rapazes deram de ombros e seguiram seus respectivos caminhos, dominados por culpa e dor. Amargurados com o quê iriam fazer.

Não demorou muito até que Sasuke chegasse no complexo residencial do clã Uchiha, ainda assombrado pelo vazio que tomava conta do local. Por um momento, o moreno viu claramente a felicidade que um dia já tomou conta do lugar, com ele sendo carregado nas costas pelo irmão. Pôde ver o seu antigo eu feliz, falando com seu pai e mãe. Eram naqueles dias que ele nunca imagina que ia se sentir sozinho. Fechou os olhos, e sentiu um trovão cair, seu estrondo tão anormalmente forte que o arrepiou um pouco, e quando abriu os olhos novamente ele estava se olhando. O eu de antigamente, sozinho e dominado por ódio e solidão. Seu único desejo era de matar Itachi, e o desejo logo foi tomando proporções maiores, de matar todos os Kages e virar o Hokage, tomando em suas mãos a responsabilidade de instaurar a paz no mundo. Sua miragem foi interrompida pelo quente abraço que sentiu, mãos macias e gentis envelopando o seu tronco, uma terna cabeça se encostando em suas costas, uma voz tão conhecida, que soava baixa e rouca - Você voltou, Sasuke-kun... - Fazia tempo que não sentia esse mesmo desespero, mas por um momento Sasuke se deixou ser consumido por ele, as lágrimas caindo pelo seu rosto enquanto se misturavam com a água da chuva.

"Você... é mesmo irritante, Sakura..."

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Naruto andava lentamente até o seu apartamento, a cada passo que dava se lembrava de como sempre esteve sozinho. Como a volta à casa era difícil, girar aquela maçaneta e abrir aquela porta, só para ver que não tinha ninguém em casa lhe esperando. Por quê? Por quê justo agora que finalmente entendeu e correspondeu os sentimentos de Hinata? Por quê ele tinha que ser castigado desse jeito? Se ele fosse apenas mais um... mais um cidadão comum, que vive a sua vida normalmente se preocupando com problemas ordinários... Se pelo menos ele não fosse Uzumaki Naruto, apaixonado por Hyuuga Hinata...

O loiro se pôs a frente da porta da sua casa, a sua mão tremia à medida que se aproximava da maçaneta. Pode sentir o gelo que tomava conta do metal, mas não tinha a força para girá-la. Seu coração deu um pulo com o súbito movimento da mesma, fazendo a porta se abrir para revelar um brilho familiar, uma quentura que tomava do seu coração todos os dias. Arregalou os olhos ao ver aquela morena tão bela, sorrindo para ela de maneira tão singela e sincera.

- Tadaima, Naruto-kun! - Hinata sorria com os olhos fechados, a coisa mais linda do mundo. Naruto tinha que conter a ansiedade de se jogar em seu abraço e tomar para si o seu beijo novamente. Apertou as mãos fortemente, engolindo seco. Hinata abriu os olhos surpresa, parecia ter tomado um pequeno susto - Ah, gomenasai! Eu nem deixei você entrar, está todo molhado! Eu fiz ramen para você, pelo menos pra te esquentar um pouco!

Não. Aquilo era demais. A dor era muito grande. Nunca sentia algo igual, nunca sentia uma tristeza tão profunda. Sua boca salivava com amargura, pior do quê se tivesse comido mil limões. Apertou ainda mais as mãos, deixando uma lágrima escorrer enquanto fechava os olhos e abaixava a cabeça. Hinata parou, surpresa - Saia, por favor.

A morena abria a boca, mas palavras lhe faltavam. Seus olhos arregalaram-se, toda a sua pequena e frágil estatura tremendo diante daquelas palavras, que mais pareciam uma espada lhe atravessando. Certamente devia ser mais uma brincadeira daquele loiro bobão - Na-naruto-kun! Deixe de brincadeiras, está me deixando preocupado! Entre, por favor! Assim você vai pegar um resfriado... - Hinata parou um tempo, analisando o seu amado e vendo que este não usava mais seu cachecol. Seu coração apertou, como se estivesse se preparando para uma grande queda. Nem fazia ideia o tamanho da profundeza da queda emocional que levaria.

- Vá embora, por favor... - Naruto lutava para conter seus soluços, pois as lágrimas já desciam de seus olhos como rios, contra a sua vontade. Seus ombros faziam um movimento de cima para baixo à cada pequeno soluço contido, suas mãos pareciam sangrar de tão forte que apertava. Uma lágrima escorreu pelo rosto de Hinata, que se aproximou de Naruto que apenas deu um passo pra trás, levando a mão até a sua bolsa, e tirando dela o cachecol guardado. Hinata gelou mais uma vez, estática.

- Naruto-kun... O q-o quê aconteceu? O que há de errado? - A morena queria tomar para si o loiro, que apenas recuava, chorando cada vez mais. Já não conseguia esconder isso de Hinata, que deixou as lágrimas escorrerem sem contestação pelo rosto, tentando levar suas mãos até o rosto de Naruto, que apenas a segurou pelo braço de maneira violenta, a surpreendendo.

- APENAS VÁ EMBORA DAQUI, HINATA! - A morena sentiu seu mundo desabar, mas para sua surpresa as suas pernas tiveram forças para sair dali, deixando pra trás apenas as suas lágrimas que se misturavam com os pingos de chuva. Apertou perto do seu peito o cachecol, como se estivesse agarrando Naruto, mas ele estava muito longe. A Hyuuga estava confusa mas ainda mais que isso, estava machucada. Só queria que aquilo fosse um pesadelo ou uma brincadeira de mal gosto. Correu para a sua casa como se estivesse num corredor infinito, ignorando tudo à sua volta, até mesmo os gritos preocupados de Hiashi e Hanabi, se trancando em seu quarto e se jogando na cama. Sua cabeça pareceu mais leve por um momento, e Hinata apenas sentiu as forças esvaírem do seu corpo, desmaiando por cima dos lençóis.

Naruto se jogou contra a parede do apartamento, deixando-se desabar as poucos, a camisa encharcada pela chuva ia molhando a parede. Olhou para as suas mãos ensanguentadas enquanto as lágrimas caíam por cima do líquido vermelho, se misturando. Ele havia quebrado a sua primeira promessa. Havia machucado Hinata mais uma vez, e dessa vez talvez não houvesse volta. Ela nunca o perdoaria.

Ignorando a dor, o loiro apertou as mãos uma vez. Na verdade, precisava sentir. Sentir aquela dor, que ela fosse aumentando até que tomasse conta de todo o seu ser. Ele não merecia felicidade, havia chegado à essa conclusão. Não tinha mais forças para continuar. Que se dane o sonho de virar Hokage, os seus sonhos sumiram naquele momento, foram embora junto com Hinata. Ela era o verdadeiro sonho dele, e ele havia estragado tudo. Abaixou a cabeça e gritou, gritou como se fosse o último grito de sua vida. Deixou sua dor ser ouvida e sentida por todos ali perto, não conseguia mais manter tudo aquilo preso dentro do seu coração. Mais uma vez, ele havia a perdido.

Viu um último pingo de chuva cair no chão, estrondando o local como se fosse um trovão, a água se espalhando pela imensidão da terra, e a escuridão tomando conta de sua visão. Se deixou ser levado pelo sono e cansaço, esperando acordar ao lado de sua hime. Todas as forças haviam lhe deixado, ele estava esgotado, fisicamente e emocionalmente. Pela primeira vez, ele havia admitido a derrota para si mesmo, não tinha como se levantar disso. Só tinha desejo de ficar deitado pelo resto da vida e morrer infeliz, sozinho como ele realmente merece.

" Se eu fosse a chuva, que faz um elo entre a terra e o céu, que não se unirão por toda a eternidade, poderia eu atar dois corações?"


Notas Finais


Não me matem, por favor! Admito que esse foi um capítulo bem pesado para os dois casais, fiquei bem triste escrevendo isso e imaginando o sofrimento dos quatro, mesmo que não tenha mostrado à detalhes como foi a separação de Sasuke e Sakura.

Ah, a frase no final pode ser familiar para quem já assistiu Bleach hehe É uma frase bem legal dita por Orihime que eu achei legal usar nesse contexto da chuva que caía sem parar, varrendo toda a alegria que tomava conta dos corações dos apaixonados, deixando só a dor e sofrimento...

Mas vai ter muita treta ainda! Naruto bom é Naruto que nunca desiste! Haha Até o próximo capítulo pessoal, comentem se gostaram e deem sugestões, estou sempre aberto à ideias! :D


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...