História Naruhina: Contos de um Ero-kun ( Saga de One-Shots ) - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Tags Não Sei Fazer Tags, Naruhina, Naruhina Sem Freio, One-shots, Revolução Naruhina
Exibições 391
Palavras 1.920
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ecchi, Famí­lia, Hentai, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Naruto e Hinata já namoravam a um tempo, então decidiram morar juntos e isso resultou em uma coisa: A Primeira Vez dos dois.

Porém mal sabia Naruto que ele havia despertado um lado de Hinata que até então era desconhecido por todos...

Capítulo 6 - Vivendo Com Uma Pequena Ninfomaniaca


Acordei sentindo um leve peso sobre meu corpo, me viro e dou de cara com a minha pequena dormindo com a cabeça no meu peito. Ela estava tão perfeita dormindo... Parecia um anjo. Me virei com calma para não acorda-la e fiquei brincando com seus cabelos azulados.

Logo as lembranças daquela noite vieram na minha cabeça... O jeito que ela me fitava com seus olhos repletos de desejo, sua boca passando por toda extensao do meu corpo, o jeito que ela gemia meu nome... Nem parecia a mesma Hinata de sempre.

Isso, era uma Hinata que eu nunca tinha visto antes... Uma selvagem e cheia de fogo sobre mim. Me permiti a dar uma leve risada dos meus pequenos desvaneios.

Logo começo a fita-la dormindo serenamente sobre mim, com aquelas bochechas levemente coradas, que ainda dava o ar de inocencia a ela. Eu realmente era muito sortudo por tudo isso... E pensar que poderia ter tudo isso antes se não fosse tão tapado...

Depois de alguns minutos continuando com as caricias em seus cabelos, notei que Hinata já estava dando os primeiros sinais de que iria acordar. Ela se aninha um pouco mais em mim como se quisesse voltar a dormir e logo depois abre os olhos lentamente.

Ela abre seus lindos olhos perolados e me fita. Ela dá um sorriso preguisoço e eu retribuo, me aproximando um pouco dela e colando nossas testas uma na outra. Roço um pouco meus labios no dela e algo acontece que me deixou confuso e surpreso...

Ela segurou meu rosto com a mão e puxou para um baita de um beijo... Nunca pensei que viveria tanto a ponto de ver a Hinata tomar a iniciativa e me beijar, e que beijo...

Um beijo cheio de paixão e vontade, aprofundei mais o beijo pedindo passagem para lingua que prontamente foi atendida por ela, dando passagem para nossas linguas se encontrarem em uma sensual dança por espaço. 

Nos separamos um pouco ofegantes e ela sorri da minha cara de surpreso.

- Que beijo... - Foi tudo que consegui dizer após tomar um pouco de folego.

Ela apenas sorri e se senta na cama, ficando com as costas nuas virada pra mim e se espriguiçou, enquanto eu a olhava sem nenhum pudor.

Ela se levantou ainda nua e foi até o banheiro, me surpreendi pelo fato dela não ter se tapado ou muito menos corado... Ela estava estranha, mais ousada ! Ela vai até a porta do banheiro e fica parada no batente.

Ela se vira de um jeito estranhamente sensual ? Ué... Cade a minha Hinata *-*. Ela fica me encarando como uma leoa encara a sua presa, enquanto eu fico com cara de bobo babando em cima dela.

- Não vai vir amor ? - Ela perguntou com uma voz carregada de doçura e... malicia ? 

Não respondi nada, apenas ascenti positivamente com a cabeça e fui na direção dela. Nós dois entramos no banheiro e deixamos apenas a agua morna descer lavando nossos corpos colados. Tava tão relaxante ficar lá abraçado na minha morena... Até ela começar a me provocar.

Do nada, tipo do nada mesmo, ela começa a se esfregar mais no meu corpo, fazendo meu amiguinho ganhar vida aos poucos. Uma enorme onda de excitação percorreu meu corpo, então instintivamente abracei ela pela cintura e eliminei todo espaço que havia entre nós.

Ela arfa ao sentir a minha ereção roçar na sua bunda. Isso foi para mim como gasolina é para o fogo. Começei a percorrer suas curvas com minhas mãos ao mesmo tempo que minha boca ia de encontro com o seu pescoço, beijando-o e dando leves chupoes.

Ela abafava os gemidos comprimindo seus lábios, porém fora em vão quando uma de minhas mãos escorregou para a sua intimidade molhada, fazendo movimentos circulares sobre o clitoris.

- Eu te deixei assim tão rápido Hina ? - Sussurei em seu ouvido rouco.

- Ah... Naru... - Disse em forma de gemido.

Ela derrepente se vira de frente para mim e sela nossos lábios em um beijo desesperado e carregado de amor. Suas mãos pequenas percorriam por toda extensão das minhas costas, dando alguns arranhoes.

Sua boca foi logo descendo para o meu pescoço e suas mãos exploravam meu torax desnudo. Eu apenas tombei a cabeça para tras, apreoveitando a sensação que os lábios dela deixavam no meu corpo.

Ela ia perigosamente abaixando, deixando um rastro de fogo por onde passava. Ela ficou de joelhos e começou a encarar meu membro que já estava duro como rocha, e totalmente ao contrario de ontem a noite, ela não ficou nem um pouco vermelha com a aproximação.

Ela segurou meu membro com uma mão e começou a masturba-lo em uma velocidade torturosa. Ela me fitou com uma carinha cheia de malicia e inocencia que só ela sabia fazer.

- Naru-kun, quer que eu te chupe ? - Perguntou com a voz doce

- M-Me chupa Hina. - Falei em meio ao prazer

Ela apenas riu maliciosamente e abocanhou meu membro todo de uma vez, começando com os movimentos de vai e vem. Minha boca estava entre-aberta e os olhos cerrados, no meu ultimo momento de lucidez consegui desligar o chuveiro que aquela altura, apenas atrapalharia.

Ela chupava meu pau até onde podia, alternando entre algumas lambidas e sugadas na cabeça. Eu já estava entorpecido pelo prazer, minha boca que antes estava entre-aberta agora formava um perfeito ''O''.

Instintivamente levei minha mão até seus cabelos e comecei a ditar a velociadade. A cada chupada sentia meu membro inchar cada vez mais, chegando cada vez mais perto do apice.

- Hinata... Eu vou... - Disse entre os gemidos

- P-Pode gozar... Naru... 

Depois de mais umas chupadas, meu sangue começou a ferver e minhas pernas ficarem bambas. Meu penis começou a inchar mais na boca dela, se derramando logo em seguida.

Ela bebia cada gota do meu leite, se levantando logo em seguida e selando meus labios em um beijo cheio de luxuria. Depois que nos separamos do beijo, ela se afasta um pouco de mim e fica de costas para a parede.

- Agora é a sua vez amor... - Disse com uma voz extremamente sexy e a mão perigosamente perto da sua intimidade.

Gemi de antecipação de depois dei um daqueles sorrisos safados. Me aproximei dela e dei um selinho demorado, descendo pelo pescoço e indo para o vale dos seus seios, onde passei a lingua ao mesmo tempo que puxava e beliscava seus bicos rijos e rosados.

Ela arfava com cada toque e eu apenas apreciava o gosto da sua pele e suas expressões de prazer. Fui descendo meus labios pelo corpo dela, descendo até dar de cara com a sua feminidade.

Ela estava tão excitada que só o ato de respirar perto dela a fez agarrar meus cabelos. Sem perder mais tempo, comecei a lambe-la. Ela gemia baixinho enquanto eu sugava e mordia o clitoris inchado. Coloquei uma de suas pernas sobre meu ombro e a penetrei com um dedo.

Ela gemia alto agora enquanto eu bombeava já dois dedos dentro dela ao mesmo que acariciava seu clitoris com a lingua. Ela estava indo a loucura... E eu estava contente por conseguir dar prazer a minha pequena!  #ValeuEroSenin

Ela comprimia ainda mais a minha cara na direção da sua intimidade, praticamente a esfregando em mim. Em meio aos gemidos incessantes dela, senti meus dedos serem engolidos pela intimidade dela, denunciando que estava proxima ao orgasmo.

- Hum.... Naru... - Gemeu manhosa

- Goza pra mim Hime...

Bombeei um pouco mais e ela explodiu em mim junto a espasmos de excitação. Ela estava totalmente ofegante, seu peito subia e descia freneticamente e eu não estava muito diferente.

Retirei os dedos da intimidade dela e os lambi, sentindo o doce gosto da Hinata. Me levantei e puxei ela para um beijo necessitado. Ergui ela no ar que automaticamente cruzou as pernas em minha cintura, ainda em meio ao beijo, levei uma de minhas mãos até meu membro e comecei a dar umas pinceladas na sua fenda.

- Me diz Hina... Você me quer dentro de você ? - Perguntei safado enquanto beijava o pescoço dela.

- Q-Quero... Quero você... - Disse manhosa

- Não entendi direito, Hime... O que você quer ? - Perguntei com um sorrisinho sacana.

- Eu... Quero que você me foda com esse seu pau! - Ela disse entre os gemidos.

Me assustei com a maneira que a Hinata falou... Possivelmente fiz cara de trouxa. Dei ombros e comecei a penetra-la lentamente, ela gemia cada vez mais eu entrava.

Era intensa a sensação que tinha ao me encaixar perfeitamente nela... Nossos corpos se mexiam de maneira sincronizada e o barulho incessante dos corpos se chocando misturado aos gemidos e urros de prazer, deixam aquele box com um clima perfeito de sexo.

Depois de mais algumas entocadas, senti um liquido quente sobre meu membro... Ela havia gozado. Retirei meu penis de dentro dela ouvindo um gemido de desaprovação que me fez rir, logo em seguida virei ela de costas para mim e a mesma se segurou na parede, ficando com a bunda empinada para mim.

Não resisti a tentação e dei um tapa sonoro, que a fez gemer alto. Ela olhou sobre o ombro e fez praticamente um pedido mudo para que eu repetisse a dose. E dito e feito, dei outro tapa na bunda redondinha dela que a fez gemer novamente e empinar-se ainda mais.

Segurei sua cintura com as minhas duas mãos e a penetrei sem aviso previo. As investidas eram fortes, fundas e rápidas, sempre carregadas de prazer. Ela gemia manhosa com cada investida, levei minha mão até um de seus seios e comecei a massagea-lo.

Sentia cada vez mais proximo do orgasmo, a cada investida meu membro parecia inchar mais. Notei tambem que ela já estava chegando no apice tambem, então fiz com que ela gozasse primeiro.

Após algumas investidas, ela novamente se derramou sobre mim. Dei 3 entocadas e retirei rapidamente meu membro da intimidade dela, gozando no piso do banheiro... Qual é ? Apesar de gostar da ideia de querer formar uma familia com a Hinata, acho que ainda é muito cedo para termos um filho.

Após terminar de gozar, puxei Hinata para um beijo que logo foi correspondido. Com a minha mão livre, liguei novamente o chuveiro, deixando a agua morna cair sobre os nossos corpos pegando fogo.

- Ainda queria que tivesse sido dentro... - Falou ela emburrada.

- Por que ? Já quer ter um filho assim tão rápido ? - Sorri e a abracei, dando um beijo no topo da sua cabeça. Nós teremos a vida toda para isso... Ah, antes que eu me esqueça, quando você ficou tão tarada assim Hina ? - Perguntei fitando os olhos dela.

- Sei lá... - Deu ombros e voltou ao seu banho normalmente.

Assim que terminamos nosso banho, saimos do box e nos secamos, indo em direção ao quarto para poder começar a nossa rotina diaria, porém, sou surpreendido por Hinata me empurrar na cama com certa violencia.

Ergo um pouco a cabeça com a sombrancelha arqueada para Hinata que apenas ria travessa. Ela foi andando lentamente até mim, sentando em cima da minha barriga. Ela se abaixou um pouco e selou novamente nossos labios.

Terminamos o beijo dando uns 3 selinhos antes de nos separar. Ela vai até o meu ouvido e sussura.

- Naru-kun... Eu quero denovo! - Sua voz estava carregada de malicia.

Que Kami-sama me ajude....

 

 

 

CONTINUA ???

FIM

 


Notas Finais


Dicas ou sugestões?
Podem comentar, estou sempre aberto para sugestoes ;D
Falouu


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...