História NaruHina: Tale of Sunrise - Capítulo 22


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Hinata Hyuuga, Naruto Uzumaki
Tags Naruhina, Reimaginacao
Exibições 485
Palavras 5.701
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Artes Marciais, Aventura, Ecchi, Hentai, Luta, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Não sei se esse capítulo ficou meio insosso, mas achei legal a dinâmica que coloquei nas lutas.
Enfim. Próximo é o hentai (é, pois é, agora sai mesmo, rs) e depois vou pausar uns dois dias pelo menos pra revisar umas coisas pro próximo arco que será tenso.
Espero que gostem!

Capítulo 22 - Pitiless


Ambos os quartetos se encaravam com atenção, até que um dos subordinados de Orochimaru fez seu movimento. Um homem alto e largo com um cabelo laranja mal cortado saltou a frente realizando seu jutsu, uma redoma de pedra começou a surgir do chão e todos saltaram, porém Sakura não conseguiu fugir a tempo, ficando presa.
Vendo isso, Naruto tentou atacar o grandalhão, porém um cara esquisito com duas cabeças parou em sua frente tentando um soco. Hinata fez o mesmo, mas um homem negro com sorriso debochado também a atacou. Shikamaru analisava de longe, até a voz de Sakura ser ouvida de dentro da redoma.
- EU ME VIRO COM ESSE GRANDALHÃO ESTÚPIDO, ACABEM COM OS OUTROS.
Hinata sorriu com isso, virando aos seus companheiros.
- Vamos fazer o que ela pediu.
Naruto assentiu, revidando o soco do oponente de duas cabeças. O ser voou longe, e Naruto saltou ao teto esmurrando até criar uma abertura.
- Idiota exagerado! -Resmungou Shikamaru.
Hinata por sua vez seguiu Naruto, atraindo seu oponente.
- Droga, só sobrou esse idiota com cara de preguiçoso pra mim. Vê se não demora com essa pirralha, Jiroubou. -Resmungou a única mulher do grupo oponente, uma garota ruiva com cara de estressada.
- Não me dê ordens, Tayuya.
Shikamaru suspirou fundo, tomando o mesmo caminho que seu casal companheiro.

Do lado de fora, Naruto e Hinata se entreolharam, combinando de um jeito que só eles entendiam de se separarem. Naruto sorriu com confiança.
- Nos encontramos aqui depois! -Indicou Naruto, já sumindo no ar e aparecendo de frente a seu oponente com um soco. O homem estranho desviou e Naruto seguiu para oeste, onde a região seca era predominante.
Hinata fez o mesmo seguindo a norte, onde a floresta começava, seu oponente a seguiu.
Já Shikamaru e a garota se entreolhavam com atenção, vendo seus companheiros sumirem.

Dentro da redoma, Sakura já havia entendido a questão. As paredes eram mantidas e alimentadas pelo chakra do oponente, que sugava o chakra da vítima presa para isso.
Não havia segredo, ele estava a sua frente e era óbvio imaginar que a retaguarda da redoma fosse mais frágil que a dianteira.
Ela então concentrou seu chakra no punho, não podia esperar muito afinal não era alguém como Naruto, dotada de uma grande reserva. Precisava de cada respingo de chakra em seu corpo. Correu com o soco armado, destruindo a redoma sem muita dificuldade para espanto do inimigo.
- Essa técnica é bastante patética, digna de um peão descartável daquela cobra velha. -Provocou Sakura, ajeitando sua luva na mão esquerda.
- Você é bastante forte pra uma garota magrela.
Jiroubou fez alguns selos e espinhos de pedra surgiram das paredes cercando Sakura dos dois lados. Ela apenas desviou deles com saltos, atirando kunais no oponente.
- Ele até que é rápido pra alguém desse tamanho. -Pensou Sakura, vendo-o desviar facilmente das kunais.
Sakura fez alguns selos e o chão de pedra começou a se moldar em torno das pernas de Jiroubou, o prendendo. A rosada não perdeu tempo, sumindo no ar e aparecendo de frente ao oponente com o soco já armado. Ele voou atravessando todo o longo corredor e caindo dentro de um quarto. Sakura se aproximava a passos confiantes, mas teve que desviar quando viu em cima da hora uma sequência de pedras disparadas como tiros se aproximarem de seu rosto numa enorme velocidade.
Jiroubou saia de dentro do quarto com marcas em todo o corpo, o selo amaldiçoado estava ativo.
- Você é bastante habilidosa, vai ser divertido sugar seu chakra até que você morra.

 

Shikamaru encarava sua oponente com atenção, mas não sabia muito bem o que fazer. Odiava esses confrontos diretos, era muito mais útil em missões de reconhecimento e estratégias de defesa. Respirou fundo, ativando seu kagemane com discrição, quase o completando, mas a tal Tayuya saltou antes.
- Esse é o jutsu dos Nara, certo? Seu clã ficou bem famoso nos últimos anos.
- Meu pai deu pra se exibir agora, um homem muito problemático.
- Acho melhor ir com tudo, eles são conhecidos por serem exímios estrategistas. -Pensou a garota, se colocando em posição e ativando o selo amaldiçoado. Imediatamente invocou três seres gigantes e absurdamente esquisitos.
Shikamaru não sabia o que pensar; um tinha costuras na boca e venda nos olhos, com espécies de garras enormes amarradas em volta dos punhos; outro tinha os cabelos cobrindo todo o rosto e carregava uma enorme clava; e o último e mais estranho não tinha braços, estava todo enfaixado desde o tronco até a cabeça, onde haviam enormes agulhas fincadas.
- Droooooga, isso vai ser problemático.

 

Dentro do esconderijo, Jiroubou atacava Sakura com socos e chutes, seus movimentos lembravam muito técnicas de Kenpo, usando o equilíbrio do corpo e golpes precisos e organizados, ainda que extremamente pesados.
A rosada não tinha muita alternativa, se defendendo e analisando o oponente como podia. O padrão dos golpes era óbvio, com o tempo conseguiu evitá-los com mais facilidade, devolvendo com socos prontamente desviados pelo oponente.
- Se o selo Byakugo já estivesse ativo eu poderia atacar sem medo nenhum e meu chakra não estaria tão limitado. Preciso pensar em formas de lidar com essa força dele. -Sakura usava todo seu intelecto tentando analisar o oponente.
Apesar da força física e o selo amaldiçoado, Jiroubou era muito limitado. Sakura sabia disso e era dessa limitação que precisava tirar vantagem. Não podia ser como ele, que ataca com arrogância sem pensar nas capacidades do oponente, precisava pensar e atacar com inteligência. Precisava ser mais como o Lee, com seu taijutsu preciso e ao mesmo tempo forte. Ou como Hinata, que se adapta ao oponente da melhor forma possível. Precisava ser de fato uma especialista em combate, não apenas uma garota que consegue dar socos fortes.
A rosada desviou de mais um soco com um salto mais longo, tomando impulso no teto e retornando em alta velocidade com um soco, prontamente desviado pelo oponente. Sakura passou reto, mas conseguiu distância.
Sabia que Jiroubou atacava com golpes pesadas e sequenciados, conseguiu entender o padrão então só precisava criar alternativas. Os golpes dele se concentram muito no peso dos braços, embora tenha tentado alguns chutes. Talvez...

 

Do lado de fora, Shikamaru desviava como podia dos gigantes. Era complexo, a região seca e plana não deixava muitas alternativas, não podia simplesmente parar e pensar numa estratégia. Sua oponente conhece seu clã, deve saber não só do jutsu de possessão das sombras como também da fama de estrategistas. Isso era um saco, deveria ser um clã que se mantém nas sombras, não um que sai a luz do sol posando de importantes.
Shikamaru sabia, teria que lutar de verdade, não arranjar formas de vencer à distância.
Esperou o mais comum dos três seres atacar com sua clava, desviando e saltando sobre ela. Puxou fios de aço de sua bolsa, enrolando rapidamente em volta do braço do monstro, saltando com dificuldade pelo movimento dele e pousando sobre sua cabeça. Enrolou o fio em volta do pescoço e saltou ao chão, puxando o fio. O braço do mostro foi de encontro ao próprio rosto, Shikamaru fez muita força para isso, afinal era um ser gigantesco, mas conseguiu desestabilizar o bicho. Quando outro deles, o das garras, saltou tentando acertá-lo, Shikamaru ativou sua técnica de estrangulamento pela sombra no monstro da clava, que caiu entre ele e o das garras, recebendo o golpe.
Tayuya não estava entendendo nada, não pensou que um membro do clã Nara tivesse habilidades de combate. Precisava apertar o cerco.
Shikamaru se afastou, vendo os três monstros recuarem, o da clava já quebrando o fio de aço. O moreno ofegava, foi um movimento cansativo, principalmente por ter que usar tanta força para derrubar um monstro desses.
Viu porém, com espanto, quando uma camada esquisita, como lombrigas gigantes, começaram a sair das bocas dos monstros gigantes. Seres semitransparentes com bocas, não estava entendendo nada.
Atirou três kunais apenas para garantir, e todas elas atravessaram os seres.
- É inútil. Vamos ver como o geniozinho de merda lida com isso. -Disse Tayuya, provocando.
Os gigantes saltaram, estavam mais rápidos. Shikamaru saltou desviando, mas um dos seres disformes o alcançou, roçando seu braço. O Nara sentiu e até conseguiu ver seu chakra se descolar, sendo abocanhado pelo ser. Então era isso, se fosse pego por um deles estaria morto antes mesmo de se dar conta.

 

No esconderijo, Sakura já sabia como vencer, bastava a oportunidade. Jiroubou cravou os dedos no chão e começou a puxar a terra, um enorme bloco de pedra. Lançou contra a garota, que apenas a socou destruindo. Era uma distração, Jiroubou já estava em sua frente com um soco armado. A garota levou o golpe, conseguindo proteger o rosto com os braços. Foi arrastada alguns metros, e o oponente voltou a atacar com outro soco, mas Sakura desviou no último segundo. Ela aproveitou a oportunidade, mirando um soco muito forte no ombro esquerdo do oponente, exatamente sobre os ligamentos.
Jiroubou caiu com o golpe, seu braço ficou completamente dormente e inutilizado.
Sakura não parou, fazendo selos. A terra voltou a cobrir o oponente em seus joelhos, pescoço e antebraço direito. Ela então saltou com o soco já preparado, acertando o ombro direito.
Pensou então no óbvio, puxando uma kunai para finalizar o oponente. Aproximou-se mirando o pescoço, mas ele se levantou quebrando o jutsu de aprisionamento dela apenas com a força do tronco e pernas, sua pele escurecendo conforme levantava.
- Não acredito que vou ter que usar o selo no segundo estágio com uma garotinha...

 

Os monstros atacavam de todos os cantos, era uma dificuldade imensa desviar, e Shikamaru já estava cansado.
Saltava tentando manter a mente organizada. Tudo o que sabia era que ela controlava os gigantes com a flauta e que aparentemente só conhecia a fama e o jutsu de possessão do seu clã, levando em conta o espanto com a técnica de estrangulamento. Seria esse seu trunfo.
Shikamaru saltou mais longe enviando sua sombra rapidamente. Tayuya saltou para trás, vendo a sombra travar. Shikamaru desfez o jutsu assim que outro dos monstros o atacou, saltando pela lateral. Jogou então uma kunai em Tayuya, que puxou um dos gigantes como escudo, a kunai o atingindo na garra e girando antes de cravar no chão.
- Pirralho patético! -Resmungou a garota. Seus monstros saltaram ao mesmo tempo em direção ao Nara, que parecia perdido, mas pararam caindo em pé, paralisados.
Tayuya havia parado a canção com que controlava os gigantes ao sentir uma kunai cravar sua mão esquerda.
- Como cacete...?
- Kagenui é uma técnica muito difícil de aprender, mas muito útil. -Disse Shikamaru, enquanto linhas de sombra saltavam do chão e atravessavam os braços e pernas da oponente.
- Seu desgraçado filho duma puta, EU VOU MATAR VOCÊ!
- Barulhenta, mesmo depois de tudo isso...
Shikamaru se calou vendo-a mudar de forma, a pele enegrecendo para um marrom morto, chifres surgindo, não estava entendendo nada. Ela puxou os braços e pernas das sombras de Shikamaru, o encarando com seriedade.
- Você vai sofrer bastante agora.

 

Sakura encarava Jiroubou com atenção, era óbvio que esse tal segundo estágio do selo ampliou sua força física mais ainda, teria que ficar esperta. Pelo menos não curou seus braços, que continuavam moles em volta do corpo.
- Você foi bem esperta em inutilizar meus braços. É Iryo-nin? Deve ter estudado anatomia muito bem, acertou os locais exatos...
Sakura nada respondeu, continuava o encarando.
- Que seja.
Jiroubou saltou, caindo rapidamente com um chute. Sakura desviou, vendo-o tentar uma cabeçada. Ela espalmou a cabeça dele, tomando impulso nela para saltar para trás. Ele saltou novamente com uma sequência de chutes na altura do abdômen dela, que desviava e amortecia os golpes com dificuldade, mas acabou levando um no estômago. Caiu metros depois, curvando pela dor.
Jiroubou atacou novamente com chutes. Ela sabia que precisava finalizar rápido, fez selos enquanto desviava usando a flexibilidade de seu tronco e invocou vários espinhos de pedra que atacavam Jiroubou.
Ele era atingido por alguns, mas era como se nem sequer os sentisse.
Sakura fez outra sequência de selos e um muro de pedra surgiu em sua frente. Ela o socou, quebrando o muro em pedras que voavam em direção ao oponente. Ele sequer fez menção de desviar.
Quando as pedras passaram e a poeira baixou, Sakura não estava mais lá. Jiroubou olhou com atenção em volta, nenhum sinal dela. Não viu quando ela surgiu de baixo da terra atrás de si.
Sakura fez novamente seu jutsu de aprisionamento, fazendo terra cobrir e prender Jiroubou pelos calcanhares. Ele fez menção de se soltar, mas sentiu uma kunai cravar um pouco abaixo de sua nuca, porém muito superficialmente, o selo endurecia seu corpo. Ainda sim ficou travado, completamente reto. Sakura juntou todo chakra que lhe restava no punho esquerdo enquanto com a mão direita mantinha a kunai cravada no oponente.
O soco o atingiu na espinha, a esmigalhando com o impacto. Ele cuspiu sangue, o selo regredindo em seu corpo. Caiu mole no chão.
As habilidades médicas de Sakura a haviam ajudado. Não importa a força física do oponente, receber tamanho impacto sobre a espinha estando com o corpo reto era morte certa.
- Você me subestimou, mas era mesmo só um peão patético do Orochimaru.
Jiroubou nada respondeu, o sangue acumulando em sua boca. Sakura não aguentava mais ver a cena, apenas puxou uma kunai e cravou na nuca do oponente, o matando. Era a primeira vez que matava, mas sentia que toda a luta a fez crescer.
Era hora de deixar definitivamente para trás a Sakura imatura, fútil e obcecada pelo Sasuke. O deixaria seguir o próprio caminho, ela precisava dar um passo em frente por si, pela Vila, por seus amigos. Por quem ficou ao seu lado, mesmo ela não sendo a melhor pessoa do mundo. Mesmo ela sendo como era, as pessoas que ficaram ao lado, sem cobrar nada.
Todos estavam certos, se Sasuke quiser voltar um dia, ela estará lá por ele, mas não podia continuar tão apegada a lembranças que só faziam sentido a ela, um sentimento unilateral só causa sofrimento.
Sakura cresceu com uma luta onde nunca correu risco, mas com uma missão pesada e um reencontro decepcionante. Orgulharia sua mestra, com toda certeza!

 

Tayuya puxou sua flauta, iniciando uma canção diferente, seus gigantes sumiram automaticamente. Shikamaru sentiu a realidade mudar. Completamente paralisado, sentia dores constantes e irritantes em seu tronco, como se pessoas o perfurassem com agulhas constante e ininterruptamente.
A dor ia aumentando e se espalhando pelo corpo, ele sabia estar num genjutsu, mas como escaparia?
Fora do genjutsu, Tayuya pegou a kunai que Shikamaru usou para atingi-la e lançou, certa da vitória. Porém a sombra de Shikamaru saiu do chão atingindo a kunai levemente, desviando seu curso.
Ela olhou espantada, Shikamaru a encarou com um sorriso.
- Como?! -Ela tentava entender, até ver a mão do oponente. Shikamaru quebrou o próprio dedo com a sombra, usando da dor para quebrar a ilusão. - Entendo. Você é realmente esperto.
- É uma pena ter que te matar, você não parece alguém realmente ruim.
- Idiota, já fiz coisas que pirralhos da folha jamais pensariam.
- Imagino. -Shikamaru cessou a conversa no exato momento em que sua sombra voltou a atravessar a oponente. Ela tentou se livrar novamente delas, mas sentiu-se paralisada. - É bem difícil usar o Kagenui em conjunto com o Kagemane, gasta muito chakra.
O Nara sorriu, e a garota se viu completamente sem saída. Conforme era perfurada pelas sombras, suas forças a abandonavam. O selo regrediu, e Shikamaru decidiu acabar com isso, a perfurando no pescoço. Ela morreu sem expressar qualquer coisa, apenas o encarando, desafiando. Apesar de tudo, uma mulher forte no fim das contas.
Shikamaru desfez seus jutsus e ajoelhou cansado, ofegando. Gastou muito chakra, mas seu pai ficará orgulhoso, usar dois jutsus do clã ao mesmo tempo era um desafio enorme.
Mesmo não tendo corrido tanto risco, conseguiu crescer. Era a primeira vez que se via em condição de não poder parar e analisar. Venceu sem montar uma grande estratégia, isso era uma prova de capacidade grande para ele, que nunca foi um grande combatente.
Sorriu quando viu Sakura surgir de dentro do esconderijo, ofegante.
- Você tá acabado, Shikamaru-kun.
- Você não tá muito melhor...
- O que vamos fazer?
- Nos recuperar e ver o que encontramos nesse esconderijo. -Respondeu Yamato, surgindo do nada.
- Mas e o Naruto e a Hinata? -Perguntou Sakura.
- Eles são mais fortes que a gente, se formos atrás deles nesse estado só vamos atrapalhar. Melhor adiantar a missão, assim quando voltarem poderemos todos descansar e voltar. -Respondeu Shikamaru, já se levantando e caminhando de volta ao esconderijo com seus companheiros.
- E o Orochimaru, Yamato-taichou? -Perguntou Sakura.
- Tentei segui-los, eles tentaram entrar numa sala ainda no esconderijo, mas consegui impedir. Eles então fugiram e tentei continuar seguindo, mas antes de alcançar um vale mais a frente eles me despistaram.
- Ele é mesmo um mestre em escapar. O que me surpreende é o Sasuke não ter feito qualquer tentativa de tentar combater o Naruto.
- De fato. É como se ele estivesse planejando algo e queira realizar o quanto antes.
- E o Sai? -Perguntou Sakura.
- Sinto-o por perto, talvez esteja observando alguma das lutas.

 

Alguns poucos quilômetros a oeste, Naruto encarava o ser esquisito com curiosidade. Conseguia ver a segunda cabeça saindo da nuca, mas às vezes jurava que elas dividiam o mesmo pescoço, lado a lado. Devia ser alguma habilidade bizarra.
- E então, vai lutar ou só vai ficar me olhando assim? -Provocou o ser.
- A gente pode simplesmente acabar logo com ele, Sakon? Não tô com paciência pras suas brincadeiras.
- Calma Ukon, vai ser divertido.
Naruto agora estava mais confuso do que nunca, era muito bizarro ver as duas cabeças conversando, principalmente após a segunda, Ukon, ter deslizado da nuca até o ombro como se não fosse nada.
- Ok, vamos lá!
Naruto saltou atirando kunais, defendidas sem dificuldade pelo oponente. Ambos se aproximaram trocando golpes de taijutsu, mas Naruto levava vantagem.
Após uma troca de socos, Naruto acertou um no peito do oponente. Já comemorava mentalmente, até notar direito que seu punho na verdade foi seguro por uma mão que saia do peito do oponente. Não teve reação, vendo três braços virem com uma sequência de socos em seu rosto. Voou alguns metros, caindo em pé, o sangue escorreu de seu supercílio esquerdo.
- Ukon, meu aniki, pode projetar seus membros por qualquer parte do meu corpo. -Explicou Sakon, mostrando pernas e braços surgirem de locais estranhos.
O loiro o encarou limpando o sangue. Sorriu desafiante.
- Interessante. Vamos ver o que sabem. -Disse, já realizando selos. A rajada de ventos pegou o oponente em cheio, cortando alguns braços e pernas e o empurrando para longe. Não tiveram tempo de reagir, Naruto corria numa velocidade assustadora, chegando antes deles e os recebendo com um soco.
Voaram, caindo já separados. Ukon foi o que mais sentiu o impacto, já que Naruto acertou exatamente nas costas, onde este estava.
- Ele é forte e rápido. Vai ser difícil. -Pensou Sakon, vendo Naruto se aproximar lentamente.
- Se é só isso, é decepcionante.
Os dois irmãos se entreolharam com raiva nos olhos, o selo amaldiçoado surgindo já em seu segundo estágio, com chifres e coloração marrom.
- Então o selo tem um segundo estágio... Sasuke também consegue usar essa porcaria ai?
- O dele é mais forte que o nosso, você não teria chance contra ele nessa forma. -Respondeu Sakon.
- Se você diz...
Naruto não perdeu mais tempo, criando um clone e ambos partindo pra cima. Sakon e Ukon se defendiam com dificuldade, não eram exímios lutadores, apenas usavam a vantagem quando unidos.

 

Hinata tentava entender seu oponente, que se revelou chamar-se Kidoumaru. Assim que chegaram à floresta, ele manteve distância e atirou teias de aranha. Hinata logo percebeu que tocar nelas significaria ficar presa, então as desfez com chakra katon concentrado nas palmas e tenketsus.
Kidoumaru observava de longe, e Hinata tentava encontrá-lo com o Byakugan. Teria que ampliar a área de alcance, mas quando iria fazê-lo o oponente atirou uma flecha dourada estranha. Hinata desviou, e a flecha cravou com uma força absurda no chão. Ela se aproximou, tentando quebrá-la com uma kunai, mas não teve efeito. Era então uma matéria muito resistente.
De repente várias flechas iguais começaram a vir, Kidoumaru testava sua presa de longe, observando as reações dela. Hinata dançava, desviando das flechas. Mas ela sabia, continuar nessa dinâmica era perda de tempo, ele estava testando seus limites apenas.
A garota concentrou mais chakra nos olhos e ampliou a visão do Byakugan. Encontrou o desgraçado escondido a uma distância considerável. Ela precisava encontrar uma forma de atingi-lo, mas um jutsu katon apenas não o alcançaria.
A resposta veio em seguida, quando Kidoumaru atirou uma flecha com uma de suas teias resistentes, tentando usá-la para corrigir o curso da flecha e atingir Hinata. Ela, porém, percebeu o fio quando a flecha fez um movimento sutil de desvio ainda distante dela. Desviou no último segundo, e segurou a teia enviando chakra raiton por ela. Não era um grande condutor, mas o choque daria alguns segundos de vantagem à morena.
E assim foi, Kidoumaru recebeu o choque, e por alguns segundos não conseguiu prestar atenção em volta. Hinata em alta velocidade se aproximou dele realizando selos. A rajada de chamas veio forte, Kidoumaru conseguiu se livrar, mas recebeu algumas queimaduras. Hinata saltou junto com ele, desferindo golpes com katon concentrado. Atingiu todos os golpes, mas Kidoumaru não pareceu sentir. Quando chegaram ao chão ela percebeu a armadura dourada surgindo no corpo do oponente.
- Esse material emerge dos meus poros, não conseguirá me atingir com taijutsu dessa forma. -Explicou.
Hinata tentava formar uma ideia de como vencer.

 

Naruto levava uma vantagem brutal, acertando socos e mais socos. Sakon caiu primeiro, e o clone que lutava contra Ukon se desfez quando o original surgiu em sua frente. Naruto tentou um soco, mas Ukon conseguiu desviar e segurar seu braço. Sakon então saltou de repente com outro soco, Naruto conseguiu se abaixar mesmo seu braço sendo seguro.
Quando o loiro levantou o olhar não viu Ukon, seu braço estava livre, porém sentia um peso em suas costas. Sentiu então uma sensação esquisita, um arrepio na espinha. A cabeça de Ukon deslizou ao lado da sua.
- E aí, procurando alguém? -O loiro não entendia nada. - No segundo estágio do selo posso me unir às linhas de chakra do oponente. Não, posso até mesmo dizer que estamos unidos por cada célula do seu corpo. Mas é provisório, até que eu te mate. Posso mover, reagrupar e eliminar todo seu organismo conforme minha vontade.
- Então você compartilha meu corpo e minha consciência?
- Exatamente!
Naruto sorriu. - Se eu fosse você, sairia dai o mais rápido possível.
Ukon não entendeu até ser tragado à subconsciência, onde se viu num ambiente úmido e escuro. Estava dentro de uma jaula, e enormes olhos o encaravam. Aos poucos a forma da grande raposa surgia, as presas enormes, a imponência de uma existência muito maior que a sua. Kurama rugiu alto, expandindo seu chakra, uma sensação infernal surgindo em Ukon.
Do lado de fora, Ukon gritou alto, em completo desespero. Arrastou-se para fora de Naruto com pressa, completamente em pânico.
- O que houve, aniki?
- Ele conheceu a Kyuubi. -Respondeu Naruto, sorrindo. - Tentar entrar no corpo de um jinchuuriki é bastante perigoso. Vocês deviam saber contra quem lutam antes de saírem revelando seus poderes assim.
- Desgraçado! -Ukon se levantava tentando manter a calma.

 

Kidoumaru novamente sumiu, tentando manter a luta à distância. Ativou o selo em seu primeiro estágio e com suas teias ele rapidamente criou formas de atirar várias flechas de diferentes direções. Hinata desviava como podia, nessa hora o Kaiten seria muito bem-vindo, mas teria que se virar com o que sabia. Por sorte, sua flexibilidade era alta o suficiente para desviar das flechas com ajuda do byakugan.
Kidoumaru continuava atacando, tentando entender a técnica e habilidade dela. Aos poucos percebeu que Hinata desviava em algumas direções com mais facilidade do que outras. Atirou então duas fechas em seguida na mesma direção. Ela desviou de uma, mas a outra pegou de raspão em seu ombro.
Logo abaixo do ombro, era ali o ponto cego do Byakugan, ele sequer imaginou que tal coisa existisse.
E ele explorou isso, mas Hinata era habilidosa demais para cair com apenas esse truque. Ela sempre conseguia desviar as flechas no último segundo.
Hinata estava cansada, não adiantava saber a localização do desgraçado se não tinha tempo de sequer bolar uma forma de atacá-lo ou se concentrar para enviar suas correntes. Os ataques vinham de todas as direções, e ela só contava com a própria destreza em taijutsu para desviar. Talvez devesse usar...
Kidoumaru resolveu parar de brincadeira, queria finalizar logo. Ativou o segundo estágio do selo e preparou sua mais poderosa flecha, guiada por uma teia. Corrigiria o curso fazendo-a atingir Hinata no ponto cego, o estrago seria grande.
Hinata sabia disso, ela conseguia ver através da área de alcance de seus olhos. Não teria forma, a flecha veio a uma velocidade absurda, e ela a perdeu em algum segundo. Era tudo ou nada.
Concentrou tudo que podia nos olhos, sua pupila surgiu brilhando em azul celeste. A flecha estava a centímetros, mas foi repelida sem qualquer contato.
O Otonin não entendia nada, a garota estava parada no meio da clareira e nem sequer se moveu. Sentiu o frio na espinha quando ela virou o encarando com os olhos brilhando diferente. Sentiu seu corpo paralisar, sendo sugado ao local onde Hinata estava.

 

Naruto já estava cansado dessa luta, no fim não eram caras tão fortes assim. Vazou então chakra de Kurama em três caudas e sumiu no ar. Surgiu de frente à Ukon, o rasgando no estômago. Antes que o oponente caísse, Naruto o segurou pelo pescoço e fincou uma kunai em sua garganta.
Sakon encarava a cena com angústia e medo. Nunca se sentiu tão impotente, a diferença entre eles era gritante, Naruto estava em outro nível. Viu Ukon cair já morto, era desesperador.
- Agora é sua vez. -Naruto sumiu mais uma vez, surgindo ao lado de Sakon com um soco. O Otonin voou metros. Levantou com dificuldade, tentando encontrar Naruto, apenas para o ver surgir do nada em sua frente. Naruto fez dois clones que seguraram Sakon com força, o imobilizando.
- Talvez seja útil... -O loiro colocou o polegar na testa do inimigo, concentrando chakra. Fez o selo com a outra mão, e Sakon sentiu seu corpo extremamente fraco. Não conseguia sentir o próprio chakra. - Agora você é tão forte quanto um civil que levanta peso e sabe atirar kunais, nada além disso.
- O que você fez comigo?
- Selei seu chakra. Você só está vivo, mais nada. Agora...
Naruto tocou o selo amaldiçoado, agora fazia muito mais sentido do que quando tocou o de Sasuke.
- Esse selo, Orochimaru vive dentro dele, certo? Ele pode reviver a partir deles...
- Como você...?
- Agora ficou óbvio, sou um bom sensor, confio nas minhas habilidades. Bom, vamos lidar com isso.
Naruto fez alguns selos e concentrou chakra de Kurama num jutsu de contenção. Chakra roxo começou a emanar do selo, até uma pequena cobra sair e se desintegrar no ar. O selo de Sakon já não existia mais. Assim que terminou, Naruto desacordou o oponente, invocando um sapo em seguida.
Selou o corpo de Sakon num grande pergaminho, ele viveria enquanto não acordasse dentro do selo.
- Vá ao monte e invoque o Ero-sennin, entregue esse pergaminho nas mãos dele e diga que é um shinobi vivo para interrogatório.
O sapo assentiu, já sumindo.
- Pode aparecer, Sai. Sei que está ai. -Sai surgiu de trás de uma rocha. - Você veio ver a luta errada, a Hinata é muito mais interessante do que eu.
- Talvez, mas vi coisas bem interessantes aqui. De qualquer forma, obrigado por ter me salvado àquela hora, não vi o movimento do Uchiha a tempo.
- Tudo bem, não precisa agradecer. Espero que a gente se dê bem daqui em diante. Não por termos interesses em comum, mas como amigos. Espero te ver um dia como shinobi da Folha.
Sai sorriu com isso, e agora havia alguma verdade nesse sorriso. Não esperava ser aceito assim tão rápido. Talvez pudesse mudar de vida, finalmente.


Hinata sentia o poder fluir por seu corpo, e o bizarro era que não chegava nem perto do máximo que esses olhos proporcionariam, ela sabia disso. Por sorte teve tempo de testar essa repulsão e atração ainda quando estavam com Jiraya, quando os olhos despertaram teve que ficar três dias vendada, mas desde o primeiro momento sentiu tudo em volta reagir com seu chakra. Era como mover algo com a mente. Obviamente com alguns poucos dias de treino ainda não era perfeito, estava longe de ser, mas contra um peão de Orochimaru seria suficiente.
Kidoumaru surgiu em sua frente, paralisado e sem ter noção do que estava acontecendo.
- Seus olhos também secretam essa coisa laranja? -Perguntou a Hyuuga, puxando duas kunais e cravando nos olhos do oponente. Ele gritou em dor, caindo e desativando o selo. Era só isso que ela precisava. O prendeu com as correntes, desativando os olhos cujo nome descobriu nos pergaminhos dos Uzumaki ser Tenseigan, e o segurou pela cabeça. Concentrou uma quantidade enorme de chakra katon, o queimando. Ele acabou desmaiando, e ela teve que finalizar, cortando a garganta.
Era isso, estava acabado. Não sabia o que sentir, apesar do Tenseigan ser um grande poder, ainda não o entendia e sentia como se não pudesse usar demais, depender demais.
Mas tudo bem, venceu a luta. Já sabia desde o começo que seu oponente era o mais qualificado entre os quatro.

 

Quando Hinata finalmente chegou ao ponto de encontro, arrastando o corpo de Kidoumaru com suas correntes, todos os seus amigos já estavam lá.
Naruto correu a abraçando. Sabia da capacidade dela, tinha confiança, mas não deixaria de se preocupar.
- Como foi? -Perguntou o loiro, sussurrando.
- Difícil. As técnicas dele eram bem diversas pra ataques a distância. Tive que usar...
- E como se sentiu?
- Bem. Consegui usar a repulsão e atração, mas sabe como me sinto por usar um poder que não compreendo.
- Eu sei, Hime. Mas se te ajudou, tudo bem. Vamos entender isso juntos.
Sakura e Yamato se aproximaram deles. A rosada curando os poucos machucados de Hinata, e Yamato juntando o corpo de Kidoumaru aos outros dois.
- E o seu, Naruto-kun? -Perguntou a Hyuuga, vendo três oponentes mortos.
- O enviei vivo ao Ero-sennin, acho que será útil.
- E quem é essa garota? -Hinata encarava uma garota ruiva desacordada.
- A encontramos numa sala, está dopada. Provavelmente passou por algum procedimento cirúrgico. -Respondeu Sakura.
- Entendo. E vamos levá-la?
- Sim. Com ela e o esquisito que lutou com o Naruto talvez consigamos alguma informação extra sobre Orochimaru. -Explicou Shikamaru.
Sai ouvia e observava a conversa com atenção. Cada expressão, o companheirismo entre os shinobis... Não estava acostumado. Lembrou-se de palavras do Sandaime "A vida Shinobi é difícil, mas quem prega que devemos nos livrar de emoções está perdido e iludido com as trevas. São esses sentimentos, o desejo de proteger quem amamos e nossa vila que nos faz fortes". Agora Sai entendia, cada um naquele grupo cresceu com essa ideia, por esses desejos. Sempre viu os shinobi da folha como idiotas iludidos, por pouco não os odiou, mas agora percebia o erro. Danzo estava errado em cada mínimo detalhe de suas crenças e atitudes.

Após Naruto selar os corpos em pergaminhos, todos se preparavam para partir, mas Sai os chamou.
- Vamos pelo céu, assim economizamos tempo e energia.
Yamato fez menção de recusar, mas Naruto respondeu por todos.
- Ok, vamos. -O loiro sorria, vendo Sai rapidamente desenhar e invocar três pássaros de tinta.
No primeiro subiram Sai, Sakura e Yamato. No segundo, Naruto e Hinata. No terceiro, Shikamaru e a garota capturada.
Os pássaros levantaram voo, e todos sorriram com a sensação. Era realmente muito bom sentir o vento balanças os cabelos e a sensação de paz que o céu trazia.
Naruto abraçou Hinata pela cintura e beijou seus lábios. Passaram toda a viagem namorando.
A garota ruiva acordou no meio do caminho, completamente grogue. Não conseguiu revelar mais que o nome para Shikamaru. Karin, Uzumaki Karin.

Ao chegarem à floresta do fogo, Sai teve que se despedir. Teria que voltar para a Raiz e enrolar Danzo.
- Entro em contato em breve por meio de Jiraya.
- Tudo bem. Se cuida e se tiver algum problema me procure. -Disse Naruto com seriedade.
- Obrigado a todos. Aprendi muitas coisas nessa missão. -O sorriso de Sai surgiu, mas por algum motivo não irritava mais os presentes. Havia alguma verdade ali. - Da próxima vez quem sabe eu conte tudo o que quer saber, Sakura-san.
- Espero que sim. -A rosada sorriu, e todos se despediram de Sai. Talvez nessa missão tenham conseguido um novo aliado, e um bom amigo.

Fizeram o resto do caminho a pé. Por sorte Karin estava completamente grogue para sequer fazer menção de fugir. Yamato, no entanto, a prendeu com seu mokuton e a carregou pela maior parte do caminho.
Meio-dia depois chegaram em Konoha, já a noite. Fizeram todo o relatório, e Karin foi levada a acompanhamento da Anbu, teriam que esperar ela se recuperar para então interrogar.
Entregaram também os corpos e Jiraya sinalizou já ter recebido o vivo enviado por Naruto, o interrogaria em breve.
Todos se despediram em seguida, marcando uma reunião da geração para o dia seguinte.
Naruto estava feliz, o laço entre todos estava cada vez mais forte. Shikamaru já era um líder não proclamado. Hinata se despediu de Sakura com um abraço, e prometeram treinar juntas em breve.
No fim das contas, reencontrar Sasuke não foi algo ruim, mesmo com a atitude dele e a fuga. Toda a missão foi benéfica.


Notas Finais


Pensei num futuro bem maluco e completamente inesperado pra Karin, mas acho que só eu me importaria com isso huahsuahsa enfim.
Comentem!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...