História NaruHina: Tale of Sunrise - Capítulo 25


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Hinata Hyuuga, Naruto Uzumaki
Tags Naruhina, Reimaginacao
Exibições 421
Palavras 3.441
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Artes Marciais, Aventura, Ecchi, Hentai, Luta, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Terminar esse capítulo foi bem difícil, tive que reescrever mais de uma vez, então me avisem qualquer erro.
Dando sequência aos problemas e mostrando soluções, rs. Enfim, espero que gostem.

Capítulo 25 - Shroud of False


Fanfic / Fanfiction NaruHina: Tale of Sunrise - Capítulo 25 - Shroud of False

A geração toda estava reunida naquele fim de tarde ao lado da cama de Kiba. Foi uma briga para permitirem todos ali, mas Inoichi intercedeu dizendo que não causaria dano algum ao Inuzuka ter os amigos por perto.
Também foi uma luta para Akemi conseguir sair do clã. Por algum motivo a tensão era palpável em todo o território Hyuuga.
- Shikamaru, quero antes explicar a situação atual da vila. Acho que todos têm direito de saber. -Pediu Naruto, e o Nara aceitou. - Bem, pra começar tem esse novo cara, o Sai. A Ino já conheceu ele, era um espião do Sandaime na Raiz. Ele revelou algumas coisas mais cedo, dentre elas que o conselho do clã Hyuuga estava vazando informações ao Danzo.
O espanto foi geral, todos encaravam Neji e Akemi, principalmente.
- Agora entendo o que a Hana-san disse mais cedo, sobre matar Hiashi se o encontrasse. De certa forma o clã é culpado pelos recentes atentados e emboscadas que sofremos nas missões, certo? -Perguntou Akemi, mantendo a calma, e Naruto assentiu.
- O problema dessa situação é que Hiashi está completamente entregue ao conselho. É provável que a Vila tenha condenado os conselheiros à morte, mas as tensões entre os clãs podem ir além disso. -Explicou Neji.
- Fiquei sabendo antes de sair que os clãs Inuzuka e Aburame cortaram relações com os Hyuuga. Se chegou a esse ponto, é provável que queiram também a queda de Hiashi. -Divagou Shikamaru, e Neji concordou.
- Por isso acho melhor vocês voltarem ao clã. Observem a situação e se precisarem tomem alguma atitude pra se protegerem. -Pediu Hinata, e os dois assentiram, já levantando.
Naruto fez um sinal com a cabeça para Neji, talvez o momento de revelar algumas coisas à ramificação secundária fosse esse.

Após a dupla sair, Naruto voltou a pedir a palavra.
- É provável que em breve Danzo tente um ataque, hoje pela manhã a explosão no prédio do fogo pode ter sido um aviso.
- Não nos informaram o que ocorreu, apenas que fomos atacados. -Disse Chouji.
- Foi pra não gerar pânico e comoção. A verdade é que enviaram uma criança coberta de explosivos, um shinobi morreu no atentado. -Explicou Sakura com uma expressão séria. Todos se espantaram com a brutalidade da ação.
- Temos que ficar atentos e preparados. Tenham em mente que se algo grande acontecer, é importante não se separarem. -Recomendou Shikamaru.

 

Rapidamente Neji e Akemi chegaram ao clã, observando a situação. A tensão era imensa, e eles perceberam Anbus em volta do distrito.
Akemi resolveu verificar como seus pais estavam, e Neji correu para a casa principal ver Hanabi.
A encontrou no quarto, olhando a movimentação pela janela.
- O que está acontecendo, Neji-nii?
- Não sei ainda. Viu algo?
- Só o Papai andando com um Anbu, ele parecia muito nervoso e temeroso.
- Entendo. -Neji pensava no que poderia fazer, mas antes precisava tirar Hanabi do clã. - Vem, vamos sair.
A garota não fez objeções, o olhar sério de Neji deixava claro que não tinham tempo e o melhor seria segui-lo.
Andaram até a casa de Akemi, ela terminava de falar com o pai. Assim que terminou, a garota se aproximou dos dois.
- Sabem de algo? Meu pai não me disse nada de novo.
- Ainda não tenho certeza, mas quero pedir que leve Hanabi para Hinata. Seja discreta, Hiashi não pode saber.
- Tem certeza?
- Sim. Sinto que algo grande vai acontecer.
Hanabi acenou para Neji e seguiu Akemi, de qualquer forma seria bom ficar com sua querida irmã.
Neji, porém, já sabia exatamente o que fazer.

 

Na sala de reuniões do conselho Hyuuga, Hiashi conversava com seus anciões. Tenzo estava parado à entrada do salão.
- É isso, a Hokage decidiu pela morte de vocês por traição. Segundo ela, o espião é de total confiança, não há diálogo.
- Isso é um absurdo!
- E não só isso, os clãs Inuzuka e Aburame nos ameaçaram devido ao estado do herdeiro dos cães sarnentos. Foram atacados pela Raiz em uma emboscada.
- Isso não faz o menor sentido, Hiashi. Akemi é da equipe dela, ela também foi atacada.
- Não importa o que eu diga, a Hokage já tomou sua decisão.
- Vamos resistir, somos o clã mais forte de Konoha! Tsunade não tem condições de liderar, com sorte Danzo consegue assumir pela força e teremos nosso espaço novamente. -Todos os conselheiros assentiam, e Tenzo achava tudo muito estranho. A indignação não parecia convincente, era como se já quisessem tal situação.
- Como esperam resistir a todo poderio de Konoha? Estão malucos?
- Não, Hiashi. -Nesse momento, vários cabos de aço surgiram envolvendo Tenzo, que tentava encontrar os responsáveis. Dois Hyuuga surgiram em sua frente, acertando todos seus tenketsus. Por reflexo, ainda conseguiu enviar seu mokuton em um pilar contra a cabeça de um, que caiu desmaiado, mas o próprio Anbu também caiu. - É pra isso que serve a ramificação secundária, os usaremos de escudo, linha de frente. Você e sua filha, assim como todos nós e nossas famílias, ficaremos protegidos. Isso gastará as forças da vila, então enviaremos nossos mais fortes.
- Vocês estão loucos! Isso nunca vai funcionar.
Os conselheiros conversavam entre si, Hiashi esperava que voltassem à sanidade, mas o mais velho encarou Hiashi.
- Desculpe filho. Mas é necessário.
Hiashi apagou neste exato instante com um golpe forte na cabeça. A silhueta de quem o acertou voltou às sombras.
- Vamos prosseguir com o plano!

 

Pouco antes, nos limites do distrito Hyuuga, seis deles encaravam o garoto prodígio do clã. Neji convocou todos os líderes morais da ramificação, não havia tempo para selecionar os mais revoltosos.
- Sinto que não tenho muito tempo, então abrirei o jogo com vocês. A família principal vem escondendo um fato muito importante.
- E qual seria?
- Durante o treinamento com Jiraya-sama, Hinata conseguiu se livrar do selo de submissão.
Os seis Hyuuga expressaram toda incredulidade, era como se tivessem ouvido um conto de fadas.
- Isso é impossível, Neji.
- Não, não é. Eles nos ensinam desde cedo que somos descartáveis, que não existe escapatória, mas a verdade é outra. O selo foi criado com base num selamento muito mais simples e menos doloroso dos Uzumakis de Uzushio. Uzumaki Naruto estudou a fundo e conseguiu descobrir o segredo, pode tanto retirá-lo quanto modificá-lo. Dessa forma ele descobriu que o selo tem outra função que não nos é contada, ele mantém nosso chakra limitado. Não importa quão poderosos possamos ser, o selo sempre nos manterá abaixo da família principal.
- Neji, calma, isso é uma acusação séria.
- Então está nos dizendo que o Naruto, o garoto-raposa, retirou o selo da Hinata?
- Não, ele o modificou. Eles não podem mais controlá-la, causar dor, nem conter o chakra dela, mas a própria Hinata escolheu manter o selo para ter o doujutsu selado com a morte.
- Isso é impossível...
- Não. E posso dizer isso com certeza, pois passei pelo mesmo. Naruto também modificou o meu.
Os seis Hyuuga encaravam Neji com espanto. Se o que ele estava dizendo era verdade, havia uma esperança.
Nesse momento soou o alarme do clã, era um chamado para a ramificação secundária se apresentar ao conselho.
- Alguma coisa grave está acontecendo. Estejam prontos pra qualquer coisa. -Disse Neji, sua maturidade sempre espantava os seis presentes.

 

Próximo do distrito, os Anbus estranhavam a demora. Tenzo já deveria ter voltado com os conselheiros presos.
Shino olhava em volta, seus insetos já haviam indicado muitos shinobi de seu clã e dos Inuzuka em um cerco estratégico, preparados para atacarem os Hyuuga a qualquer momento. As cosias estavam se complicando, mas pioraram quando os portões foram fechados.

 

No Hospital, os amigos se despediam quando Akemi surgiu pela janela com Hanabi do lado. Hinata correu para a irmã.
- Naruto, Hinata, tem algo grande acontecendo no clã. Neji me pediu pra entregar Hanabi a vocês.
- Droga, vamos pra lá!
- Não, espera Naruto. -Pediu Shikamaru. - Hinata, olhe em direção ao distrito Hyuuga e me diga o que vê.
A garota assentiu, ativando o doujutsu. Via muitos pontos de chakra em volta do local. Reconheceu Shino entre eles, então deveriam ser Anbus. Porém havia chakras similares em pontos mais distantes, como telhados e becos. Era um cerco ao clã Hyuuga.
A garota imediatamente relatou, para espanto geral.
- Provavelmente acontecerá um confronto, mas não acha estranho os Hyuuga que sempre foram muito precavidos, resolverem enfrentar de peito aberto toda a Vila?
- O que quer dizer? -Perguntou Naruto, pensando que o mais lógico seria chegar mostrando quem manda para os velhotes do clã.
- Não é óbvio? Eles estão vazando informações, então eles tem interesse em que Danzo derrube Tsunade-sama. Boa parte do poderio militar da vila está concentrado em torno do clã Hyuuga.
- A vila está vulnerável. Você é um gênio, Shikamaru-kun! -Disse Hinata, espantada com a velocidade com que Shikamaru entendeu a situação. - O que faremos então?
- Vou avisar meu pai. Vocês vão atrás da Hokage-sama. -Disse apontando para Naruto, Sakura e as três Hyuuga. - O resto quero que voltem a seus clãs e informem as suspeitas aos seus pais ou quem quer de poderoso que esteja lá.
Todos assentiram, saindo rapidamente.

 

Em frente à casa principal dos Hyuuga, o conselho discutia o paradeiro de Hanabi, mas já desconfiavam de Neji e Hinata.
Aos poucos os da ramificação secundária se reuniam em frente a eles, e as poucas famílias da principal apareciam em suas portas.
Um ancião tomou a frente quando todos já estavam reunidos.
- Konoha vem tomando medidas que discordamos. O clã está cercado por Anbus no momento e não podemos permitir tal coisa. Vocês, como parte da responsabilidade para com a família principal, irão atacá-los de frente. Isso é uma ordem direta.
- Onde está Hiashi? -Perguntou um dos líderes da casa.
- Recolhido com sua filha. -Respondeu o ancião, recebendo um olhar acusatório de Neji.
- Não concordamos com a decisão, atacar as forças de Konoha assim é suicídio.
- Isso não está aberto à discussão.
Murmurinhos começaram, algumas mulheres saiam com seus bebês para junto de dois dos líderes da casa, para serem retiradas da batalha. Todos os outros discutiam a situação, porém bombas foram ouvidas pressionando os portões do clã e vários insetos sobrevoavam o local.
- Não temos tempo, cumpram seus deveres para com o clã!
Neji saltou entre os membros da casa e os conselheiros.
- Se entreguem aos Anbus, amigos. Não posso permitir que morram por capricho dessas múmias.
Os membros da casa tremiam com a palavras de Neji, imaginando a morte certa do garoto. Mas nenhum conselheiro fez qualquer menção de enfrentá-lo, muito pelo contrário, estavam encolhidos.
- Garoto...
- Percebem? O que eu disse é verdade, eles não podem mais me atingir. Naruto pode modificar o selo, há esperança! -Bradou Neji, e os líderes da casa sorriram, levantando e insuflando a massa contra os conselheiros.
Porém neste momento algumas crianças e mulheres da ramificação começaram a cair, aos gritos. Três dos mais jovens conselheiros estavam à frente, realizando o selo de submissão. Neji saltou com seu taijutsu perfeito, iniciando uma luta contra os três.

Os conselheiros cercavam o garoto, que só queria ganhar tempo para que a ramificação secundária se entregasse à Anbu.
Um deles atacou com o punho gentil, mas Neji se defendeu sem dificuldade. Os outros dois saltaram fazendo o mesmo, mas Neji ainda se defendia facilmente.
Um dos anciões tentou ativar o selo de submissão, mas Neji sumiu no ar, acertando o velho no peito com bastante brutalidade.

Neste momento o alarme de evacuação soou em toda a vila, ao mesmo tempo em que o portão principal do clã foi estourado, a Anbu já saltando imediatamente e cercando as pessoas ali reunidas.
Os membros da família secundária se ajoelharam, entregues.

 

Um pouco antes, no prédio do Fogo, Naruto explicava à Tsunade as suspeitas de Shikamaru quando um corvo surgiu na janela com um pergaminho no bico.
- É mensagem de Izumi e Itachi. -Tsunade rapidamente o abriu, lendo, e Sakura ignorou ter ouvido o nome do irmão de Sasuke que deveria ser um criminoso.

Sai nunca foi seguido, era uma lembrança plantada. Ele apenas foi espancado por traição.
Danzo já sabia que ele era um espião e usou isso para inflamar a vila contra os Hyuuga.
Os conselheiros de Hiashi sabem disso e a Raiz vai entrar pelas guarnições do clã durante o embate.

Tsunade arregalou os olhos e imediatamente ordenou Shizune a soar o alarme de evacuação.

 

Do lado de fora da Vila, Kakashi observava as imediações. Já havia terminado o turno, mas se espantou quando viu várias pessoas correndo em direção à Konoha. Não eram shinobis, pareciam todos pobres sem teto. Corriam sem emitir qualquer expressão ou barulho, apenas corriam.
Kakashi fez sinal e tanto Anko quanto Asuma surgiram em volta dele.
- O que porra é isso? -Perguntou a mulher.
- Eu não faço ideia, mas não acho que eles vão parar. -Respondeu Kakashi.
- Dê a ordem, se não pararem vamos ter que atacar. -Disse Asuma.
Kakashi saltou a frente, dando a ordem para que parassem, mas era como falar com mortos vivos, eles continuavam correndo.
- Droga, não tem jeito, ATAQUEM!
Anko puxou três kunais e atirou. Assim que cada uma atingiu seus alvos, eles explodiram, e mais cinco em volta explodiram também por estarem próximos.
- É igual o ataque de manhã, estão cobertos de bombas. -Explicou Kakashi, se lamentando mentalmente por não ter um lago por perto, não podendo assim usar um jutsu de suiton.
Asuma porém fez um jutsu katon ao céu, como um sinal. Imediatamente outros dois esquadrões surgiram enquanto Kakashi e Anko tentavam manter as pessoas distantes.

 

A evacuação acontecia a passos largos, as pessoas já sabiam aonde ir e gennins as guiavam com calma. Hinata pediu a Akemi que ficasse com Hanabi no abrigo, e a garota aceitou sem problemas. Neste momento grandes explosões foram ouvidas desde a entrada da vila. Jiraya surgiu do nada em frente à Naruto.
- Muita coisa acontecendo, deixem tudo com Tsunade. Preciso de você, Naruto. Hinata, vá ao seu clã. Tome cuidado.
Os dois assentiram, e Naruto se despediu de Hinata com um beijo carinhoso na testa.

Rapidamente o loiro chegou junto do Sannin ao lado de Kakashi.
Naruto olhou em volta, muitas explosões e sangue. Pessoas chegavam e ao serem atacadas, explodiam.
- Preciso de uma barreira. Eles não são shinobi, só estão cobertos de bombas. Precisamos prendê-los enquanto encontramos a fonte.
Naruto assentiu, já fazendo os clones e sumindo no ar. A área não era grande, a barreira laranja surgiu em torno das pessoas, que continuavam tentando correr, batendo de cara com a parede da barreira.
Anko surgiu neste momento, com Sai ao lado.
- Usarei o Senjutsu para encontrar a fonte. Sai, me leve num desses seus pássaros.
O garoto já terminava de desenhá-lo, tendo uma ideia clara de quem era o responsável por aquilo. Os dois saíram em seguida.

 

No clã Hyuuga, os Aburames faziam a evacuação, enquanto a Anbu prendia os conselheiros. Neji voltava com Tenzo nos braços, indicando que Hiashi também estava em seu Dojo de treino particular.
Porém, do nada, vários homens mascarados surgiam, atacando a Anbu. Os Inuzuka, que só observavam, pularam a frente contra-atacando.
Neji ativou seu doujutsu e viu, no extremo do distrito onde apenas Hyuugas podem frequentar e guardar, vários Raiz entrando por guarnições completamente vazias e se espalhando pela vila.
- Levem o chefe de vocês, Hiashi e os conselheiros. Três clãs aqui já são mais que suficiente. -Disse Neji, e a Anbu resolveu seguir suas palavras.
Shino já se aproximava do Dojo para levar Hiashi quando uma onda de insetos o atacou. Um homem surgiu com um salto, não dando tempo de Shino descobrir quem era.

A Raiz cercava Neji e os Hyuuga da ramificação secundária. Aburames e Inuzukas não sabiam se ajudavam ou se voltavam à vila. Até que uma garota surgiu no meio da confusão, ao lado de Neji. Hinata olhava toda a situação com um misto de desprezo e pena, mas não podia deixar vidas se perderem por mesquinhez de seu clã.
- Vou abrir caminho, apenas me sigam. -Ordenou Hinata, para espanto de todos.
A garota não perdeu tempo, ativou seu Tenseigan e sem se mover afastou toda horda que os cercava. Os Raiz caíram como se tivessem sido atingidos por socos poderosos.
- Parece que quanto mais você usa seus olhos, mais forte eles ficam. Ainda bem que dessa vez estou do seu lado! -Neji sorria, e a cara de espanto de todos a sua volta o fazia querer gargalhar.
- Vamos, não temos tempo. Precisamos fechar as guarnições e protegê-las novamente. -Ordenou Hinata mais uma vez, mas agora sendo ouvida. A ramificação secundária se reunia e espalhava conforme as ordens eram dadas pela dupla, Neji organizava a proteção das guarnições e Hinata o revide aos Raiz que já estavam de pé. - Shibi-san, Tsume-san, voltem para a vila, serão mais úteis lá.
Os dois líderes apenas concordaram com um aceno, sumindo com seus esquadrões.
O clã Hyuuga não era mais tamanha ameaça.

 

Aos poucos todos os clãs e shinobis da vila cercavam e protegiam pontos estratégicos. A Anbu rapidamente colocou o conselho dos Hyuuga na prisão, guardados por selamentos poderosos e alguns shinobi às ordens de Ibiki.
Tsunade, no todo do Prédio do Fogo se impressionava com a quantidade de inimigos, nunca imaginou que Danzo tivesse tantos sob suas ordens. A loira dava ordens e indicava quais locais precisavam de proteção. Yugao e mais dois Anbus faziam sua proteção.
Havia alguma tensão entre os oponentes, isso era claro.

 

Nos céus, Sai e Jiraya seguiam rastros de chakra, o Sannin com o Senjutsu conseguia sentir esse chakra ligando os homens-bomba a algum lugar. Aos poucos foram percebendo um vale com alguns montes. Jiraya logo encontrou a fonte, estava dentro de uma caverna.
- É um Yamanaka, tenho certeza. Seu nome é Fu, ele é muito habilidoso. -Disse Sai.
- Não será problema, nós dois somos mais que suficiente pra dar uma surra nele.
- Na verdade, Jiraya-sama... Quero enfrentá-lo sozinho.
- Motivo pessoal, imagino...
- Sim.
- Tudo bem, vou observar. É melhor vencer ou eu mesmo te surro depois, tá ouvindo?
- H-hai.

 

Itachi e Izumi se esgueiravam por entre o desfiladeiro.
- Só espero que o corvo tenha conseguido entregar o recado.
- Que droga, Itachi. Já é a décima vez que você fala disso. Já disse que não vou te deixar sozinho!
- Teimosa.
- Sou mesmo, agora cala a boca antes que nos descubram.
- Só espero que nossos filhos não puxem a mãe nesse aspecto.
Izumi não sabia se corava ou reclamava com o comentário.
Se arrastaram por entre as sombras e pequenas brechas até a entrada, onde os Raiz saíram anteriormente.
Em passos rápidos e inaudíveis, a dupla correu por toda uma gruta, encontrando um largo corredor.
Se esgueiraram pelas sombras, entrando num grande salão ao fim do corredor. Danzo os encarava do outro lado, com um mascarado ao lado.
- Agora entendo meu plano não estar funcionando tão bem. Não esperava que já soubessem onde fica minha base.
Itachi colocou-se em postura de completa frieza, encarando Danzo com desprezo.
- Vou levar sua cabeça de volta para Konoha, assim como todos os sharingans que você roubou.
- Confesso que tinha certo receio em encontrar você, Itachi. Por isso tentei aliciar seu irmão, ainda que soubesse que Sai não entregaria o recado da forma como deveria.
- Então você sabia desde o começo...
- Sim. Normalmente o mataria, mas poderia usá-lo de outra forma. Por sorte o clã Hyuuga viu as coisas da forma correta e me contatou.
- Você enlouqueceu completamente. Não sei se foi pela surra que tomou do Sandaime, ou só consequência da idade.
- Você entende Itachi, você sabe muito bem que estou certo, só está nervoso pelo massacre e os sharingans que peguei. Mas você sempre foi mais esperto que qualquer um naquela vila.
- Confundiu as coisas, Danzo. Você é um resquício do mundo que não podemos deixar às próximas gerações.
O ódio era palpável naquele enorme salão. Izumi estava preocupada, não sabiam os poderes de Danzo e Itachi não podia exagerar com o Mangekyo. Infelizmente ela ficaria ocupada com o Raiz ao lado do velhote narcisista, também não sabiam quais poderes e nível dele.
Mas de uma coisa ela estava certa, este seria o fim da Raiz, só esperava que isso não custasse um preço alto demais a seu amado Itachi.


Notas Finais


Mil trutas. Mil tretas.
Acho que o capítulo foi morno, mas definiu a merda toda que deu. No fim a informação do Gamaden lá atrás na fic foi a cartada mais valiosa de todas.
Comentem!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...