História Naruto na Escola de Konoha - Capítulo 15


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Naruto Uzumaki, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha
Tags Colegial, Drama, Família, Gangues, Naruto, Romance, Superação, Tragedia
Visualizações 48
Palavras 1.314
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Esporte, Famí­lia, Fantasia, Ficção, Luta, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Adultério, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 15 - O País dos Gatos!


Fanfic / Fanfiction Naruto na Escola de Konoha - Capítulo 15 - O País dos Gatos!

           Depois de longos dias no arquipélago da Névoa o grupo sete chega na cidade da vila da folha, todos estavam cansados. Na entrada da vila os pais de Sakura a esperavam com lanches e acenavam para a filha, deixando-a envergonhada. Mebuki olhava curiosa para o garoto negro e sombrio que avistava, Sasuke.... Como era chefe dos policias de Konoha e tinha um grande laço com os Uchiras, Kizashi Haruno notou direto que aquele era o filho de Fugaku Uchira. Naruto olhou para os pais de Sakura animado e um pouco estranho, pois não sabia o que sentir além de um pouco de ciúmes.

       - Sasuke! É você!!! – Diz Kizashi.

       - Como você cresceu! Está tão bonito... Pena que não é mais tão fofo. – Ele se envergonha e ao ver Kizashi quase não consegue esconder seu sorriso. – Ainda lembro quando vocês eram pequenos, você e Sakura nunca se desgrudavam!

       - Sim, eu a tratava como uma irmã, mas hoje penso diferente...

       - Sasuke, não me diga que ainda pensa em Itachi... – Mebuki é interrompido com um ar de insegurança.

       - Não senhor. – Ele se curva.

       - Kizashi não fale dessas coisas! Vamos garotos, vamos comer fiz sanduíches e salgadinhos. Vamos andando até a floresta.

       - Você cozinhou mãe? – Ela pega a cesta de comida, parecida com uma de piquenique, e coloca na cabeça de Sakura fazendo peso.

       - Algum problema filha? – Ela se irrita.

       - É que você cozinhando sempre gera problema. – Ela falou baixinho e tomou um puxão de orelha.

       - Hahaha. – Sasuke ri um pouco de felicidade.

       - Sasuke? – Mebuki quase solta uma lágrima abraçando o garoto. – Senti saudades, você sempre pode pedir qualquer coisa, ouviu?

       - Obrigado, dona.

       - Oh! Ele é tão carinhoso, não é Sakura?

       - Mas você nem imagina. – Ela ironiza e sua mãe não intende.

       - Então senhora Haruno, podemos nos sentar? – Naruto pensa em ser formal e educado.

       - Morra!!!!!!!!! – Ela socou Naruto que vou, talvez até a “lua”. – Eu não sou velha!

       - Esta não era o objetiv... - Ele nem completa e desmaia.

      Um fato interessante é que a comida da mãe de Sakura é muito apimentada. Naruto tinha comido muito para mostrar que a comida estava boa e tentar ganhar “pontos” com a mãe de Sakura, o que ele conseguiu foi uma “queimadura de terceiro grau na língua” e um comentário “gordo”. Pelo menos o pai de Sakura se divertia com Naruto, porém era bem mais fã do filho do antigo chefe da polícia de Konoha e melhor amigo... Sasuke tinha terminado de comer e aliviado respirava soltando o aroma apimentado apreciando o fogo ardente deste sabor que o fazia relaxar.

    Depois do lanche com a família Haruno, Kakashi apareceu já com uma espécie de pergaminho que na verdade eram documentos enrolados para o próximo trabalho de campo do grupo. Eles terminam de comer e escutam Kakashi, o próximo trabalho estava próximo, daqui a três dias eles iriam até o país dos gatos, um país novo e bem recente.

    - Faz dez anos que o país dos Gatos quer se proclamar de país independente e administrado por um Hokage como todos os outros (exceto colônias).

    - Então porque não fazem isso? – Pergunta Naruto.

    - Sabia que ia perguntar isso... Sakura poderia responder?

    - Claro sensei, o país dos Gatos é conhecido por não ter cidades e ser um local todo conectado sem fronteiras, sendo uma enorme “vila” meio pobre. Para um país ser autorizado independente e conter um Hokage é preciso ter três componentes básicos: O governador, ao menos três cidades e a aprovação dos outros cinco Hokages já existentes.

    - Exato!

    - Porém já faz um tempo que o lugar passou a ser um dos melhores centros de trocas de armas. Sei disso, pois os Uchihas compravam seu armamento de lá.

    - Incrível Sasuke! Então vamos em direção a vila dos gatos! Miauuuuu!

 

Uma semana depois

 

     O time sete estava pronto esperando Kakashi na saída da cidade, eles esperam o professor como sempre atrasado. Eles vêm uma coisa tanto inesperada, Kakashi estava junto de Kurenai, outra professora de Konoha. Ela era um pouco descabelada, tinha olhos vermelhos vibrantes e usava roupas coladas brancas. Sasuke já a conhecia e logo viu que ela era uma Uchira graças aos olhos escarlates permanentes! A professora liderava o grupo dez composto de Kiba, o garoto cachorro, Shino, o estranho dos insetos e Hinata Hyuga, uma garota dócil, fofa e gentil.

      - Então esse é seu time Kakashi. – Kurenai fala chegando mais perto de Sasuke e passando a mão em seus cabelos. – Olá Sasuke, a quanto tempo?

      - É bom ver você tia...

      - Tia?!!!!! – Naruto e Sakura gritam.

      - É meio distante... – Kurenai sorri fracamente sem graça.

      - Ah! Fala sério! Por que o Sasuke sempre leva toda a atenção?!

      - Não se preocupe Naruto, você e Kiba serão essenciais nessa missã. Seu conhecimento com gatos será muito útil. – Naruto sorri comemorando.

      - É... Mesmo que Sasuke seja um Uchiha e o mais conhecido por lá! – Kurenai retruca.

    - Aaaah! – Naruto resmunga sem esperanças.

   - Eu vou ter que ir com Naruto? – Hinata fica vermelha e desmaia.

   - Uh? Ei cuidado, você vai cair. – Ele a pega nos braços.

   - Na na naruto... – Ela desmaia novamente ao ver seu rosto.

   - Ei me responda por favor! Hinata! – Ele a sacode. – Nossa como seus olhos são bonitos.

   - O o obrigado. – Ela gagueja então começa a chorar de emoção. Ela se esconde atrás de Kurenai que a acalma.

   - Pois bem times vamos lá! – Kakashi diz liderando a caminhada.

                     

Na floresta chamada Floresta dos Espíritos

 

    A floresta dos espíritos fica entre o país do vento e o país dos gatos, pegando um caminho entre o país do urso se pode contornar o deserto, porém é mais longo seriam uns três dias de caminhada até o país dos Gatos. Os grupos formaram uma barraca para eles acamparem e dormirem a noite. Naruto estava inquieto, ele ouvia o barulho dos grilos que não ficavam quietos aquela noite e se virava incomodando Sasuke que dividia a barraca com ele. Sasuke não aguentou quando ele colocou o pé em sua cara e o expulsou da barraca, dizendo para ele ficar quieto.

    Naruto logo pensou em fazer bagunça e espiar a barraca de Sakura e Hinata. Ele a observava, mas parecia que Sakura estava sozinho. Preocupado foi procurar Hinata, pensava que ela podia ter sido raptada. Ele vai até uma cachoeira que parecia fazer alguns barulhos estranhos, ao passar de algumas moitas ele vê a famosa cachoeira espiritual da floresta e algo ainda mais lindo. Hinata estava de biquíni, o que deixou Naruto meio sem vergonha, ele via como ela era magra, frágil e doce. Ela batia com as palmas da mão na cachoeira tentando cortá-la.

    - Naruto? – Ela vira para trás, mesmo que ele esteja bem escondido.

    - Hã desculpe estar atrapalhando, eu só queria ver se você estava bem.

    - Não tem problema. – Ela fala meio encolhida e envergonhada.

   - Como você me viu?

  - Bom eu não vi...

  - A é mesmo, me desculpe! – Ele se curva. – Desculpe mesmo, sou um tonto!

 - Não, é que eu senti... Senti o você balançar quando você chegou, senti seu cheiro a metros de distância e principalmente senti que era você, porque bem... Eu gosto de você sabe... – Ela se arrepende de ter dito aquilo.

- Hã?

- Como amigo quero dizer... Eu acho que você é a única pessoa que consigo ver de verdade, sei que é loiro, têm olhos azuis, arranhões na bochecha, que roupas está usando e em que velocidade seu coração bate.

- Nossa, que incrível! E ninguém te contou?

- Te prometo que não! Eu juro, é como se você fosse único, especial. Não sei se você se lembra daquela vez...

- Qual vez?

- Deixa pra lá, estou com sono, boa noite, beijos. – Ela sai correndo envergonhada.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...