História Nas Asas Do Amor - Capítulo 27


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Camila Cabello, Lauren Jauregui
Tags Camilacabello, Camren, Laureng!p, Laurenjauregui
Exibições 393
Palavras 987
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Crossover, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P)
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 27 - Capitulo 27


Ela rolou os olhos exasperada, querendo sacudi-la.

— Está vendo? Vai começar novamente. Não preciso que você lute por mim. Lidei com o idiota sozinha e posso lidar com você.

— Você pode tentar, querida — ela concordou suave, tentando não rir. Pegando a mão dela em seu peito, Lauren decidiu sabiamente não discutir com ela.

Mas era muito difícil quando pensava nela com qualquer pessoa que não fosse ela. Deus, de onde vinha todo esse ciúmes?

— Não sou sua querida — ela grunhiu e tentou soltar sua mão, mas desistiu e a deixou onde estava, perto do coração dela. — Você não tem nenhum direito sobre mim.

— Nenhum — ela concordou, mentindo. — Vamos lá, querida, é só para ganhar tempo. Posso lhe levar para casa…

— Não posso. Tenho de ajudar Charlie a fechar a loja.

— Não, não precisa — o mecânico falou. — Não estou tão velho que não possa fazer isso sozinho de vez em quando e você está parecendo um cachorrinho que levou uma surra. Vá para casa e coloque seus pés para cima antes que você caia dura.

Ela hesitou e Lauren pôde perceber a sua luta interna. Deus, ela detestava mostrar fraqueza, especialmente em frente a ela. Lauren nunca havia encontrado sua avó Kate, mas tinha a impressão que Camila era muito parecida com ela. Forte, independente e teimosa como uma mula. Por que nunca percebeu antes o quanto gostava disso em uma mulher?

— E aí, Camz? — ela perguntou suave. — Você decide.

––Camz? –– Camila escondeu o sorriso que se formava em seus lábios pelo novo apelido.

–– Sim apelido exclusivamente Meu –– Lauren,sorriu–– E então vamos?

Ela não devia. Tinha responsabilidades e não podia colocá-las nas costas de Charlie só porque estava cansada. Mas pensar em sentar em algum lugar e colocar os pés para cima parecia maravilhoso.

Antes que pudesse desistir, disse para Charlie:

— Amanhã você poderá sair mais cedo e eu fecharei a loja.

— Não vou mesmo — ele rosnou.

— Você poderá fechar para mim no dia que eu estiver grávido e não até lá. Agora vá — ele falou conduzindo-a até a porta. —Tenho trabalho a fazer.

— Você ouviu o homem. — Pegando o casaco dela do cabide antigo que ficava no canto, Lauren vestiu-a. — Hora de ir para casa. Onde estão as suas chaves?

— Aqui — ela disse, e as tirou do bolso.

Lauren as pegou de sua mão.

— Vou dirigir. Não diga uma palavra, Senhorita Independência — ela avisou quando Camila abriu a boca para protestar. — Eu sei que você pode tomar conta de si mesma e fazer tudo que um homem faz e ainda mais, mas me divirta hoje, ok? Só hoje? Por favor?

Quando Lauren olhava para ela daquele jeito, ela não podia resistir mais do que uma bússola resistiria ao norte magnético. Deus, ela estava em apuros. Sentindo sua resistência derreter, ela a olhou com severidade.

— Tudo bem! Só hoje. Mas isso não se tornará um hábito, Lauren.

— Concordo totalmente — ela mentiu e a levou para o carro. — Da próxima vez, você é que vai me mimar.

Camila riu. Ela estava brincando, claro, mas não havia nada engraçado nas imagens que atormentavam sua cabeça. Ela se via facilmente atendendo todos os caprichos de Lauren, mimando-a, não por obrigação ou por imposição dela, mas por vontade dela. Porque Lauren era solícita e ela estava começando a se preocupar com ela muito mais do que devia.

Seu coração aos pulos só de pensar, ela deixou que Lauren a colocasse no carro, apertasse seu cinto de segurança e a levasse para casa sem nenhuma palavra de protesto. Quando ela despertou da fantasia cada vez mais atraente, já estavam estacionadas na casa dela e ela estava pacientemente abrindo a porta para ela, os olhos verdes claros e atentos.

— Oh! — Com o rosto ruborizado ela soltou o cinto de segurança. — Desculpe. Nem notei… Quero dizer, estava sonhando acordada… Ou acho que cochilei. Estou mais cansada do que pensava.

— Nenhum problema — ela disse com um sorriso sábio. — Acho que você está precisando de um banho quente. Venha. Vou preparar um para você.

Ela devia ter protestado, mas as palavras não apareceram. Enquanto pegava a camisola e o robe, Lauren abriu a água de sua banheira antiga, colocou seu óleo de banho favorito e acendeu velas.


Parada com a visão da cena sedutora que ela criara, camila sentiu seu coração bater mais rápido. O banheiro parecia saído de um sonho. Já estava escuro lá fora, mas ela apagou a luz do banheiro deixando que as velas criassem um brilho aconchegante. O vapor saía da banheira e ela podia ouvir o som de uma de suas fitas favoritas de Tony Bennett. Surpresa — como ela descobrira? — ela olhou em volta e viu seu gravador sobre o toucador.

— Encontrei-o na cozinha — ela disse. — Achei que a música poderia ajudá-la a relaxar.
Relaxar? Ela quase engasgou quando seus nervos se contraíram de expectativa. Como ela podia relaxar quando não sabia exatamente por que Lauren estava ali?

— Lolo, isso foi muito gentil de sua parte…

— Lolo?  Ouh!  Vejo que ganhei um apelido também––Elas riram

—Mas você não precisa mais de minha ajuda daqui para frente — ela falou sorrindo. — Não se preocupe. Não vou me oferecer para esfregar as suas costas. Talvez da próxima vez…
De surpresa, Lauren se inclinou e lhe roubou um selinho.

— Aproveite. Vou até a cozinha ver o que posso fazer para o jantar. Se precisar de mim, é só chamar.

Ela saiu antes que ela conseguisse controlar o seu batimento cardíaco e fechou a porta. Observando a porta fechada, Camila suspirou profundamente. Se essa era a idéia dela de como mimá-la, ela estava em apuros. Até onde tinha visto, ela poderia se acostumar com essa mordomia rapidamente.

Notas Finais


Lolo da camz 😍

Como estamos?
Pessoas lindas do meu coração tenho um grupo no what's quem Quiser entrar é só mandar os números ou quem quiser bater um papo com essa humilde autora .
Amo vocês sweties


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...