História Nas Sombras do Coração - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Death Note
Personagens Beyond Birthday, L Lawliet, Light Yagami, Matt, Mihael "Mello" Keehl, Misa Amane, Nate "Near" River, Personagens Originais, Raito Yagami, Watari
Visualizações 11
Palavras 2.503
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Aqui estou eu com outra fanfic, estou prevendo que vou ser aquele tipo de escritora que vai começar várias fanfics ao mesmo tempo, mas espero não terminar como eles de não terminar nenhuma. Espero que gostem da idéia.
Ps:Desculpe os erros!

Capítulo 1 - "One"


Fanfic / Fanfiction Nas Sombras do Coração - Capítulo 1 - "One"

Amy olhava para o ilustre detetive esquisitinho sentado com seu jeito peculiar analizando mais um caso, o caso Kira, e logo partiria para o Japão, mas não é como se ela se importasse já que viajava mais que ele por ai. O problema era que já mantinham uma "relação" fazia um tempo e ela sabia que ele contava com a compania dela no seu aniversário, mesmo que ele fingisse não se importar, mas esse ano Amy passassira o Halloween nos Estados Unidos, trabalhando.

L percebeu a figura da jovem moça encostada na porta o analizando, ela diria algo que iria magoá -lo, podia sentir o descontentamento surgir de imédiato fazendo seu peito doer. Ele nunca conseguia ler Amy tão bem quanto ela o lia e isso deixava o detetive ao mesmo tempo que irado, encantado, odiava o fato dela conseguir esconder qualquer coisa dele, mas ao mesmo tempo ele achava curioso alguém conseguir o ato de entendê -lo perfeitamente e isso fazia com que ela conseguisse dobrá -lo de maneiras surpreendentes. L estava mais que encantado por aquela curiosa moça, se tivessem uma vida normal com certeza iria querer que ela fosse a mãe dos seus filhos e a mulher com quem morreria velhinho, mas não tinham uma vida normal, ela era Mistery e ele era L e isso já era o suficiente para que se separassem apesar de sempre ter algo que os juntasse novamente.

-O que houve, Amy? - Finalmente questionou o detetive colocando o polegar na boca, Amy fechou os olhos e suspirou logo voltando a fitá -lo.

-Preciso te contar uma coisa. - Respondeu por fim entrando no quarto - Pink solicitou Mistery nos Estados Unidos, ou seja, eu vou ter que ir pra lá sem saber quando vou voltar. - Parou na frente do detetive e cruzou os braços - Acho que você vai ter que ir para o caso Kira mais cedo.

-Então era isso? Pensei que fosse algo importante, não me assuste mais assim. - Respondeu com seu tom natural se levantando da poltrona, então era isso. Não sabia se sentia tristeza ou ciúmes.

-Desculpe não estar aqui no seu aniversário e por estar com Jean no dia e não com você. - Disse fazendo -o parar do seu lado. L arrumou a postura e olhou a de cima com os olhos vazios, mas Amy conseguiu ler que ele estava triste e enciúmado e que esses sentimentos só pioraram quando ela disse em voz alta o que ele já sabia - Não posso ignorar uma solicitação ou serei questionada pela rainha e o conselho, e eles me odeiam. - Se justificou não para se defender, mas sim para lembrá -lo que diferente dele, ela não tem escolha de escolher aceitar ou não um caso, é sim ou sim e se houver um não será questionada pela sua chefe, a rainha da Inglaterra.

L desviou o olhar dela - Eu sei, não importa. - Respondeu passando a mão nos fios negros bagunçados, odiava o fato dela nascer com esse destino ediondo, só por causa dos antepassados dela. Achava injusto e revoltante, ao mesmo tempo.

-Vou ir daqui 2 dias, vá para o Japão antes por favor. - Pediu por fim tocando no braço do detetive que parou de mexer no cabelo e olhou a - Tente não morrer, ok?

-Ok. - Respondeu curvando os lábios em um curto sorriso fazendo Amy sorrir também e se erguer para lhe dar um selinho.

-Conversamos melhor amanhã. - Disse por fim saindo do quarto, era odioso viverem daquele jeito.

-Tente não morrer também. - Murmurou L logo soltando um longo suspiro.



Nome: ---------

Codinome: Amy

Idade: 13 anos

Data de nascimento: 14 de Junho de 1984

QI:189

Expecialidade: Dedução


L relia a ficha de Amy com informações da Wammy's house que Watari conseguiu para ele, começou a investigar sobre ela depois que seu antigo sucessor, A, se matou. Descobriu que ele tinha uma irmã que era 4 anos mais nova que ele e que a mesma fugiu junto de Beyond depois da morte de A, mas eles se separaram e tomaram rumos distintos, Beyond virou um assassino e Amy descobriu suas origens e continuou com o trabalho de sua família.

Pegou a fato da pequena Amy junto do irmão mais velho e Beyond, a pequena e Beyond pareciam rir de alguma brincadeira que fizeram e A estava dando uma bronca neles, ele nunca soube quem tirou a foto e a única informação que conseguiu de Amy foi que uma antiga namorada de A que tinha esse dom, mas ela estava morta já fazia 2 anos, achava fofo o sorriso da garotinha, ela mudou muito depois da morte do irmão, mais ainda depois da morte de Beyond e piorou quando essa sua amiga também morreu.

"Eu me sinto sozinha, todos se foram, mas eu continuo aqui. As vezes me pergunto se eu deveria ir também, mas acho que ainda não vivi o suficiente para partir assim como eles." Se lembrava das palavras da mais nova quando perguntou sobre o assunto, as vezes eles tinham o que muitos chamam de "papo existencial" que para eles era apenas conversas comuns, talvez ambos tenham crises existenciais.

Guardou a foto junto com a antiga ficha que lia, agora ela era tão adulta quanto ele e tão jovem já havia vivido e conquistado ainda mais coisas que ele, sozinha. As vezes se questionava se Amy nunca pensou em ter uma família, afinal, ela tinha apenas 21 anos, duvidava de que ela iria viver como Mistery por muito tempo sem ter um sucessor de sangue, mas eram apenas suposições.

Suspirou derrotado e guardou a pasta na pequena mala com vários papéis sobre o caso Kira e seu notebook.

-O que houve? - Perguntou para a figura parada na porta.

-Watari pediu para eu te chamar, e eu queria me despedir. - Respondeu Amy entrando no quarto - Vou tentar não ficar tanto tempo fora, então quando eu terminar quer que eu vá pro Japão com você?

-Pode ser, você entende mais sobre os assuntos que tenham haver com o sobrenatural. - Disse L dando de ombro, na verdade não queria Amy por lá, já havia armado todo um plano e não queria ela no meio de vários caras.

-Está mentindo, você não me quer no meio dos investigadores. Ciúmento. - Rebateu Amy fazendo o homem olhá -la, odiava ser tão transparente para ela - Se eu for para o Japão será para te ajudar para voltarmos logo pra casa, não para ficar me agarrando com algum investigador qualquer e até por que se eu não te quisesse já teria partido com Jean à muito tempo.

-Eu te conheço, não posso confiar completamente na sua palavra. - Insistiu logo sentindo as mãos dela tocarem cada lado do seu rosto.

-As vezes você é tão idiota e as vezes tão inteligênte… - Suspirou - Você se lembra o que eu disse quando você me perguntou uma vez o que eu sentia por você?

"Estavam deitados na enorme cama de casal em algum dos quartos da enorme mansão de Amy, ela estava com a cabeça escorada no peito de L apenas ouvindo seu coração, enquanto ele enroscava nos dedos os fios castanhos da mulher, tinham feito de novo aquilo que não iriam repetir, tinham novamente se encontrado e transado naquela enorme cama.

-Ei… - Chamou L.

-Hm? - Perguntou Amy.

-O que você sente por mim? - Foi diréto.

-O que eu sinto por você? - Repetiu pensativa - Eu gosto de você.

-Como? - Não entendeu com exatidão o que ela quis dizer.

-Eu gosto de você, eu não te amo e nem quero me casar contigo, e provavelmente não vou gostar pra sempre de você. É como olhar para o céu, posso gostar por muito ou por pouco tempo da sua companhia, eu apenas… Gosto de você. - Explicou erguendo o rosto - E você?

-Também gosto de você. - Declarou por fim."

-Lembro, o que é que tem?

-Esqueça. - Disse fazendo o detetive sentir seu coração falhar uma batida - Eu não gosto mais de você, eu te amo e isso já é o suficinte pra mim não ficar com mais ninguém além de você.

-Você pode estar mentindo. - Insistiu tirando as mãos dela do seu rosto.

-Eu já menti pra você? - Ele negou - Eu já fiquei com outra pessoa enquanto estava com você? - Ele negou - Então não vai ser agora que isso vai acontecer! Você é muito teimoso. - Suspirou.

-Olha quem fala. - Sentiu os dedos dela se entrelaçando nos seus - Como você me deixa sentimental. - Resmungou tomando os lábios dela.

Antes que pudessem perceber Amy já estava pressada na parede do quarto com L passando suas mãos por dentro de suas roupas - Watari está te esperando! - Alertou sabendo o que aconteceria se continuassem com aquilo.

-Ele pode esperar por mais 15 minutos. - Sorriu travesso.



Já estava no Japão fazia meses, estava acorrentado à Light Yagami, principal suspeito de ser Kira, e a força tarefa já estava reduzida à apenas aqueles que confiavam nele e que ele poderia confiar no momento, se perguntava se Amy já teria acabado seu trabalho nos Estados Unidos e o estava evitando ou se ainda estava trabalhando lá, tinha que esqueçer aquela mulher por um tempo.

-Hey Ryuzaki. - Light chamou sua atenção para o monitor onde mostrava as imagens da câmera da estrada do prédio. Uma mulher baixinha de cabelo castanho escuro, olhos acinzentados, usando uma regata preta, um short azul, um sobretudo preto e uma sapatilha preta e olhando para a câmera como se esperasse que abrissem logo para ela entrar, Amy estava ali.

-Deixem ela entrar, eu a conheço. - Disse fazendo todos se entre olharem, mas ninguém protestou.

Logo Amy já estava na sala do QG olhando em volta analizando o lugar, típico de L gastar dinheiro à toa com prédios e ações, mas não arrumava logo uma casa para sair de sua mansão. Era até hilário. Desviou os olhos para o detetive que desceu da cadeira indo até ela, como consequência arrastou Light junto, e parou na frente dela.

-Tão tarde assim? - Disse jogando no ar.

-Desculpe. - Respondeu sorrinrdo - Estou me sentindo um coelho rodeada de gaviões, todos estão me olhando. - Riu do olhar mortal que o detetive lançou a todos presentes, que desviaram o olhar na hora.

-Então… Ryuzaki, quem é ela? - Se pronunciou Matsuda.

-Amy, uma… Amiga, por assim dizer. - Respondeu pensando nas palavras certas para descrever a relação deles.

-É, uma amiga com quem ele tranza as vezes, nada demais. - Se intrometeu olhando em volta - E vocês são a força tarefa, certo?

-É. - Respondeu L - Achei que não ia vir.

-E não ia, mas Seva solicitou Mistery então aproveitei pra fazer uma visita e desejar feliz aniversário atrasado. - Respondeu desviando seu olhar para Light - Não esperava encontrar outro jovem no meio de velhos, suspeito seu? - Voltou à olhar para L.

-Sim, Light Yagami é suspeito de ser Kira e Misa Amane é suspeita de ser o Segundo Kira. - Respondeu colocando as mãos nos bolços.

-Interessante. - Suspirou, isso iria lhe render um belo trabalho extra.

-E no que Seva precisa de você? - Estava curioso com aquele assunto.

-Ela foi contestada 2 vezes então ela se sentiu obrigada à chamar alguém que entendesse de investigação, mas acho que logo termino aqui também. - Olhou para os monitores - Vocês parecem estar bem avançados na investigação.

-Você quer um lugar pra ficar, certo? - Foi diréto, odiava quando ela enrolava.

-Na verdade não, mas já que você tem um prédio acho que vou ficar por aqui mesmo. - Se fez de sínica - Posso ajudar se quiser também. - Sugeriu realmente interessada no caso.

-Só depois de terminar seu trabalho com Seva. - Foi até ela, Light foi arrastado junto novamente, e puxou seu casaco - Não fique perambulando por ai, estou trabalhando.

-Eu também estou, não pense que só por que você é mais reconhecido que eu também não sei o que faço. - Revirou os olhos - Watari pode me mostrar um quarto e preparar algo para eu comer? Viajar dos Estados Unidos pra cá de avião é mais cansativo do que parece.

-Eu sei… Vou solicitar essas coisas pra você. - Ergueu a postura - Mas primeiro me diga como foi lá?

-Sem problemas, se é o que quer saber. - Respondeu mantendo o diálogo que só eles entendiam.

-Ok.



-Eu nunca imaginei que Ryuzaki tivesse uma namorada. - Pensou alto Matsuda logo sendo repreendido por Soichiro.

-Ela não é minha namorada. - Rebateu L no seu tom habitual.

-E o que ela é então? Ela deixou bem claro que vocês tranzam. - Perguntou Light não resistindo em implicar com o detetive, uma pequena vingança de todas as vezes que ele zoou ele com Misa.

-Nunca ouviu falar de amizade colorida? - Rebateu percebendo a provocação - Acho que com quem me deito ou o deixo de fazer não é importânte para os senhores, esqueçeram que também sou humano?

-De jeito nenhum Ryuzaki, nós apenas ficamos intrigados por uma garota aparecer do nada e ser… Amante? Sua. - Disse Soichiro tomando cuidado com as palavras.

-Amy não é tão jovem quanto parece, ela vai fazer 22 anos. - Com certeza a mulher parecia mais jovem do que realmente era - E ela não é qualquer uma, Amy é mais especial do que imaginam.

-Eu devia ser dessacorrentado para que vocês ficassem sozinhos juntos. - Light estava empenhado em irritar L, e estava conseguindo.

-Eu… - Não conseguiu terminar, viu Amy descer com uma de suas camisas no lugar da regata - O que você está fazendo?

-Preciso usar seu sistema se não se importar. - Respondeu se sentando de frente para um dos monitores colocando um aparelho no ouvido.

-Estou me referindo à minha camiseta. - Se explicou revirando os olhos para ela.

-É mais confortável que meu sutiã e minha regata. - Respondeu sem dar muita importância pra ele - Não vou demorar.

-As vezes eu me pergunto o motivo de ainda te aturar. - Resmungou L tentando voltar sua atenção para o caso em suas mãos - Só não nos atrapalhe.

-Tá. - Estava tão concentrada no que procurava que nem prestou tanta atenção assim nele.

-O que ela 'tá fazendo? - Perguntou Matsuda que com certeza foi o que ficou mais intrigado entre todos.

-Trabalhando, ela é uma detetive como eu, mas tem uma organização a qual trabalhar. - Respondeu para evitar possíveis futuras perguntas - Logo ela vai embora.

-Já disse que posso te ajudar no caso se quiser. - Respondeu a indireta virando seu olhar para ele - Quanto mais gênios, mais rápido terminamos o trabalho.

-Faça como preferir. - Respondeu indiferente e logo cada um se concentrou em seu próprio monitor.

Light virou seu olhar para a mulher, analizava seu jeito e se perguntava como ela conseguia manter a calma convivendo com alguém como L, nem ele conseguia. Amy sentiu um olhar sob si e virou o resto na direção dos homens flagrando Light que não desviou o olhar, sorriu pela atitude do garoto e voltou a sua atenção para o monitor deixando o Yagami confuso. L percebeu a troca de olhares deles e não gostou nem um pouco, aquela estadia dela consigo na investigação ia dar problema na certa.


Notas Finais


Primeiro capitulo! Tudo pode parecer meio confuso, mas pretendo explicar tudo logo. Bye!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...