História Nascida para Morrer - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Doctor Who
Personagens 10º Doctor, 11º Doctor, 12º Doctor, 9º Doctor, Amelia "Amy" Pond, Clara Oswald, Donna Noble, Jack Harkness, Martha Jones, Personagens Originais, River Song (Melody Pond), Rory Williams, Rose Tyler, The Master
Tags Aventura, Clara Oswald, Doctor Who, Drama
Visualizações 43
Palavras 599
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Ficção, Ficção Científica, Hentai, Luta, Mistério, Sci-Fi, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Incesto, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Suicídio, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá meus queridos. Aqui está mais um capítulo, ele é bem pequeno e muito diferente de todos os outros exatamente por se tratar de um episódio que todos nós vimos: O Asilo dos Daleks em que Clara é introduzida para nós pela primeira vez na season 7. Além disso gostaria de pedir que comentem pelo amor a Tardis, porque está sendo muito difícil continuar sabendo que tanta gente não me deixa uma única palavra para continuar. Aos poucos que comentam eu só posso dizer que agradeço. Gosto dos comentários porque são uma chance de eu me aproximar de vocês e descobrir o que querem, além de me inspirar a seguir em frente. Falem comigo por favor. Boa leitura.

Capítulo 10 - Asilo dos Daleks, 14 de setembro de 6801


Fanfic / Fanfiction Nascida para Morrer - Capítulo 10 - Asilo dos Daleks, 14 de setembro de 6801

A memória é uma coisa estranha. Não funciona como eu imaginava. Estamos tão presos pelo tempo, pela sua ordem. Lembro-me de momentos no meio. E este foi o fim. Mas agora não sei se acredito em inícios e finais.

(A Chegada)

 

Oswin podia sentir que era tempo de partir. Havia deixado o homem - conhecido como Doctor  - partir do Asilo dos Daleks e já naquele momento soube que deveria aceitar o fato de que morreria como um Dalek avariado, num planeta há muito perdido, prestes a ser queimado entre as estrelas. Ela antes se chamava Clara Oswin, porém ninguém nunca saberia disso porque estava perdida para sempre, a morte havia chegado muito cedo e muito antes do esperado em sua primeira grande aventura. Nada poderia fazê-la voltar no tempo.

Ela já estava morta há tanto tempo, enquanto, o refúgio em sua mente se mantinha o mesmo. 

Oswin deixou Rory, Amy  e o Doctor partirem e ela aceitou que morreria ainda que isso não bastasse. Como a morte poderia bastar? Mesmo que os outros agora estivessem vivos graças a ela? A garota de olhos castanhos não sabia de toda a sua jornada quando decidiu sair de casa e por um segundo se questionou se de fato teria valido a pena ficar em seu planeta natal para sobreviver. Não conhecia essa resposta, ninguém conhece esse tipo de resposta. Ela apenas fechou seus olhos humanos, porém seus olhos de dalek jamais se fechavam. Oswin aceitou a morte. 

Antes da morte ela teve um pequeno, porém grande, vislumbre. 

Ela pôde ver uma vida toda não vivida. 

Neste sonho estranho ela teria sobrevivido ao ataque dos Daleks na queda de sua nave, teria se refugiado em um local inatingível enquanto esperava algum resgate até o momento em que o Doctor chegaria e nesse dia fantástico, ela seria resgatada. Eles iriam correr rumo ao local de saída após destruírem todas as barreiras de Skaro e ela poderia finalmente conhecer pessoalmente Rory Willians e Amélia Pond. Os dois jamais se reconciliariam e Clara conheceria cada vez melhor o homem que o universo um dia chamou de o Último Centurião.

Rory mostraria a Oswin seu planeta e ambos teriam chances. 

Se conheceriam e se beijariam pela primeira vez em algum grande monumento esquecido. 

Ficariam juntos, teriam uma casa, uma vida e perspectivas. Nada de aventuras, mas teriam a única aventura que de fato valia pena seria vivida, todos os dias. nada Seriam imbatíveis, felizes, certos um para o outro. Amy Pond seguiria com a própria vida porque continuaria viajando com o Doctor e Rory Willians teria filhos, felicidade e alegria ao lado de Oswin. Era uma loucura sonhar uma vida toda não vivida com um homem que jamais pôde conhecer? Naquele momento Oswin percebeu que poderia sonhar uma vida toda ao lado de Rory Willians porque em seus sonhos malucos tudo era possível. O mundo não parecia mais tão hostil. Ela podia sonhar, principalmente, porque não conhecia o Ultimo Centurião de verdade. 

Algumas vezes os sonhos bastam quando se trata do fim. 

Oswin assistiu diante de si a vida que deveria ter tido se tivesse nascido para outro propósito diferente daquele que sempre a perseguiu: salvar o Doctor. 

A garota nascida de uma folha e levada pelas asas de um corvo uma vez foi um dalek e uma vez acreditou, tão fielmente como todos os outros, que tudo podia ser diferente e que talvez a morte não fosse afinal um destino. 

Oswin notou - antes de morrer - que mesmo se tivesse a chance de conhecer a jornada antes de inicia-la escolheria afinal o mesmo caminho. 

 


Notas Finais


Gostaram? Sugestões para o próximo capítulo? Restam apenas 3 capítulos para fanfic terminar e gostaria muito que falassem comigo para que essa história possa chegar ao fim, leitores fantasmas se manifestem pelo bem da continuidade. Façam críticas, elogios, digam o que querem mas por favor falem comigo. Beijos.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...