História Nascidos na Máfia - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Sou Luna
Personagens Ámbar Benson, Gaston, Luna Valente, Matteo, Nico, Nina, Personagens Originais, Simón, Tino
Tags Gastina, Lutteo, Máfia, Simbar, Sou Luna
Visualizações 207
Palavras 1.019
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Hentai, Romance e Novela, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 10 - Isso não vai impedir Simón.


Simon deu de ombros. — Faça como quiser. Scuderi está vindo com a gente.

Meu pai iria com eles? Eu não queria nem saber o que eles iam fazer.

Simon virou-se para mim. — Lembre-se do que eu disse.

Eu não disse nada, apenas apertei o pacote de pílulas na minha mão. Sem outra palavra, Simon e Matteo saíram. Gaston segurou a porta aberta. — Você pode sair também, — ele disse a Tino, que o encarou, mas saiu depois de um momento. Gaston fechou a porta e trancou-a.

Luna ficou boquiaberta. — Você não pode estar falando sério.

Gaston se encostou na porta, braços cruzados na sua frente. Ele não reagiu.

— Vem, Luna, — puxei-a comigo para o sofá e me sentei. Nina já estava de joelhos na poltrona, olhando Gaston, com extrema atenção. Os olhos de Luna voaram para a minha mão.— O que é isso?

— O controle da natalidade.

— Não me diga que aquele babaca acabou de dar isso a você, assim ele pode fazer o que quiser na noite de núpcias.

Apertei meus lábios.

— Você não vai tomar, certo?

— Eu tenho que tomar. Isso não vai impedir Simon. Ele só vai ficar com raiva.

Luna balançou a cabeça, mas eu dei-lhe um olhar suplicante. — Eu não quero discutir com você. Vamos assistir a um filme, certo? Eu realmente preciso de distração. — Depois de um momento, Luna assentiu. Nós escolhemos um filme aleatório, mas era difícil se concentrar com Gaston nos vigiando.

— Você vai ficar aí a noite toda? — Eu perguntei, eventualmente. — Você está me deixando nervosa. Não pode se sentar, pelo menos?

Ele se moveu em direção à poltrona desocupada e afundou. Gaston tirou a jaqueta, revelando uma camisa branca e um coldre segurando duas armas e uma faca longa.

— Uau, — Nina ofegou. Ela se levantou e caminhou até ele. Ele manteve a sua atenção na porta. Ela deu um passo para ficar no seu campo de visão e ele não teve escolha além de olhá-la. Ela sorriu e rapidamente se jogou no seu colo, que ficou tenso. Saltei do sofá e a puxei. — Nina, o que está acontecendo com você? Você não pode agir assim. Um dia um homem acabar se aproveitando. — Muitos homens tinham dificuldade em entender que as roupas e ações provocativas não significavam que uma mulher estava pedindo por isso.

Gaston se ajeitou na cadeira.

— Ele não vai me machucar. Simon o proibiu, certo?

— Ele poderia te pegar à força e cortar sua garganta depois, assim você não poderia contar a ninguém, — disse Luna sem emoção. Eu atirei-lhe um olhar.

 Os olhos de Nina se arregalaram.

— Eu não faria isso, — disse Gaston, surpreendendo-nos com a sua voz.

— Você não deveria ter dito isso, — Luna murmurou. — Agora ela vai adular você.

— Nina, vá para a cama, — eu pedi, e ela fez sob forte protesto.

— Sinto muito, — eu disse. — Ela não sabe o que está fazendo.

Gaston assentiu. — Não se preocupe. Eu tenho uma irmã da idade dela.

— Quantos anos você tem?

— Vinte.

— E há quanto tempo você vem trabalhando para Simon? — Luna desligou a TV para se concentrar no seu interrogatório. Eu me apoiei contra o encosto do sofá.

— Quatro, mas eu fui iniciado faz seis anos.

— Você deve ser bom nisso, se Simon o escolheu para proteger Ámbar.

Gaston deu de ombros. — Saber lutar não é a razão principal. Simon sabe que eu sou leal.

— Ou seja, você não vai colocar as patas em Ámbar.

Eu revirei os olhos para Luna. Gaston provavelmente lamentou sair de seu lugar na porta. — Simon sabe que pode confiar em mim com o que é seu.

Os lábios de Luna se separaram. Coisa errada a dizer. — Então, se Ámbar sair de seu quarto hoje à noite, nua, e você tiver uma ereção por não conseguir se controlar, Simon não iria cortar o seu pau?

Gaston estava obviamente surpreso. Ele olhou para mim, como se realmente tivesse preocupado que eu fizesse isso.

— Ignore-a. Eu não vou fazer isso.

— Para onde vão Simon e os outros homens na despedida de solteiro?

Gaston não respondeu.

— Provavelmente para um clube de strip e depois para um dos prostíbulos que a Família frequenta, — Luna murmurou. — Por que os homens podem se divertir com prostitutas, enquanto nós temos que manter a nossa virgindade até a noite de núpcias? E por que Simon pode foder quem ele quiser, enquanto Ámbar não pode sequer beijar um cara?

— Eu não faço as regras, — Gaston disse simplesmente.

— Mas você se certifica que nós não as quebramos. Você não está nos protegendo, está nos vigiando.

— Você já pensou que eu estou protegendo os caras que não sabem quem Ámbar é? — Ele perguntou.

Eu fiz uma careta.

— Simon mataria qualquer um que se atrevesse a tocar em você. Claro, você pode sair, flertar com um cara e seguir em frente, porque não seria você que Simon ia destripar.

— Simon não é o meu noivo, — disse Luna.

— Seu pai iria matar qualquer homem que tentasse chegar perto de você, porque não quer que ninguém roube os seus bens mais valiosos.

Pela primeira vez percebi que, só porque eu tinha sido dada a Simon, não significava que Luna não seria forçada a se casar com outra pessoa. De repente me senti muito cansada. — Eu estou indo para a cama.

 Fiquei acordada a maior parte da noite, pensando em maneiras de sair desse casamento, mas a única opção seria fugir,e Luna com certeza gostaria de vir comigo, além de Nina. Mas eu não teria como mantê-las comigo e deixá-las seguras. E Nico? E a minha mãe? Eu não poderia deixar tudo para trás. Esta era a minha vida. Eu não conhecia nada além disso. Talvez eu fosse uma covarde, embora que para casar com um homem como Simon provavelmente seria necessária mais coragem do que para fugir.

 


Notas Finais


Ooooi, gente. Postei mais um capítulo. No próximo, vamos ter o chá de panela da Ámbar, ixeee, como será esse encontro com a família do Simón? Comentem o que estão achando 😘❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...