História Navegando Entre As Estrelas - Capítulo 17


Escrita por: ~ e ~ellenjmorrilla

Postado
Categorias Once Upon a Time
Personagens David Nolan (Príncipe Encantado), Emma Swan, Henry Mills, Mary Margaret Blanchard (Branca de Neve), Regina Mills (Rainha Malvada), Robin Hood, Tinker Bell, Zelena (Bruxa Má do Oeste)
Tags Emma Swan, Emmaswan, Henry Mills, Onceuponatime, Regina Mills, Reginamills
Visualizações 158
Palavras 1.586
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Famí­lia, Fantasia, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Hello hello! Adivinha quem voltou com mais um capítulo hein? Nós mesmas haha. Enfim, capítulo saindo antes do esperado porque amanhã é feriado, posso ouvir um amém? Esperamos que gostem desse capítulo do fundindo do core. Prometo responder todas depois. Sem mais, boa leitura!

Revise duas vezes, but sempre passa um erro, então relevem.

Capítulo 17 - 17



Regina encarava a loira a sua frente, olhando assim sem tanto ódio e rancor, podia perceber que as sardas estavam ali. Aquele era o seu céu, podia sentir o toque quente da pele da menina contra seus dedos. Podia sentir o cheiro da menina - canela - nunca mais iria se esquecer disso.

- Comece. - Murmurou Emma esperando ela começar.

- Você não tem o direito de mandar em nada aqui Emma. - Regina rosnou. - Mas irei começar, porque dependendo do que eu falar, você pode desistir de continuar com seu joguinho.

- Joguinho? - Emma perguntou arqueando a sobrancelha de forma irônica.

- Sim. Não consigo ver de outra forma. - Regina se aproximou um pouco da loira. - Quero que você pare com isso, eu irei ir embora assim que terminar meu contrato e espero nunca mais te ver senhorita Swan. Você não tem o direito de mandar Ariel me dizer coisas boas sobre você, ela é só outra coitada manipulada por você.

- Eu nunca pedi para Ariel falar com você, nunca manipulei ninguém. - disse sem acreditar no que estava ouvindo.

- Certo, vamos fingir que não Emma, já que é assim que você quer. - Regina voltou a cruzar os braços ficando frente a frente com Emma.

- Pare com isso, pare de me tratar como se eu fosse um sociopata fazendo joguinhos com você e com Ariel. - disse com um tom elevado.

- Me diga o que você é então, senhorita Swan?
Emma parou e abriu a boca para falar, mas a voz não saía. 

- Eu não sou assim Regina. Você como ninguém, deveria saber disso. - Regina abriu um sorriso irônico.

- Nao te dei liberdade para me chamar assim. Me chame de senhorita Mills e eu não lhe conheço mais. Você se tornou uma pessoa bem diferente do que eu imaginei que fosse.

- Você é louca! Sabe, você acha que eu te abandonei, mas as coisas não foram bem assim. - disse andando de um lado para o outro.

- Não senhorita Swan, você não só me abandonou, como abandonou sua família, seus amigos e principalmente a mim. - Emma suspirou encurtando o espaço das duas, Regina deu alguns passos para trás até encostar na pia do banheiro. Ela olhava nos olhos castanhos, tentando mostrar toda sinceridade. Suas respirações estavam misturadas, ambas respirava pesadamente.

- Minha mãe sabia onde eu estava. Ela nunca foi atrás de mim me pedindo para voltar, assim como meu pai também não fez. Mas eu voltei Regina, eu estava lá por você. - Emma colocou a mão na cintura da morena tentando mantê-la ali, sem fugas. Regina fechou os olhos sentindo o toque firme da loira em sua cintura, o toque que mais amara na vida. - Eu passei um ano indo ao psicólogo e tentado consertar tudo que estava errado comigo, para voltar completa para você. Um ano e alguns meses depois eu estava lá, comprei um buquê de flores e quando sai para ir a sua casa, porque lá seria o meu primeiro lugar a ir, eu te vi na lanchonete, você estava de costas com um vestido azul que deixava seu corpo mais perfeito do que ele já é. Eu te reconheceria em qualquer lugar, meu corpo estava programado para isso. Robin apareceu logo depois em sua frente, ele tinha um bebê nos braços, eu assisti você abraça-lo e pegar a criança. Eu sumi por um ano e alguns meses e você tinha uma família, eu não tinha o direito de atrapalhar isso. Não podia suportar e fui embora novamente, com intuito de nunca mais voltar. - Emma deixou suas lágrimas que tanto guardou, rolarem pelo seu rosto naquele momento. - Tudo o que eu sempre quis com você, estava ali. Um filho, uma família. Eu  desejei tanto ser Robin naquele momento, apesar dele ser um imbecil, naquele dia, eu senti inveja dele, quis estar no lugar dele. Tudo o que eu sempre sonhei ao seu lado, estava se despedaçando a minha frente. Ali, eu vi que eu não era a pessoa para você e que se eu continuasse e fosse até você, eu poderia acabar com aquilo tudo e destruir aquela sua felicidade, seu sorriso, não era o que eu queria. Se você estava feliz, porque não deixar você ir? Eu te amava. Eu amo, por isso, parti dali, deixando minha felicidade para trás, para que você tivesse a sua. - Emma falava olhando fixamente para Regina, as lágrimas rolavam e suas mãos ainda estavam firmes na cintura da morena. - Acha mesmo que eu quis lhe deixar? Foi tão difícil pra mim deixar vocês. Não pense que foi fácil ou porque fiz porque quis. Tudo teve um motivo, Regina. - Respirou. - Eu tinha escolhido o mais belo buquê da floricultura e não digo isso para você se sentir mal. Eu me arrumei como não havia feito há meses, passei meu melhor perfume, fui atrás da minha mulher, mas ela já estava sendo feliz. Quem era eu pra acabar com isso? Eu que sumi por um ano, sem dar notícias, com que direito eu iria chegar lá e interromper?

- Emma...- Regina tentou interromper quando a loira deixou algumas lágrimas caírem. Regina via arrependimento, dor, tristeza, amor através do olhar de Emma. Sabia que a loira não estava mentindo.


         - Não, me escute. Eu te liguei durante três anos no escritório às 19:30, porque só você estava lá, sua secretária estava fazendo faculdade, então você tinha que atender. Todos os dias eu ouvi o seu " Escritório de criminalística Mills, em que posso ajudá-lo?". - Emma falou encarando a morena que fechou os olhos segurando para não chorar. - Eu ouvi sua voz durante todo esse tempo. Ai Ariel apareceu em minha vida, disse que poderia me ajudar e nunca cobraria nada de mim e eu deixei. Você tinha uma família e eu não tinha o direito de estragar isso. Eu me disse essas mesmas palavras todos os dias antes de dormir e ao acordar. Precisava me lembrar de não te atrapalhar, você merecia ser feliz.- Emma parou de falar quando sentiu a morena apertar-se contra seu corpo em um abraço tímido, ela nem sabia o porquê disso, só deixou acontecer. Emma a envolveu na mesma intensidade. Ambas sentiam o calor do corpo sendo transmitido um para o outro. Não queriam se desprender, queriam ficar ali por horas e horas matando as saudades que tinham uma da outra. A saudade de um amor jamais findado.

- Eu não tinha uma família Emma. - Regina falou se livrando do corpo da menina, estava envergonhada por ter agido assim. - Aquela era a filha do Robin com outra mulher, quando você foi embora, eu achei justo terminar com Robin e ele seguiu em frente. Mas não muda o fato de você ter ido embora sem me dizer ao menos um adeus, você não me mandou uma mensagem, carta ou sinal de fogo durante esses seis meses em que ficou fora, antes de voltar. - Emma sorriu de lábios fechados, secando as lágrimas de Regina suavemente. A morena fechou os olhos. Ah, como sentia falta daquele contato que demonstrava tanto.

- Eu sei que muita coisas não justificam meus atos Regina, mas eu quero que você entenda que não foi fácil. Te deixar não foi nada fácil. - Emma se aproximou deixando-a apreensiva. - Durante anos tudo que eu me lembrava era do seu cheiro. - Emma levou o nariz até o pescoço da Regina, passou lentamente sugando aquele cheiro maravilhoso de maçã, causando um arrepio na morena. Regina não negaria, ela amava aquilo e sentia falta, mas aquele não era o momento. Não ainda, pois seu coração ainda estava machucado.

- Em...Ma - Gemeu a morena segurando os ombros dela para afastá-la.

- Senti falta do seu gosto. - Emma murmurou aproximando os lábios ao da morena que virou o rosto. - De entrar em você, lentamente. - Regina não acreditou no que ouviu. A forma que Emma falou consigo, não havia lhe agradado. Precisa parar com aquilo antes que fizesse algo e se arrepende-se.

- Já chega! - Regina murmurou empurrando finalmente a loira. - Não faça isso.

- Você quer, posso ver ao olhar pro seu corpo. A forma que seu corpo reage a cada toque meu. - disse olhando nos olhos de Regina e se aproximando.

- Isso não importa. - Regina falou se afastando da loira e indo em direção a porta. - Acha que é assim? Sumir e depois de uma conversa como essa, onde você nem ao menos, me contou o motivo de ter ido embora, acha que vai conseguir assim? - Emma encarou Regina.


- Regina, pra que dificultar? Nós duas ainda nos amamos. - disse irritada. - Não podemos seguir em frente? Tudo o que passou, já passou!


      - Eu amo você sim, Emma e isso me destrói tanto - disse com a voz embargada. - Que às vezes eu desejo nunca ter te conhecido. - Emma engoliu em seco. Regina ainda segurava a maçaneta da porta. Emma estava com vontade de chorar pelas duras palavras de Regina. - Você tem sua  vida agora, e enquanto não for totalmente sincera comigo, eu quero que você se afaste senhorita Swan. Sem mais. - bateu a porta do banheiro, deixando uma Emma raivosa para trás. Não com a morena, mas sim, consigo mesma por ter deixado tudo aquilo chegar a essa ponto. Emma olhou-se no espelho e odiou-se por ter tratado Regina dessa forma, sem respeito. 


Notas Finais


Poxa, Emma cada vez no poço. Vacilando sempre bicho!

deixem o comentário aqui na caixinha! Até e bom feriado.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...