História Nayara - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Exibições 20
Palavras 1.333
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Ficção, Luta, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Adultério, Estupro, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 9 - Fim


Fanfic / Fanfiction Nayara - Capítulo 9 - Fim

NAS MASMORRAS

Nayara estava chorando muito. Certo que mal conhecia Ethan, mas achava totalmente errado o ato dele omitir quem eram seus pais. Uma hora ou outra ela ia saber, e infelizmente foi da pior maneira possível. O que não entendia era como isso era possível. Ethan era justo, doce e compreensivo. E Stella... era totalmente ao contrário. Assim como Arthur.

— Nayara? — Ethan pergunta adentrando a cela.

— O que você quer? — A moça pergunta friamente, enxugando as lágrimas.

— Sei que está chateada comigo. — Ethan suspira e se senta no chão, de frente para a escrava. — Mas... eu não fiz por mal.

— Sei disso, Ethan. — Nayara olha nos olhos azuis do melhor guerreiro de Mattew. — Mas, poxa... você não podia ter feito isso.

— Eu sei que errei. E te peço desculpas. Mas pensei que pegaria ódio de mim se soubesse que sou unigênito das pessoas que mais lhe fazem mal. — Admitiu Ethan.

— Eu nunca ia ficar com raiva de você! — Nayara começa a acariciar delicadamente o rosto de Ethan. — Aliás... depois que a gente ama... é difícil pegar ódio. — Uma lágrima escorre de seus olhos e ela sorri emocionada.

— O que você quer dizer com isso? — Ethan fica boquiaberto e um tanto corado. Nunca tinha ouvido isso de nenhuma garota; e agora que está ouvindo, é de uma garota muito especial para ele.

— Eu te amo, Ethan. Como nunca amei ninguém. — Nayara chora emocionada, enquanto seu coração parecia que ia parar dentro de instantes. — Mas, se não me quiser, tudo bem, eu entendo, aliás... — Ela é interrompida pelo amado, que a beija inesperadamente.

NA SALA DO TRONO

Ethan havia sido poupado graças à sua mãe, que teve que se humilhar diante de todos. O rei poupou a vida dele, mas gritou com todas as forças que tinha nas cordas vocais naquele momento para que o filho se retirasse da sala do trono. O guerreiro se retirou dali imediatamente e foi visitar sua amada Nayara.

— Provavelmente Ethan foi visitar aquela escrava! — Exclama a rainha.

— Eu já não me importo mais com ele. Para mim, Ethan é tão insignificante como Nayara. — O rei esmaga uma taça de vinho com suas próprias mãos, como se aquilo fosse amenizar sua raiva. — Eu juro que me esforcei muito para não expulsá-lo do palácio. Eu só vou deixá-lo aqui por piedade de você, Stella.

— Não fale assim, Arthur. — Stella chora, se levantando. — Ethan é seu filho também! Não pode simplesmente exclui-lo de sua vida como se fosse uma pessoa qualquer.

— Se continuar insistindo nesse assunto, não terei piedade e farei com ele tudo aquilo que eu quiser. — Ameaçou o rei. — Só sei que a partir de hoje, assim como não é mais meu filho e herdeiro do trono, Ethan também não é o melhor guerreiro do meu reino.

NAS MASMORRAS

Depois do beijo, Ethan e Nayara ficaram conversando sobre diversos assuntos. Compartilharam risos e contaram suas histórias de vida.

— Ethan... por que os reis guardaram o fato de você ser filho deles como segredo? — Perguntou Nayara.

— Eles tinham raiva e vergonha de mim, porque eu preferi ser um guerreiro do que o herdeiro do trono. Mas não me arrependo de minha escolha. Depois de um tempo fui nomeado como o melhor guerreiro de Mattew, porque fui o homem que mais matou inimigos. — Explicou Ethan.

— Eu tenho orgulho de você. — Nayara sorri docemente. — É por isso que te amo... porque és único, justo, doce e guerreiro.

— Eu te amo porque simplesmente meu coração escolheu você para amar. Ele poderia ter escolhido uma nobre, mas preferiu a garota mais amável. E eu sempre serei grato ao meu coração por isso. — Ethan sorri apaixonadamente, abraçando Nayara de lado. — E eu quero que seja minha namorada.

— Eu? — Nayara fica boquiaberta.

— Sim... não gostou? — Ethan pergunta.

— Eu amei... mas é que... — Nayara deixa a frase no ar.

— Que...? — Ethan arqueia uma sobrancelha.

— Sou impura, Ethan. — Nayara fica constrangida. — Se você não tivesse matado Cláudio, eu teria me casado à força com ele e seria infeliz para sempre... obrigada por isso.

— Não importa, eu te amo do mesmo jeito. — Ethan deposita um beijo na testa de Nayara. — Não precisa me agradecer. Sinto que devo te proteger de todos os males, e farei isso.

— Então... sim, eu aceito ser sua namorada! — Nayara sorri e o beija.

NA QUARTA REGIÃO DE MATTEW

Matheus caminhava até a tenda do sacerdote para informá-lo sobre o casamento e pedir conselhos a ele, até que Deus decide falar com ele.

— Matheus, pare de caminhar agora. — Ordenou o Deus de Israel.

— Sim, Senhor. — Matheus fica parado.

— Depois que você saiu de sua tenda, Teresa humilhou Rúbia por ela ser infértil, a constrangendo. Você sabe que não gosto desse tipo de coisa. Então castiguei Teresa jogando sobre ela uma forte lepra, e os levitas a levaram para bem longe do acampamento. E Rúbia está grávida, pois fiz um milagre. — Disse o Deus de Israel.

Matheus se joga de joelhos e levanta as mãos, glorificando seu Deus.

— Muito obrigado, Senhor. — Agradeceu emocionado.

— Levante-se e conduza meu povo até o palácio de Mattew, Matheus. Hoje Mattew pertencerá a vocês, e eu escolherei quem seguirá para a Terra Prometida. — Disse o Deus dos Hebreus.

ALGUMAS HORAS DEPOIS – NA SALA DO TRONO

As portas luxuosas se abrem, e milhares de hebreus invadem a sala do trono, todos armados.

— INVASORES! INVASORES! — Gritou o rei Arthur, chamando seus guerreiros e arqueiros, que começaram a guerrear com os hebreus.

Stella, sem que ninguém perceba, se retira do local e caminha até a masmorra em que Nayara se encontrava.

Em questão de segundos, os hebreus mataram todos – literalmente todos – os guerreiros Mattenses.

— Parece que você perdeu tudo, soberano. — Matheus disse, ficando de frente para o rei Arthur.

— Saia já... — Inicia o rei, que logo sente uma espada atravessando seu coração. — ... daqui. — Terminou sua frase e morreu.

 — Onde está a rainha? — Perguntou um arqueiro hebreu, vendo que todos já estavam mortos e só faltava a rainha.

— Vi ela indo para lá. — Outro hebreu responde, apontando para o lado direito.

— Então vamos. — O arqueiro começou a caminhar até a área indicada pelo hebreu e todos o seguem.

NAS MASMORRAS

O irmão de Cláudio, que também era um prisioneiro e ficava numa cela, ao descobrir que Ethan matou seu irmão, ficou furioso. Aproveitando sua habilidade com arco e flecha, ameaçou o guerreiro.

— Aí está o assassino! — Disse, preparando-se para atirar a flecha.

— NÃO! — Nayara entra na frente ao ver que Ethan seria morto, abrindo os braços.

— O que pensa que está fazendo? — Perguntou o homem à Nayara.

— Deixe-me arcar com as consequências do meu ato. — Sussurrou Ethan para Nayara.

— Ethan, você tem tudo o que quer, suportaria viver sem mim. Já eu, só tenho você... e eu não suportaria viver sem ti. — Nayara chora.

— NÃO! — Ethan grita ao ver a flecha atravessando o coraçãozinho de Nayara.

— Prefiro morrer por você... do que você morrer por mim. — Nayara disse com a voz rouca, chorando enquanto morria lentamente.

A rainha Stella adentra a cela e fica de frente para a escrava que morria em silêncio.

— Que os deuses tenham misericórdia de você, sua inútil. Boa entrada no mundo dos mortos. — Disse e ficou de costas para Nayara, que cai no chão sentindo uma dor excruciante. A escrava, tentando amenizar a dor, aperta e puxa o vestido da rainha, fazendo-a cair no chão. De repente, a rainha grita tão alto que se ecoa por toda a Mattew, ao sentir sua própria coroa esmagando seu crânio, e morre. Por último, Nayara grita tão alto que também se ecoa por toda a Mattew, e morre. Seu grito se ecoou não apenas na cidade, mas também na mente de Ethan, como uma má lembrança do pior dia da vida dele.

Os hebreus adentram a cela, preparados para matarem a rainha, até que percebem que ela já estava morta. Então matam o irmão de Cláudio, e também Ethan, pensando que ele era ruim.

— CONSEGUIMOS! MATTEW É NOSSA! — Comemorou Matheus junto com os hebreus. Era hora de avançar para a Terra Prometida.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...