História NbKr - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Exibições 5
Palavras 1.244
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Fantasia, Ficção, Steampunk
Avisos: Álcool, Linguagem Imprópria, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 7 - A verdadeira face de Russius


--UOU, ja nao bastava ter todo um outro mundo dentro dessa montanha, como agora tem sua própria versao de Talegram....e o que sera aquela torre?. Disse Giono ainda surpreso com tudo que haviam encontrado dentro de NbKr,"porque essa montanha é assim e por que ninguem fala sobre isso no mundo exterior?" Era o que ambos tem se perguntado nesses ultimos 3 dias, o mundo dentro de Nbkr nao era muito diferente do exterior mas Julius havia notado algo na noite anterior

--Giono...isso aqui- disse levantando um espeto improvisado que estava usando para preparar uma das criaturas que os atacaram - me corrija se eu estiver errado mas isso é um  fidinife nao é?

--Claro ue, conhece algum outro tipo de cobra que em vez de uma lingua tem uma adaga? Porque a pergunta? medo do veneno?

--Se me lembro bem....elas vivem em regiões arboricolas perto das terras dos anoes nao é? Eu tinha....um amigo que gostava mt de animais e ele me disse isso.

--Ahn,sim elas sao- Giono estava estranhando o comportamento de Julius mas resolveu continuar sua explicação- eu tambem tinha um amigo que gostava delas..ate uma arrancar a orelha dele....pobre bili.

Voltando ao presente, Julius e Giono encontraram a entrada da cidade, e por mais que estivesse bem guardada, foi necessário apenas que Julius mostrasse suas orelhas para o guarda que foi lhe permitida a entrada sem maiores problemas alem de guardas o encararem com desconfiança.

Russius era bela, os olhos de Julius se encheram vendo tanto brilho de joias que enfeitavam as colunas das casas,as cortinas carmesins, e os varios aparatos de ouro tao brilhante que ate Giono resolveu checa atraves do bolso de Julius do porque de tanto brilho.E tudo isso se tornava ainda mais lindo quando visto junto com as pessoas que ali viviam, que nao se entenda que Talegram fosse mediocre,de maneira alguma, mas o briljo de Russius...tinha algo especial e o principal eram as pessoas,todaa vestidas do linho mais fino e musicos pelas ruas com instrumentos que fora dali valeriam o suficiente para se comprar ate uma casa,em Talegram no ha miseria mas tambem nao se ve muitos ricos, porem em Russius ate o mais pobre daria inveja ao mais rico de Talegram.

--Oe,Juliu- sussurrou Giono -- eu nao to gostando disso...eu ja nao confio em lugares onde a maioria é de ricos e aqui parece ser um carnaval se milionários.

Julius havia ignorado o que Giono disse pois estava  estupefato com todas as  belezas, a primeiraa coisa que ele fez foi correr para uma loja de doces, e assim Giono aprendeu uma característica de Julius que poucos conheciam, ele era viciado em doces, principalmente os caros.

Assim que entrou na loja Julius ,que ja estava animado, ficou no mínimo 3x mais, apos ver prateleiras de doces tao sofisticados e bem montados que nem pareciam comida agora, e sim joias. Ele foi atendido por um senhor idoso com um manto vermelho que o dava ar de imponência, Julius quase se ajoelha em respeito, pois por um segundo esqueceu que era apenas o vendedor,foi uma surpresa ver que o dinheiro de Talegeam era aceito ali-" entao de fato ha alguma relação desse lugar com o mundo externo...mas qual sera?"

Depois de haver visitado varias lojas Julius decide descansar em um bar de aparência estravagante, aparentando ser ate a sala de jantar de um rei, porem a primeira coisa que Julius percebe não era a grande variedade de docer em exposição, mas que a garçonete era uma elfa.

--"Nossa so agora me dei conta, de fsto nao vi nenhuma outra especie de humanos aqui...nossa ela é  ate bem bonita.

A garçonete servia a todos com um singelo sorriso e com uma voz calma e mansa, o que era bem incomum ja que elfos sao conhecidos por seu pensamento rapido e por consequência sao bem agitados. Julius notou que alguns dos clientes estavam tocando ela enquanto ela servia os pratos, e estava começando a se incomodar porem nada fez pois nao queria arranjar problemas antes de saber como as coisas funcionavam e porque ela nao demonstrava nenhum sinal de se importar, ate que ela tropeçou e derrubou o prato que levava, de repente um grande girto se ouviu vindo do cozinheiro que avançou com um rolo e o acertou bem no rosto da garçonete

-- JA TE FALEI UMA CENTENA DE VEZES PARA PRESTAR ATENÇÃO ONDE ANDA SUA INUTIL! SERA QUE É TAO DIFÍCIL PRA VCS,COELHOS, ANDAREM SEM SAIR DERRUBANDO TUDO? DESSE JEITO VOU PERDER MAIS DINHEIRO COM A COMIDA CAINDO DO QUE PERDI COMPRANDO VOCE!!

A elfa pediu desculpas cabisbaixa e se dirigindo ao cliente que havia pedido o prato, com um sorriso no rosto pediu desculpas e perguntou -- Nao se preocupe, garanto que logo logo meu Senhor ira terminar seu prato, mais uma vez peço desculpas e  se houver algo que eu possa fazer para compensar...

--Beeem- disse o homem com um sorriso malicioso -- você me compensar pelo atraso...mais tarde hehehe- o homem agora passava suas maos nas coxas da elfa, que nao esboçava nenhuma expressao de desconforto e que rapidamente respondeu -- se meu Senhor concordar com isso, seria um prazer para mim o fazer, so nao deixe de voltar aqui por causa desse meu pequeno acidente por favor.

Julius ja estava perdendo o apetite, e se pos a desenhar em um guardanapo- "sorte minha que eles sao vermelhos tambem"- pensou, e fez um sinal para a garçonete como de quem quer fazer um pedido.

Lodo depois de se despedir do outro cliente, a elfa se dirigiu ate Julius a entregou o papel e disse:

--Oi fofa olha antes de fazer meu pedido sera que ajudar com uma coisinha?

-- Sim senhor, se estiver dentro das minhas capacidades

--garanto que esta, é so que aquele senhor que você estava falando agora a pouco é um velho amigo meu que estava fazendo aniversário e bem- com um sorriso no rosto Julius entregou o guardanapo --isso é uma mensagem pra ele, entregue mas nao diga de quem é,quero fazer surpesa sabe.

--hihihi tudo bem, e quanto ao seu pedido?

-- Ah sim,ahn....voce consegue ler isso?- Julius a mostrou o desenho de uma cruz denteo de um círculo,

--Ahn...nao senhor

--É nao esperava um elfo entender- Julius sacou outro guardanapo e desenhou outro simbolo nele enquanto cochiva os encantos o mais baixo possivel para ela nao ouvir, e  fazia de um jeito um jeito que parecia uma musica -- entregue ao seu Senhor, ele vai entender.

A garçonete se despediu e fez tudo do jeito que Julius a instruiu. O que ocorreu apos uma cena no minimo comica, alem do homem que assediou a elfa entrar em transe apos abrir o guardanapo, e sujar a cara por ela cair em cima dos aperitivos, o Cozinheiro lassou a gritar e correr pelo restaurante, e saiu pulando pela janela, e todos correram atras dele para ver o que havia acontecido. A garçonete estava agora caida no chao e pela primeira vez demonstrava alguma emoção real, pavor.

-- Hey mulher levanta, aproveita pra sair daqui antes que eles voltem, voce pode fugir desse cara enquanto ele esta hipnotizado.

--FOI VOCE QUE FEZ ISSO??- a elfa correu para trancar todas as entradas e janelas- AGORA ELES VAO ME MATAR! POR QUE FEZ ISSO?

-- te matar? Como eles poderiam te acusar de usar magia da mente sendo elfa?

-- VOCE ACHA QUE ISSO IMPORTA PRA ELES? ELES VAO...

De repente se ouviu alguen batendo na porta do restaurante

--ELFA! SAIA DAI AGORA MESMO,NAO TORNE ISSO AINDA MAIS DIFICIL APENAS ABRA ESSA PORTA E EXPLIQUE O QUE ACONTECEU.

--ai meu deus...essa voz... é ele..

--quem?

--Steins...the loyal.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...