História Ne Me Quitte Pas - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Tags Angst, Bangtan, Bts, Fluffy, Jimin, Lemon, Longfic, Morte, Namjin, Suga, Vkook, Yaoi, Yoongi, Yoonmin, Yoonseok
Exibições 35
Palavras 1.208
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Fantasia, Festa, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Pansexualidade, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


+ Essa fanfic está sendo repostada, ok? É uma longfic com 16 capítulos que foi excluída juntamente com o meu outro perfil (eu o excluí por problemas pessoais), portanto eu estou repostando a fanfic.
+ Essa foi a primeira fanfic de BTS que eu escrevi e, sim, ela é o meu xodózinho e eu jamais vou esquecer que o meu primeiro shipp foi Yoonmin.
+ A fanfic é inspirada em Quem é você, Alasca? É um livro do John Green e eu super recomendo caso você não tenha lido! (obs.: você corre sérios riscos de se apaixonar pelo livro. E, sim, isso é um alerta)

+ Eu não estou alterando os capítulos e sim REVISANDO, ou seja, eu estou ajeitando os erros dos capítulos e acrescentando e/ou excluindo algumas coisas. Mas fiquem tranquilos! Não estou fazendo nada que altere a estória, pois como eu disse: ela é meu xodó, meu nenénzinho.
+ Vou tentar postar UM por dia, mas, como alguns sabem, eu tenho outras fanfics em andamento e talvez tudo se complique. Mas não demoro mais que dois dias para att.

+ YOONMINAS ME ADICIONEM <3

Capítulo 1 - 01; chocolate?


Fanfic / Fanfiction Ne Me Quitte Pas - Capítulo 1 - 01; chocolate?

dia 0

Min Yoongi

 

Quando meu pai me contou sobre a morte disse, brevemente, que era apenas uma passagem - como um caminho - para uma vida ainda melhor, para a felicidade eterna onde não haveria um resquício de sofrimento. Naquela época eu acreditei nele, mas hoje, neste exato momento, eu não acredito mais. Eu acredito na crueldade da morte e o que ela faz conosco. Quando morremos, acabamos corroendo aqueles que estão à nossa volta.

Jeon Jungkook está sentado à minha frente com os olhos cravados em mim. Posso ouvi-lo dizer que nada disso é culpa minha, que fora apenas um acaso maldito do destino. Mas não foi. A culpa foi minha também e eu preciso senti-la.

Foco meus olhos no caixão a minha frente, mas não por muito tempo. Meus olhos são atraídos para a foto ao lado, seus lábios formando um belo sorriso e seus olhos apertados devido ao sorriso. Meu coração parecia explodir.

— Hyung… — A voz de Jung Hoseok me traz de volta do devaneio, seus lábios formam um sorriso, como se quisesse me confortar, para assim me tomar em seus braços, e permitir que as lágrimas caíssem. Mas eu não iria chorar, pois não fui o único que sofreu pela perda. Todos nós perdemos um pedaço, talvez o meu tenha sido maior, mas isso não importa.

Meu coração se aperta ao pensar que eu fui o único que não discursou. Ele merecia um discurso, merecia o mundo, merecia viver, mas eu não pude dar isso a ele. Ele ainda estaria vivo, de certo, mas só enquanto nós estivéssemos por aqui. Quando morrermos, ele morreria também.

— Hyung… —  Hobi insiste, mas eu não quero me virar, assim como meus olhos não querem desgrudar daquela foto. Caso eu virasse, Hoseok me diria que tudo ficaria bem, pela milésima vez, e a dor passaria, pela centésima vez.

Uma mão afaga meu ombro e eu me viro tendo a certeza de que seria Hoseok a afaga-lo, mas não era. Kim Taehyung me encarava, seu cabelo alaranjado se embolando e seus olhos semicerrados, devido ao vento. Suas mãos não deixam meu ombro. Mas tudo bem, eu me senti confortado.

— Tem chocolate lá em casa. — Um sorriso é forçado em sua face e então, finalmente, sua mão deixa o meu ombro. — Dizem que chocolate ajuda…

Me deparo com Hobi, encarando os próprios pés, enquanto segura o choro. Suas bochechas rosadas e suas sobrancelhas franzidas o denunciavam tão facilmente. Eu queria poder abraçá-lo, mas sabia que não teria efeito algum. Nós continuaríamos tão triste quanto.

Taehyung caminha até o carro e eu o sigo, segurando o braço de Hoseok, escutando-o fungar baixinho para que ninguém o ouvisse. Mas logo parou e não demorou para que chegássemos no carro e eu sentir o ar entrando, novamente, em meus pulmões.

Através do vidro escuro do carro posso ver Gukkie, na mesma posição que antes, com a maldita flor branca na mão. Assim como eu fui o único a não discursar, Gukkie foi o único a não jogar a flor durante o enterro. E ele não o fez. A flor passava de mão em mão, estava amassada, algumas pétalas caíram.

— Todos nós estamos um pouco… abalados, hyung. — Ele possui aquela expressão no rosto, justamente aquela expressão me deixa desconfortável e me distrai. — Ninguém tem que sofrer sozinho.

— É. — É a única coisa que consigo responder.

Hobi coloca sua mão em meu ombro, tentando ao menos esconder a tristeza evidente em meu rosto. Eu poderia ficar mal, mas não gostaria que os outros ficassem também. Pressiono minhas têmporas e desvio o olhar de Hoseok para Jungkook. Ele não tinha colocou as malditas flores naquele caixão idiota.

Jungkook esperou que todos deixassem o local para que pudesse chorar, pois eu podia ver suas mãos enxugando as lágrimas em sua bochecha. Puxo o ar, com toda força que posso, e o prendo, enquanto me perco em meus próprios pensamentos. Eu não sabia como reagir, não sabia o que eu deveria fazer para que os outros se sentissem bem.

Jungkook afaga o rosto desesperadamente com as mãos, como se quisesse afastar tudo aquilo.

Eu sou o único que não consegui chorar.

Por que eu não consigo chorar?

— Hyung?

É a voz de Tae. Com o vidro aberto, me inclino para fora do carro e me arrependo de tê-lo feito no mesmo momento. Tae traz consigo uma foto dele embaixo dos braços, era a foto que estava na entrada do velório. Agora eles também dão lembrancinhas em enterros? Não me arrependo de ter feito a pior careta para Taehyung. O que ele estava pensando?

Ele para de andar e me olha como se tudo estivesse prestes a desmoronar.

— Porque precisamos levar isso? — Pergunto a Hobi.

— Porque não quer lembrar dele?

É impressionante como uma simples frase pode ter o mesmo efeito que um soco no estômago. Sei que Hoseok não teve a intenção de parecer arrogante e por esse motivo não vou me dar ao luxo de discutir com ele. Mas a pergunta o que me incomodou foi a pergunta parecer tão incerta, eu não sabia responder se sentiria falta ou não. Respiro fundo.

Uma foto como lembrança não irá mudar nada na minha vida.

Mas a morte dele irá.

Tae entra no carro com o retrato na mão. Por ironia a única coisa que consigo ver é o seu sorriso, apertando suas bochechas contra seus olhos pequenos. Eu não consigo entender porque ele. Por que justamente ele tinha que ir? Eu merecia muito mais estar naquele caixão. Olho para Hobi que mantém os olhos fixados na imagem, como se navegasse nós próprios pensamentos através daquele sorriso.

Eu me sinto tão egoísta. Sinto como se só eu sentisse a dor da perda mas não é assim. Todos eles sentem e vão continuar sentindo por um bom tempo, talvez até mais tempo que eu. Hobi leva uma de suas mãos até o rosto e eu soube que ele estava prestes a desabar novamente.

Coloco minha mão sob a sua e afago. Hobi levanta olhar e me encara com os olhos marejados.

O que eu estou fazendo?

Quando tento puxar minha mão e mantê-la longe de Hoseok acontece o que eu não esperava: Hobi segurou a minha mão, mantendo-a ali. Mantendo nossas mãos juntas. Sinto o impulso de entrelaçá-las, mas não posso. Não aqui. Não agora. Não com a morte dele tão recente.

Hobi finalmente desabou, e da pior maneira possível. Com a mão que está livre tenta abafar o som do choro e não mostrar que está chorando.

— Hoseok. — Chama Tae, encarando-o pelo retrovisor.

— Hobi? — Eu o chamo, afagando sua mão.

Meu Deus, o que eu estou fazendo? Engulo a seco. Viro em sua direção e puxo minha mão novamente para levá-la até o seu rosto. Hobi inclina a sua cabeça para a frente e a encosta em meus ombros, gesto que afaga o seu choro.

Me endireito no banco e bagunço o cabelo Hoseok, um gesto que o fazia rir. E não demorou para que ele risse, mesmo com o choro ainda presente e com o rosto encharcado de lágrimas.

Antes que eu pudesse dizer qualquer coisa, a mão de Taehyung apareceu na minha frente segurando um pequeno bombom.

— Chocolate? — Diz Taehyung com um sorriso idiota no rosto.

Chocolate.

 


Notas Finais


minhas outras fanfics: https://spiritfanfics.com/perfil/tchimin/historias (tem jikook, hunhan, jihope, yoonmin, dahmo, tudo).

obrigada por ler e por acompanhar <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...