História Needed do live. (Larry Stylinson) - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias One Direction, Zayn Malik
Personagens Harry Styles, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan, Zayn Malik
Tags Larry Stylinson, Yaoi, Ziam Mayne
Visualizações 36
Palavras 1.923
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Musical (Songfic), Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sexo, Suicídio
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hello bitches!! ~~cl voice~~
Olha quem surgiu das cinzas!!! Sim, eu sumi mas estou viva! Ou quase isso, to na reta final do tcc e do estágio e basicamente não tenho mais vida própria, moro na universidade e só venho pra casa pra dormir e fazer o tcc, não tá sendo fácil maaaas tá acabando, a banca ta chegando e se eu sobreviver a ela vai ficar mais fácil de escrever depois.
Esse capitulo ta cheio de amorzinho pra compensar o outro tão cheio de lágrimas, e também tem menção ao meu álbum favorito da 1D, pra mim é o álbum com mais qualidade musical deles, mais maduro e tal, além de ter várias composições do Lou, puro talento esse meu filho!
Falando no Lou, ganhou o primeiro prêmio solo e o melhor, foi a gente que deu esse prêmio pra ele!! Não sei se sou mais orgulhosa do Lou ou do fandom!!
Btw, e o clipe de Kiwi???? Que coisa mais harry, mais adorável!!! O mundo esperando sexo, drogas e rock n roll e ele vem com crianças, cupcakes e filhotes. MELHOR PESSOA!!! hahahah Ele funciona numa frequência diferente do mundo, numa frequência fofa!
Quem aí tá em cólicas por miss you????? Eu preciso dessa música em studio pra ontem!!! To prevendo uma promo lotaada de stunt mas, é a vida né ):
To falando demais hoje, é que passei muito tempo longe, obrigada a quem continua lendo, favoritando e comentando, é muito importante pra mim! <3
Espero que gostem! <3

Capítulo 13 - Made in the A.M.


Fanfic / Fanfiction Needed do live. (Larry Stylinson) - Capítulo 13 - Made in the A.M.

Voltei para o meu dormitório e sentei na cama ainda secando os olhos e tentando desesperadamente parar de chorar. Sabia que estava sendo patético chorando por algo que não me dizia respeito, mas a verdade é que sempre odiei ver qualquer pessoa triste e odiava ainda mais ver alguém que gostava triste, porque aí a tristeza se somava a sensação de impotência e eu me sentia ainda pior. Cansado de tentar conter o choro fui até o banheiro, lavei o rosto com a água gelada da torneira e quando estava secando o rosto escutei batidas fracas na porta, era Louis e foi ridícula a forma como tentei desesperadamente arrumar meu cabelo olhando no espelho.

Depois de fazer um coque corri até a porta e abri, Lou sorriu triste  quando me viu e me abraçou logo em seguida, vestia roupas de frio e uma touca que deixava apenas sua franja lisa aparecendo sobre a testa. Seu abraço era reconfortante e a forma como ele ficava na pontinha dos pés pra me alcançar melhor me fazia querer apertá-lo cada vez mais. Nos separamos algum tempo depois e acabamos sorrindo sem graça um pro outro.

Harry: Entra. Sussurrei e dei espaço para que Louis passasse por mim. Não temos muitas cadeiras por aqui, mas você pode sentar, eu acho. Louis riu e andou até a minha cama onde sentou e bateu ao seu lado sinalizando que queria que eu sentasse ali.

Louis: Como você está? Ele perguntou baixinho mas sorriu.

Harry: É muito triste. Senti meus olhos encherem novamente. Eu... Louis levou suas mãos em direção ao meu rosto sem aviso prévio, ao sentir seus dedos gelados fechei os olhos e as lágrimas que ali estavam depositadas rolaram me fazendo sentir ridículo. Eu sei que é patético chorar por algo que não me diz respeito mas eu odeio ver as pessoas tristes e o Li está acabado lá e...

Louis: Shh babe... Ele sussurrou e continuou a acariciar meu rosto. Não é nada patético, você se importa com as pessoas e isso é lindo. Senti meu rosto esquentando e soube que estava muito vermelho, mas isso não me impediu de sorrir. Que sorriso lindo, eu gosto assim. Ri baixinho e Lou me acompanhou, aos poucos ele foi se aproximando mais de mim sem deixar de acariciar meu rosto, seus olhos azuis cada vez mais próximos foi a ultima coisa que vi antes de sentir seus lábios sobre os meus num selinho casto mas meu corpo agiu sozinho quando aprofundei o beijo segurando os cabelos de Louis que arfou surpreso mas não recuou, desceu suas mãos pelo meu pescoço e me beijou com mais vontade.  O ar faltou depois de algum tempo e nos afastamos, senti minhas bochechas queimando e Louis sorriu me encarando.

Louis: Você fica adorável quando cora assim. Ele sorriu terno e eu escondi o rosto nas mãos.

Harry: Para! Supliquei e Lou gargalhou daquele jeito escandaloso dele.

Louis: Não se esconde. Ele pediu quando parou de rir e tirou minhas mãos do rosto as enlaçando com as suas. Você é lindo demais pra se esconder. Ele sussurrou e eu soube que estava ainda mais vermelho então apenas encarei nossas mãos entrelaçadas, parecia tão certo vê-las assim. Acho que preciso ir ver o Liam... Afastou suas mãos das minhas delicadamente e eu imediatamente senti falta do contado.

Harry: Ele e o Ni  estavam dormindo quando saí... Dei de ombros.

Louis: Então acho melhor eu ir pra casa... Ele suspirou derrotado.

Harry: Fica. Falei totalmente sem pensar e arregalei os olhos em seguida.

Louis: Já é de madrugada Hazz, amanhã você tem aula. Ele riu fraquinho.

Harry: Você não quer ficar aqui a madrugada toda? Senti meu rosto ainda mais quente.  A gente pode conversar um pouco, eu vou fazer um pouco de chá.

Louis: Todas as minhas conversas favoritas foram de madrugada. Deu de ombros sorrindo e voltou a sentar na cama transversalmente, as costas encostadas na parede e os pés pro lado de fora. Então, me conte um desejo seu. Ele sorriu e eu o encarei confuso. Estou conversando, Harold. Sorriu irônico me fazendo rir.

Harry: Viajar com amigos, pode ser pra qualquer lugar, perto ou longe. Eu nunca fiz isso mas sempre quis.  Tentei soar casual e Louis estreitou os olhos azuis num sorrisinho.

Louis: Quando as coisas estiverem mais calmas podemos organizar algo com os outros, mas viajar com o Niall pode ser meio estressante, já vou avisando. Ele acorda elétrico e bem humorado e fica um saco com fome.  Uma risada gostosa escapou dos meus lábios e chegava a ser paradoxal com os minutos atrás em que eu chorava sozinho, era fácil ser feliz com Louis por perto. Deita aqui? Louis bateu de leve em sua perna e eu o encarei surpreso. Quero te fazer cafuné. Tenho certeza que meu rosto estava roxo de vergonha  mas ainda assim deitei sobre a perna do menor e me ajeitei na cama de forma a poder ver seu rosto sorrindo pra mim, delicadamente ele soltou meus cabelos do coque e iniciou um carinho gostoso neles, arrancando um som estranho da minha garganta, quase um ronrono que me fez querer sair correndo de vergonha, mas ele não disse nada apenas continuou com o carinho.

Harry: V-você não me contou um desejo seu.  Tentei  retomar o assunto para sentir menos vergonha.

Louis: Estou realizando ele agora. Sussurrou sorrindo tão docemente que foi inevitável não esticar o braço e acariciar seu rosto. Desde a primeira vez que te vi imagino como deve ser gostoso fazer carinho nesses seus cachinhos. Senti meu corpo inteiro esquentar de vergonha e, porque não dizer, excitação. Louis tinha reparado em mim tanto eu tinha reparado nele no nosso encontro no banheiro?  Por Deus Hazz, se você corar mais um pouco vai explodir! Ele brincou me fazendo rir constrangido. Eu não tenho muitos desejos a longo prazo, a maioria deles eu tento realizar no máximo um dia ou dois depois, a vida é muito sádica pra fazer planos distantes, você pode se encher de planos hoje e morrer amanhã e aí vai ser uma alma frustrada porque não fez tudo o que queria... Ele falava mais consigo mesmo do que pra mim e eu apenas ouvi quietinho. Do que você mais gostava de brincar quando era criança?

A pergunta me pega de surpresa e imediatamente me mexo desconfortável na cama, mordo o lábio inferior em incerteza. Nunca senti vergonha de quem sou ou fui, mesmo tendo sofrido alguns episódios de bullying, ou de ter visto alguns olhares reprovadores ao longo da vida não sentia vergonha de gostar das coisas  que gostava, de amar as pessoas que amava, de ser eu mesmo. Mas com Louis era diferente, eu não queria um olhar reprovador vindo dele, eu queria que ele gostasse de mim.

Lou: Hazz? Ele me tirou dos meus devaneios. Tudo bem? Contornou minhas sobrancelhas com os dedinhos suavemente me fazendo fechar os olhos, se eu queria que Louis gostasse de mim tinha que ser por mim mesmo, com todas as minhas particularidades.

Harry: Tu-tudo. É que quando criança eu era um pouco diferente... Ele me incentivou a continuar com um sorrisinho e mais carinhos no rosto. E-eu meio que gostava de brincar com a Gemma,  com coisas de me-menina. Apertei os olhos esperando ele dizer algo, mas ele ficou em silêncio, fiquei com medo de abrir os olhos e o encontrar  me encarando com rejeição ou estranheza, contudo não podia ficar ali de olhos fechados para sempre então arrisquei abri-los e encontrei Louis sorrindo com tanto carinho que quis chorar. Eu sempre gostei de  bonecas e casinhas de boneca, depois Gemma gostava de me maquiar, pintar minhas unhas e arrumar meu cabelo, eu não achava ruim ou errado , eu gostava, meu pai é que não... Ele nunca me bateu ou nada assim, mas ele sempre me olhava feio quando me via brincando com uma boneca ou com as unhas pintadas. Desatei a falar, era fácil conversar com Louis e eu amava isso.

Lou: Bobagem! Não existe isso de coisa de menino e coisa de menina, existe você sendo feliz com as coisas que gosta. Havia tanta convicção em sua voz que eu quis beijá-lo e nunca mais parar. Lottie gostava de futebol, brigava com meio mundo para que deixassem ela jogar e até iniciou um time de futebol feminino na escola quando era pré adolescente.

Harry: Eu acho que me daria bem com ela. Dei risada.

Lou: Ela é maluca! Tem a boca mil vezes mais suja que eu e é super sincera mas é uma ótima menina. Eu adorava o carinho com que ele falava da família.

Um bocejo escapou da minha boca antes que eu pudesse impedir, os carinhos e o jeito doce com que ele me tratava estavam me relaxando a ponto de dormir em seu colo.

Lou: Acho que está na hora de alguém dormir. Ele brincou.

Harry: Não! Não vai! Pedi antes mesmo dele começar a se mexer e só depois de falar percebi o quão desesperado soei.

Lou: Eu fico até você dormir, pode ser? Assenti sorrindo e nos levantamos para arrumar a cama, fui até o banheiro trocar de roupa e escovar os dentes, quando voltei Louis me fez deitar e me cobriu, como minha mãe faria. Deitou-se de frente pra mim logo depois, por cima da coberta, sorriu quando ficamos muito próximo e voltou a acariciar meu rosto, o polegar desenhando a marcação da minha mandíbula delicadamente, os olhos azuis tão puros e próximos de mim, os lábios em um sorrisinho fofo, o nariz bonitinho e arrebitado.  Não consegui mais conter o impulso de acabar com os poucos centímetros que nos separavam, colei nossos lábios de um jeito meio desajeitado fazendo Lou rir baixinho pra depois segurar meu queixo e encaixar nossas bocas corretamente. O  beijo não tinha malicia, era lento e preguiçoso, um gesto de carinho. Ainda com os lábios sobre os dele senti meu corpo inteiro relaxando, suas caricias no meu rosto me fazendo cair cada vez mais no sono.  Boa noite, meu anjo. Foi a ultima coisa que ouvi antes de dormir de vez.

Louis se pegou observando o mais alto respirar fundo e sereno, chegava a ser engraçado como alguém tão grande podia parecer tão pequeno e frágil. Deslizou com toda cautela os dedos por todos os cantos do rosto macio de Harry, observou cada pedacinho dele, cada detalhe lindo que  ele tinha, cada marquinha dos seus lábios e não seja exagero dizer que contou todos os cílios do outro. Era tão puro, tão bonito que dava vontade de chorar. O mundo lá fora era cruel demais para que alguém como Harry vivesse nele sozinho, sem cuidado e sem proteção. Por um momento desejou que pudessem ficar pra sempre naquele quarto, protegidos de toda a merda que havia lá fora.

Olhando aqueles traços delicados, a pureza que exalava enquanto dormia e pensando em tudo que sabia sobre Harry, Louis teve certeza de que mentiu essa noite, ele agora tinha um desejo  a longo prazo, queria cuidar de Harry, queria protege-lo do mundo cruel lá fora, queria ama-lo como ele merecia, queria ser dele e queria que ele fosse seu.

I will never let you fall

I'll stand up with you forever

I'll be there for you through it all

Even if saving you sends me to heaven

Cause you're my, you're my, my true love, my whole heart

Please don't throw that away

Cause I'm here for you

Please don't walk away and

Please tell me you'll stay, stay


Notas Finais


Quem vomitou arco iris com essa capitulo, hands up! \o/ q
https://www.youtube.com/watch?v=Q7Em4fUOrZo essa é a musica do final, é muito linda! É sobre querer ser o anjo da guarda de alguém, tem como ser mais fofo?!
Espero que tenham gostado, eu não sei quando volto, então um beijo, um queijo e tchaaaau!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...