História Negação 💢 - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Itazura Na Kiss
Personagens Christine "Chris" Robbins, Jinko Komori, Keita Kamogari, Kikyou Motoki, Kinnosuke Ikezawa, Kotoko Aihara, Marina Shinagawa, Naoki Irie, Personagens Originais, Reiko Matsumoto, Satomi Ishikawa, Shigeki Irie, Shigeo Aihara, Yuuki Irie
Visualizações 52
Palavras 981
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Hentai, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Fic nova! Vamos lá?

Capítulo 1 - Dia cheio - e muito!


Aiii meu Deus! É hoje! Vou finalmente me confessar pra ele! 

Carta? Pronta! 

Roupa? Pronta!

Maquiagem? Pronta! 

Agora só falta eu dar um beijo no papai, e ja vou pra escola.

 Bom dia pai. - digo dando um beijo em sua bochecha

Bom dia meu amor! Como você está bonita hoje, mais que você já é hein! (Risadas)

Obrigada pai, mas hoje vai ter uma confraternização na minha sala, e eu vou só pra comer, mas devo ir bonita né! - minto

 Aham, sei! - ele sorri desconfiado

Nossa pai que olhar é esse pra sua filhina hein?! - digo me fazendo de ofendida e dando outro beijo nele, e me afastando - Bem,já vou indo paizinho! Te amo! 

Grito saindo de casa, pegando minha bicicleta, e subindo nela.

Boa aula minha filha! - grita 

Obrigada papai! 



Chego na escola e estaciono minha bike, logo avistando Naoki entrar na escola. 

Me aproximo dele e fico em sua frente, tomando todos os copos de coragem que me restam, enquanto eu o olhava nos olhos, descarada. 

Ele me encarava sério, com uma expressão indecifrável,e que me deixava mais nervosa ainda.

- Oi, érr... Desculpa chegar assim do nada, mas... - olho pra baixo - pode aceitar isso? - estendo minha mão que segurava a carta.

- Não quero isso, obrigado. - diz e segue andando, me deixando como uma tonta no meio do pátio da escola. QUE VERGONHAA!

 Não demora muito e eu começo a ouvir risadas e sussurros, e logo meus olhos se enchem de lágrimas.

Saio andando em direção ao banheiro, segurando as lágrimas que insintiam em cair.

Me tranco no banheiro e choro. Era só oque eu podia fazer naquele momento. Minha maquiagem borra inteira, e eu logo limpo meu rosto,refaço minha maquiagem e como sempre, saio do banheiro como se nada tivesse acontecido.

Pelos corredores da escola,ouço vários sussurros e risos debochados, que eu calmamente ignoro.

De longe vejo Irie me encarando. 'ainda bem que refiz a maquiagem.' penso, mas logo a ficha cai. ' ele me ignorou, e me humilhou, na frente da escola inteira! Porque eu pensei aquilo?!' ' aquele idiota vai me pag... 

- Aihara. 

Meus pensamentos são interrompidos por certa voz, que me faz estremecer

Paro e me viro, olhando a pessoa que me fez suspirar durante 4 anos.

- Oque foi?! - pergunto com um sorriso. ' porque eu estou sorrindo? Para de sorrir sua idiota! Paaara!' 

Eu não conseguia parar de sorrir

- Você... esqueceu isso, deixou cair agora. - diz com o meu celular na mão

- Ah, obrigada. - me viro e sigo caminho, a passos rápidos, quase correndo na verdade

As horas passam rápido, e no turno da tarde, no segundo período, a moça da secretaria vem até minha sala, chamando meu nome.

- OQUE??! MINHA CASA PEGOU FOGO? MEU DEUS! O MEU PAI! CADÊ MEU PAI?

 Fico desesperada, e o pessoal da escola me leva até o restaurante do meu pai, ele estava lá.

- Pai! Você ta bem? Nossa casa pai! - digo chorando e o abraçando fortemente- Pai, se você morresse, eu morreria também! Pai! Eu te amo pai! - eu estava desesperada, e em estado de pânico de ver meu pai todo sujo de fumaça

- Calma meu amor! Eu to bem! Eu to bem! Nossa casa, bom, Vamos recuperar, mas fique tranquila meu amor. Eu também te amo! 

- O que vamos fazer agora, pai? Pra onde vamos?

- Bom meu amor, eu ainda não sei. mas isso vemos depois, por hoje, vamos ficar aqui no restaurante.

- Tudo bem pai. Mas eu tenho que voltar à escola, pra buscar meu material que deixei lá, e também umas roupas que eu tenho no meu armário. 

- Tudo bem filha, pode ir.


Volto até a escola, e pego tudo que precisava, me despeço de Jinko e Satomi, e volto ao restaurante. Vejo Naoki pela última vez antes de sair da escola, e com lágrimas nos olhos, vou embora.

"Tudo por causa dessa minha paixão platônica, deu tudo errado! Mas que droga! Eu sou uma estúpida! Além de burra, ainda tenho dedo podre, e sou azarada!" - penso enquanto volto ao restaurante

Eu e meu pai arrumamos tudo, jantamos, e logo vamos dormir.

Na manhã seguinte, a escola inteira já sabe que minha casa pegou fogo, e mais uma vez, meu nome gira por ela.

Naoki com certeza sabe. QUE VERGONHAA! 

Triiimm! 

Toca meu celular. 

- Alô? 

- Kotoko? Sou eu filha! Liguei pra avisar que ja temos lugar pra ficar,meu amor!  

-É mesmo pai? - digo desanimada

- Sim meu amor! Um amigo meu de longa data, da época do colégio, me ligou e ofereceu sua casa como abrigo pra nós! Não é ótimo? - diz animado, e explicitamente feliz pelo acontecimento.

- Claro papai. Mas não vai ter problemas mesmo de ficarmos na casa desse seu amigo?

-  Pois eu não acabei de falar que ele mesmo que ligou e se ofereceu, filha? Iri-chan é um bom homem! - diz feliz 

- Sim... Sim pai, bom eu tenho aula agora, depois eu te ligo ta bem? 

- Claro filha! Beijo querida! Boa aula ta bem?

- Obrigada pai,beijo. - digo mais desanimada ainda, mas fico feliz de saber que meu pai está feliz, mas me sinto incomodada por ter que ficar na casa de pessoas que não conheço. 

     Esperaa!? Iri-chan???

Guardo o celular na mochila, e quando olho pro lado, vejo de longe, Naoki me encarando.

Reparo e olho pro outro lado na mesma hora.

" porque ele ta me encarando? será que eu to feia hoje?" 

Vou para a aula, e sigo a manhã inteira pensando nessa nova casa que vou ficar. Será que esse amigo do papai tem filhos? Ou filhas? Uma esposa? 

Logo o dia passa rápido e eu vou pro restaurante ajudar meu pai a arrumar tudo. Chego e tudo já estava arrumado. Subimos no táxi e logo chegamos na tal casa. Era uma casa chique. De muito bom gosto.

Chegamos e descemos do táxi, eu logo avisto um nome na parede da casa.

IRIE 

OQUE????







Notas Finais


Obrigada por lerem! Mais tarde posto o próximo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...