História Negação 💢 - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Itazura Na Kiss
Personagens Christine "Chris" Robbins, Jinko Komori, Keita Kamogari, Kikyou Motoki, Kinnosuke Ikezawa, Kotoko Aihara, Marina Shinagawa, Naoki Irie, Personagens Originais, Reiko Matsumoto, Satomi Ishikawa, Shigeki Irie, Shigeo Aihara, Yuuki Irie
Visualizações 52
Palavras 1.288
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Hentai, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Mais um capítulo hoje! Bora lá!

Capítulo 2 - Nova realidade.


Fanfic / Fanfiction Negação 💢 - Capítulo 2 - Nova realidade.

Vejo na parede da enorme casa: 

IRIE

- P-pai com é mesmo o nome do seu amigo? - pergunto nervosa, temendo a resposta

- Iri-chan filha.

- Mas o nome pai, não o apelido! Como é o nome dele?!

- AI-CHAN! - grita das escadas o senhor baixinho e gordinho.

- IRI-CHAN! 

Os dois correm um para o outro e se abraçam apertado, como quem não se vê a muito tempo. Fico realmente emocionada com aquela cena fofa.

- Quanto tempo meu grande amigo! Que saudade senti de você! - diz o senhor,emocionado.

- Eu que devo lhe dizer meu amigo! Senti muito sua falta! Obrigado por ajudar a mim e a minha filha! Muito obrigado! - diz meu pai se virando para mim

- Então a senhorita é a famosa Kotoko? - diz o senhor me olhando gentil

-  S-sim! Prazer em conhecê-lo! - digo me curvando, em sinal de respeito

- Oh, filha, muito prazer!Você parece muito com sua falecida mãe! Linda como ela! - diz sorrindo

- Puxa, muito obrigada! - sorrio tímida, ainda estava incomodada com aquilo, apesar de estar grata aos céus por ter onde ficar." Não pode ser a família dele! Impossível ser filho de um senhor tão gentil e viver como um iceberg!" penso e sorrio com meu próprio pensamento

- Vamos entrando querida! Entre Ai-chan! Entrem, entrem! 

Subimos as escadas da casa, e logo adentramos a mesma, que era tão bonita quanto por fora. 

- Kotoko-chan! Que prazer!Você é lindíssima, como sua mãe! - diz a senhora que me abraça de surpresa.

- Obrigada! -sorrio e vejo um garotinho, bem parecido com alguém familiar, mas bem gentil, diferente de quem imagino.

Fico conversando com a senhora e com o garotinho, que parece estar encantado com minha presença ali. 

- Kotoko-chan,vá buscar as malas, meu filho vai ajudar você! 

- Mas senhora, ele é pequeno ainda, eu posso sozinha... Não se incomode! 

- Não, não! O Yuuki tem um irmão querida! Vá logo! Ele está no banho, ja vai ir ajudar você! - diz sorridente

- Tudo bem então... - digo envergonhada e vou para o lado de fora buscar tudo.


Lá fora:


- Oi Kotoko! - diz com um sorriso de lado nos lábios.

- I-irie-kun??! M-meu D-Deus! - dou um pequeno pulo pra trás quando o vejo. 

Lá estava Naoki Irie, me olhando com os olhos sem expressão de sempre, com os cabelos molhados e de roupas normais.

- Você está surpresa?! - diz se aproximando lentamente - pois eu não!

- O-oque tá acontecendo?!! - digo andando de ré,e deixando as malas caírem, enquanto ele se aproximava.

- Ué, sua casa pegou fogo, meu pai ofereceu nossa casa, seu pai aceitou, vocês vieram pra cá e agora, moram aqui. - diz sério

- Isso não pode ser real. - sussurro

- Não só pode como é real. - diz já frente a frente comigo, e eu nem tinha reparado que estava contra a parede.

Oque ele tá fazendo? Por que eu to contra essa parede?? Por que ele ta me encurralando assim?? Ele rejeitou minha carta ontem, na frente da escola inteira! Por ele ta agindo assim? Por que ele ficou me encarando? Por...que...ela tá...se aproximando...desse...jeito da minha cara....??

- M-me soltaa! - meio que grito 

- Shiii! Não grita! 

O empurro e assim, saio do pequeno espaço que ele havia me cercado, e pego as malas do chão, me distanciando dele. 

- Oque você pensa que está fazendo?? - pergunto nervosa e com o rosto queimando

- Nada, apenas tentando te dar as boas vindas. - diz frio como gelo. Ele não tinha expressão específica nenhuma, e era isso que mais me atraía nele, mas também era oque me deixava mais curiosa. 

- Boas vindas?! Me encurralando contra a parede? Que tipo de boas vindas é essa? - pergunto mais nervosa ainda, pois ele estava fazendo a mesma coisa de novo.

- Esse é o meu tipo de boas vindas, Kotoko. - diz parando e se abaixando pra pegar uma mala grande, do meu pai, óbvio. 

Obrigada Deus! Ele só pegou a mala, obrigado!!

- Mas você só pode ser louco de dar boas vindas assim! Ainda mais para uma garota! 

- Você quis me dar uma carta, não foi? Então, aposto que você tava afim de me beijar também.

O encaro corada e visivelmente irritada.

-  Cala a boca. - digo nervosa - Não era pra terminar assim! - murmuro pra mim mesma, mas em voz alta. Idiota!

- Mas se quiser, posso terminar lá no seu quarto mais tarde, oque acha? - diz me encarando, sem sorrir , mas com um simples tom de voz, que revelou instantaneamente sua expressão. Malícia. Suas palavras eram contaminadas com malícia pura.

O olho numa mistura de indignação, surpresa, ahh sei lá! 

Saio andando e entro novamente na casa, o deixando sozinho do lado de fora.

- Viu Naoki, Kotoko? Ele te ajudou?

- S-sim, senhora ajudou sim....

- Oh querida, me chame de mãe e só! - diz pegando por meus ombros.

  Sorrio, e agradeço por Tudo, quando chega Irie-kun depois de um tempo.

  Converso mais uns minutos com a mãe, e ele espera, encostado na parede sem dizer uma só palavra.

- Onni-chan ajude Kotoko com as malas até o quarto dela! 

Me viro e, acho que pela primeira vez, seu olhar tem expressão. O Garoto me olha como quem diz "é agora" , meu Deus do céu, alguém me salva sou apaixonada por um pervertido! 

- N-não m-mãe, eu...eu consigo sozinha! É só me dizer onde fica o quarto, que eu cheg...

-Não se preocupe Kotoko. Vai ser um prazer te ajudar. - diz sarcástico, o que me deixa mais assustada.

- Então está certo! Vá querida! - diz apontando para que eu subisse as escadas à minha frente. 

Ele vem subindo as escadas logo atrás de mim, e eu de vestido, com certeza ele tá olhando minhas pernas, esse tarado! 

Chegamos em frente a um quarto com o meu nome na porta,obviamente era o quarto que eu ficaria.

- Entra. - diz depois de abrir a porta. Meio desconfiada eu estava, mas minha curiosidade pra saber como era o quarto era maior.

Entro no quarto, e o observo. Era lindíssimo! Branco com detalhes em rosa pink e roxo, simplesmente perfeito! 

Me encanto tanto com o quarto que nem reparo que Irie-kun fecha a porta.

- Gostou? - pergunta ele encostado na porta, escondendo a fechadura

Assim que reparo tudo isso, mantenho a calma, ele não pode fazer nada comigo....não é...?

- S-sim, é lindo. - respondo e largo minha mochila na cama. - Não se preocupa, eu não vou contar à ninguém que moro aqui com você. - me viro

- Ótimo, ainda bem que não precisei te dar esse aviso. - diz se desencostando da porta, e vindo devagar, de novo até mim

- B-bom obrigada por mostrar o caminho até aqui Irie-kun. - digo tentando passar por ele, que ía pro lado que eu ía.  - m-mas a mãe d-deve estar esperando n-né? - gaguejo nervosa, e ele segura meus braços que o empurram cada vez que ele da um passo.

- Ela pode esperar mais um pouco, eu acho. - diz sorrindo. QUE SORRISO É ESSE??? MDS 

- C-claro que não! Vamos lá! - digo tentando passar de novo por ele. Tentativa em vão. - O-oque pretende Irie-kun?? - levanto a cabeça e o encaro - Porque tá fazendo isso comigo? Você me rejeitou ontem na frente de toda escola, e hoje vem assim pro meu lado, só porque vou morar de favor na sua casa?! Pode parar por aí! Não sou nenhuma qualquer! - digo com lágrimas nos olhos. As lágrimas que eu estava segurando desde ontem, eu não consigo controlá-las. Abaixo a cabeça e o empurro com toda minha força,o que o faz sair da minha frente. 

Ao sair do quarto, eu nem me dou de conta que, a carta cai do meu bolso do casaco.








Notas Finais


Continua... ✌👏


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...