História Nem tudo é sofrimento. O amor transforma tudo - Capítulo 14


Escrita por: ~ e ~Siljin

Postado
Categorias Inuyasha
Personagens Personagens Originais, Rin, Sesshoumaru
Tags Rin-babá, Sesshoumaru-viúvo
Visualizações 497
Palavras 3.478
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Hentai, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Boa tarde ^^

E aqui está o último capítulo dessa fic. Quero explicar uma coisa: A Rin agiu errado em esconder a gravidez? Sim, mas vocês precisam entender que ela precisava do tempo dela. As coisas aconteceram rápido demais, entre ela e o Sesshoumaru, e a gravidez foi um choque muito grande pra coitada; que nem estava preparada pra isso.

Eu sempre procuro me colocar no lugar da personagem e procuro entender seus sentimentos durante a situação que estiver em questão, e acho a atitude dela válida. Sinto muito se tem gente que discorda de mim, mas isso vai de cada um.

Boa leitura pra todos. :)

Capítulo 14 - Capítulo Quatorze - Final


Fanfic / Fanfiction Nem tudo é sofrimento. O amor transforma tudo - Capítulo 14 - Capítulo Quatorze - Final

Sesshoumaru on

Dia seguinte

Acordei por causa de um movimento repetindo na cama.

Vejo então, Rin correr desesperada até o banheiro.

Levantei e seguida, a segui para saber o que estava havendo.

Rin on

Corri pro banheiro, por causa dos meus enjôos. Ajoelhei no chão e comecei a colocar tudo pra fora.

Sesshoumaru apareceu e segurou meus cabelos, enquanto fazia carinho nas minhas costas.

Quando melhorei, levantei e escovei os dentes.

Sesshoumaru on

- Está tudo bem?

Percebi o quão pálida ela estava.

Antes que ela me respondesse, novamente voltou a vomitar.

- Acho que preciso te levar ao médico, pois você não está bem.

Rin on

Quando me recuperei pela segunda vez, fui logo negando.

- Não precisa, Sesshoumaru. Só pode ter sido o jantar de ontem que me fez mal. Vou tomar um remédio e rapidinho fico bem.

Sesshoumaru on

Olhei desconfiado para a Rin, mas se ela diz que está tudo bem, então não irei insistir.

- Daqui a pouco o InuYasha chegará com o Shy. Vou tomar banho, para ir trabalhar.

Dei um selinho nela e entrei no box.

Rin on

Sai do banheiro e decidi deitar mais um pouco. A gravidez me deixou muito sonolenta e esses enjôos me deixam um pouco tonta, então eu só quero dormir mais um pouco.

Sesshoumaru on

Minutos depois, sai do banho e vi Rin deitada novamente.

Não quis incomodá-la, então me vesti e em seguida desci para tomar café. Após a refeição, segui para o trabalho.

Rin on

Quando acordei, o relógio já marcava 10h e Shynomaru estava ao meu lado, vendo desenhos.

Shynomaru: Bom dia mamãe! - Disse sorrindo

- Bom dia, meu amor. - Dei um beijo em sua testa

- Chegou faz muito tempo?

Shynomaru: Uma hora, mais ou menos. Mido me trouxe pra cá e ligou a TV pra mim, pois não queríamos te acordar.

- Podia ter me chamado.

Shynomaru: Não tem problema, mamãe. O importante é que agora você já está acordada.

- Eu vou trocar de roupa e então podemos começar com sua aula.

Shynomaru: Mamãe, me dá aula de matemática hoje? É que ainda não sei fazer contas direito.

- Claro meu bem. Fique vendo seus desenhos, enquanto preparo tudo.

Levantei da cama e fui me arrumar.

Sesshoumaru on

O dia foi estressante no trabalho, mas nada que a minha família não me fizesse ficar feliz quando chegasse.

Fui recebido com um grande sorriso pela parte do meu filho e um selinho da Rin, porém sem emoção.

Algumas semanas depois

Os dias se passavam e vi a Rin ficar cada vez mais estranha.

Me evita na cama. Evita abraços. Evita qualquer tipo de relação mais íntima comigo. Não estou mais entendendo ela. Estou muito confuso com essa distância.

Já confessei os meus sentimentos, o que mais ela deseja ouvir da minha boca?

Rin on

É isso. Cheguei ao meu limite! Hoje eu conto sobre a minha gravidez pro Sesshoumaru. Já vou entrar no quarto mês de gestação e já não consigo mais esconder.

Eu via a Kagura fazer fisioterapia no Shy, mas minha mente vagava no assunto da minha gestação.

Sesshoumaru on

Chegou a noite e eu me dirigi para casa.

- Papai!!! - Shy gritou ao me ver entrando

- Oi garotão. - Me sentei ao seu lado no sofá e beijei sua testa

- E sua mãe?

- Está lá em cima. Papai, a mamãe não parou de passar mal hoje.

- Como assim?

- Ouvi ela dizer que se sentia enjoada e os vômitos só aumentavam. Ela conversava com a Mido sobre algo assim. Será que a mamãe ta doente?

Fiquei mudo.

O que será que a Rin tem que anda me escondendo? Isso não é normal. 

Rin on

E mais uma vez cá estou eu passando mal no banheiro. Senti uma mão nas minhas costas e olhei pelo canto do olho. Vi que era o Sesshoumaru, mas eu não consegui falar nada; só passei mal mesmo.

Depois de longos minutos, eu já estava deitada na cama, pois o Sesshoumaru me colocou aqui.

- Tenho uma coisa pra te contar e não é de hoje. Peço desculpas, desde já, por esconder de você. Nem eu sei porque fiz isso.

Sesshoumaru on

Juntei as sobrancelhas, ao ouvir suas palavras.

Será que vai dizer que anda me traindo com seu ex?

Apesar dessa não ser a verdade, um grande frio invadiu minha barriga.

- O que você fez?

Rin on

Fiquei nervosa, mas eu não posso recuar. É agora ou nunca.

- Eu estou grávida e vai fazer quatro meses.

Sesshoumaru on

Boquiaberto e de olhos arregalados, essa fora minha reação ao ouvir suas palavras. Não conseguia formular palavra alguma.

Grávida! Ela está grávida?

Sentei de uma vez na cama, e por um estante cheguei a ficar zonzo. Podia ser frescura, mas aquela notícia havia sido muito forte pra mim.

Rin on

Esperei alguns minutos, pra ver se o Sesshoumaru teria alguma reação, mas nada aconteceu.

- Sesshoumaru, você está bem? Não gostou da notícia? Não quer esse bebê, é isso?

Sesshoumaru on

Rin sentou na cama e eu, ainda atordoado com sua confissão, sem responder sua pergunta fiquei de joelhos entre suas pernas.

Ela me olhou confusa e eu levantei seu vestido, revelando então sua barriga saliente.

- Por que não me disse antes? - Toquei sua barriga com carinho

- Essa criança também é minha. Eu, como pai dela, deveria saber e acompanhá-la em todas as consultas.

Olhava bobo para a sua barriga, enquanto acariciava o local.

Rin on

- Eu estava insegura. - Abaixei a cabeça

- Não sabia se você gostaria de ser pai agora. Além do mais, eu não me sentia pronta pra ser mãe, sendo que aconteceu; então eu procurei me acostumar com essa ideia.

Sesshoumaru on

- Já havíamos conversado sobre essa hipótese, Rin. E por mais que ela fosse para agradar o Shy, eu queria sim ser pai de um filho seu. Mas agora que me disse, eu me sinto muito feliz. - Levantei o olhar e sorri pra ela

- Você só estava me deixando confuso. Não me deixava tocar você, me aproximar... Pensei que estivesse querendo se distanciar de mim e que não me queria mais. - Suspirei

- Eu estava sofrendo muito com essa distância. Se você tivesse me falado, teria evitado isso. Machucava meu coração estar sendo desprezado por você, pela mulher que eu amo. Você pode ainda não me amar, mas eu te amo com todo o meu coração.

Rin on

Me aproximei e o beijei.

- Me desculpa. - Disse entre o beijo - Eu não queria te fazer sofrer. Tudo o que eu precisava era do meu tempo. As coisas entre nós aconteceram tão depressa, que eu não tive a chance de assimilar tudo.

Sesshoumaru on

- Tudo bem. Agora que me disse, sei que você não estava querendo se afastar de mim. Obrigado por me dar esse presente.

Levantei e dei um selinho nela.

- Vou tomar banho, daqui pouco o jantar será servido e o Shy está lá em baixo sozinho.

Rin on

Vi o Sesshoumaru entrar no banheiro e o segui. Ele ficou surpreso ao me ver ali, mas não disse nada.

Me aproximei dele e comecei a tirar suas roupas lentamente.

Sesshoumaru on

Tirei seu vestido e a deixei somente de calcinha.

Assim que fiquei nu por completo, vejo Rin retirar sua última peça.

Peguei em sua mão e seguimos para o box.

Rin on

Sesshoumaru ligou o chuveiro e deixou a água morna cair sobre nossos corpos.

Eu estava de costas pra ele, que me abraçava enquanto acariciava minha barriga.

- Eu tenho uma consulta na semana que vem e poderemos saber o sexo.

Sesshoumaru on

- Já? - Perguntei e ela confirmou

- Estou ansioso então para saber. Precisamos reformar um dos quartos para ele ou ela.

Rin on

Tomamos banho juntos, em meio a alguns beijos, e depois nos vestimos e descemos para o jantar. 

Sesshoumaru on

- A senhora já está bem, mamãe? - Shynomaru perguntou manhoso

- Ela está sim, Shy. Depois iremos te contar algo.

- O que, papai? Me diz! Não me deixa tão curioso assim.

- Calma! Quem vai lhe contar é a sua mãe e só depois do jantar. - Peguei ele nos braços

- Vocês me deixam tão curioso.

Sorri dele e seguimos os três para a mesa.

Rin on

Depois do jantar, fomos para o quarto e o Sesshoumaru colocou o Shy sentado na cama.

Shynomaru: Fala logo, mamãe.

- Que menino curioso. - Sentei ao seu lado - Preparado pra saber?

Shynomaru: Sim. Fala mamãe!

- Dentro de cinco meses, você terá um irmãozinho ou irmãzinha.

Sesshoumaru on

Sorrio mostrando os dentes, ao ver os olhos brilhantes do pequeno.

- Jura????? - Falou, não, gritou

- É sim. Não é um máximo?

- Ai papai, era meu sonho.

Rin on

- Quer tocar minha barriga?

Shynomaru: Eu posso? - Perguntou esperançoso

- Claro que pode, meu amor.

Peguei suas mãozinhas e as coloquei na minha barriga, já saliente.

Sesshoumaru on

- Ta mexendo. - Shy disse assustado e eu arregalo os olhos - Ta mexendo, papai!!! - Ele disse novamente

Me aproximei e coloquei a mão para sentir, e realmente estava sentindo o bebê mexer.

Rin on

Sorri com aquela cena e olhei para os dois, que estavam com os olhos arregalados.

Shynomaru: É normal, mamãe?

- Sim, meu amor. Foi apenas o primeiro chute. Seu irmãozinho está feliz por você e seu pai estarem aqui.

Sesshoumaru on

Shynomaru deitou a cabeça sobre a barriga da Rin.

- Prometo voltar a andar logo, para que eu seja o melhor irmão que você já teve. - Falou inocentemente

Sorrimos com aquela atitude.

Rin on

Depois de dar a notícia ao Sesshoumaru e ao Shy, a semana passou e hoje vou ao médico. Os dois vão comigo, pois querem saber o sexo do bebê. Não são os únicos, eu também quero. Admito, estou muito animada pra saber e comprar o enxoval.

Já me acostumei com a ideia de ser mãe. O amor que sinto por essa criança, já é maior que tudo.

Sesshoumaru está muito cuidadoso comigo e não me deixa fazer esforço em casa. Shynomaru também não deixa. Uma vez, eu fui lavar a louça e o pequeno me dedurou pro pai. Vê se pode uma coisa dessas.

Sesshoumaru on

Tirei folga pela manhã, hoje, terça-feira, iremos saber o sexo do bebê.

- To muito ansioso. - Shy disse pela terceira vez, enquanto íamos de carro até a clínica

- Calma, filho. - Sorri por causa da ansiedade dele

- Queria que minhas pernas já estivessem boas. - Falou triste

- Ei! Logo, logo você estará de pé sozinho. Você já fez bons avanços. Aposto que antes que seu irmãozinho nasça, você já esteja andando novamente.

- É tudo que eu mais quero, papai. - Disse manhoso

Rin on

Chegamos a clínica e Sesshoumaru me ajudou a sair do carro. Não precisava, mas ele fez questão, então não o questionei. Depois ele pegou o Shy no colo e entramos no local.

Esperamos alguns minutos e então a minha vez chegou.

Médico: Pronta, senhora Taisho?

- Mais pronta que isso, impossível.

Ele começou a passar a máquina pela minha barriga e as imagens começaram a se formar na tela.

Sesshoumaru on

- Então, vou ter uma irmãzinha ou irmãozinho? - Shy perguntou ansioso

- Vejo que tem um rapazinho aqui mais ansioso que os pais. - O médico disse sorrindo

Shy fez bico e corou.

- Pois bem. Será uma irmãzinha.

- Ouviu só papai? Uma irmãzinha!!!! - Disse entusiasmado

- Agora mais que nunca você tem voltar a andar, Shy. Você vai colocar todos os moleques pra correrem.

- Ai papai, o senhor tem razão. Vou pedir para a senhorita Kagura me ajudar a voltar a andar mais rápido.

- Isso, vou pedir para que ela faça isso. Você tem que ser o homem da casa, quando eu não estiver.

Rin on

Revirei os olhos, mas depois comecei a rir daquela cena.

Depois de falar que está tudo bem com a minha pequena, o médico me dispensou e então fomos para o carro. Sentei no banco de trás com o Shy, que ficou acariciando minha barriga.

Shynomaru: Terei uma irmãzinha.

- Sim meu amor. Vocês vão brincar muito juntos.

Shynomaru: Vamos brincar de pique pela casa.

- Eu vou poder brincar também?

Shynomaru: Claro mamãe. - Abriu um largo sorriso e eu retribui

Sesshoumaru on

- Se quiser, podemos ir agora comprar as coisas, Rin.

Rin confirmou e seguimos para uma loja que só vendia coisas de bebês.

Rin on

Com o Shy no colo do Sesshoumaru, o pequeno me ajudava a escolher algumas roupinhas.

Depois que escolhemos tudo, Sesshoumaru pagou pelas compras e voltamos para casa.

Sesshoumaru on

- Amanhã mesmo mandarei começar as reformas no quarto ao lado do Shy.

- Não podemos ficar no mesmo quarto, papai?

- Você nem dorme mais no seu quarto, como vão caber quatro na mesma cama?

- Não dá pra comprar uma cama maior?

- Shy, também já está na hora de você começar a voltar a dormir no seu próprio quarto.

- Não papai! Já falei, eu vou dormir pra sempre na mesma cama que vocês. - Falou bravo

Revirei os olhos.

Rin on

- Shy, meu amor, entenda. Vai chegar uma hora que você vai querer o seu próprio espaço. Por isso temos quartos separados.

Shynomaru: Mas eu quero ficar com vocês. Não posso? - Perguntou com os olhinhos cheios d'água

- Pode meu amor, mas eu quero que você entenda o que estou dizendo.

Shynomaru: Você e o papai querem seu próprio espaço?

- Não agora, mas pode ser que sim; sendo que só daqui a alguns meses.

Shynomaru: Bom, então eu só vou voltar pro quarto, quando esses meses passarem. - Sorri para o pequeno

- Tudo bem, querido. Nós não nos importamos que você durma com a gente. Eu até gosto.

Shynomaru: É porque você me ama.

- Claro que amo. E tem como não te amar?

Shynomaru: Não, porque sou muito fofo.

Eu ri e beijei seu rosto.

Sesshoumaru on

- Cuide da sua mãe, pois irei para o trabalho. Nos vemos mais tarde.

Beijei a testa do meu filho e os lábios da minha esposa, logo em seguida indo para o trabalho.

Rin on

1 mês depois

Estou com cinco meses e estou feliz. Minha barriga está ainda maior e está ficando difícil de achar uma posição confortável pra dormir.

Sesshoumaru está sendo tão carinhoso e tão atencioso comigo, que me derreto mais um pouco a cada dia.

Acho que o amo. Será? Espero que sim.

Shynomaru continua com a fisioterapia intensiva e ele está muito mais motivado, por causa da irmãzinha que está pra nascer.

Sesshoumaru on

Rin ficava cada dia mais graciosa com aquela linda barriguinha.

Shy estava mais ansioso que nós mesmos, e não via a hora ter de ter a irmã em seus braços.

Rin e eu já estávamos um bom tempo sem fazermos amor. Na verdade, eu tinha medo de tocá-la. Quando a Kagome ficou grávida do Shynomaru, eu evitei em tocá-la durante toda a gravidez, e iria fazer o mesmo com a Rin.

Mesmo o médico dizendo que podíamos, eu não achava certo fazer algo do tipo com a minha mulher.

Rin on

Sesshoumaru chegou do trabalho e nos cumprimentamos com um selinho. 

Depois do jantar, já deitados na cama, com Shy ao nosso lado dormindo feito um anjo, eu olhei pro Sesshoumaru.

- Eu estive pensando, Sesshy. Tem uma coisa muito séria que preciso te dizer.

Sesshoumaru on

- Hum, qual? - Fazia um carinho em sua barriga

- Não vai me dizer que esta sentindo dores ou lago do tipo? - Perguntei nervoso

Rin on

- Não, não é nada disso. - Disse sorrindo e acariciei seu rosto

- É que eu te amo.

O vi arregalar os olhos e sorri.

- Você conseguiu me conquistar, senhor Taisho. Já não imagino mais a minha vida sem você.

Sesshoumaru on

- Rin, que felicidade ouvir essas palavras de você. - Abracei-a forte, mas com cuidado para não machucar a nossa pequena

- Agora sou um homem completo.

Rin on

- Não ainda, pois nossa menininha ainda não nasceu e o Shy não está andando. Quando essas coisas acontecerem, então você será o homem mais completo desse mundo, e que tem uma família que te ama muito.

Sesshoumaru on

- Essa será outra realização, porém em saber que você me ama tudo muda. - Sorri e a beijei

Colei nossas testas após separarmos os lábios.

- Obrigado por entrar em minha vida.

Rin on

- Eu que te agradeço por isso. Você confiou em mim, pra cuidar do seu filho. Para fazê-lo feliz, nós nos casamos e hoje estamos apaixonados um pelo outro. Teremos um menininha linda, que fará parte dessa nossa família...

- Eu te amo, Sesshoumaru. Agora vejo isso com clareza.

Sesshoumaru on

Depois daquela linda declaração, nos beijamos como se não houvesse o amanhã, somente o agora.

Nos separamos por falta de ar.

Fiquei acariciando sua barriga, até que Rin pegasse sono.

Sorri bobo, ainda olhando para seu rosto sereno, e então dormir feliz da vida.

Rin on

1 mês depois

Estou com meus seis meses de gravidez e estou com uma barriga enorme. Sério, eu não aguento o peso e fico grande parte do tempo sentada ou deitada. Shynomaru já não pode mais ficar no meu colo, mas ele entende.

Hoje ele teve mais um dia de fisioterapia e estava todo animado, pois teve avanços.

É noite, Sesshoumaru vai chegar a qualquer momento e estou na sala com o Shy. Midoriko acabou de banhá-lo e o colocou deitado no sofá. Eu estou na poltrona, lendo um livro sobre gravidez. Foi minha mãe quem me indicou a ler, já que sou mãe de primeira viagem.

Pelo canto do olho, vi o Shynomaru se movendo e olhei na direção dele, que se encontrava sentado no sofá.

- O que foi, meu amor? Precisa de algo? Quer que eu chame a Midoriko pra te ajudar? - Ele negou com a cabeça e então, bem devagar, ele ficou em pé

- Shy? - Arregalei meus olhos, que se encheram d'água

Shynomaru ficou em pé sozinho e olhou sorrindo pra mim.

Shynomaru: Mamãe, estou conseguindo sentir minhas pernas. É um pouco difícil aguentar o meu peso, mas eu estou sentindo.

Levei as mãos a boca e comecei a chorar. Tentei me levantar, mas ele me pediu pra ficar sentada.

Shynomaru: Eu quero ir até você, mãe Rin. - Sorri pra ele e concordei

Com passos lentos, um pouco sem jeito e desequilibrado, Shynomaru começou a vir na minha direção. Parecia um bebê dando seus primeiros passinhos.

Ao chegar perto de mim e parar ao meu lado, nós nos abraçamos, enquanto eu chorava demais.

- Você está andando, meu amor.

Shynomaru: Saber da minha irmãzinha me deu mais forças pra fazer a fisioterapia. Agora vou poder cumprir com a minha palavra e vou correr com ela pela casa, enquanto te deixamos com os cabelos brancos.

Eu ri do que ele falou e o pequeno limpou minhas lágrimas; que não paravam de cair.

Shynomaru: Não chora, mamãe. Não gosto de te ver chorando.

- São lágrimas de alegria, meu filho. - Beijei seu rosto - Eu te amo, Shy.

Shynomaru: Também te amo, mãe Rin. - Disse sorrindo

Sesshoumaru on

Entrei em casa, porém, surpreso, estaquei no lugar ao ver Shynomaru em pé.

- Shy? - Chamei-o com a voz falha

- Papai... Olha. - Soltou as mãos da Rin e ficou em pé sozinho

Parado ainda perto da porta, fiquei vendo, orgulhoso, ele em pé.

- Não ta doendo?

- Só um pouco.

- Consegue vir até aqui?

- Posso tentar.

- Confia em mim e vem.

- Ta.

Passo a passo, com lentidão, ele foi vindo até mim.

Me agachei no chão e abri os braços.

Arregalei os olhos ao ver que Shynomaru fez a menção de correr. Não disse nada, e deixei que ele fizesse.

Afoito ele correu até mim e eu o agarrei rápido para que não caísse.

- Filho!

- Papai, agora vou ser o de antes. Vou poder correr pela casa.

- Meu Deus, obrigado! - O abracei forte

O peguei nos braços e seguimos até a Rin.

Rin sentada no sofá, chorava ao ver a cena.

Sentamos ao seu lado e demos um abraço duplo nela.

- Obrigado Rin. Com sua chegada, a minha vida mudou. Mudou, para melhor.

Por causa dessa mulher, conheci novamente a verdadeira felicidade.

- Fim!

O nome Shynomaru pertence a autora Siljin e ela dá autorização a autora KarinaSesshy para que o use quando quiser. Outras pessoas que o usarem sem autorização serão denunciadas por PLÁGIO!


Notas Finais


Bom... Então é isso. @Siljin e eu esperamos que tenham gostado dessa fic. ^^
Obrigada a todos que nos acompanharam em mais uma jornada e um grande beijo pra vocês. <3

Caso alguém se interesse, a Siljin e eu - @KarinaSesshy - temos várias outras parcerias. Podem entrar em nossos perfis e dar uma olhada ;)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...