História Nem tudo fica lá... - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Tags Colegial, Gaaino, Naruhina, Naruto, Nejiten, Sasuke, Sasusaku, Shikatema
Visualizações 44
Palavras 1.355
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 10 ANOS
Gêneros: Colegial, Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


SAIUUUU MAIS UMMM
GALERA
AGORA VAI SER MAIS DIFÍCIL DE POSTAR PQ AS PROVAS VÃO COMEÇAR
E PRECISO ESTUDAR
BOA LEITURA
APROVEITEM

Capítulo 14 - Mudanças


Fanfic / Fanfiction Nem tudo fica lá... - Capítulo 14 - Mudanças

- Bom dia, amor.

- O que... Você... Porque está a-aqui? – Sua voz vacilou.

- Você me disse que estava bem e então desmaiou. Pegamos o carro e aqui estamos nós – ele abriu os braços. – Eu estava na sua casa, lembra?

- Sim – e então o médico irrompeu o quarto com mais duas enfermeiras em seu encalço uma ruiva e outra morena. As duas pareciam não ter mais de vinte e cinco anos. O médico parecia ter dezessete. Cabelos castanhos e olhos negros.

- Já acordada? – ele abordou Sakura. – Desculpe as informalidades. Kumadori, muito prazer.

- Você é o médico?! – Sakura conseguiu perguntar. – Quer dizer, você não é muito novo para trabalhar?

- Ora ora – interrompeu Sasuke. – Sua mãe não te ensinou boas maneiras, mocinha?

Kumadori, o dito médico, riu. – Sem problemas. A maioria das pessoas faz essa pergunta. Eu tenho vinte e seis anos. Não parece, mas eu tenho.

O queixo de Sakura foi parar no chão, vinte e seis anos um cara que aparentava ter quatorze? Impossível.

- Vamos ver o quanto você evoluiu, moça. Volte a deitar-se. E você – apontou para Sasuke – pode vir aqui um minuto?!

- Claro – e foi em direção à Sakura que já se encontrava deitada esperando o diagnóstico do médico.

- Deduzo que os pais dela não estejam aqui já que você estava no quarto com ela o tempo todo – Kumadori olhou sério para Sasuke que parecia preocupado. – Enfim, ela teve uma crise grave de labirintite. Ela pode ter tido um resfriado ou uma dor de ouvido e não ter cuidado direito. Mas agora é só tomar os remédios que eu vou passar e fica tudo bem. Terá alta em breve, Sakura – agora ele estava olhando para Sakura e sorrindo gentilmente.

***

Depois de sair do hospital na companhia de Sasuke, os dois foram em silêncio. Sasuke, em uma mão carregava a mala de Sakura que a mãe dela havia levado dias antes, e na outra um saquinho com dois tipos de remédios e a receita.

- Por quantos dias eu fiquei aqui? – Sakura perguntou para Sasuke assim que entraram no taxi.

- Hum... Vamos ver... Uma semana, talvez – e olhou para ela com um sorriso.

- Fala sério, Sasuke. Preciso saber o quanto de matéria eu perdi – olhou repreendendo o moreno.

- Ah, desculpa então. Só três dias – ela suspirou de alívio.

- Então já é quinta-feira? – Sasuke assentiu e voltou a olhar para frente.

Depois disso, não falaram mais nada até chegarem à casa de Sakura. Lá, os pais dela e os amigos estavam todos reunidos esperando por sua chegada com uma faixa onde estava escrita “Bem vinda de volta, Saky!”. Ino, a mais animada como sempre, pulou nos braços da amiga dando um grande abraço em Sakura. Temari, a mais velha do grupo – em termos de responsabilidade e cabeça – deu um cascudo na cabeça de Sakura e foi a primeira a falar.

- Porque não disse nada para a gente? Que estava passando mal e tudo mais – eram lágrimas aquilo que Sakura estava enxergando nos olhos da amiga?

- Desculpa. Mesmo a todos – agora ela estava olhando para a sala toda. – Eu não queria preocupar ninguém e também pensei eu fossem coisas bobas, mas aí eu comecei a ter desmaios e depois foi tudo muito rápido.

- Desde quando estava desmaiando? – agora Sasori estava olhando seriamente para ela. Todos ali sabiam que ele queria medicina para a vida e desde já estava estudando sobre, ele sempre fora um menino aplicado.

- Não faz muito tempo. Na verdade, o primeiro desmaio foi logo após acordar na segunda-feira. Eu pensei que estava com sono porque logo que eu levantei, tive dor de cabeça e tontura aí eu desmaiei. Por isso não disse nada – ela se explicou.

- Hm. Isso explica o fato de você estar pálida na aula aquele dia – Naruto disse agora.

- Eu pensei que não era nada de mais porque toda vez que a Saky levanta, ela está um pouco pálida – Kizashi se pronunciou.

- Ih galera, que vibe tensa – era Neji agora. – Isso já passou. Agora ela está bem e é só ficarmos mais atentos nela.

- Isso mesmo – Naruto concordou. – É só fingirmos que a Saky é o centro do universo – ele piscou para Sakura e Sasuke. Hinata deu um tapa leve nas costas dele. Todos riram. Depois dessa fala, tudo fluiu naturalmente. Sakura se aconchegou em sua própria casa enquanto sua mãe levava as suas coisas para o quarto. Sasuke observava tudo de longe.

***

Era quinta-feira, dia de ir à escola e Sakura não estava exausta como esperava naquela manhã. Ela havia acordado antes de o despertador tocar. Aproveitou para começar o dia mais cedo. Tomou um banho, fez a sua higiene matinal, colocou seu uniforme e desativou o alarme. Foi até a cozinha reparar o café antes de os seus pais acordarem. Colocou água para ferver e arrumou o café, naquela manhã ela faria Oyakodon – Frango e os ovos no arroz, com sopa de missô.

Quando seus pais levantaram, ela estava sentada atrás do balcão  mexendo em seu celular, os esperando.

- Ohayo!

- Ohayo, okaa-san, otou-san – desviou o olhar do celular para os pais. – O café está pronto. Venham comer porque daqui a pouco já sairei.

Tá bom – disse seu pai juntamente com sua mãe sentaram na companhia de Sakura. Depois de um tempo ela já estava pegando seus materiais no armário e entrando na sala de aula. Ninguém havia chego. Ela sempre chegava mais cedo que os outros para ficar pensando, tendo seu momento de meditação.

Depois de um tempo, Tenten irrompera pela porta com os olhos cheios de lágrimas e despertando a curiosidade da rosada. Ao ver Sakura na sala, limpou os olhos com rapidez e deu bom dia para a rosada.

- O que aconteceu? – ela foi direta. – Pode começar a falar. – Tenten devolveu com um olhar confuso, mas logo sorriu tímida. – Ah, não é nada. Eu só descobri que uma amiga da vida está se mudando para uma cidade aqui perto Sura... Sun-

- Sunna?

- Isso, Sunna.

- Ah, mas é perto. Relaxa a distancia não vai mudar a amizade de vocês. Como você disse, é aqui perto, no fim de semana pode ir visitar ela ou ela vem te visitar, sei lá – a morena sorriu. – Eu posso até ir com você, se quiser. – Sakura não sabia de onde tirou a ideia de ir com Tenten até a casa de uma desconhecida em uma cidade que ela nunca havia ido. Mas ofereceu apoio à amiga mesmo assim.

- Ah Saky, obrigada. Acho que nesse fim de semana eu ainda não vou. No outro sim.

- Okay! – Sakura sorriu.

- Mas e quando as provas começarem?

- Aí você combina com ela e pede para ela vir, mas enquanto isso você vai visitando ela, né?!

- É.

Logo após essa conversa o resto da turma foi chegando aos poucos. A aula seguiu tranquila. Alguns professores perguntavam se Sakura havia se recuperado totalmente e ela só confirmava.

Sasuke a analisava o tempo todo com um olhar de preocupação e Naruto percebera. Ao chegar a casa, Sakura não deixou de notar que seus pais estavam radiantes, mas sua mãe também tinha misturado com culpa ou o que quer que seja.

- Iiih, podem contar – ela disparou a hora que sentaram para almoçar.

- Está tão na cara assim que aconteceu alguma coisa? – seu pai a questionou.

- Sim.

- Você ou eu? – Mebuki questionou Kizashi. Ele disse “eu” e então olhou para a filha. – Sakura, eu recebi uma oferta de trabalho.

- Ai que bom! – ela realmente estava feliz. – O que mais?

- A proposta é ótima. O salário é duas vezes o que o papai recebe. Eles ofereceram uma casa e um carro para o seu pai também – sua mãe estava sorrindo.

- Espera – Sakura se ajeitou na cadeira para falar. – Se eles ofereceram casa e carro significa que é em outra cidade, é isso?

- Sim – agora seu pai a respondeu. Sakura se sentiu tonta, mas não foi por causa da labirintite, mas sim pelo fato que poderia estar prestes a se mudar.


Notas Finais


FOI ISSO QUE ACONTECEU
ATÉ QUALQUER DIA/HORA
BJÃO


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...