História Neo Culture - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias NCT 127, NCT Dream, NCT U
Personagens Chenle, Doyoung, Haechan, Hansol, Jaehyun, Jaemin, Jeno, Jisung, Johnny, Kun, Mark, RenJun, Taeil, Taeyong, Ten, Winwin, Yuta
Tags Chenjun, Chenleerenjun, Jaeje, Jaeyong, Jisung Alone, Kunwin, Markchan, Markhyuck, Nomin, Renle, Winkun
Exibições 58
Palavras 1.711
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Crossover, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 3 - Cap 3


Narrador:

Haechan estava começando a se preocupar com Mark, desde 13h da tarde ele havia saído para comprar o sorvete dele e até agora, que já são 17h ele ainda não tinha voltado. Claro que Haechan já havia pensado na possibilidade de que o mais velho tinha apenas pensado que era uma piada e ido para casa, mas o moreno mesmo assim estava se preocupando.


Donghyuck, logo após de tomar banho e trancar toda a casa, foi até a casa de Jisung, como ele era amigo de Mark, talvez tivesse o número de celular dele.


Bateu na porta e logo foi atendido por um Jisung sorridente.


-Eita, sempre que você vem me chamar é porque aconteceu alguma bosta. ChenLe está preso no balanço de novo? -Jisung perguntou e Haechan riu, negando com a cabeça.


-Aconteceu alguma coisa sim, mas não tem haver com o ChenLe -Jisung deu espaço para Haechan entrar e assim o mesmo fez.


-Vamos pro meu quarto, meu pai acabou de voltar de viagem e desde 9h da manhã ele e minha mãe estão trancados no quarto, não quero nem imaginar o que estão fazendo.


- Só saiba que não será mais filho único daqui a nove meses -Ambos riram assim que entraram no quarto do mais novo -Enfim, você tem o número do Mark?


-Mark?! -Jisung demorou um pouco para pensar quem era e logo que lembrou, lançou uma cara maliciosa para Haechan- Ah sim, claro. Soube que ele é solteiro, só não sei se gosta de meninos, mas quem sabe neh


-Seu idiota, não é nada disso. É só que ele saiu pra comprar sorvete para mim e..- Donghyuck parou assim que viu o mais novo ainda com a mesma expressão- Credo Park Jisung, você só tem 14 anos, deixe de pensar nessas coisas -apontou pro mais novo, que revirou os olhos- Enfim, depois eu te explico melhor o motivo, mas vai me dar o número ou não?


-Calma -Retirou o celular do bolso e procurou em sua lista de contato até achar o de Mark, esticando o celular para Haechan, que puxou de sua mão e o levantou, já indo em direção a porta do quarto -Oush, aonde pensa que vai?


-Estou sem crédito, vou usar o seu -retirou o seu celular do bolso e jogou em direção a Jisung, que pegou assustado- A senha é a data de debut do Red Velvet, eu tenho uns joguinhos ai. Jogue e aproveite para colocar a senha do wifi. Eu já volto. Obrigado, amigo lindo.


Haechan saiu, sem deixar o mais novo falar nada. Apertou no botão verde para ligar e esperou impacientemente Mark atender.


Foi descendo as escadas da casa vagarosamente e abriu a porta de entrada, saindo e caminhando pela calçada, ainda com o celular no ouvido.


-Alô? -Uma voz grave soou do outro lado da linha e Haechan agradeceu aos deuses por o menino está vivo.


-Seu imbecil, aonde está? -Haechan falou, se segurando para não gritar com o outro, ele não era de se preocupar tão facilmente, mas dessa vez ficou sem nenhuma razão exata.


-Procurando essa porcaria de granulado colorido. Não tem em nenhuma das sorveterias que eu fui -Mark bufou frustrado.


-Sério que estava atrás disso desde 13h? -Haechan perguntou e o outro apenas murmurou concordando. Sentiu pena por um segundo -Ai que idiota! Onde está agora?


-Numa sorveteria à uns 2 quarteirões daí. O ajusshi disse que iria comprar esses granulados coloridos e volta já.


-Me espere, eu estou indo ai. Você merece uns bons cascudos por ser tão besta. Aish~ chego já -E desligou a chamada sem deixar o outro se protestar.


DongHyuck foi resmungando até a saída do condomínio. Não sabia se sentia pena do outro ser tão besta, ou raiva pelo mesmo motivo.


-Boa tarde, senhor DongHyuck- Doyoung, o porteiro cumprimenta o moreno, que apenas sorri amigável e acena para o mais velho.


(…)


-Aish~ Você está aí! -Haechan diz assim que encontra o mais velho sentado numa das cadeiras da sorveteria, conversando um senhor de idade.


-Olha lá, invés de me xingar, você devia era agradecer. Fui em umas mil sorveterias, ainda bem que o ajusshi me ajudou- Mark falou e entregou a casquinha com o sorvete exatamente como Haechan havia pedido mais cedo- Só fiz isso, porque me senti culpado por ter rasgado o pôster.


-Pensava que tinha morrido, menino -Segurou a casquinha do sorvete e esperou Mark, que riu, se levantando e ambos sairam do estabelecimento- Eu agradeço, mas não deveria ter rodado tanto, eu me dava por vencido com o granulado tradicional mesmo.


-Que nada, promessa é promessa- Mark disse, andando pela calçada. Ambos estavam lado à lado indo em direção de volta ao condomínio- Como conseguiu meu número?


-Jisung me deu, aquela peste tem aparência de quietinho, mas pensa mais bosta do que eu e Jaemin juntos- Mark riu, concordando com o mais novo


-Sim, conheço aquela criatura desde que nasceu


-De onde vocês se conhecem?-Haechan olhou de relance para Mark


-Meu pai e a mãe dele são amigos e parceiros de trabalho. Eles têm um restaurante.


-Eita, você que é o filho do Johnny? -Haechan perguntou e o outro concordou- Conheci ele quando Jisung me convidou pra ir nesse restaurante. Você também é americano?


-Sou canadense. Meu pai tinha conhecido minha mãe quando viajou pro Canadá e acabou morando por lá alguns anos.


-Nossa, que foda. Sua mãe veio para cá também? Não lembro de Johnny comentando que era casado -Haechan perguntava, já curioso sobre a vida do mais velho.


-Não. Minha mãe faleceu quando eu tinha 4 anos, por isso meu pai se mudou para Coréia, já que ele tem alguns amigos aqui, inclusive a mãe do Jisung- Mark falou e Haechan se sentiu culpado por fazer aquela pergunta.


-Ai meu deus, eu sinto muito- Haechan falou olhando para Mark, que apenas negou e sorriu de lado- Não faz essa cara, você fica parecendo um cachorrinho sem dono- o mais alto começou a rir do moreno que apenas revirou os olhos e voltou a comer seu sorvete, que já estava no fim.


-Não se preocupe, eu era muito novo quando aconteceu- Mark disse ao parar de rir e avistar o condomínio próximo de onde estavam- Eu tenho que ir agora, meu pai deve está me esperando.


-Tchau, manda um abraço pro Johnny por mim- Haechan diz, acenando para o moreno que concordou e se despediu também.


(…)


-Jeno, você acha que eu não vi você com aquele filho da puta do Samuel, todo cheio de charminho? -Jaemin gritava com Jeno, que apenas suspirava e bufava, enquanto ia em direção ao sofá- Você olhe na minha cara, quando eu estiver falando!


-Jaemin, eu só estava conversando com ele. Samuel é meu amigo a muitos anos, não fiz nada demais- Jeno se sentou no sofá e encarou o namorado.


-Eu e Haechan também somos e acharia legal se eu ficasse tocando nele o tempo todo? E falando que ele é lindo? Que gostaria de ter um namorado como ele? GOSTARIA JENO? ME RESPONDA COM TODA SINCERIDADE- pingos de suor já brotavam na testa de Jaemin, enquanto ele tentava controlar seus atos. A personalidade de Jaemin era forte, e ele sentia ciúmes de tudo e todos que ele considerava ser apenas seu.


-Meu amor, por favor se acalme. Eu amo só você, venha cá - Jeno como sempre tentava acalmar seu namorado, que apenas revirava os olhos.


-Je, eu estou falando sério. Não suporto ver você tão perto de outros, principalmente desse garoto insuportável- Jaemin range os dentes e bate os pés como uma criança emburrada.


Jeno se levanta e segura o rosto de Jaemin a sua frente. Jeno era um pouco menor que o outro, fazendo ele ter que ficar de ponta de pé para beijar a testa de Jaemin, que suspirou e o abraçou.


-Vamos parar com isso, sim? Você tem que confiar em mim, Jaemin. Estou falando sério. Não pode ficar com ciúmes por qualquer motivo. E olhe que ainda somos jovens, imagine quando ficarmos mais velhos?- Jeno fala, fazendo Jaemin abaixar os ombros e acalmar os nervos. Jeno tinha razão, ele pegava pesado às vezes- Samuel tem 12 anos, Jae. Ele é como meu irmão mais novo. Assim como Jisung. Não fique humilhando ele apenas por seu ciúme, ok?


-Eu vou tentar, Je.


Jaemin sempre fora mais apegado com Jeno, desde que eram pequenos. O mais novo era carente e gostava de abraçar e beijar todos que ele amava. Mas esse sentimento era de certa possecividade. Ouve uma época em que eles tinham apenas seus 7 anos, Jaemin passou duas semanas com raiva de Jeno, apenas porque o mais velho preferiu sair com seu novo coleguinha do fundamental, do que assistir Bob Esponja com ele. Mas com o passar do tempo, os motivos dos ciúmes mudaram e foi por causa de um dessas crises de Jaemin, Jeno acabou o beijando e eles estão namorando hoje em dia.


(…)


Já eram 18h quando Mark chegou em casa. Retirou os sapatos na entrada e chamou por seu pai, esse que estava na cozinha, cortando alguns legumes para o jantar.


-Por que demorou tanto, filho? -Johnny, perguntou se virando para Mark, que sentou em cima do balcão.


-Encontrei Jisung lá e ficamos conversando- Mark omitiu um pouco a história, pois achava meio estranho e confuso explicar ao seu pai que rasgou um pouco do pôster de um menino que ele nem conhece direito e teve que rodar o bairro inteiro atrás de granulado colorido- Ah, e Haechan um amigo de Jisung te mandou lembranças.


-Nunca mais o vi, deve está crescido- Johnny disse e Mark concordou -Vá tomar um banho e desça para jantar, estou sentindo seu fedor daqui.


-Exagerado, como sempre John -Mark disse revirando os olhos e rindo, descendo do balcão e indo em direção ao seu quarto.


Fechou a porta atrás de si e pegou o telefone, indo até sua lista de chamadas e salvando o número que havia lhe ligado quando estava na sorveteria.


[18:03 Mark:]

Oi Haechan, salvei seu número, caso não tenha problema.

Amanhã nos vermos novamente;)



Mark largou o celular na cama e seguiu em direção ao banheiro.



[18:10 Haechan do condomínio:]

Olá Mark, esse telefone não pertence ao Haechan e sim ao seu querido amigo Jisung

E COMO ASSIM VOCÊ NÃO TINHA SALVO MEU NÚMERO ANTES? DESGRAÇADO.

VOCÊ E O HAECHAN ESTÃO NAMORANDO? AI QUE NOJINHO

BRINCADEIRA, SE CASEM.

AMÉM


Notas Finais


Eaiii, tudo de boas?
Espero que tenham gostado.
Tchaus^^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...