História Neon - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Sehun, Suho, Tao, Xiumin
Tags Chansoo, Poderes, Powers!au, Sekai, Subaek, Superhero!au
Exibições 93
Palavras 4.318
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shounen, Super Power, Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Nossa, isso foi uma baita viagem minha.
Eu andei obcecada com os Robins e quando vi já estava escrevendo isso. Imaginem o quão interessante o Junmyeon ficaria como Batman hohaohsohao
Essa fic não deve ser longa, até porque não estou em condições de gerenciar isso. Se tudo der certo ela acaba com 4 capítulos. Amém.

Ah, há umas referências aos Robins, Batman, DC Universe, mas nada impossível de entender.
E desculpem por essa capa tosca.

Let's ler.

Capítulo 1 - Baby Robin


Fanfic / Fanfiction Neon - Capítulo 1 - Baby Robin

Byun Baekhyun era um jovem de dezenove anos como qualquer outro. Ele gostava de ficar no seu quarto, perturbar seu gato, procrastinar na limpeza do loft, jogar videogame, se masturbar e fumar um ou outro cigarro. Graças aos seus incríveis dons sociais, o rapaz tinha só os amigos do trabalho, ou seja, quase nunca conseguia relaxar.

E por não ser bom no quesito amigos, ele estava deitado do lado de seu gato, lendo HQs naquele sábado, com cigarro em mãos e calças bem longe do corpo. Do jeito que deveria ser.

"Baby Robin.", ele ouviu e pulou de susto, deixando cair algumas batatinhas que estavam por perto. Era Kyungsoo parado em frente a sua janela, de pé na pequena varanda. Ele vestia o uniforme preto e azul, mas sem a máscara. Baekhyun fechou a cara imediatamente. "Não me chame assim, Passarinho!"

"O chefe quer o Baby Robin. Não me culpe.", Kyungsoo deu de ombros, exibindo um sorriso zombeteiro.

Baby Robin era um apelido bastante degradante, na opinião do Byun. Não que ele não respeitasse - e admirasse- os meninos prodígios que um dia ajudaram a manter sua cidade a salvo, mas isso já fazia muito tempo. Além disso, Baekhyun não era só um ajudante.

Ele era o Neon, guardião daquela cidade nas horas vagas, e mesmo que sua alcunha de herói fosse horrível e mal elaborada, ele ainda era digno de algum respeito. Se os cidadãos respeitavam o passarinho invocado por que não podiam respeitar o Byun também?

"Então, Baby, vou ter que te levar pela orelha até o chefe?" Kyungsoo, ou melhor, Stonecrow, perguntou com outro sorriso debochado, enquanto fingia olhar as unhas - escondidas pelas luvas de látex.

"Vou me trocar." Baekhyun disse, ainda de cara feia, antes de fechar janela e cortina, impedindo o baixinho sisudo de espiá-lo ou seu apartamento bagunçado.

Agora Baekhyun precisava escontrar sua roupa de herói, que deveria estar dobrada e limpa perto de seus livros da faculdade, mas que, na verdade, estava espalhada no caminho da sala até o quarto - ainda suja de sangue, lembrança de sua última patrulha pela cidade.

Ele vestiu o uniforme de látex, quase caindo no processo. Baekhyun teve certeza que tinha engordado bastante desde a última vez que vestira o uniforme preto com detalhes em branco. O látex mal havia passado pelas suas coxas. Pelos infernos! Ele praguejava sem parar enquanto tentava acostumar seus movimentos à veste tão colada ao corpo. É como estar embalado a vácuo. Que merda!

Quando quase pronto, ele seguiu até a janela do prédio onde Kyungsoo estaria esperando. O jovem parou de frente para a janela, colocou seus óculos especiais, que protegiam tanto seus olhos como sua identidade, ajeitou os cabelos negros e abriu cortina e janela de uma vez.

Stonecrow estava lá, sentado, para a surpresa do Byun. "O chefe te deu mesmo uma ordem, né?" zombou. "Quando, nessa vida, o orgulhoso Stonecrow iria esperar por mim, o Baby Robin?" outro deboche. Baekhyun pulou a janela e trepou na mureta da varanda.

Kyungsoo levantou irritado. "O chefe sabe que o 'baby' em Baby Robin não é exagero. Você é um bebê que precisa de uma babá." Baekhyun ignorou. Impulsionou-se da mureta e deixou-se cair em queda livre por quase 6 dos 14 andares do prédio, antes de finalmente começar a voar. Sentiu-se vivo por alguns segundos. Kyungsoo seguiu-o, com as asas negras abertas. "Além disso, Minseok está de folga hoje." O sisudo sorriu.

 

X

Kim Minseok era Coldblood, a mão que sustentava a paz naquele QG, que era um lugar um tanto conturbado e talvez - só talvez- Baekhyun tivesse alguma culpa nisso. E Minseok sempre pegava no seu pé por isso; o mais velho era como uma mãe muito chata que não o deixava respirar por meio segundo. Mas não era só culpa dele, já que Electro e Bomber viviam a implicar consigo. Tudo bem que o Byun também gostava de perturbar Windfang e Stonecrow, até porque ele também merecia se divertir um pouco.

"Olha se não é só meu parceiro, Baby Robin!", Baekhyun ouviu Electro chamar, ou melhor, Jongdae, que usava metade do traje e uma camisa com estampa de algum filme cult, além de seus característicos óculos redondos.

"Vai se foder!" Neon gritou e ouviu Jongdae rir divertido. "Vem comigo, Baby!" Jongdae estava atacado aquela noite. Byun quase foi para cima de Jongdae, mas foi impedido por Stonecrow, que o estava levando pela nuca até a sala do chefe.

Todo o ambiente do QG era escuro, para não chamar atenção; as paredes de pedra negra contrastavam fortemente com todo o aparato tecnológico do qual dispunham. Ainda sim, Baekhyun gostava daquela decoração meio dark e primitiva. Quer dizer, se ele era o Baby Robin aquela era a Batcaverna, nada mais justo.

Neon e Stonecrow adentraram a sala do chefe, mas lá encontraram Zhang Yixing, zanzando de um lado para outro e trocando coisas de lugar. "Garotos, o chefe já chega! Enquanto isso me ajudem com isto." Ele entrgou uma caixa cheia de flores, plantinhas, bonsais que já pertenciam ao ambiente.

"Redecorando, Yixing?" Baekhyun perguntou enquanto entregava um dos vasos para o mais velho.

"Tenho que organizar esse lugar. Em nome do feng shui.", ele sorriu exibindo suas adoráveis covinhas.

 

(...)

Kyungsoo havia saído da sala assim que Yixng esvaziou a caixa que ele segurava, deixando o Byun sozinho com o chinês. Baekhyun jogado no pequeno sofá de couro - que fazia barulho demais quando ele se movia-, enquanto pensava se deveria ou não pegar o cigarro no estojo de couro que levava no quadril. Era quase como seu próprio cinto de utilidades, mas sem a parte do cinto, ele se divertia com a comparação.

Baekhyun finalmente cedeu a tentação quando Yixing deixou a sala. Logo sacou um black devil do bolso e admirou aquele cigarro que ousava achar bonito. Segundos depois ele começou a procurar um isqueiro e foi aí que ficou puto. Bem rápido.

"Do que adianta fazer luzinha se não consigo acender a porra do cigarro?" pensou alto, bagunçando os cabelos no processo. Ah, o estresse...

"Talvez isso seja um sinal para você parar de fumar." ele ouviu a voz familiar e suava soar, vinda da porta.

"Chefe!" O rapaz levantou quase em um pulo, alisando o uniforme preto no processo, sentindo uma protuberância em um dos discretos bolsos. Era o isqueiro! "Acho que hoje não." ele riu para o homem e mostrou-lhe o objeto.

"Chefe, já informou o Baby Robin?", era a voz de Jongdae que vinha do salão.

"Todos esses anos e você ainda é o Baby Robin..." Aquakill, seu adorado chefe, lhe sorria nostálgico, quase como se lembrasse do Baekhyun de 14 anos que chegou naquela casa feito um garotinho assustado.

Aquakill, ou simplesmente Kim Junmyeon, era uma daquelas pessoas pelas quais se nutre admiração e em seguida, sem nem ao menos esperar, já se está amando. No entanto, Baekhyun não se deixava sonhar muito porque Junmyeon era apenas o Batman de seu imaturo e tedioso Robin.

"Neon," Junmyeon ocupou a cadeira atrás da mesa, no centro da sala "hoje vamos em patrulha junto com Mirage e Bomber." Baekhyun quis morrer ali mesmo. O novato e o playboy, não! "Eu conto com sua compreensão e paciência, ou seja, ignore Chanyeol e auxilie Jongin." O Byun assentiu. Faria qualquer coisa pra agradar Junmyeon.

 

X

Mirage e Bomber voavam lado a lado, em formação, enquanto Neon segurava Aquakill pelo pulso e o mantinha flutuando no ar consigo. Os quatro tinham uma dinâmica estranha, já que o líder era aquele que parecia mais gentil entre todos- e na realidade não era bem assim-, e o segundo no comando era o herói mais pacato e entediado das redondezas. Enquanto Mirage ainda era um gatinho assustado, se descobrindo, e Bomber era temperamental e impulsivo demais para executar seus dons com maestria.

Os quatro pararam no terraço de um prédio qualquer para reformularem o plano de ação da noite. "Bomber, você e eu vamos para nordeste" Baekhyun sorriu discreto sabendo que Junmyeon estava lhe fazendo um favor. "Neon e Mirage vão para sudeste."

"Baby Robin arrumou um Fetus Robin só pra si. Veja só!" Chanyeol debochou por trás da máscara- que só mostrava seus cabelos vermelhos rebeldes. Consequentemente, levou um tapa na testa e iniciou voo, levando Aquakill consigo. "Mantenham os comunicadores ligados." disse antes de sumir no céu com o mais alto.

Neon e Mirage ficaram parados no terraço. Jongin, certamente, estava esperando um sinal do Byun, no entanto, este estava desnorteado, já que aquela era a primeira vez em cinco anos que lhe confiavam a liderança de algo.

"Hm, Neon?", a voz de Mirage soou como uma suave melodia.

"Desculpe. Acho que me perdi em pensamentos. Vamos!" Neon levantou voo, exibindo uma trilha de luz no céu noturno. Mirage fez o mesmo, deixando uma singela fumaça no caminho.

Os rapazes seguiram em silêncio, mas Baekhyun sabia que Jongin estava doido para conversar então simplesmente sorriu e, "O que quer saber?" Aquilo pegou o garoto de surpresa, sem dúvida.

"Quantos anos você tem?" Byun respondeu. "Nasceu com poderes?" recebeu sim como resposta. "Gosta de trabalhar com as pessoas no QG?"

"Não muito.", foi bem sincero. "Mas há pessoas que não me deixam ir embora."

"Entendo." ele disse em um sussurro. "Eu só fui porque Sehun me convenceu. Ele descobriu sobre mim durante uma aula.", explicou vagamente. Então Jongin tinha só 15 anos também...

"É um bom lugar para se sentir normal e útil." Baekhyun comentou, enquanto fitava as estrelas no alto.

"Eu tenho medo." Baekhyun encarou o garoto, que usava óculos como os seus. "Queria viver  normalmente, gostar de pessoas normais e ser chato pra sempre." Jongin era muito diferente de Sehun. Ambos riram com leveza.

Baekhyun nunca soube o que ou como era ser totalmente normal. Ele viveu boa parte de sua vida fingindo ser igual aos outros, mas outras crianças não podiam criar desenhos luminosos no ar ou acender o corpo a ponto de parecer uma lâmpada humana. Era legal ser diferente, ter dons. Até que as crianças descobriram sobre seu segredo e dois dias depois sua família estava se mudando para o outro lado do país.

Às vezes ele cogitava se deveria ou não agradecer às crianças idiotas que o expuseram, pois graças a elas ele conheceu os rapazes do QG... e Junmyeon. Ele agradecia muito por Junmyeon, fosse os favores mais materiais que ele lhe fazia ou, principalmente, o afeto e carinho que esbanjava sobre Baekhyun. Aquakill parecia mal, mas, sem o uniforme, ele era a pessoa mais amável que o Byun teve o prazer de conhecer.

 

(...)

Neon e Mirage estavam voltando da patrulha, que fora até bem chata; eles interromperam dois assaltos e tudo deu certo no final. A cidade andava parada e Baekhyun adorava isso, adorava não ter muito trabalho. Mirage, por outro lado, parecia meio desapontado, por mais que tivesse feito um bom trabalho com os assaltantes.

"Seu poder é incrível." Baekhyun comentou, ficando de frente para o mais novo, ainda no ar. Ofereceu-lhe um sorriso animador. De fato, era mesmo incrível! O garoto se teletransportava numa velocidade incrível. Era quase como ter acoplado a este poder, uma super velocidade. Assustador, porém empolgante. "E você ainda voa! É o máximo!" Jongin se encolheu.

"Não é bem voar, só me teletransporto muito, muito rápido." O queixo do Byun caiu ali mesmo.

"Como assim? Isso é possível?! Não pode ser!"

"Não sei se é possível, mas é o que eu faço. Visualizo e vou. A fumaça é a prova disso. Mas é cansativo me mover em cortes, para acompanhar as pessoas.", confessou com um sorriso tímido. Baekhyun estava admirado, empolgado, coisa que não acontecia há tempos. O mais velho voou até as costas de Jongin e pode ver que a cada poucos segundos um rastro de fumaça ficava no ar.

"Incrível.", disse voltando a sua posição, ao lado do garoto. Aproveitou a oportunidade e pegou a mão do mais novo. "Pode descansar. Eu te levo de volta." Jongin se mostrou surpreso, mas aceitou de bom grado.

Os dois seguiram por cerca de dois quilômetros até que a voz de Chanyeol soou, gritante, no comunicador de Baekhyun. "Precisamos de reforço, tem um prédio em chamas na Rua 13."

"Precisam de reforço com um incêndio? O Junmyeon apaga e você entra no fogo e tira os feridos. São os dois mais qualificados para isso."

"Seria um plano incrível se não tivessem outros dois meta-humanos aqui tocando o terror." Baekhyun suspirou. Sua paz era finita, afinal. Deu meia volta e pegou o caminho para nordeste "Aquakill está tentando conter o incêndio, mas tem um cara que literalmente pega fogo, ele é feito de lava, entendeu?" Chanyeol gritava contra o comunicador e Baekhyun podia ouvir o fogo crepitando no fundo.  

Neon e Mirage demoraram apenas poucos minutos para chegarem no local do incêndio. O fogo podia ser visto há ruas de distância. Seria uma imagem bonita se não fosse caótica. Baekhyun logo viu Aquakill parado a dois prédios de distância, mandando jatos e mais jatos de água na tentativa de controlar o fogo.

Chanyeol voava próximo do prédio, mas mantendo uma distância segura do homem de lava, que entrava em erupção de minuto em minuto. "Bomber," Baekhyun precisou gritar para se fazer ouvir "que porra tá acontecendo aqui? E quem é o garoto do lado do psicótico de lava?" o mais alto deu de ombros.

"Não tenho ideia do que tá acontecendo. A gente achava que era só um incêndio, mas esse maluco apareceu jogando lava e fogo em tudo." Mirage tossia com a fumaça enquanto Neon e Bomber tentavam pensar em como se aproximar do maluco magmático.

"Tem alguém na escuta?" a voz de Jongdae soou no comunicador, ensurdecedora. Os rapazes confirmaram. "Ótimo. O maluco de lava é Wu Yifan, ele estava numa prisão para meta-humanos até pouco tempo. Tem alguns registros dele, mas nada que vá ajudar. A melhor saída é colocar Aquakill pra dar um banho nele."

"Como sempre muito solícito, não é, Jongdae?" Bomber se irritou. "Sou mesmo, tanto que enviei Windfang e Stonecrow pra ajudar com a evacuação dos civis." o sarcasmo era notável. Logo a linha se fechou.

"Eu tô vendo o Se... quer dizer, Windfang daqui." Jongin disse, apontando para o norte. Baekhyun assentiu e puxou Jongin para voarem até o prédio que Junmyeon estava. Litros intermináveis de água jorravam das mãos de Aquakill.

"Você tem que se aproximar!" Baekhyun gritou, fazendo sinal para o mais velho, indicando a posição do homem de lava. "Windfang já está aqui. Ele vai apagar o incêndio e Bomber e Stonecrow vão retirar os civis." Aquakill pareceu ponderar. "Você precisa apagar o lava boy."

Aquakill interrompeu suas ações, ficando de frente para Neon e Mirage. "Neon quero você indo evacuar os civis junto com os outros. Mirage e eu vamos para a ofensiva." Jongin se apavorou de imediato.

"E-eu, não. Ainda não. Por favor." Jongin quase implorou. Junmyeon respirou fundo, como se quisesse renovar pensamentos e reavaliar possibilidades. "Então você vem conosco, Neon. Dê cobertura ao novato." Baekhyun assentiu e colocou a mão no ombro de Jongin, tentando acalmá-lo.

"Vai dar tudo certo." Baekhyun garantiu.

"Vamos lá, Baby Robin, me mantenha no ar." Aquakill provocou-o, antes de tomar o pulso do Byun.

 

(...)

 

Mirage estava exausto por transportar Aquakill até as aberturas na defesa de Yifan. Neon suava por causa do calor excessivo e do cansaço e o líder estava quase sem água para usar. "Como se para uma erupção vulcânica em forma de gente?" Stonecrow questionou, chegando perto dos outros três.

"Não tenho ideia." Jongin falou baixinho, "Você já acabou com os civis?" Kyungsoo confirmou, explicando que não podia entrar nos locais em chamas porque suas penas se danificariam. "Bomber e Windfang vão dar um jeito nos outros." o de asas negras garantiu.

"Neon, venha aqui." Aquakill chamou, interrompendo o momento de descontração dos outros rapazes. Baekhyun caminhou calmamente até o chefe. "Vamos tentar uma abordagem diferente. Está vendo o garoto pequeno atrás do lava boy?" Neon assentiu e estendeu a mão para o outro, que aceitou.

Ambos flutuaram até o epicentro do caos, desviando dos ataques pouco certeiros de Yifan, e foram até o garoto baixinho - e bem novo- que estava parado de braços estendidos na direção do outro, quieto, a alguns metros do mais alto. "Vamos lá, Baek!" Baekhyun quase engasgou com o uso do nome, o que Junmyeon era contra quando estavam de uniforme. "Você o cega e eu derrubo."

Baekhyun lançou o máximo de luminosidade que pôde, na direção do garoto, que não teve opção a não ser virar a cabeça para escapar da luz. "Saquei." Baekhyun sorriu sacana, chegando mais perto do garoto, que parecia fazer força para manter os braços esticados. "No três, chefe! Um. Dois. Três." Baekhyun impulsionou Aquakill para cima do menino, que já foi preparado, atingindo-o com água numa pressão violenta.     

O menino caíra deitado no terraço de um prédio próximo, sendo seguido por Aquakill, que aterrisou de forma mais elegante - e mais seca. Enquanto Baekhyun viu o garoto de lava cair em queda livre e quase se chocar contra o chão. Sorte que Stonecrow conseguiu pegá-lo a tempo.

"Como sabia que era ele a fonte do problema?" perguntou a Aquakill, que estava amarrando as mãos do garoto atrás das costas, tentando evitar alguma retaliação mesmo que não soubesse bem como seus poderem funcionavam.

 "Ele estava muito focado e não saía daquela posição, com os braços esticados. Tentei a sorte." respondeu com um sorriso tímido. "Acho que Windfang já apagou o incêndio. Vamos nos reunir e voltar para o QG antes que a imprensa apareça por aqui."

 

X

 

Os heróis chegaram todos no QG cansados, sujos e suados. Foram recepcionados por Minseok – em suas roupas civis- e sua cara feia. Jongdae ria baixinho atrás do mais velho, ficando bem sério assim que avistou os prisioneiros meta-humanos.

"Minseok!" Bomber exclamou, com um sorriso. "Achei que você tinha tirado uma folga." Chanyeol ria, enquanto levava o garoto pequeno nos braços, para a enfermaria do QG. Kyungsoo acompanhou-o, também levando o lava boy nos braços.

"Eu tinha um encontro, mas levei um bolo." o Kim resmungou, claramente não querendo falar sobre o assunto. "Eu vim pra cá porque o menino elétrico" Jongdae gritou um 'Hey' indignado "disse que vocês acharam meta-humanos, criminosos."     

Minseok sentou próximo de Jongdae em um dos bancos em frente aos computadores, Baekhyun imitou-o. "O maior é uma fonte inesgotável de lava e o menor é a mente maligna da dupla." o Byun explicou, arrancando a máscara que usava e fechou os olhos quando Minseok bagunçou seus cabelos carinhosamente.

"Então temos um Bomber 2 e um moleque endiabrado." Jongdae ponderou. "Espero que eles resolvam vir para o lado bom da força." Era irônico ouvir Jongdae dizer aquelas palavras, já que um dia ele foi o que veio para o lado bom. Largar o crime e resolver lutar contra ele era algo grandioso, uma mudança que exigia esforço, mas valia a pena.

"Vocês bem sabem como o Aquakill pode ser persuasivo." Minseok disse com uma risada nostálgica.

 

X

Era verdade, Junmyeon não era o chefe à toa. Apesar do sorriso, a gentileza inerente a ele e a voz suave, o Kim era extramente amedrontador quando necessário. Baekhyun morria de medo quando o mais velho se irritava; era de fechar o tempo, quase literalmente. O Byun lembrava de uma vez que Bomber e Electro quase destruíram um dos computadores principais do QG e Junmyeon fez chover dentro do recinto, ele parecia transtornado. O engraçado era o fato de que minutos depois o chefe se desesperou e começou a correr pelo QG temendo pelo bem-estar de seus arquivos e eletrônicos.

Além disso, ele ainda era dono de uma lábia incomparável. Jongdae, Baekhyun, Chanyeol, Minseok... todos eram a prova viva disto. Todos muito habilmente convencidos a virarem vigilantes noturnos. Baekhyun lembrava da semana tortuosa que passou com Junmyeon o seguindo. Criatura insistente, esse Kim Junmyeon! Baekhyun havia ficado tão irritado que chegou a roubar os pneus do carro do meta-humano mais velho.

Mas nem mesmo aquela ofensiva – ou seria defensiva?- fez o Kim desistir.

Baekhyun teve o (des)prazer de acordar durante uma madrugada com Aquakill encarando-o, enquanto segurava seu primeiro uniforme – muito mal feito, diga-se de passagem, mas que o Byun passou horas para costurar.- com o olhar mais acusador. “Você sabe que precisa fazer algo sobre os dons que tem e esse pedaço de pano é a prova disso. Veste isso e vem comigo.” E assim, o mais velho deixou o quarto, jogando a roupa em cima do adolescente.

Baekhyun, por mais que não quisesse admitir, sentiu-se atraído pela proposta. Em menos de 3 minutos ele se vestiu e foi até a sacada –ainda da casa de seus pais- e encontrou Aquakill lá fora, observando os arredores. “Pra onde?” perguntou desanimado. O mais velho apontou um lado e Baekhyun começou a flutuar, indo na direção indicada até perceber que Aquakill ainda estava parado na sacada; o Byun retornou. “O que houve?”

“Você voa...” foi tudo que saiu dos lábios do outro. “Incrível! Domina luz e ainda voa.” Baekhyun pensou nunca ter ficado tão sem graça como quando Aquakill lhe atingiu com voz e olhar admirados. Ele balançou a cabeça, para afastar o embaraço e puxou o mais velho pelo cotovelo, levantando a ambos.

Quando Baekhyun chegou no QG, foi bombardeado por olhares inquisidores e perguntas que não sabia responder. Lá estavam um garoto de sua idade com uma feição felina, um baixinho mal-encarado, um rapaz que devia ser da idade de Aquakill que parecia fazer questão de ser gentil e um outro que também parecia mais velho e que não deixava de lhe observar.

“Você é o Robin da atualidade ou o quê?” o garoto do sorriso sinuoso invadiu seu espaço pessoal sem pedir, tocando seu uniforme vermelho, verde e amarelo e fazendo sucessivas caretas. “Jongdae, não perturbe o baby face”. Aquele foi o começo de anos de uma brincadeirinha  teoricamente carinhosa.

“Jongdae e Kyungsoo deixem ele.” Aquakill sentou num pequeno sofá que havia no QG e mostrou uma cadeira ao Byun. “Sou Aquakill” tirou a máscara “Kim Junmyeon. Qual seu nome?”

“Você sabe meu nome, me perseguiu a semana inteira!”

“Sei seu nome sem a máscara.” Poucas palavras que fizeram Baekhyun entender onde ele queria chegar.

“Não tenho nome de herói, isso é meio ridículo.” Sussurrou a última parte.

Junmyeon suspirou, recostando-se melhor no sofá, cruzando a perna e bagunçando os cabelos castanhos. O jovem Baekhyun de 14 anos suspirou internamente. “Quantos anos você tem, Byun?” o garoto respondeu ainda muito acanhado “Eu tenho 20.” Sorriu. “Eu também nasci com um dom estranho, mesmo que bem diferente do seu, mas nós somos farinha do mesmo saco. Dois caras sozinhos, meio imaturos que tem coisas demais para gerenciar. A direção da sua escola me disse que suas notas andam ruins e você tem faltado muito... Vou chutar que isso tem a ver com seus poderes.”

Baekhyun ficou pálido. “Eu comecei a voar recentemente. No começo doía muito, eu passei muito mal.” explicou num fio de voz a um Junmyeon de olhos atenciosos.

“Quando as asas de Kyungsoo saíram, no ano passado, ele ficou assim. Esses desabrochares acontecem entre os 13 e 15 anos.” Junmyeon apontou o baixinho carrancudo. “Você precisa de ajuda para lidar com tudo isso, uma ajuda específica que seus pais humanos não podem oferecer da maneira que gostariam e tudo que eu peço em troca é sua ajuda para dar um jeitinho nessa cidade.”

 

X

 

“O pirralho ainda está dormindo?” Baekhyun perguntou, da soleira da porta, observando Junmyeon e Yixing posicionarem os corpos adormecidos de Yifan e da criança nas macas da enfermaria improvisada que havia no QG.

“Ambos estão apagados.” Junmyeon riu “Você está liberado, Baek. Vá pra casa, vá dormir.”

“Você dorme, chefe?“ o mais velho lançou-lhe um olhar confuso. “Eu acho que nunca te vi dormir.”

“Você quer me ver dormir, por acaso?” o Kim arqueou uma sobrancelha. Oh, aquilo era dolorosamente ambíguo. Parabéns, Baekhyun! Yixing riu baixo.

“O chefe não dorme, Baby Robin. Ele é uma coruja, sempre em alerta.” Um Kyungsoo em roupas civis adentrou a enfermaria, apanhando um frasco com analgésicos e saindo logo em seguida. “E não se atreva a fazer alguma piadinha sobre minhas penas” quase fuzilou Baekhyun antes de ir embora de vez.

“É isso aí.” Junmyeon reiterou, risonho. Sentou-se na maca que sobrou e se pôs a retirar a parte de cima de seu uniforme – que era tão colado ao corpo quanto o de todos os outros rapazes. Baekhyun engoliu em seco, involuntariamente. “Yixing preciso de ajuda com isso aqui.” Era uma queimadura feia, extensa por todo lado do abdômen do herói.

Yixing se aproximou e começou a usar seus poderes para amenizar a dor e os danos do chefe. Baekhyun sempre achou o dom de Yixing o mais puro e bonito de todos. Era belo ver a luz esverdeada que deixava suas mãos – ou qualquer outra parte de seu corpo onde ele concentrasse sua energia. Era ainda mais bonito ver a pele danificada se refazendo sob a energia.

“Eu estou bem, Baekhyun, não se preocupe.” O chefe tirou o Byun de seus pensamentos com sua voz gentil. “Você pode ir para casa e relaxar. Até onde Kyungsoo me disse, você estava super confortável comendo besteiras e lendo em casa.”

“Por mais que eu não goste de admitir, estar aqui me distrai. Gosto de estar com vocês.” Com você.  Yixing e Junmyeon sorriram para o Byun; o Kim chamou-o e o rapaz obedeceu. Junmyeon bagunçou seus cabelos e Baekhyun morreu por dentro. Ele ainda me trata como uma criança.

“Você precisa descansar. Está com uma cara horrível” Baekhyun riu da careta que ganhou do chefe, mas concordou, finalmente. Virou-se e caminhou em direção à porta depois de se despedir dos dois homens. “E Baekhyun!” ele parou e se voltou para os outros. “Nos vemos amanhã.” Assentiu e foi embora.


Notas Finais


Um breve guia para os confusos:
Baekhyun - Neon
Suho - Aquakill
Chen - Electro
Dyo - Stonecrow
Minseok - Coldblood
Kai - Mirage
Sehun - Windfang
PCY - Bomber
Lay - Spectrum
Perdoa esses nomes podres que eu inventei e não desistam de mim.

Eu espero que vocês curtam essa bad trip louca regada a exo e DC.
Mandem bacon ou pedras nos comentários.

Me encontrem no twitter (byunmster) e no gatineo curioso (scherry).
Até a próxima, kittens
Kissus ^^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...