História Nerd and Jock (HIATUS) - Capítulo 4


Escrita por: ~ e ~Harm_

Postado
Categorias Undertale
Personagens Alphys, Asgore Dreemurr, Asriel Dreemurr, Chara, Flowey, Frisk, Grillby, Mettaton, Muffet, Papyrus, Personagens Originais, Sans, Toriel, Undyne, W. D. Gaster
Tags A!dream, Alphyne, Alphys, Bp(burgerpants), C!muffet, Cc!palette, Charisk, Cherryberry, Dt!mettaton, Error X Ink, Errorink, Freshpaper, G!cross, Gamer!bb(blueberry), Goth X Palette, H!nightmare, Jock!paperjam, L!goth, L!sans, Nerd!chara, Nerd!fresh, Nerd!papyrus, Nj!asriel, Nj!fell Sans, Nj!frisk, Pe!error, Pj X Fresh, Poth, Sg (skate Girl), Ta!ink, Undyne
Visualizações 543
Palavras 1.402
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Escolar, Esporte, Famí­lia, Festa, Ficção, Fluffy, Harem, Hentai, Lemon, Luta, Magia, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Slash, Universo Alternativo, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


CHEGAY ~

Nada a falar entooon
Até as notas finais

Capítulo 4 - Never Give Up


Livre

Chara estava a caminho da escola as presas pois estava atrasada, ou não. Não demorou muito para que visse a escola do outro lado da rua, e seu professor de educação física também. Ele estava distraído olhando alguma coisa em sua mão, sorria bobo sem prestar a mínima atenção para onde estava indo.

Chara parou de andar, encarando seu professor. O sinal ainda estava aberto e o mesmo continuou a andar. A garota viu de longe um carro se aproximando, parecia ter ultrapassado da velocidade normal e Error ainda estava no meio da rua.

Chara — PROFESSOR!!! CUIDA –

Não deu tempo para que Chara terminasse de completar a frase, quando Error olhou o carro já havia o “pegado”. Era tarde demais para correr, ou para agir. Chara não perdeu tempo e rapidamente retirou seu celular do bolso, ligando para a ambulância em seguida. Depois de um tempo, SG e Undyne se aproximaram, parando ao lado de Chara que apenas observava apreensiva a rua cercada por um carro da ambulância e vários alunos que aos poucos chegavam.

Undyne — Ei, Cherd! O que aconteceu ali que juntou tantas galinhas?

Chara — O nosso p-professor de educação física foi atropelado.

SG — Como?

Chara — Ele estava distraído no meio da rua olhando pra alguma coisa brilhante.

Undyne — Eu já volto.

Undyne entrou no meio dos alunos, até chegar onde se encontrava Error caído no chão. Um pouco longe dele estava um pendante, o mesmo foi pego por Undyne que se afastou observando a ambulância levar Error, obviamente, a caminho do hospital. O diretor estava ali com uma cara nada boa, ao lado dele estava a professora Toriel.

Dr. Toby — Caros alunos, eu informo vocês que pelo que acabou de acontecer aqui, peço que voltem para casa. As aulas estarão suspensas por alguns dias, informaremos quando voltar. Obrigado. Rawn!

Mra. Toriel — E aproveitem, pois serão pouco os dias.

Voltaram. Todos resmugaram alguma coisa e começaram a voltar de onde vieram, deixando apenas Undyne e Chara ali. A mesma pensou em voltar e foi isso o que ela fez, deixando Undyne com seus dois amigos.

[...]

Undyne — “Vê se cuide bem dele!”. O cara não aguenta nem cuidar de um animalzinho de estimação como vai cuidar do irmão? Awhehehe

Fresh — Você nunca teve um i-irmão?

Sua voz falhou ao dizer “irmão”, o que Undyne estranhou mas ignorou ainda rindo. Ambos ficaram ali mais um pouco até que decidiram voltar, mas não antes de Undyne ter uma idéia.

Undyne — Ei, me espera aqui! Eu vou ali e volto rápidinho!

Fresh — Ok.

Undyne correu até uma lojinha que tinha perto, comprou duas caixinhas e voltou cuidasomente até Fresh, que estava de costas para Undyne. Ela abriu a caixa tentando fazer nenhum barulho que o chame a atenção, retirou de dentro uma bombinha. Jogou a mesma com força no chão, fazendo Fresh cair pelo susto.

Caiu nos risos enquanto Fresh tentava se recuperar do susto. Uma garota se aproximou, até demais, deixando Fresh emburrado

??? — Ei, você! Nerd! Como você fez aquilo?

Fresh — Hum?

Undyne — É melhor você sair daqui.

??? — Eu não falei com você, eu falei com ele.

Vocês devem estar confusos, sim? Bom, essa garota é Katy. Prima do professor Mettaton, ela faz de tudo para ter Jam, tentando conquistar sua paixão. Ele nunca ligou para ela, mas a insistência era grande que chegava a vontade de chutar longe, Undyne desde o começo não foi com a cara dela, a garota sempre procurava um modo de se aproximar de Jam.
E parece que ela encontrou...

Fresh — C-como assim?

Katy — Como você conseguiu se aproximar dele?!

Exclamou sem paciência. Undyne serrou os olhos apenas observando seus movimentos, se tentasse alguma coisa poderia sair com alguma parte do corpo enfaixado, mas ela liga? Não. Katy, como havia mencionado, é prima de Mettaton, ou seja, ela também é um robô. E robôs tem uma força o suficiente para se protegerem.

Undyne — Katy, sai daqui.

Katy — E quem vai me obrigar?

Undyne — E quem vai obrigá-lo a falar?

Fresh — Undyne...

Undyne — Nosso Jam já está crescido, ele não é trouxa de ficar com uma piranha como você.

Katy — Olha aqui, cara de peixe... Por que você não volta pro mar que é seu lugar.

Undyne — Porque simplesmente nasci aqui, sua vadia.

Dito isso, Undyne lhe deu um soco. Claro que um soco, Undyne não era uma menininha qualquer. Indignada, passou a mão no local onde o soco foi dado. Encarou Undyne com ódio e avançou em sua direção tentando lhe retribuir tapas ou outros movimentos que lhe causasse dor.

Undyne — H-heh. Você nem é t-tão forte assim..

Provocou com um pouco de dificuldade, isso deixou Katy mais irritada do que já estava. Fresh tentava encontrar algum modo de impedir que a briga continue, mas não conseguia pensar em nada mais do que se meter no meio. “Elas estão brigando por sua culpa, não é?”, disse 'a' voz de sua cabeça.

Respirou fundo, falhando algumas vezes por conta do nervosismo. Deixou sua mochila no chão e correu até as meninas, ele conseguiu separá-las mas por conta disso levou um forte chute que o fez cuspir sangue e bater na parede. O dono da loja saiu preocupado, colocando um saco de gelo no local acertado e entregou-lhe um pano para que limpasse o sangue que caía

Fresh — G-grillby?

Não respondeu. Se levantou e foi em direção as meninas que voltaram a brigar, Grillby pegou no ombro de ambas separando-as bruscamente. Katy havia pequenas rachaduras e leves amassos em sua cara e braços, Undyne havia marcas de tapas em seu rosto, no mesmo expressava um certo ódio.

Grillby — ... (Katy, volte para casa você não deveria estar aqui.)

Katy bufou, arrumou sua bolsa e saiu batendo pé. Grillby fez um movimento com o olhar, apontando para onde se encontrava Fresh quase dormindo.

Undyne — Valeu.

Grillby — ..... (Não foi nada. Leve seu amigo para casa, vocês não deveriam estar aqui. Não há aula hoje, sabe.)

Undyne — Sim, eu sei... Nós já estávamos fazendo isso.

Grillby — ... (Ok, cuidado com as ruas. Você viu o que aconteceu mais cedo!)

Undyne — Não sou desleixada.

Grillby — ... (Não, claro que não..)

Undyne — Hey, Nerd! Vamos voltar logo antes que outra puta chegue.

Fresh — Uma ajuda seria b-bom..

Undyne — Há! Você és fraco, eu não vou ajudar-te! Eu cresci assim, sem ajuda. Nunca desisti de meus sonhos.

Fresh — M-mas... Eu também cresci sem ajuda... Sem ninguém ao meu lado...

Undyne — Uhh... V-vem, tente levantar sozinho!

Suspirou. Se esforçou gemendo de dor em seguida, desistiu ao sentir uma dor insuportável.

Undyne — Ah, o que é isso?! Ignore a dor, levante-se! Nem foi tão forte assim!

Mais uma vez suspirou fundo, se esforçando. Tentou ignorar a dor que veio mas era insuportável. Apoiou sua mão na parede dando impulso, com a dor ignorada conseguiu levantar-se. Cambaleava um pouco mas tudo estava bem, levantou seu olhar e Undyne estava com um sorriso de orgulho no rosto.

No hospital...

Nervosismo. Essa palavra descreve o que Ink sentia naquele momento, mordia até os próprios dedos de tão nervoso que estava. Já faz quase uma hora que estava ali..

Ink — Cadê ele, meu cristinho?!!

Dra. — Senhor, por favor... Eu peço que se acalme e fale um pouco mais baixo... O senhor está em um hospital.

Ink — E-eu tô calmo, n-não tá vendo?!

Dra. — Não parece..

Ink — E se for grave?!

Dra. — Mas o que...?

Ink não estava nem mais ciente do que dizia. Apenas falava coisas sem sentidos, o que fez a moça pensar que ele estivesse ficando louco de tanta preocupação.

Até que finalmente chamaram por seu nome, mencionando que já podia o ver. Correu até o quarto dito, quase arrombando a porta.

Error dormia tranqüilamente com uma expressão fofa no rosto, Ink se aproximou calmamente se sentando na cadeira que havia perto. Ficou ali, esperando que Error acordasse... Ink batia o pé infinitamente quase pegando no sono ali mesmo, segurou a mão do amado. A sua mão estava tremendo.. Mas por que? Error está bem, né? Ele é o Error! Deu um sorriso forçado passando a mão pela testa...

Olhou para seus batimentos cardíacos, pasmo...

Os batimentos haviam parado...


Notas Finais


Matem-me se quiserem
Mais tarde sairá o “Perguntas e Respostas”
Queria agradecer NOVAMENTE pelos 30 favoritos
E parabains quem chegou até aqui


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...