História Never alone-OneShot - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Gravity Falls
Tags Ford X Stan, Fordstan, Gravity Falls, Stanford, Stanley, Yaoi
Exibições 47
Palavras 1.220
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Famí­lia, Lemon, Poesias, Romance e Novela, Violência, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


HEY HEY MY ILUMINATS!!
I COME BAAACK!
Eu tava pensando,aí surgiu uma idéia...que foi de,fazer uma outra alternativa na história,tipo,como seria na realidade...e sabem que a vida não é justa,né?
Já que eu sou bem malégna,eu fiz esse Bad End de Never Alone!
Avisando
Isso vai se passar uns segundos depois que STAN confessa seus sentimentos,e não o Ford...
Isso foi inspirado numa música que,na minha opinião,combinou com o capítulo!
"A sadness runs though him."

Espero que gostem! Ou me matem!
~beijos purpurinosos e boa leitura.~

Capítulo 2 - A Sadness Runs Through Him.


Depois do mar marejado de sentimentos,um minuto de silêncio pairou pelo ar,um pouco desconfortável. Stan aproveitou a oportunidade,aproximando-se mais de seu irmão,que tentou recuar,mas acabou encostando numa "parede"(na verdade,seria o telhado da cabana). Ford tentou questionar,até Stan lhe selar os lábios,passando toda sua emoção para seu gêmeo,mas foi empurrado bruscamente. Olhou confuso para o Pines á sua frente.

-S-Stanley?! O que foi isso!-Ford se levantou num pulo,limpando um pouco a sujeira em seu jaleco.

-Como assim,eu...-Stan também se levantou.-Ford,eu pensei que--

-NÃO! Você não pensou! Esse é o problema! Você não pensa antes de agir,mesmo sabendo a gravidade desta situação!-Stanford levantou um pouco seu tom,gesticulando com as mãos.

-Mas...mas...

-NADA DE "MAS"! Stanley,você sabe muito bem que,eu e você,somos dois adultos maduros o bastante pra perceber como isso...como essa situação é grave!

Stan sentiu um aperto em seu coração,ele só pensava que Ford poderia lhe ajudar com isso,e não surta de vez. Ficou tão assustado com a situação do irmão,que ficou com medo de que cometeu um erro terrível.

-Ford,me-me desculpa...eu não queria...

-Stan...-Stanford suspirou,colocando sua palma em sua face.-Só...me deixe sozinho.

-Stanford,por favor...

-Eu disse pra me deixar sozinho,seu idiota. Não me venha com desculpas,já deu. Acabou. Não ouse falar comigo.-Dito-lhe isso,desceu a pequena escada,com um Stan chamando seu nome freneticamente ,o seguindo. 

Ford ignorava Stan completamente,indo á máquina de salgadinhos,apertando um botão de seu relógio,dando passagem ao porão.

-Ford! Espera! Não vai! -Stan tentou impedir o outro Pines,que lhe olhou sério e decepcionado

-Eu queria conversar civilizadamente com você,Stanley,eu queria saber o porque de suas estranhas ações do decorrer dessa semana. E o que você faz? Me beija! Você me beijou Stan!! Percebe o quanto isso foi errado?! O QUANTO ISSO FOI IRRACIONAL?!-Deixou sua ultima bufada,entrando no elevador.

-Não! FORD! ESPERA! NÃO VÁ!-Stan mais uma vez,tenta impedir seu irmão,falhando miseravelmente.-POR FAVOR STANFORD,NÃO FAÇA ISSO!!

Ja era tarde,o elevador se fechou,com uma ultima vista daqueles olhos castanhos,agora sem brilho...só arrependimento.

Stanley ainda tentava chamar atenção de Ford,mesmo sabendo que o mesmo não escutaria.

-VOCÊ QUER TER UMA CONVERSA CIVILIZADA? ENTÃO VAMOS TENTAR CONVERSAR SOBRE ISSO,POR FAVOR?! VOCÊ QUE ESTÁ SENDO IRRACIONAL!!

Ainda nada lhe respondera. Mais uma vez,tentou receber atenção. Mas nada. Além do ecoar das árvores com o vento forte lá fora.

-Por favor Ford...eu não queria...eu não queria que acabasse assim...por favor...eu não quero te perder de novo...-Stan cai de joelhos,sentindo as incontáveis lágrimas caírem. Soluços saiam abafados,pois tentava contê-los com a mão em sua boca.-Me desculpa...eu sou desprezível...eu sou uma pessoa horrível...só não me deixe...era eu e-e você,pra sempre...-Aperta firmemente sei peito,agora com o coração quebrado,sentindo como se tudo foi queimado,e só sobrar poeira.

-Eu nu-nunca quis te magoar...me responde...por favor...-As lágrimas ainda não cessavam,deixando seus olhos inchados e vermelhos.

O Pines ficou na mesma posição quando á anos atrás,recebeu a notícia de que Ford poderia se afastar dele por causa da faculdade. A mesma posição,onde teve medo de que eles se separassem para sempre. A mesma posição da amargura. 

Um déjà vu maldito e repetitivo na vida do pobre Stan Pines. Algo que parece que está escrito permanentemente para acontecer á existência estúpida do grisalho. As peças de seu velho coração,requebradas novamente,como se já não bastasse ser alguém mentiroso e não confiável,alguém odiado pela sociedade. Ford era o único que poderia aquecer de novo o coração de Stan. O Pines mais velho,era o único que poderia ser ainda persistente,até pela situação mais difícil. Mas agora,está lá,apodrecendo naquele porão escuro e sem vida,tudo por causa de Stan. Stan é o motivo de tanto sofrimento na vida de Stanford. É o único encosto,que merecia morrer pelas suas atitudes ao olhar do mundo. 

People are puppets , held together with string

There's beautiful sadness that runs through him

As he asked me to pray to the god,he doesn't believe in.

Time and again boys are raised to be men:    impatient they start,fearful at end.

But here was a man mourning tomorrow.

He drank,but finally drown in his sorrow.

-A Sadness Runs Though Him-

Passaram-se duas semanas desde do acontecimento entre os dois gêmeos. Stanley passou a ter depressão,as vezes se trancava em seu quarto,pondo-se á chorar,se xingando mentalmente,e punindo-se,fazendo pequenos cortes em seus braços,alguns profundos,deixando cicatrizar,não de importava em esconder,sabia que Ford não sairia tão cedo daquele porão. 

Nunca mais tomaram café da manhã juntos.

Nem almoço.

Nem jantar.

Eram raras as vezes que Ford saia,talvez para pegar comida,não queria,e nem poderia morrer lá em baixo,precisava terminar sua pesquisa,até agora,as anomalias em Gravity Falls tinham abaixado em freqüência,parte delas foram consumidas no Weirdmageddon. Stanley o cumprimentava,o mesmo só ignorava,ou deixada um olhar reprovador,e voltava para o porão.

Stan tentava lidar com a solidão,Soos poucas vezes,oferecia comida ao velho,sempre recebendo o mesmo "Estou bem,mas obrigado.",mesmo estando morto por dentro,forçava um sorriso para convencer o Ramirez,que só dava de ombros,tentando deixar Stan quieto na dele. 

Os dias ainda se passavam,e Stanley começou á ter ataques de pânico. Quase quebrou a cabana inteira pelas ações repentinas. A solidão o consumia,assim como as trevas.

He could not brace up his tension.

He looked in the wrong place for redemption.

Don't look at me with those eyes,i tried to anaethatise; Turn back the time that drew him.

But he couldn't be saved:

A sadness runs though him 

A sadness runs though him.

-A Sadness Runs Though Him-

Foi a gota da água. Stan já não sentia mais nada. Nem tristeza,e nem alegria. Permaneceu agora neutro,trancado em seu quarto,observando os cortes em seu braço,alguns já tinham cicatrizado,outros foram de dias recentes. O sangue permanecia,agora seco. Os móveis estavam fora do lugar,tinha papéis manchados,com desenhos de olhos,com sangue fresco. Ele fazia esses desenhos em seus ataques de pânico,onde não tinha mais controle de seu corpo. 

A vida foi assim daqui pra frente.

Desta vez,ele apodrecia em seu quarto. O lugar já cheirava á mofo,desse modo ele poderia só restar seu cadáver ali.

De repente,uma batida de leve foi escutada. Não com muita disposição,abriu lentamente a porta.

O que ele viu,o congelou no mesmo instante. Depois de um mês inteiro,ele teve a vista perfeita dos olhos.

Aqueles olhos castanhos como avelã,iluminados naturalmente. Ford estava parado bem na frente de Stan. Uma única faísca acendeu-se em seu coração,uma esperança que já havia sido esquecida.

-Bom dia,Lee.-A voz firme de Stanford foi como uma doce sinfonia para os tímpanos de Stan,deixando o mesmo relaxado,uma coisa que nunca tinha acontecido á dias. E para melhorar,Ford o chamou pelo apelido carinhoso que eles tinham quando crianças.

-Não vai me convidar para entrar?-Mais uma vez,a voz de Stanford despertou seus pensamentos. Sem hesitação,atendeu o pedido de seu irmão,sentindo-se um pouco feliz.

Ford passava seus olhos por todos os lugares do quarto,impressionado com os desenhos,e a faca ensangüentada em cima da cama. Tocou no sangue espalhado pelo chão,cheirando á essência,um cheiro que nunca novamente tinha sentido. Sorriu levemente,se virou para encarar um Stan meio bobo pelo estado do local. 

-Hm...acho que,poderíamos tentar resolver estes assuntos.-O Pines disse,ainda sorrindo. O sorriso que faz o coração de Stan acelerar.

Seus olhos começaram a marejar de novo. Num movimento rápido,Stan viu-se correndo até o irmão,lhe dando um abraço apertado,chorando em seu ombro.

-Me desculpa,eu sei que fiz merda...mas,me perdoe...eu senti sua falta,Poindexter.-Stanley diz,ainda choroso,ainda mais quando seu gêmeo retribui o abraço.

-Também senti,cabeça de vento.-Ford fala abafadamente,dando um delicado beijo na testa de Stan.

 

 

FIM

 

 

 

 


Notas Finais


Digam o que acharam,please! Sua opinião é bem-vinda!
~beijos purpurinosos


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...