História Never be Alone - Justin e Shawn. - Capítulo 33


Escrita por: ~

Visualizações 276
Palavras 3.443
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishoujo, Crossover, Fantasia, Hentai, Lemon, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Universo Alternativo, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo, Suicídio
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá mores, capítulo novinho pra vocês! Espero que gostem! Na capa: Shawn, sua irmã Aaliyah e sua mãe Karen <3

Capítulo 33 - Home


Fanfic / Fanfiction Never be Alone - Justin e Shawn. - Capítulo 33 - Home

LEIAM AS NOTAS FINAIS POR FAVOR!

POV SHAWN MENDES

A minha chegada em Toronto foi tranquila. Meus pais organizaram uma recepção pra mim aqui em casa. Vários familiares vieram pra me ver, afinal, faziam alguns meses que eu não passava um tempo aqui. Desde que minha carreira despontou eu estou ficando cada vez com menos tempo pra vir pra casa. Eu sinto muita falta deles. Eu cresci aqui em Pickering na província de Ontário, no Canadá, a mesma província que o Justin nasceu. Mas isso não vem ao caso, não agora. Minha mãe, Karen, é uma agente imobiliária, e meu pai Manuel é empresário. Eu e minha irmã Aaliyah tivemos uma boa infância. Ela tem 12 anos agora, e é a pessoa que eu sou mais próxima aqui em casa, mesmo com essa diferença de idade. Ela é otima e eu sempre me divirto muito com ela. É assustador perceber o quanto ela está crescendo rápido. Ela está ficando alta, acho que ela vai ser uma garota muito alta quando tiver seus 18 anos. Não que isso seja um problema, eu sempre achei garotas altas muito atraentes. Eu gosto de pessoas altas. Justin não é alto, ele é ... Não importa, eu não quero pensar nele agora. Eu preciso parar de pensar nele um pouco, mesmo que isso seja difícil.

Já são 9 horas da manhã e eu estou sentado na mesa da cozinha enquanto minha mãe prepara o café. Sabe, é bom saber que mesmo depois do sucesso, algumas coisas não mudam, eu ainda adoro ficar observando minha mãe cozinhar, enquanto minha irmã acorda toda bagunçada e mal humorada. Meu pai não está em casa, provavelmente resolvendo alguma coisa dos preparativos para o natal. Nossa família tem costume de se reunir. Meu pai é Português, e minha mãe é de Inglesa. Eu e Aaliyah nascemos aqui no Canadá e fomos criados nessa cidade nossa vida toda.

-Filho, ontem nem tivemos tempo pra conversar com toda aquela gente aqui, me fala, como estão as coisas do seu álbum novo? Tem algo que eu já possa ouvir? - Minha mãe pergunta enquanto deixa uma fatia de pão na minha frente.

-Ah mãe, a gente gravou algumas coisas e agora estamos decidindo qual vai ser o primeiro single, assim que eu tiver algo definido eu te mostro, ok? - Respondo enquanto encho minha caneca com leite.

-Claro meu amor, eu tenho certeza de que vai ser um sucesso, você está muito conhecido agora, eu fico até um pouco assustada em ver o meu bebê tão famoso..

-Mãe... eu não sou mais um bebê! - digo fazendo uma careta de bravo que tira algumas risadas da minha mãe.

-Você vai ser sempre o meu bebê - ela responde segurando a minha mãe e olhando no fundo dos meus olhos. Consigo ver o orgulho que minha mãe sente de mim brilhando em seus olhos. Ela nunca exigiu nada de mim, nunca exigiu que eu fosse o melhor filho nem nada, mas ela sempre acreditou em mim, e poder estar aqui agora com tudo isso acontecendo na minha vida, é uma sensação que eu não consigo descrever em palavras.

-Bom dia - minha irmã interrompe aparecendo na cozinha e se juntando a nós na mesa.

-Bom dia irmãzinha, achei que fosse dormir o dia todo, que cara é essa? - digo rindo e provocando a menor que lança um olhar de nojo pra mim, enquanto puxa uma caneca e coloca seu leite e começa a se servir com alguns pães.

-Você estava em Paris né filho? Como eu sinto saudade daquele lugar, sabe, quando eu morava na Inglaterra, era muito fácil eu conhecer os outros países da Europa. Mas faz muito tempo que eu não vou pra lá. Mas afinal de contas, o que você foi fazer lá? Algum show? - Ela me pergunta, e logo a imagem de Justin vem na minha mente, droga.

-Ah ... eu fui com o Justin mãe, sabe, o Bieber, nós somos - dou uma pausa e respiro- nós somos amigos. E eu fui acompanhar ele num show que ele tinha pra fazer lá.

-Você bem que podia me apresentar pra ele né? Ele é mor gatinho! - Minha irmã diz e eu lanço um olhar matador pra ela, como ela se atreve a falar assim dele? Ok que ele é lindo, mas ele é meu. MEU JUSTIN. Bom, pelo menos era.

-É verdade filho, você podia trazer ele pra cá qualquer hora, você sabe que eu adoro conhecer seus amigos famosos - minha mãe diz enquanto da uma leve risada - e afinal, a família dele é daqui também né? Dá pra acreditar? Dois garotos popstars que vieram do mesmo país, e melhor, da mesma província, a água daqui deve ter alguma coisa especial - ela da uma risada forte e eu retribuo com um sorriso.

-E quando você trouxer ele aqui, eu vou poder dizer pra ele o quanto ele é lindo e MUITO MELHOR que você! - minha irmã diz olhando pra mim, me provocando.

-Cala a boca! - digo ríspido.

-Tá com ciuminho do namorado? - ela lança um olhar sugestivo pra mim que logo fico nervoso e posso jurar que estou suando aqui, ela continua me olhando com aquele olhar de quem sabe alguma coisa, tenho que tomar cuidado com essa menina.

-Para de provocar seu irmão Aaliyah - minha mãe interrompe

-Isso, para de falar coisa que você não sabe - digo desviando o olhar dela e voltando pro meu café.

-E você mocinha, eu ouvi você conversando no telefone ontem, eu posso saber com quem era? - minha mãe volta o olhar pra minha irmã mais uma vez, que agora está mais branca que a tolha de mesa. Logo eu começo a rir.

-Parece que alguém se ferrou! Vai, fala quem é o namoradinho! - Provoco.

-Cala a boca seu idiota! Ele é só um amigo! Cuida dos seus amigos e eu cuido do meu ok?

-Ok, ok, não está mais aqui quem falou! - digo rindo e levando a caneca para minha boca, entornando mais um gole.

-A única coisa que eu quero saber dos seus amigos, é do gatinho do Justin Bieber, você vai me apresentar ou é ciumento demais pra dividir o namoradinho? - ela diz rindo enquanto eu olho pra minha mãe com uma cara de "você não vai fazer nada?"

-Vocês dois nunca mudam né? - minha mãe diz rindo enquanto se levanta e começa a recolher as coisas do café.

-Mãe, o que vamos fazer amanhã? Bom, é véspera de natal, eu queria saber o que vocês prepararam - pergunto.

-Nossos familiares e amigos vão vir aqui, vamos fazer uma pequena festa e uma ceia de natal. Tem alguém que você queira convidar, ou me apresentar, uma garota talvez? - Minha mãe me pergunta com um olhar sugestivo.

-Não mãe, na verdade - na verdade eu estou apaixonado por um garoto que por sinal é o Justin Bieber, que por sinal é um grande idiota e não está mais comigo - nada mãe, eu só queria saber mesmo.

-Eu preciso que você vá com sua irmã no centro, eu encomendei algumas coisas pra amanhã, você acha que consegue andar aqui na cidade sem ser atacado por fãs? - ela diz rindo.

-Claro mãe, a cidade não é tão grande e todo mundo me conhece já. Nós vamos sim!

-Obrigado filho! Viu Aaliyah, é assim que se trata a sua mãe! - minha mãe diz tirando a caneca que minha irmã segurava de sua mão. Aalyah me olha fazendo uma cara de nojo enquanto eu estou rindo.

É bom estar em casa.

POV CAMERON DALLAS

-E foi isso Troye, eu beijei ele e aí ele saiu aqui de casa sem dizer nada, será que ele me odeia? Cara, eu não sei mais o que fazer com ele! E pra piorar, amanhã é véspera de Natal, minha mãe sempre fez uma grande ceia pra nós e todo o pessoal da Magcon, e agora eu vou ter que lidar com ele assim, desse jeito! Eu vou enlouquecer! - digo no telefone andando de um lado pro outro no apartamento.

-Olha Cam, eu poderia te dizer qualquer mentira pra te deixar melhor, mas eu vou dizer a verdade. Você gosta dele, isso é claro, e ele gosta de você. Está escrito nos olhos deles, nas atitudes, no jeito que ele te olha, no jeito que ele te defende, no jeito que ele sente ciúmes de você. Nash está apaixonado por você também.

-APAIXONADO POR MIM? Não Troye, claro que não. Ele não está apaixonado por mim também. Ele só está confuso! Eu não devo pensar nisso, eu não quero me iludir por ele, isso vai ser péssimo pra mim, eu não quero isso!

-Não adianta você tentar fugir disso Cam, uma hora ou outra isso vai vir a tona e vocês dois vão ter que lidar com o fato de que vocês gostam. Vai por mim, eu sei o que eu to falando.

-Não Troye, não! Enfim eu preciso ir, depois a gente conversa mais! Mais uma vez, obrigado, você é incrível comigo!

-Eu sei, eu sei! Vai lá lindo, beijos.

-Beijo.

Desligo o telefone e começo me arrumar pra sair, mas sou interrompido por uma outra ligação no meu celular. Olho pra tela e leio "Taylor Giavasis" ótimo, tudo que eu preciso agora é de uma ligação da namorada do Nash. Devo atender? Não eu não devo atender. Né? Eu não devo atender né? Ai que droga eu sou muito otário, eu vou atender.

-Alô - digo.

-Camerom, graças a deus que você atendeu, eu preciso da sua ajuda, o Nash chegou aqui bêbado e todo machucado, acho que ele se meteu numa briga, mas eu não posso ficar aqui, eu tenho um vôo marcado pra ir ver minha família no natal, você pode buscar ele aqui? Eu sei que vocês vão passar o natal com a sua família e tals.. Por favor

Droga, outra vez ele apareceu bêbado. Mas machucado? O que esse garoto aprontou dessa vez? E eu, o otário maior, vou lá né, claro que vou, eu sou muito idiota. Só espero que ele não me ataque dessa vez.

Pego as informações com a Taylor de onde eles estão e vou pra lá.

Assim que chego em frente a casa dela, os dois estão parados na frente. Saio do Táxi e peço pra ele esperar um pouco.

Vou caminhando na direção dos dois. Observo Nash, ele aparentemente tomou um banho e está sóbrio agora, mas seu rosto está todo cheio de vermelhos e roxos. O que esse menino fez dessa vez?

-Graças a deus você chegou! Eu estou muito atrasada, e eu não vou deixar ele sozinho por aí pra fazer merda outra vez, eu fiz ele prometer que vai ficar com você, parece uma criança, não acredito que está dando esse tipo de trabalho com essa idade. Pelo amor de deus né Nash, você faz 18 anos daqui 5 dias, amanhã é véspera de Natal, para de dar dor de cabeça agora pra gente né - Ela diz com uma voz séria olhando pra ele.

-Alguém pode me explicar o que aconteceu? - pergunto olhando pra ele, mas ele desvia o olhar pra baixo.

-Ele se meteu numa briga. Os caras do bar me disseram que um cara chamou ele de viado e ele ficou puto da vida e partiu pra cima, claro, tava bêbado, eaí apanhou pra caramba. Mas eu consegui convencer eles a não dar queixa nem nada. Eu só queria saber o que aconteceu pra ele estar bebendo, mas ele não quer falar. Então ele que sabe. Enfim eu fiz minha parte. Eu não sou namorada de um garoto de 12 anos, espero que ele pare de se comportar como um. Eu preciso ir, estou atrasada, cuida bem dele por favor Cameron. E Nash, para de fazer merda, por favor. Eu amo você ok? - ela diz olhando pra ele, que responde apenas com um olhar baixo. Ela se aproxima e beija sua boca, o que me deixou muito esquisito. - Até mais Cam, feliz natal! - ela se aproxima e beija meu rosto enquanto vai em direção à seu carro.

Olho pra Nash e ele fixa o olhar em mim sem dizer nada. Apenas aponto em direção ao táxi e ele me segue. Entramos e o carro dá partida.

-Nash o que..

-Eu não quero falar sobre isso!

POV JUSTIN BIEBER

Eu vim pro Canadá, e vim sozinho, aquela cretina da Hailey não pode desmarcar um compromisso, então ela me obrigou a vir e marcamos de nos encontrar no ano novo, lá em NY. Mas eu estou aqui. Vim pra casa dos meus avôs, onde eu cresci. Sempre que eu venho aqui muitas lembranças ficam passando na minha cabeça. De quando eu era apenas um garotinho que adorava música, e brincava com meus amigos. É estranho pensar em como tudo mudou. Agora eu sou talvez o cantor mais conhecido do mundo, quase não tenho mais amigos aqui, e bem, tenho um namorado, ou pelo menos tinha, mas isso ninguém sabe.

Meus avós Michael e Diane ficaram muito felizes com a minha chegada de surpresa. Cheguei aqui de manhãzinha. Eles fizeram mil perguntas sobre a minha carreira e a vida lá nos Estados Unidos, e claro, me deram muitas broncas por várias coisas que eu fiz, coisas que eu nem posso tirar a razão deles. Eu respeito muito eles, eles ajudaram a minha mãe a me criar, e com a falta do meu pai, meu avô sempre foi o mais perto de uma figura paterna presente que eu tive.

Meu pai não é ruim, ele só não estava presente. Minha mãe me teve com 17 anos, e me criou sozinha pois meu pai foi embora. Hoje eu tenho uma relação ótima com ele. Já a minha relação com a minha mãe não está das melhores. Sabe, com tudo aquilo que aconteceu, todos os problemas que eu me meti, ela tentou me ajudar e eu não a tratei como ela merecia, mas hoje eu vejo o quanto eu estava sendo idiota com ela, com todos na verdade. E agora eu fico super envergonhado por isso. Ela deu a vida dela por mim e eu não soube retribuir. Mas eu sei que ela me ama, e eu a amo. E ter ela aqui no Natal vai ser uma coisa boa. Mesmo o real motivo dessa viagem sendo pra ir atrás do Shawn, eu quero ficar com minha mãe. Ela está vindo do Havaí pra passar o Natal com meus avós, e não sabe ainda que eu estou aqui.

Eu sei que Shawn mora em Pickering, uma cidade aqui de Ontário. Consegui o endereço da família dele com um pessoal da Island Records, que é a gravadora que fazemos parte. Meu plano é ir lá amanhã, na véspera de Natal, e fazer uma surpresa pra ele. Eu preciso dizer que eu o amo, que eu estou arrependido de ter dito aquelas coisas. Eu não posso perder ele assim, desse jeito.

Estou deitado no meu antigo quarto, que ainda continua do mesmo jeito, exceto pela cama que eles trocaram para que eu consiga dormir nela, já que bem, que estou um pouquinho maior né.

Olho pro meu celular e vou até a conversa de Shawn. Lá estão as 12 mensagens que eu mandei pra ele, pedindo desculpas, pedindo pra ele voltar pra mim, mas todas sem resposta. Meu coração dói só de imaginar o que ele deve estar sentido. Eu prometi que estaria com ele, e na primeira dificuldade eu digo a coisa mais idiota possível.

Eu sou assim, eu sou idiota. Eu estrago tudo. Eu estraguei tudo com a Selena, eu era explosivo, eu gritava com ela, eu não entendia os problemas dela e acabava piorando tudo. Eu perdi a pessoa que eu mais amava. E agora eu perdi a outra pessoa que eu mais amo. Parece que todos que passam pela minha vida, todos que eu amo, eu magoo em algum momento. Selena, minha Mãe, Shawn...

Todos, todos foram magoados por atitudes minhas, por coisas idiotas que eu fiz ou falei. Quando eu começo a pensar no quanto eu sou idiota, aquele sentimento de não querer mais estar aqui volta. Aquele sentimento que eu senti quando tomei aqueles remédios antes do show, quando tentei pular lá em casa, que se o Shawn não estivesse lá, eu nem estaria mais aqui.

"-Vai embora Shawn, por favor - Eu gritava. Meu olhos estavam cheios de lágrimas, e eu estava ali, na beira daquele precipício, alguns centímetros me separavam da vida e da morte, e naquele momento, nada mais fazia sentido, nada mais me dava vontade de continuar vivendo. Shawn tentava se aproximar de mim, mas cada passo que ele dava, mais perto eu ficava da ponta da queda.

-Justin, me escuta. Não faz isso por favor. Cara olha quantas pessoas se importam com você. Olha quantas pessoas querem te ver feliz. Olha suas fãs cara. Como você acha que elas vão se sentir? Você salvou vidas cara, você deu motivo pra muitas pessoas não desistirem, e agora você vai desistir? - soltava todas as palavras com muita rapidez. . - Cara, olha pra mim. Como você acha que eu vou me sentir? Eu me importo com você cara. Mesmo você ter sido um babaca comigo, nós somos amigos. E eu me importo com você.

-É por isso que eu tenho que morrer. Eu estrago a vida das pessoas. Olha o que eu fiz com você. Eu sou o pior tipo de pessoa que existe. Eu mereço isso. Eu não aguento mais viver assim. Eu decepcionei todo mundo. E agora eu decepcionei a pessoa que eu amo. É verdade Shawn Peter Raul Mendes, Eu te amo. Eu acabei com você e eu estou impossibilitado de fazer algo. Eu não posso consertar o que aconteceu e você não deveria se envolver mais nisso - nesse momento eu já não conseguia controlar mais minhas lágrimas, minha respiração estava pesada e eu estava pronto pra fazer aquilo."

Eu não sei o que seria de mim sem o Shawn. Aquele dia ele disse que me amava. Eu contei toda a história da Hailey pra ele. Aquele dia eu prometi que estaria pra sempre ali, e olha o que eu fiz? Eu o deixei por causa do meu medo idiota! Eu não mereço mesmo alguém tão bom quanto o Shawn. Eu só consigo estragar a vida dele.

Vou nas minhas músicas e mais uma vez ele aparece ali em primeiro, como mais ouvida "Never be Alone". Dou play e logo aquela voz quente e linda começa a preencher meu coração. Cada verso que ele cantava era como uma facada bem no meu coração, me lembrando o quanto eu o amava, e o quanto eu estava arrependido daquilo.

"You'll never be alone ( Você nunca estará sozinho)

When you miss me close your eyes (Quando sentir minha falta, feche os olhos)

I may be far but never gone (Eu posso estar longe mas eu nunca fui embora)

When you fall asleep tonight (Quando você cair no sono a noite)

Just remember that we lay under the same stars (Apenas se lembre que estamos debaixo das mesmas estrelas)"

Aquela voz fazia as lágrimas rolarem pelo meu rosto. Um vázio tomou conta do meu coração e eu percebi o quanto eu sentia falta dele. O quanto a minha vida dependia dele. O quanto eu amava aquele garoto. Aquele garoto que salvou a minha vida. Que me deu uma razão pra acreditar que a vida valia a pena. Eu o amava, e eu precisava dele de volta.

Fecho meus olhos e em meio às lágrimas, durmo.

--------------

Acordo sentindo um carinho no meu cabelo e quando abro os olhos ela está ali. Minha mãe. Minha rainha, minha heroína, a mulher que eu mais amo nessa vida. Ela está ali me fazendo carinho.

Me levanto correndo e a abraço. Logo as lágrimas rolam pelo meu rosto. Lágrimas que estavam aqui contidas há meses. Lágrimas de arrependimento, de vergonha. Lágrimas de um filho arrependido que precisa do abraço da mãe.

-Mãe, me desculpa, eu ... - começo a dizer em meio as lagrimas.

-Shhhh ... calma filho, ta tudo bem, a mãe tá aqui, eu te amo, eu sempre vou te amar! Sempre! - ela aperta o abraço e naquele momento eu sinto que nada nunca vai mudar, ela vai ser minha mãe sempre, sempre vai estar aqui pra mim, e vai me defender, eu sempre vou ser o garotinho dela! Sempre!

O CAPÍTULO DE NATAL É O PRÓXIMO! PREPAREM-SE RSRS


Notas Finais


ALÔ! Chegamos no último capítulo antes do especial de natal! O próximo capítulo vai ser um dos mais intensos, bonitos, tristes e especiais que eu já escrevi! Estou ansioso pra mostrar pra vocês! Espero que tenham gostado desse! Foi um capítulo mais interpessoal dos dois, falando de suas famílias e seus sentimentos! Já sabem né? Favoritem, compartilhem, comentem! E lembrem-se que tem a outra fanfic! Vou deixar o link aqui! Logo tem capítulo novo lá <3
https://spiritfanfics.com/historia/next-to-you-9767838


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...