História Never Be Alone - Capítulo 18


Escrita por: ~

Postado
Categorias Cameron Dallas, Magcon, Shawn Mendes
Personagens Aaron Carpenter, Cameron Dallas, Carter Reynolds, Christian Collins, Crawford Collins, Jack Gilinsky, Kian Lawley, Matthew Espinosa, Nash Grier, Personagens Originais, Shawn Mendes, Taylor Caniff
Tags Cameron Dallas, Fbi, Magcon, Shawn Mendes
Exibições 253
Palavras 2.354
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção, Mistério, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Eu tremi e suei muito escrevendo esse cap de tanta agonia que me deu. Coloquem When I Look At You da Miley pra tocar quando os lyrics começarem <3 Espero que gostem. xx Kah

Capítulo 18 - Fire


Shawn P. R. Mendes Point Of View

Lou se esconde por trás da parede de proteção e mira na minha direção, errando mais uma vez. Corro para o outro lado e atiro nela, acertando na coxa. Ouço-a resmungar, o que me arranca uma risada alta.

 - Você é péssima nisso!- grito mirando outra vez para acertá-la mas dessa vez ela consegue se esquivar. Lou para no meio do campo e mira em mim, conseguindo acertar em meu peito. Me jogo no chão e finjo sentir dor quando ela vem até mim.

- Eu disse que conseguiria te acertar.- diz com um sorriso convencido e eu faço uma careta.- Tá tudo bem?- sua voz soa um pouco preocupada agora.

- Eu só preciso de um beijinho para melhorar.- faço bico, apoiando meus cotovelos no chão.

- Tem crianças aqui, Shawn.- ela diz, olhando em volta.

- Eu só pedi um beijo. Os pais dessas crianças com certeza se beijam na frente delas.- uso meu melhor argumento do momento, o que Lou revirar os olhos e sorrir.

- Só um selinho.- ela se abaixa e deposita um selinho um tanto quanto demorado em meus lábios. Tento aprofundar o beijo mas sou atingido por um tapa.- Palhaço.- ri ao se levantar e me ajudar a ficar de pé.

- Até que você se saiu bem para quem jogou Paintball pela primeira vez.- digo enquanto tiramos os macacões e acessórios e saímos do campo, entrelaçando meus dedos nos seus.

 - É divertido mas dói.- responde olhando as machinhas roxas em sua coxa e braços. De longe consigo exergar a roda gigante do parque e tenho uma ideia imediatamente.

- Vem cá.- puxo Lou pela mão e entro correndo no lugar com ela. Vou até a bilheteria e compro dois ingressos, comemorando mentalmente por a fila estar pequena.

- O que você tá fazendo?- Lou pergunta sem entender.

- Nós vamos ver o pôr do sol do ponto mais alto do parque.- respondo guardando a carteira e ela me encara boquiaberta, analisando em seguida a altura do brinquedo.

- Eu não vou.- ela dá as costas e eu a puxo pelo braço.

- Você não vai entrar sozinha. Eu vou também.- digo ao ver o pavor tomar seu rosto.- Por favor.- peço beijando sua mão. Lou bufa e faz uma careta.

- Vamos logo então.- ela se rende e me puxa para entrar na cabine. Nos sentamos, travamos os cintos bem apertados e a barra de proteção.

Acabo me distraíndo quando vejo três casais na nossa frente, um deles com o filho, um moreninho que até se parece um pouco comigo quando eu era pequeno. A cena me fez lembrar do meu pai e do quanto sinto falta da minha família. Fazem quase quatro anos desde que saí de casa para seguir o meu sonho de trabalhar no FBI, sonho esse que acabou sendo substituído pela música por um tempo mas que reacendeu no momento que vi Louise gritando por socorro na sacada do quarto ao lado do meu naquele hotel. Pressiono os olhos ao me lembrar da cena que provavelmente nunca sairá da minha mente.

- Tá pensando no que?- ela pergunta, me tirando dos meus devaneios.

- No quanto estou ansioso para ver meus pais.- falo somente sobre o pensamento em relação ao meu pai.

- Falta pouco para vê-los. Só mais três dias. - ela me abraça pela cintura e eu me curvo para beijar sua testa.

- E se eles não gostarem da surpresa?.- digo, colocando as mãos nos bolsos.

- Sabe o que eu acho?- ela faz carinhos no meu braço e eu desvio meu olhar para ela, esperando pela que ela continue.- Que eles irão adorar poder ver o filho depois de tanto tempo.

- Acha mesmo?- Lou assente rápido.

- Shawn, você saiu de casa para seguir o seu sonho e conseguiu. Na verdade, você conseguiu mais do que imaginava. Agora você é um dos melhores agentes que o FBI já viu e você ainda nem está perto de fazer quarenta anos. Eu não consigo imaginar o tamanho do orgulho que devem sentir por você.- ela diz, me fazendo sorrir.

- Não sabe o alívio que me dá ter você aqui comigo.- digo soltando um suspiro.

 - Na última vez que me disseram algo parecido, tentaram me matar.- ela faz piada, me fazendo rir um pouco alto. A roda-gigante começa a se mover e imediatamente Lou agarra meu braço e o aperta com força.

- Medrosa.- brinco bagunçando o cabelo solto dela, recebendo um olhar de reprovação. A cada segundo que se passa vamos ficando mais longe do chão e. Lou aos poucos vai se soltando de mim e se virando para observar melhor. O céu ganha várias tonalidades de laranja e rosa, deixando tudo mais bonito. De frente para nós está o sol se pondo e do lado oposto, o castelo da Cinderela.

- É lindo.- ela diz baixo e quase sem piscar. Enfio a mão no bolso da calça e tiro a caixinha pequena que venho carregando desde o dia em que chegamos em Orlando. Lou desvia o olhar para mim e me encara curiosa.- O que é isso?

- Eu entrei em sites de algumas joalherias e achei o presente perfeito para te dar.- digo abrindo a caixinha e tirando o colar dourado.- Como eu não podia te deixar sozinha, dei as descrições para sua irmã e ela comprou.

- É perfeito.- diz ao pegar o colar e abrir o pingente de coração, revelando uma foto nossa. Tiro-o de sua mão e ela se vira para que eu possa colocá-lo em seu pescoço.- Eu amei. Eu amei muito.- ela diz baixinho.- Muito obrigada.- ela sorri ao me olhar e me abraça forte. Abraço-a na mesma intensidade e beijo seu pescoço exposto, fazendo-a rir.

Louise Scott Allen Point Of View

Depois que saímos do brinquedo decidimos que iríamos em uma festa a fantasia em um pub no centro de Orlando, então saímos em busca de fantasias para nós dois e não demorou para encontrarmos. A de Shawn do príncipe e a minha da Branca de Neve. Já estava ficando tarde então corremos para o hotel.

Assim que chegamos, corri para o banheiro e tomei banho primeiro, para ter mais tempo de me aprontar. Vesti a fantasia e fiz a maquiagem básica da personagem que consistia apenas na pele bem branquinha, sombra esfumada marrom, cílios bem marcados, um delineado fíno quase imperceptível, blush e batom vermelho. Quando acabei, borrifei um pouco de perfume, calcei os sapatos e coloquei a tiara em meu cabelo. Ouço o som de alguém limpando a garganta e quando olho para trás, encontro Shawn devidamente vestido. Sorrio observando o quanto ele ficou extremamente lindo.

- Fiquei bem?- ele pergunta dando uma voltinha.

- Ficou maravilhoso.- respondo sorrindo boba.- E eu? Como estou?- faço o mesmo que ele e paro bem próximo de seu corpo.

- Parecendo uma princesa de verdade.-  diz abrindo um sorriso enorme e se inclinando para me beijar rapidamente.- Vamos, Majestade?- ele se afasta um pouco e faz uma reverência.

- Vamos, meu príncipe.- entrelaço meu braço no seu ao sairmos do quarto. Os outros hóspedes nos encaram sorrindo enquanto passamos pelos corredores. Pude ouvir as crianças gritarem ''Mãe, é a Branca de Neve e o Príncipe de verdade!'' e Shawn apenas ria ao meu lado.

Entramos no carro e em menos de dez minutos já havíamos chegado ao pub. Shawn estacionou o carro um pouco afastado e o trancou. Entramos no lugar lotado e logo a música alta invadiu nossos ouvidos. Fomos direto para o bar e nos sentamos nos banquinhos do balcão. Por ter que dirigir de volta para casa, Shawn pediu apenas energético bem gelado para nós dois por conta do calor ali dentro.

- Se me dissessem há um tempo atrás que hoje eu estaria sentada no bar de um pub em Orlando com a pessoa que salvaria a minha vida, eu não acreditaria. E para ser sincera, ainda é um pouco difícil de acreditar.- digo ao dar uma golada bem grande no líquido gelado.

- E por que ainda não acredita?- ele pergunta com uma sobrancelha arqueada. e me encarando curioso.

- Porque é bom demais para ser verdade. É surreal.- respondo vendo-o sorrir.

- Ainda há muito por vir e pode ter certeza que eu vou te fazer mais feliz do que você consegue imaginar, Allen. - ele diz e desce do banquinho, ficando de  pé na minha frente.

- Mais do que já faz?- indago sentindo minhas bochechas corarem u pouco ao sentir suas mãos apertarem minha coxa.

- Muito mais.- ele responde se inclinando e esbarrando de leve seu nariz no meu, do jeito que ele sabe que eu adoro. When I Look At You da  Miley Cyrus começa a tocar e eu sorrio vendo-o fazer o mesmo. Dou mais um gole no meu energético antes que Shawn me puxe para o meio da pista.

Todo mundo precisa de inspiração

Todo mundo precisa de uma música

Uma linda melodia

Quando a noite é tão longa

Porque não há garantia

De que essa vida é fácil

Passo os braços em torno de seu pescoço e e encosto minha testa na sua, olhando em seus olhos quando ele envolve minha cintura com seus braços fortes e me aperta contra seu corpo.

Quando o meu mundo está desmoronando

Quando não há nenhuma luz para quebrar a escuridão

É aí quando eu

Eu... eu olho para você

Quando as ondas inundam a costa

E não consigo mais encontrar o meu caminho para casa

É aí quando eu

Eu... eu olho para você

Esbarro meus lábios nos seus por um tempo antes de beija-lo. Shawn pede passagem  e eu cedo imediatamente, começando um beijo calmo e lento que vai aumentando de acordo com a música. Nossas línguas travam uma batalha intensa e as mãos que estão na minha cintura sobem e descem devagar, me causando um arrepio delicioso.

Quando eu olho para você

Eu vejo perdão

Eu vejo a verdade

Você me ama por quem eu sou

Como as estrelas abraçam a lua

Bem ali onde elas devem estar

E eu sei que não estou sozinha

Nos separamos um pouco por causa da infeliz falta de ar e Shawn me encara respirando ofegante. Uma de suas mãos afaga meu cabelo e a outra acaricia minha bochecha.

- Eu amo você. Eu nunca vou me cansar de te lembrar isso.- ele diz rouco e eu fecho os olhos para prestas atenção apenas em sua voz.

- Eu nunca vou me cansar de ouvir isso.- respondo com minha voz embargada e meus olhos marejados.- Eu também amo você, meu príncipe.- digo vendo um sorriso enorme tomar conta de seus lábios.

Você apareceu como um sonho para mim

Como as cores de um caleidoscópio

Que provam para mim

Que tudo de que preciso

Cada suspiro que eu dou

Você não sabe

Que você é maravilhoso?

​Quando Shawn ia se aproximar novamente, um estrondo vindo da cozinha chamou a nossa atenção. Em fração de segundos as pessoas começaram a correr e o único som que se ouvia agora era o grito das pessoas. O fogo veio da cabine do DJ no andar de cima e se espalha rapidamente pelo teto. Cortinas e pedaços da estrutura de madeira começarem a cair sob as pessoas que tentavam sair desesperadas.

- Shawn...- minha voz quase não sai e eu aperto a mão do meu namorado, apavorada.

- Fica calma. Nós vamos conseguir sair daqui.- ele diz tentando me acalmar e me puxa. Tentamos passar por entre toda aquela multidão mas é quase impossível. Pessoas sendo pisoteadas, sons de ossos se quebrando, gritos desesperados e um cheiro horrível. A fumaça aumenta, começando a atrapalhar nossa visão.

Shawn me puxa para o lado contrário e sobe as escadas me puxando. A parte de cima já está quase completamente destruída e é de onde a fumaça vem em maior quantidade. Começo a tossir e sentir uma falta de ar terrível.

- Shawn..- chamo-o com dificuldade enquanto ele procura por uma saída em meio aos escombros mas ele não me escuta. Solto um grito ao ver o corpo do DJ no chão e pressiono os olhos, agarrando o mais forte que posso o braço de Shawn. Passamos por cima de alguns sofás e logo na frente encontramos os corpos das pessoas que estavam ali na área vip, os que foram atingidos primeiro pela explosão.  

- Nós precisamos passar por aqui,- Shawn diz e eu nego rapidamente.

- Eu não consigo.- digo sentindo as lágrimas descerem enquanto o caos aumenta.

- Lou, é o único jeito de sair. Nós temos que passar por aqui.-ele  segura o meu rosto- Você consegue. Eu vou te ajudar.- ele passa na minha frente e segura as minhas duas mãos. Olho para frente e consigo ver a saída de emergência não muito longe. Fecho os meus olhos enquanto sou guiada por ele para não ter que ver os corpos que estamos pisando. Oh, céus. Quando conseguimos passar minhas pernas fraquejam e desabo no chão antes mesmo que Shawn consiga me segurar. Minha garganta se fecha completamente e o ar para de circular.- Lou, amor, levanta.- ele se ajoelha na minha frente e eu nego.

- Shawn.. E-eu...- tento respirar, em vão.- Não consigo respirar.- digo sentindo as lágrimas descerem em maior quantidade. Borrões tomam conta da minha visão e eu não consigo enxergar mais nada na minha frente, nem mesmo o rosto de Shawn. Os gritos lá em baixo vão ficando cada vez mais longe e eu engulo em seco, sentindo meu peito doer em outra tentativa falha de respirar.

- Amor, não dorme. Lou, você não pode dormir!- ouço a voz de Shawn bem distante. Sinto os braços me tirarem do chão e ele começa a correr na direção da porta. Segundos depois eu sinto uma brisa fresca e o som estridente de algumas sirenes bem longe. Shawn parece descer alguma escada e voltar a correr. Ouço o som do carro destravando e meu corpo é colocado em uma superfície macia antes de eu apagar de vez.

 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...