História Never Be Alone - Capítulo 37


Escrita por: ~

Postado
Categorias Cameron Dallas, Magcon, Shawn Mendes
Personagens Aaron Carpenter, Cameron Dallas, Carter Reynolds, Christian Collins, Crawford Collins, Jack Gilinsky, Kian Lawley, Matthew Espinosa, Nash Grier, Personagens Originais, Shawn Mendes, Taylor Caniff
Tags Cameron Dallas, Fbi, Magcon, Shawn Mendes
Exibições 162
Palavras 1.814
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção, Mistério, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


O CAPÍTULO QUE TODO MUNDO ESPERAVA. SEGUREM ESSA MARIMBA, MONAMOOOOOOOOOOOOOOOOOOUR. <3 postei tarde mesmo porque não sossegaria enquanto não terminasse e postasse logo. ESPERO QUE AMEM ESSE CAP TANTO QUANTO EU AMEI. <3 Amo vocês <3

Música para o cap: Mercy

Capítulo 37 - Guardian angel


Fanfic / Fanfiction Never Be Alone - Capítulo 37 - Guardian angel

Shawn P. R. Mendes Point Of View

Me levanto rapidamente assim que o avião pousa em Seattle e corro para tentar sair primeiro do que todos os outros passageiros mas sou impedido pela aeromoça que me barra dizendo que a pista ainda está sendo preparada para descermos.

- Cara, fica calmo, falta pouco para encontrarmos a Lou.- Matt diz ao tocar no meu ombro.

- Mas e se o Dallas desconfiar que estamos chegando e levá-la para outro lugar?

-Não pense assim. Vai dar tudo certo, o nosso plano é incrível.- ele e os caras tentam me confortar. A porta do avião finalmente se abre depois de algum tempo e eu coloco a mochila nas costas, passando apressado por entre as pessoas ainda paradas ao lado de seus assentos, recebendo resmungos em resposta. Desço a escada pulando de dois em dois degraus e atravesso a pista correndo, sentindo os pingos gelados de chuva caírem na minha cabeça até eu finalmente conseguir entrar no aeroporto. Os caras me alcançam e rapidamente chegamos ao estacionamento onde encontramos Christian, Crawford e Carter.

- Fizeram boa viagem?- Chris é o primeiro a vir falar comigo.

- Péssima. Não vejo a hora de estourar os miolos do Cameron.- respondo enquanto cumprimento os outros dois.

- Vamos fazer picadinho dele.- Carter diz antes de ocupar o lugar do motorista no carro. Matt, Jack e eu vamos em um carro enquanto , enquanto Chris, Crawford, Carter e Nash vão no outro. Durante o caminho, colocamos os pontos nos ouvidos com as micro câmeras  e nos equipamos com tudo que será necessário.  e cerca de duas horas depois, paramos bem próximo ao lugar  em que Cameron está com a minha garota. Descemos um de cada vez do carro e nos reunimos em círculos para repassar o plano, logo entrando no mato e começando a seguir as coordenadas de Taylor. Quando finalmente chegamos à casa, Carter, Crawford e  Matt entram pela frente enquanto Chris, Nash, Jack e eu vamos silenciosamente para a entrada dos fundos.

- Só tem um cara aqui. Carter e Crawford estão cuidando dele.- Matt diz depois de um tempo através dos pontos.

- E onde está o outro?- Chris pergunta antes de mim.

- Cameron o matou.- ele responde e eu respiro fundo agradecendo mentalmente por ter um a menos.

- O babaca disse que ele está lá em cima com a Lou.- Carter diz e eu estalo o pescoço e os dedos antes de entrar na cozinha.

- Chegou a hora.

Louise Scott Allen Point Of View

Depois de terminar de me vestir novamente com a única roupa que tenho aqui, encaro meu reflexo no espelho rachado, não me surpreendendo ao encontrar olheiras fundas embaixo dos meus olhos e marcas roxas em torno dos meus pulsos e tornozelos. Passo as mãos na minha barriga que já possui agora um volume bem visível e gostoso, então fecho os olhos ao me lembrar do toque de Shawn e não consigo evitar o bolo que se forma na minha garganta.

- Você não tem ideia do quão difícil é para me controlar ao entrar aqui e te encontrar com essa roupa apertada e ainda por cima molhada.- Cameron aparece de repente na porta do banheiro, me assustando.- Ainda estou tentando entender como fui capaz de desperdiçar a chance de ter uma gostosa feito você na minha cama mas acho que ainda dá tempo de mudar isso, certo?- ele se aproxima tentando tocar meu braço e eu me afasto, encarando sua mão com nojo.

- Não encosta em mim.- dou passos para trás mas acabo batendo na parede.

- Não resista, Lou. Sei que quer isso tanto quanto eu.- pressiono os olhos e me esquivo o máximo que posso para evitar ter qualquer tipo de contato com ele.  Cameron e empurra, o que me faz bater com as costas contra o chão e solta todo peso de seu corpo sobre o meu, se aproximando lentamente do meu rosto.  Tento constantemente empurra-lo para longe mas a minha força comparada com a dele é quase zero.- Para de tentar fugir, te prometo que será maravilhoso.- ele diz, me causando ânsia de vômito. 

E então quando suas mãos entram por debaixo da minha blusa e tocam a minha barriga, ele é puxando para longe.  Em seguida alguém me leva  para fora do quarto e só me dou conta do que finalmente está acontecendo quando vejo Matt na minha frente. Olho para trás e vejo Shawn em cima de Cameron o socando no rosto enquanto o desgraçado dá risada.

Shawn, o meu Shawn. Ele veio me buscar.

Shawn P. R. Mendes Point Of View

- Que falta de educação sua não bater antes de entrar. Eu estava prestes a me dar tão bem.- Cameron diz no exato momento em que o acerto um soco no olho.- É, você sabe bater. Até que é bastante forte. É assim que você trata a Lou quando a leva para cama?- puxo-o pela gola da camisa e o empurro contra o vidro do box, fazendo estilhaços se espalharem por todo o banheiro.

- Desgraçado filho da puta!- puxo-o pelo cabelo e bato sua cabeça com força no chão. De relance consigo vê-lo puxar algo do bolso da calça mas o impeço, torcendo seu braço para trás e arrancando gritos de dor dele.- Eu vou acabar com você por ter encostado nela. Eu vou ter o prazer de arrancar cada membro do seu corpo, fazer picadinho e depois queimar. Eu vou destruir qualquer evidência de que você tenha existido um dia.- aperto forte seu pescoço vendo-o ficar com o rosto rapidamente vermelho.

- Vá em frente, Mendes. Faça isso. Você só mostrará para a Lou que você não é o anjo perfeito que ela sempre pensou que fosse. Com isso, você só a fará enxergar que você é tão ruim quanto a mim e o babaca do John. - ele diz e eu rapidamente olho para trás, encontrando Lou chorando e me encarando assustada.

Aproveitando meu momento de distração, Cameron me atinge com um soco nas têmporas, o que me causa uma leve vertigem mas que não é forte o suficiente para me fazer apagar. Mesmo com a visão embaçada, consigo vê-lo caminhar na direção dos caras com uma arma em mãos. Ouço gritos e em seguida um disparo. Me apoio na privada e me levanto com dificuldade, caminhando lerdo até a porta. Meus sentidos voltam à tona quando vejo Carter caído em um canto com a perna sangrando e sendo amparado por Crawford.

Porra, ele machucou a minha namorada e um dos meus melhores amigos. Filho da puta!

Me viro para os caras que o seguram com força e tiro a arma de sua mão, a jogando para longe. Empurro Cameron contra a parede e destravo o gatinho da minha arma, apontando-a diretamente para sua testa.

- Você é um merda, não serve nem para ser bandido.- digo o encarando com nojo.

- Que gracinha seus xingamentos. Acha que me atingem?- seu tom debochado consegue despertar em mim uma vontade incontrolável de machucá-lo e eu não penso duas vezes antes de fazê-lo.  Começo a soca-lo constantemente no estômago e logo consigo vê-lo cuspindo grandes quantidades de sangue.- É, você realmente não vai deixar eu me divertir com o dinheiro dela.-  diz com um sorriso canalha que mostra os dentes sujos.

- Eu deveria te matar mas já sujei demais as minhas mãos por hoje. Você vai se divertir na cadeia, Dallas. Isso se te deixarem você sobreviver muito tempo por lá depois de descobrirem tudo o que fez.- ele sorri novamente mas dessa vez o atinjo com um soco forte no queixo fazendo-o desmaiar. Me levanto e me sinto sendo rapidamente envolvido pelos braços de Lou que me abraça apertado e eu nem penso antes de corresponder.- Me perdoa, foi tudo minha culpa. Se eu não tivesse te deixado sozinha, nada disso teria acontecido. - digo apressado sentindo meu coração se apertar intensamente.

- Nunca mais diga isso. Se você não tivesse chegado, provavelmente teria acontecido o pior. Mas não, você finalmente me encontrou e me salvou. Você me salvou outra vez, meu anjo guardião.- ela diz com a voz fraca e eu sinto suas mãos que estão em meu pescoço extremamente geladas.

- Lou, ei, o que foi?- toco seu rosto mas ela não me responde, apenas fecha lentamente os olhos e cai mole em meus braços em seguida.

...

Louise Scott Allen Point Of View

Desperto já sentindo uma dor lancinante na minha cabeça e um gosto terrível na minha boca extremamente seca. Tento mexer os meus braços mas a agulha enterrada na minha veia me impede de concluir tal ato. Abro finalmente os olhos enquanto ajeito meu corpo dolorido na maca estreita e agradeço mentalmente por terem deixado as grades de proteção levantadas. Sinto uma vontade enorme de vomitar quando respiro fundo e sinto o cheiro forte de comida mas passa quando ,o instante seguinte, as portas se abrem e ele entra trazendo uma bandeja. O meu salvador. O meu homem. O meu amor.

Meus olhos se enchem de água quando Shawn deixa a bandeja na mesa ao meu lado e se inclina para me abraçar apertado. Choro com vontade ao senti-lo começar a fazer um carinho delicioso nas minhas costas e em meio ao meu cabelo.

- Eu te amo tanto, tanto.-  ele diz rouco, o que faz com que as lágrimas aumentem mais. Tento abraça-lo mais forte mas meus braços fracos não me permitem que eu faça isso. Enterro o meu rosto na curva do pescoço de Shawn e aspiro seu inebriante aroma natural.

Só Deus sabe como eu senti falta disso.

- Eu estou aqui agora, princesa, Eu nunca mais te deixarei sozinha, nunca mais. Vou com você para aonde você for.- ele diz e eu sinto o choro cessar as poucos mas ainda não o solto. Permaneço quieta por tempo indeterminado apenas sentindo seu toque. - Como se sente agora?- ele se afasta aos poucos e se inclina um pouco para enxugar meu rosto.

- Destruída.- respondo baixo.

-Os exames indicaram uma desidratação muito forte. Você passará a noite aqui tomando soro para se reidratar mas poderemos ir embora assim que os frascos reservados para você acabarem.- diz calmo acariciando minhas bochechas.

- Shawn...- chamo-o, tensa.

- Hum?- ele me encara com os olhos castanhos preguiçosos que eu tanto amo.

- E o bebê?- pergunto hesitante.

- Está tudo bem com o nosso filho, se é isso que você quer saber.- ele diz em um tom divertido e me observando com um sorriso  maravilhoso.

- Eu fiquei com tanto medo de perde-lo.- digo com a voz embargando novamente.

- Você é mais forte do que imagina, meu amor.- ele diz terno e se abaixando um pouco para beijar a minha testa.

Ah, Deus. Muito obrigada por ter colocado esse homem na minha vida.

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...