História Never be alone - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Shawn Mendes
Tags Amor, Never Be Alone, Shawn Mendes
Exibições 15
Palavras 3.292
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela
Avisos: Álcool, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Hellou!

Shawn finalmente aparece, todo lindo, como sempre!
Tem um pequeno fight entre o Shawn e Ethan, não percam.
Espero que vocês gostem.

Capítulo 2 - Imagination - Part 1


Fanfic / Fanfiction Never be alone - Capítulo 2 - Imagination - Part 1

O dia passou tão rápido que parecia que estava conspirando a meu favor. Já estava me arrumando para o show. E optei por colocar meu vestido branco rodado e o meu salto alto preto que Ethan adorava que eu usava. Passei apenas um lápis básico nos olhos e um batom vermelho nos lábios. Eu adorava o modo como o lápis destacava o azul dos meus olhos, pode parecer bobeira, mas sentia vontade até de andar com os olhos arregalados.

Eu até que admito que estava um pouco ansiosa, só não sabia dizer exatamente pelo quê. Talvez fosse porque Ethan havia sumido desde o dia em que ele me entregara os ingressos. Devia estar preparando algo muito grandioso pelo tempo em que estava sem dar notícias. Mas não me preocupei muito. Continuei a me arrumar e quando terminei, mandei mensagem ao Ethan, avisando que já estava pronta.

- Fiu fiu! – Meu pai entrou no quarto, num sorriso bobo. Me virei, dando um giro. – Não faz isso lá não que vai aparecer coisa demais!

Eu sorri e me sentei na cama. Meu pai me deu um beijo na testa e saiu falando algo como “Juízo”. O show começaria as 21h. Já era 20h e eu já estava pronta. Sempre me arrumei muito rápido e isso as vezes me dava certa desvantagem em alguns momentos. Optei por ficar deitada e sem querer acabei dormindo. Acordei as 21:30 com uma mensagem de Ethan:

“Te encontro na entrada”.

Estava ansiosa. Meu estomago se revirou por inteiro. Dei um sorriso bobo, já tentando imaginar o que será que Ethan estava aprontando. Sai correndo, descendo as escadas e arrumando o cabelo. Por sorte o batom ainda se mantinha intacto. Meu pai me levou até o lugar do show. Dei um nele e fechei a porta do carro, arrumando as laterais do vestido. Tive que ficar por alguns minutos procurando Ethan, até que consegui vê-lo no meio de uns meninos próximo ao portão de entrada. O sorriso foi instantâneo. Apressei os passos até ele e a imagem que via era de certo, degradante, ele estava sentado, com a camisa polo aberta no peito e os cabelos um pouco bagunçados. Os meninos que estavam perto do meu namorado assobiavam e me encaravam de um jeito que parecia que iam me engolir. Parei de andar.

- Ethan? – Fiquei olhando-o, incrédula, esperando que fizesse algo em relação aos garotos a sua volta, mas o que tive em resposta, fora uma risada cínica. – O que você tem? Vem aqui! – Falei num tom um pouco alto e Ethan se levantou e foi em minha direção. Devia ser alguma brincadeira... Parte da surpresa. Era isso, né?

Antes que pudesse chegar próximo o suficiente, senti o cheiro de bebida invadir minhas narinas. – Não acredito! – Resmunguei. – Ethan!

Não disse uma palavra. Apenas passou a mão na minha cintura e me levou até o show. O clima havia acabado ali mesmo. Em minha mente, as perguntas rondavam se embaralhando uma na outra. Queria espancar Ethan por isso. Sem querer, acabei criando expectativas sobre nosso aniversário de namoro e acabei por me decepcionar, como era normal na minha vida. Me perdia em meus pensamentos, enquanto por alguns momentos, Ethan se apoiava em mim para que não cambaleasse demais e caísse no chão.

Logo pude ouvir Shawn cantando. Meu coração acelerou num compasso tão rápido que parecia querer me deixar surda. Um medo enorme me atingiu e não consegui erguer os olhos pro palco. Eu não sabia como reagiria quando o visse, mas o modo como meu corpo começou a tremer, com certeza não seria uma reação muito boa. Me foquei em segurar Ethan, tentando de todo modo não olhar para cima. A voz de Shawn me invadia de uma forma que chegava a me dar calafrios. Era como se pudesse, em um instante, me trazer uma paz inigualável. Ethan foi me levando cada vez mais para o meio do povo, até estar pouco o suficiente do palco para que eu o olhasse. Meus olhos encontram Shawn e meu corpo paralisou. Foi como se eu o estivesse vendo pela primeira vez e tudo que havia acontecido, sumira. Ele estava lindo. Não consegui tirar os olhos dele. Por um momento, vi ali o meu Shawn. E não aquele famoso esnobe em que eu encontrara da última vez. Shawn parecia se entregar a cada palavra que cantava. Na feição dele, eu podia ver o quanto ele amava cantar e me peguei sorrindo.

Por uma burrice, quis provar a mim algo que não existia. Eu não tinha superado Shawn Mendes. Foi ele que me superou. E entender aquilo para mim, naquele momento tão lindo para ele, foi o mesmo que pegar meu coração remendado e cortar novamente em vários pedaços.

Meu olhar encontrou o de Shawn e um choque percorreu todo meu corpo. Meu estomago gelou de todas as formas imagináveis.

Tentei disfarçar o pavor que me tomou e a reação estúpida que tive foi virar de costas e dar de cara com meu namorado. Droga, havia me esquecido dele.

Ethan me olhava com ódio. Seu olhar pousou em mim pesadamente e então, ele me puxou pela cintura, me dando um beijo. O gosto de bebida me envolveu junto a seus lábios e tive que empurra-lo. Não sabia o que estava acontecendo com ele.

- Qual é o problema com você, Ethan? – Gritei, em meio a música alta. Ele riu e me deu as costas. Isso mesmo, me deu as costas e me deixou. Sozinha. Vi Ethan ir de encontro aos garotos de antes e eu fiquei parada, não acreditando no que via.

Um dos “amigos” de Ethan veio em minha direção e me puxou da mesma forma que Ethan havia feito a segundos atrás, numa cara de pau tamanha que o sangue me subiu à cabeça e minha mão voou na cara do moleque, que na hora já ergueu para me bater também, mas antes que pudesse me acertar, sai correndo. O empurra-empurra dos fãs de Shawn me irritavam tanto quanto a atitude estupida de meu namorado. Não entendia o que havia dado errado. Era para ser o meu show de superação. O show em que eu teria a certeza de que eu estava pronta para seguir em frente.

As lagrimas já invadiam meu rosto. Não podia ir para casa, a vergonha em mim era tanta que não saberia como explicar para os meus pais o que havia acontecido. Corri até um parque que tinha próximo dali. Tirei o salto e sentei no balanço. Me permiti chorar. Chorei, feito uma criança. Uma dor enorme parecia tomar conta de meu peito enquanto eu chorava. Tive vontade de gritar. Sair correndo e arrumar um modo para voltar no tempo e concertar toda essa bagunça em que eu havia me tornado. Ao longe, ainda podia escutar a voz de Shawn, e aquilo me fez chorar ainda mais. Logo o barulho do alvoroço do show fora sumindo. Como pude ser tão idiota? Como Ethan pode fazer aquilo comigo? Por que ele estava agindo daquela forma?

Não sei quando na minha vida tudo começou a dar tão errado.

Ouvi passos vindo em minha direção e no susto, parei de chorar. Meus olhos ardiam. Automaticamente, peguei minha sandália e apontei o salto para direção dos passos. Fiquei paralisada no balanço. Se fosse aquele cara eu iria enfiar o salto no olho dele, ah, mas iria mesmo. Fiquei em alerta, tentando manter os olhos abertos. A figura emergiu dali, esbelto e forte. O corpo parecia tecido a dedos. Os cabelos um pouco desgrenhados em um topete baixo.

Quando percebi quem era, não consegui me conter, um bico surgiu em meus lábios e com uma careta, que deve ter sido a coisa mais horrorosa do mundo, voltei a chorar.

- Shawn – Sussurrei entre soluços.

Ele sorriu. Aquele sorriso lindo que mostrava todos os dentes perfeitos. Não queria que ele me visse daquela forma. Era para, supostamente, ele me ver linda e feliz. Não com a maquiagem borrada e chorando feito uma criança que acabou de levar uma bronca.

- Leah – Shawn sussurrou numa voz rouca e baixa. Se aproximou de mim, levando a mão até a minha, abaixando o salto que estava apontado em direção a ele. – Você se defende com um salto alto?! – Brincou, numa tentativa fútil de amenizar o clima

Não consegui nem sorrir. Fiquei apenas o encarando, enquanto as lágrimas caiam por meu rosto. Eu não sabia bem o motivo de chorar tanto. Talvez fosse surpresa pelo jeito que Ethan me tratou, a decepção que me tomava por inteiro, ou então, a mistura de sentimentos que Shawn trazia à tona. Ele estava tão lindo e maduro que me fazia sentir uma raiva profunda por ainda ser a mesma coisinha chata de sempre. No momento, eu estava tão bagunçada que não conseguia pensar em mais nada a não ser a que ponto eu havia chegado. Não conseguia conter as lágrimas que insistiam em cair, e Shawn se manteve firme a minha frente, apenas me observando, esperando o momento em que eu fosse começar a falar. Mas as palavras não vinham. Era como se um branco tivesse tomado conta da minha mente. Respirei fundo, fechando os olhos e levando as mãos ao rosto, mantendo os soluços. Shawn se sentou no balanço ao meu lado, colocando minha sandália no chão.

- Eu te odeio, Shawn – Sussurrei. E um pouco era verdade. Eu odiava o modo como ele tinha tanto controle sobre mim. E odiava mais ainda não conseguir mudar isso.

- Eu sei, Leah. – Falou, numa risada meio sem graça. – Me desculpe por isso. - Ergui o olhar e Shawn encarava o céu. A luz da lua batia em seu rosto deixando-o mais pálido que o habitual. – Aquele no show... – Continuou a falar, mas sem se virar para me olhar. – Era seu namorado?

Já não bastasse o jeito em que eu estava, Shawn ainda tinha visto o show de Ethan. Era para acabar comigo. Assenti com a cabeça, desviando o olhar para o céu. Sentia uma vergonha enorme me invadir ali.

- Ele parecia meio babaca – Falou, num tom de voz sério.

- Ele não costuma ser assim... – Eu ainda queria entender Ethan, e aquilo que aconteceu. - Por que você veio aqui, Shawn? – Perguntei, seca.

- Precisava ver se você estava bem... – A frase pairou no ar e caiu em meu colo. Eu a segurei e amassei por entre meus dedos.

- E isso importa agora pra você? – Devolvi, numa voz tão ríspida que senti minha garganta arder.

- Leah... – Shawn me encarou e seu semblante parecia de culpa. – Eu sempre me preocupei com você, você sabe disso, eu... – Respirou fundo, levando a destra até a nuca. – Eu só tive uma fase ruim...

Ou talvez, uma fase boa demais para se lembrar de alguém tão insignificante quanto eu. Ok, Leah, podemos parar com o drama agora mesmo. Aceite os fatos e esquece. Abri os lábios para responde-lo, quando escutei alguém gritando meu nome.

- Leaaaaaaah! – Parecia desesperado. – Cadê você? ME DESCULPE!

Olhei assustada para Shawn, os olhos arregalados o suficiente para que o mesmo se levantasse em um impulso. Me pus em pé também, com metade do corpo escondido atrás de Shawn. Não conseguia reconhecer a voz e num estalo, Ethan me veio à mente. Não respondi. Fiquei apenas encarando o vazio até que realmente, Ethan surgiu das sombras. Continuei atrás de Shawn, admito que com um pouco de medo.

Ethan parou, todo desajeitado, parecia incapaz de permanecer em pé. Quando viu Shawn a minha frente, pude sentir a raiva inalando dele e vindo em direção a mim. Ethan ficou nos encarando por um longo tempo, como se tentasse processar o que estava vendo. Pelo modo como ele olhava, era como se eu estivesse lascando um beijo em Shawn e isso me incomodou. Remexi, inquieta.

- O que foi, Ethan? – Me pus a frente de Shawn, quebrando o silencio.

- O que você faz aqui com esse cara? – A língua de Ethan parecia se enrolar com cada palavra, mas o “esse” ele faltou soletrar.

Não estava entendendo o motivo do ódio repentino de Ethan por Shawn. Ele não sabia do nosso passado, ninguém sabia a não ser meus pais e os pais de Shawn. Para os vizinhos, sempre fomos apenas amigos e nada mais. Não tinha como Ethan ter descoberto, mas nada mais explicaria a reação que estava tendo... Ethan sabia. De alguma forma, ele sabia.

- O que você tem, Ethan? O que esta acontecendo? – Quase gritei. Senti meu corpo queimar num momento de raiva.

- Esse cara! Some daqui. Leah é minha! – Ethan rosnou. Parecia vidrado em Shawn. O que me fez olhar para trás para encarar o mesmo. Shawn mantinha a postura ereta, parecia indestrutível.

- Ethan! – Chamei, tentando voltar a atenção dele pra mim.

- Você está me traindo, Leah! Você é uma cadela!

Ethan partiu para cima de mim, e o modo como ele agiu me deixou tão espantada que meu corpo travou. Fechei os olhos, esperando uma dor que não viera. Shawn se pôs a minha frente, parecia uma muralha, fazendo Ethan parar no mesmo instante. Shawn segurava a mão de Ethan como se não fosse nada. Ethan olhou assustado dele, para mim. Mal sabia que eu estava tão assustada quanto ele.

- D-do que você esta falando, Ethan? – Meus olhos começaram a arder e em segundos, as lagrimas tomaram conta de mim novamente. – Da onde você tirou isso? Ele é só um cantor! – Falei num impulso e Shawn pareceu chocado. Ele olhou para trás para me encarar e vi em seus olhos a dor pelas palavras que eu acabara de dizer.

Um arrependimento me bateu.

- Você devia dar valor a mulher que você tem – Shawn encarou Ethan, soltando seu braço num movimento brusco. – Ao invés de encher a cara e a deixar sozinha a essa hora – A voz de Shawn parecia cortar meus ouvidos de tão rude que soava. – Vá embora, vou levar Leah para casa, coisa que você mesmo não consegue fazer.

Não tive reação. Shawn disfarçou o choque que minhas palavras causaram e eu fiquei apenas parada o encarando, sentindo o arrependimento me envolver. Eu havia pego pesado, sabia disso, mas o que mais eu poderia fazer? Ethan não podia desconfiar, ninguém podia. E tinha também toda aquela história de eu estar magoada com Shawn desde a última vez que nos vimos. Ele agia como se nada tivesse acontecido e isso parecia me magoar ainda mais. Mas no momento, eu não sabia como agir. Não podia deixar Ethan sozinho, mas também não queria ver Shawn ir embora... Ah, como sou idiota!

- Shawn – Levei uma mão até seu ombro. – Pode i... -  Parei de falar, quando vi dois garotos surgirem atrás de Ethan. Um desespero enorme me atingiu, eu sabia o que aquilo significava. Me pus a frente de Shawn, ficando de costas para Ethan. Levei as mãos até seu peitoral o empurrando para trás, numa tentativa inútil de tira-lo dali. – Você tem que ir embora – Falei, encarando diretamente em seus olhos. Shawn podia ver o quão desesperada eu estava. – Eles vão te ver – Continuei. Mas o pior não era apenas isso, eu sabia que se Shawn continuasse ali, iriam bater nele, afinal, Ethan quase bateu em mim! – Shawn! – Minha voz saiu mais alta e grossa, na intenção de que ele entendesse o que eu queria dizer.

Eu sabia que meu esforço seria inútil. Shawn era bem mais alto que eu e bem mais forte. Olhei para trás e os garotos já estavam ao lado de Ethan. Meu coração palpitou tão forte que podia sentir o sangue correr por minhas veias, queimando como fogo junto a adrenalina que subia. Shawn não iria sair dali. Eu sentia isso. Podia ver o mesmo cerrando os punhos tentando conter a raiva que pairava sobre todo o local.

- Você tem que ir – Implorei, voltando a olhar para Shawn. – Eles vão bater em você – Tentei o empurrar novamente e desta vez consegui que ele desse apenas um passo para trás. – Em mim eles não vão bater! – Exclamei, me virando em direção a Ethan novamente. – O que você quer com isso, Ethan?

Ethan não me respondeu. Ficou apenas com um sorriso cínico nos lábios, como se já soubesse desde o começo o real motivo de estar ali, e com certeza, não era por minha causa. Shawn me surpreendeu quando, por cima da minha cabeça, socou Ethan. Fora certeiro. Ethan recuou alguns passos com a força e eu olhei para Shawn com os olhos arregalados pelo susto. Não esperava que ele reagisse dessa forma, sabia que ele estava bravo, mas nunca foi de brigar. O que me deixou mais apavorada ainda. O que eu faria? Shawn socou Ethan por cima da minha cabeça! Sou uma baixinha inútil perto desses caras! Não poderia ajudar Shawn, não poderia nem mesmo me ajudar.

Meu Deus!

O desespero começou a tomar conta de mim e meu peito subia e descia com minha respiração forte. Meus olhos ardiam e uma vontade enorme de chorar me atingiu, mas não podia. Não podia ser a bebe chorona, tinha que dar um jeito em tudo isso.

Shawn levou um braço até minha cintura e num rodopio se pôs a minha frente. Ethan ergueu o rosto, passando a mão nos lábios e nesse instante, fez um sinal para os garotos. Um dos garotos, por ironia da vida o que quase havia me batido, veio para o meu lado. O outro fingiu que viria para cima de mim, enquanto Ethan distraia Shawn, mas ao invés de continuar, se pôs atrás de Shawn, o segurando pelos braços e o deixando incapaz de se defender. Ethan gargalhou. Uma risada demoníaca que me deu vontade de voar até ele e quebrar sua cara. Num impulso meio ridículo, dobrei os joelhos em modo de defesa. O que fez o garoto em minha direção rir.

Fiquei parada o encarando e para minha surpresa ele se aproximou e me deu um soco na boca do estomago. Não achei que ele fosse ser tão direto assim. A dor veio de uma vez só e o ar me faltou. Soltei um gemido sufocado, e levei as mãos até o estomago, me curvando. Ergui o olhar para ele, incrédula e incapaz de acreditar no que havia acontecido. Puxei o ar de uma vez só, e este veio entrecortando, o que me fez tossir várias vezes. Tossi por um tempo, até conseguir realmente me recuperar. Me ergui e uma pontada me atingiu novamente no estomago. Olhei para o garoto, que me retribuiu o olhar e deu de ombros.

- Você me bateu primeiro – Falou, como se fosse a coisa mais normal do mundo.

Balancei a cabeça negativamente, estupefata. A essa altura, Ethan batia em Shawn, que era segurado pelo outro garoto. Ethan acertou um soco em seu rosto e Shawn se contorceu num gemido de dor e senti meu coração se partir com tamanha inutilidade. Não pensei duas vezes, num ato de coragem estúpida, ergui minha perna com toda força que eu tinha e chutei as partes do garoto que havia me batido, nem esperei retorno, corri em direção aos três e me pus a frente de Ethan. Meti as mãos em seu peitoral, empurrando-o com toda força que eu tinha.

- QUAL É O SEU PROBLEMA? VOCÊ É UM COVARDE! – Gritei, cuspindo as palavras na cara de Ethan. – Você acha isso certo, Ethan??? Quem é você? – Minhas palavras saiam cada vez mais altas e enquanto eu falava, minhas mãos davam socos em seu peito. – Você ia me bater, Ethan! ME BATER – Repeti, não acreditando no que estava acontecendo. – Por favor – Implorei, levando o olhar até Shawn, que agora estava dependurado nos braços do garoto que o segurava. – Esse não é você, Ethan. São esses garotos! 


Notas Finais


Oi meus amores! Voltei mais cedo porque estou ansiosa! hahahah

Vê se não da vontade de apertar esse Shawn forever?!

Comentem e digam o que estão achando!

No finalzinho da semana, volto com a segunda parte ♥

Kissuss, kissusss!


Aqui tem o trailler da fic, se quiserem dar uma olhada <3
https://www.youtube.com/watch?v=yZezQir9w6o&feature=youtu.be


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...