História Never Been Innocent - ABO - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO, Got7
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Jackson, Jimin, Jungkook, Mark
Tags Abo, Alfa, Baekhyun, Baekyeol, Bangatanboys, Bts, Byun Baekhyun, Chanbaek, Chanyeol, Escola, Exo, Got7, Jackson, Jackson Wang, Jark, Jeon Jungkook, Jikook, Jimin, Jungkook, Kookmin, Mark, Mark Tuan, Markson, Ômega, Park Chanyeol, Park Jimin, Yaoi
Visualizações 524
Palavras 1.932
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Lemon, Romance e Novela, Suspense, Violência, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


voltei, e já se preparem porque tem bombaaaaaaaa à espera de vcs auhauahuahauha

----------- BOA LEITURA -------------

Capítulo 7 - 7 - Seven


[Baekhyun’s life...]

 

O ômega se encontrava deitado no peitoral alheio e entre os braços do mais velho. Seus corpos ainda suavam um pouco e ainda estavam quentes. Baek estava adorando tudo aquilo. Finalmente pareciam ter voltado ao que eram antes. No entanto, ainda havia algo para ser resolvido. Ou melhor, algo que eles precisavam conversar.

 

O ruivo se mexeu nos braços alheios.

O suficiente para mudar de posição.

E poder encarar o namorado.

 

- Você queria conversar, mas até agora não disse nada. –comentou Park.

 

- Eu estava pensando.

 

- Em que? –questionou.

 

- Em nós. –suspirou baixinho. – Você notou que nós... bem... –outro suspiro. – Que nós havíamos nos afastado um pouco?

 

Naquele momento, o alfa parecia pensativo.

Ele franziu cenho brevemente.

 

- Reparei sim. –confessou.  – No começo eu achei que fosse por conta dos nossos trabalhos corridos. Porém, fomos esfriando cada vez mais um com o outro. Até que caímos na rotina.

 

- Eu tentei me reaproximar. Mas você não demonstrava nenhuma reação. –fez um rápido biquinho. – Ou simplesmente me ignorava.

 

- Desculpe. –Chanyeol levou uma das mãos em direção ao queixo alheio e fez carinhos ali. – Eu nunca quis te ignorar.

 

- Então, por quê? –soltou. – Foi por conta da minha aparência? –perguntou Byun. – Pode me dizer a verdade.

 

O alfa suspirou.

Parecia estar escolhendo suas palavras.

 

- Olha, não vou mentir. Você fica lindo de qualquer jeito. –sorriu. – Porém, antes desse seu novo emprego você costumava estar sempre tão lindo. Tanto que eu detestava sair em público com você porque até os ômegas ficavam babando. –sorriu e o ruivo também. – Mas aí você começou a trabalhar naquela empresa e...

 

- E?

 

- E eu odeio você de terno. –confessou. – Não parece em nada com o ômega cheio de vida por quem eu me apaixonei. Eles te deixam mais velho, mais sério, meio apagado. Não que eles não fiquem bem em você, mas... –fez careta. – Me desanimam um pouco. –deu de ombros. – Fora que você ficou muito sério e cheio de responsabilidade. Você tinha perdido o seu jeito de pirralho que eu tanto adorava.

 

Ele gargalhou.

Baekhyun lhe acertou um tapa fraco no peitoral.

 

- Ei! –resmungou fazendo bico.

 

- Você pediu a verdade. –deu de ombros.

 

- Eu sei. –suspirou. – Creio que ambos somos culpados desse afastamento. –o moreno concordou com a cabeça. – Eu fiquei muito mal. Achei que você não me amava mais e pudesse me deixar a qualquer momento. –seus olhos marejaram.

 

- Ei, ei, ei. –o professor levou suas duas mãos para o rosto alheio e fez caricias no local. – Nunca diga uma coisa dessas. –sorriu. – Eu sempre vou te amar. Eu sempre vou te querer. Não importa se as coisas se as coisas caírem na rotina. Você é meu e eu sou todo seu.

 

Algumas lágrimas escorreram pela bochecha alheia.

Era tão bom ouvir aquilo de seu namorado.

 

- Promete nunca mais ficar frio comigo? –pediu Baek.

 

- Prometo. –sorriu. – E você promete nunca mais usar aqueles ternos?

 

O mais novo simplesmente gargalhou.

Park o deitou em seu peitoral novamente.

E o abraçou apertado.

Até mesmo enchera o topo de sua cabeça de beijos.

 

- Tudo bem. –disse o ômega. – Eu já até comprei algumas coisas novas. Pode ficar tranquilo que não vou mais enfiar somente em ternos.

 

 

- Ótimo. –desceu as mãos para as nádegas alheias. – Porque você estava tão gostoso hoje.

 

Eles se encararam.

Baekhyun se aproximou um pouco mais.

Alguns selinhos foram trocados.

 

- Estava pensando em mudar a cor do meu cabelo. –comentou o rapaz.

 

- Não. –o mais alto fez alguns carinhos nas madeixas alheias. – Eu gosto de você ruivo.

 

Ambos sorriram.

Ambos estavam felizes por terem se acertado.

 

- Mas agora chega de conversa. –soltou Chanyeol.

 

- Hã?

 

Foi só o que o menor teve tempo de dizer.

O alfa o puxou para mais perto de si e tomou seus lábios.

 

[Jimin’s life...]

 

O de cabelos roxos estava nos braços do alfa. Ou melhor, ele abraçava o corpo do homem e tinha a cabeça apoiada em seu peitoral. Ambos estavam despidos. Jungkook ainda estava algemado a cama.

 

Os dois haviam se divertido muito naquele local.

Tanto que Park ainda estava incerto de como sua cama ainda estava inteira.

 

- E então? –comentou o mais velho.

 

- Então o quê?

 

O alfa suspirou frustrado.

Ele sabia que Jimin estava se fazendo de desentendido de propósito.

 

- Nós voltamos? –perguntou um pouco temeroso.

 

- Hummmm. –soltou pensativo. – Foi tudo muito bom, porém, não estou no clima para me comprometer com ninguém.

 

- Como é que é? –bufou o moreno.

 

O ômega gargalhou alto.

Ele realmente havia sentido falta de provocar seu alfa.

O professor rosnou alto.

 

- Se eu não estivesse algemado ainda, eu iria encher esse seu traseiro lindo de palmadas.

 

- E eu ia adorar cada uma delas. –levantou a cabeça para encarar o mais alto. Seus olhares se encontraram rapidamente. – Vou te dar uma segunda chance. – o outro sorriu. – Mas se você me machucar de novo, me esqueça. –disse sério.

 

Jeon ficou sério também.

Seus olhos estavam focados no ômega.

 

Ele não seria nem louco de magoar seu pequeno novamente. Os anos que passara longe de Jimin foram os piores de sua vida. Ele havia se apegado aquele rapaz. Se torando praticamente dependente da presença alheia. E fora horrível ficar afastado.

 

Principalmente por conta de coisas de sua cabeça.

E porque ele tinha sido idiota de terminar com o outro.

 

Mas felizmente, o mais alto aprendera sua lição. Ele iria usar dessa segunda chance para nunca mais sair do lado do de cabelos roxos. Jungkook havia provado da falta de Park e detestara cada segundo.

 

Principalmente porque ninguém nunca era bom o suficiente. E olha que ele tentou diversos outros ômegas. Mas a maioria o alfa nem mesmo conseguia beijar. Seu corpo se recusava a ficar mais intimo de qualquer um que não fosse Jimin.

 

Contudo, aquilo tudo era passado.

Porque no presente, ele tinha seu ômega de volta.

 

- Tem certeza que eu não posso te machucar? –perguntou malicioso. – Nem um pouquinho?

 

O rapaz mordeu o lábio inferior.

O outro rosnou.

Tudo que Park fazia lhe parecia sensual.

Até as coisas mais simples e comuns.

 

- Depende do jeito. –sorriu carregado de malicia. – Se for do jeito que estou pensando... –se aproximou mais do alfa. Lhe roubou alguns selinhos e ainda mordeu e puxou o lábio inferior de Jeon. – Você já sabe que tem permissão. –piscou e roubou mais alguns selinhos.

 

- Então, me desalgema, fedelho. –disse.

 

Jimin já estava ficando arrepiado de excitação.

Sentira muita falta de tudo que fazia com o alfa.

Principalmente suas brincadeirinhas.

 

Ele se aproximou mais. Como as algemas eram daquele tipo próprio para brincadeiras eróticas, suas chaves não eram removíveis. Então, o de cabelos roxos só teve o trabalho de girar as duas chaves no lugar e liberar os pulsos do professor.

 

Jeon não perdeu tempo.

Em um movimento rápido, agarrou o mais novo.

 

O moreno colocou Park deitado em seu colo. De barriga para baixo. Suas grandes mãos fizeram caricias nas nádegas do rapaz. O maior até mesmo deixou alguns beijos e mordidas leves no local. E cada novo ato fazia o ômega gemer e arfar cada vez mais.

 

Jungkook sorria.

Adorava ver o outro tão entregue a si.

 

Uma de suas mãos voltou a fazer carinhos pela região do traseiro alheio. Ele agarrou a área algumas vezes e apertou sem dó. O que fez o de cabelos roxos gemer arrastado e manhoso.

 

- Está esperando o que para me... –ele não completou. Logo que, o alfa lhe acertou um tapa na bunda o fazendo gemer de prazer.

 

[Mark’s life...]

 

O de cabelos negros estava no escritório do diretor. Aquilo lhe trazia tantas memórias e sensações. Tudo começara em um escritório parecido com aquele. E se alguém lhe dissesse, na época, que Tuan iria se casar e ter um filhote com seu diretor, ele morreria de rir.

 

A vida às vezes dava muitas voltas.

E era cheia de surpresas.

 

- Por que está me encarando tanto? –perguntou Jackson sorrindo.

 

O rapaz saiu de seus pensamentos.

Nem se dera conta de que não havia desgrudados os olhos do outro.

 

- Não posso mais admirar a beleza do meu marido? –piscou.

 

- Adoro quando você diz “meu marido”. –o alfa sorriu novamente, porém, era muito mais safado que o anterior. – Vem cá. –ele largou os papéis que tinha em mãos e virou a cadeira para o lado.

 

Em poucos segundos, Mark ficou de pé, já que estava sentado na cadeira de frente a mesa do loiro. Deu a volta e se acomodou no colo alheio. Como ele costumava fazer quando estavam juntos no escritório de sua antiga escola.

 

O mais velho levou suas mãos para a cintura alheia. Passou a fazer carinhos no local. O rapaz deixou alguns gemidos baixinhos escaparem. Wang adorava aquilo. Principalmente porque era o causador dos gemidos.

 

Ele avançou para os lábios do marido.

E rapidamente os selou.

 

Suas bocas se roçavam. E aquilo deixava os dois completamente entregues. Cada beijo era mais delicioso e prazeroso que o outro. Começou suave. Contudo, a cada segundo passado a intensidade era aumentada. O homem pediu passagem com a língua. Tuan cedeu.

 

Suas línguas se enlaçaram.

O maior rosnou excitado.

Suas mãos agarraram as nádegas alheia.

Mark sorriu e afastou o rosto.

 

- Nem pense nisso. –soltou.

 

- Por quê? –Jackson resmungou.

 

- Estamos no seu trabalho.

 

- Você gostava disso antes. –provocou.

 

O rapaz sorriu.

Aparentemente ele não era o único a se lembrar de suas brincadeiras passadas.

 

- Porque antigamente nós não éramos casados. E isso significava que eu não te veria de noite. –deu um selinho no loiro. – Na nossa cama. –outro selinho. – E de preferência... –mais um selinho, só que mais demorado. – Sem roupas.

 

- Eu já disse que te amo? –apertou mais as nádegas do outro.

 

- Já. –sorriu.

 

Em seguida, ele levou suas duas mãos para o rosto alheio.

E lhe deu um beijo.

Alguns longos segundos depois, se separaram.

O de cabelos pretos ficou de pé.

 

- Vou pegar um café. Você quer? –perguntou o rapaz.

 

- O que eu quero nesse momento, não cabe em um copinho de café. –sorriu malicioso.

 

O ômega saiu do escritório.

Não sem antes roubar mais alguns selinhos do marido.

 

Ele foi em direção ao refeitório do colégio. Mas antes que completasse seu destino, o mais novo sentiu seu celular vibrar. Alguém havia lhe mandado uma mensagem. Mark pegou o aparelho, desbloqueou a tela e abriu a mensagem.

 

Número desconhecido:

[Imagem]

11:23

 

O rapaz quase caiu no chão.

Seu coração se acelerou e ficou a ponto de sair pela boca.

 

A imagem exibia Jaebum. Ele estava no parquinho de sua escola brincando no gira-gira com alguns amiguinhos. Alguém havia lhe mandado aquilo e era óbvio que não era boa coisa.

 

Número desconhecido:

Cansei de brincar de esconde-esconde. Me encontre sozinho no endereço que vou mandar. Ou o seu filhote vai pagar caro.

11:25

 

O menor engoliu em seco.

Só podia ser a pessoa que estava o perseguindo.

 

Sem pensar duas vezes, o ômega mudou de direção e correu para fora da escola. Tinha recebido o endereço e não era muito longe dali. Era uma rua que estava com prédios em construção.

 

Ele sabia que era burrice. E que deveria levar Jackson consigo, porém, Tuan se viu sem opções. O sujeito dissera para ir sozinho. E seu filho estava sendo ameaçado. E como pai, o mais novo se desesperou e obedeceu. Não se importava de estar indo para uma armadilha, se seu filho ficasse a salvo.

 

- CONTINUA -

 


Notas Finais


pois é uhauahuaha recebam essa bomba no colo e agora lidem com ela auahuahauhauahuaha. ME CONTEM O QUE ACHARAM DESSE CAPÍTULO PELO AMOOOOOOOR AAAAAAAAH auhauahauhauhauahau, espero que tenham gostado e que estejam bem na dúvida com o destino do Mark :0
ah, e já vão se preparando porque a fanfic está na reta final :/ obg a todos vcs leitores lindos do meu potinho de fubá.
Semana que vem tem mais.

Pergunta: Vcs gostam de brincar de amigo secreto?
eu detesto auahauhauaha. Não participo disso a anos. Lembro que quando era menor, sempre me davam carteiras ou cofrinhos auhauahuahaua, eu abria já sabendo que ia ser uma dessas coisas aff :/ auhauahuahauha

espero que tenham gostado meus amores do meu potinho de fubá <3
beijinhos de luz para todos
e até sexta para os meus babys de BOUGHT
fui


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...