História Never Forget - Capítulo 3


Escrita por: ~ e ~gabs340

Postado
Categorias Originais
Exibições 8
Palavras 1.059
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Fantasia, Festa, Ficção, Luta, Magia, Mistério, Shoujo (Romântico), Suspense
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Transsexualidade
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Oi pessoas! 😜 Desculpa o tempão sem postar... 😅 Semana de provas dá nisso... 😒👌 Espero que gostem desse capítulo! 😊

Capítulo 3 - Always have a problem


Bethany Pov's 
  
     Acordo passando suavemente as mãos em minha testa que está levemente suada. Levanto o rosto e observo a cama de Kalinda - que por sinal já havia levantado. Vou a sua procura, mas não a encontro. ONDE AQUELA RETARDADA DEMENTE - como nos chamamos carinhosamente de vez em quando - TINHA SE ENFIADO?! 
     Vou em direção do bidê, - ao lado da minha cama - aperto no botão inicial do meu celular, que - por um milagre de Deus - indicava 6:50 - NÃO ESTAVA ATRASADA! Dirijo - me para cozinha, preparo ovos mechidos com achocolatado e sento na mesa - acompanhada do meu celular. Termino o café e vou escolher o LOOK do dia - mega blogueira. Puxo do fundo da gaveta um moletom do Mickey, - antigo que só ele -  calça jeans azul escuro e All Star de botinha preto - o clássico. 


\\\


     Entro pela entrada principal da escola e vou a procura de Kalinda - que REALMENTE tinha sumido! Encontro Jack e pergunto-lhe:
     -Por um acaso você viu a B-I-T-C-H da Kalinda Scott? - digo a ele dando bastante ênfase a cada letra.
     - Quando eu a vi, ela estava com o Mike.
     - AONDE CAR*@$#?
     - Perto do bar. - diz ele super despreocupado com a vida.
     - Ok! VALEU! - Dou-lhe um beijo na bochecha, como forma de agradecimento e saio correndo como uma lebre atrás de um rato, no caso uma ratasana chamada KALINDA!
     Entro pela porta de ferro vermelha principal e, ao entrar, esbarro em um menino, deixando seus livros e cadernos caírem com tudo no chão.
     - Ah Desculpa! - Digo a ele enquanto ele me olhava com uma cara de espanto, como se já me conhece de algum lugar. Então depois de uns cinco segundos de observação e analisação um do outro escuto:
     - Ah não foi nada... - todo sem graça ele diz - Eu que estava distraído e não olhei para frente.
     Risos.
     - Sou pior... Eu acho... - 
     - ACREDITE! ELA É MESMO! - diz a escrota da Kalinda aproximando-se de nós.
     - PELO AMOR DE DEUS - reviro os olhos- ONDE QUE VOCÊ ESTAVA?!
     - Viu? - ela se dirige ao menino que acabara de conhecer.
     - Estou falando com você querida! 
     -Ah sério? Não sabia... -  diz ela toda irônica pra cima de mim.
     -Aff! - reviro os olhos e sigo andando para sala de aula.
     - Ei! - continuo andando. -Tô falando com você sabia?
     - Sabia e a propósito eu estou CAGANDO pra isso então tchau!
     - Nossa! Pra que falar assim comigo? 
     - Assim como?
     - Assim! Sei lá... Meio revoltada com a vida...
     - Eu não tava assim. Sabe quem me fez e me faz ficar assim? VOCÊ!!! - faço cara de amigável.
     - MAS PQ?
     - Você ainda pergunta? Ah pelo amor de Deus né?! Cai na real!
     - Claro que pergunto, eu não sei o que fiz...
     - Tá bom... Vou te resumir bem resumidamente: VOCÊ DESAPARECEU, EVAPOROU, SUMIU DO MAPA!
     - Depois te explico então... - o sinal soou. - É bem sério... - apenas senti aquele arrepio na coluna e o suor das mãos...


\\\ 

     
     Finalmente chego no meu dormitório e encontro Kalinda com seus óculos em seu laptop... Ela parecia estar bem confusa e nervosa, mas não liguei muito.
     - E aí... O que precisava tanto me falar? - digo abrindo a porta da geladeira para pegar uma garrafa de água.
     - Humm... Nada. Esquece. Deleta da mente... - disse ela, tirando seus óculos, bem nervosa e preocupada...
     - Ah não! Agora você vai me falar detalhe por detalhe, coisinha por coisinha! 
     - Tá tá... Senta aqui então... - diz a mesma apontando para a poltrona que tinha ao lado da sua cama. - Lembra aquela vez, ano passado, que minha mãe e meu pai estavam brigando demais e disseram que iam se separar?
     - Lembro.
     - Então... Aquela vez consegui evitá-los de fazer aquilo, pois ainda não tinha vindo pra cá... Pro bendito colégio interno...
     - Isso significa que... - disse tentando juntar os fatos recém ouvidos.
     - Não nos veremos mais! - dissemos simultaneamente.
     - Pois é... Não queria isso para nossa amizade, mas é o jeito... Afinal, minha mãe mora em Bruxelas, na Bélgica e meu pai não quer saber de mim... - disse Ka quase chorando de tristeza pelos fatos que acabara de me falar.
     - Calma Ka... Vai dar tudo certo... - Abracei - a. - Eu espero... - cochichei.
     Vesti meu pijama e fui para minha cama. 
     - Beth! 
     - Eu...
     - Valeu tá? De verdade.
     - Amigas são para isso... - senti minhas pálpebras pesadas e então adormeci...
     - Mas eu queria te contar outra coisa também... - Silêncio absoluto. - Acho que ela dormiu... Boa noite Beth.


\\\


     - Oi Sra. Estressadinha! - diz o garoto de capuz vermelho, que hoje estava sem capuz.
     - Ah... - fico sem jeito. - Oi! - estendo a mão para ele, que a puxa para um beijo na bochecha e um abraço carinhoso...
     - Tudo bem? - ele cochicha pra mim ao ver que o professor queria iniciar a aula.
     - Tudo e contigo? - cochicho de volta.
     - Melhor agora... - diz o mesmo mordendo o lábio inferior e abaixando a cabeça deixando-me COMPLETAMENTE ipnotizada. - Ããã... Tá tudo bem? 
     - Ããã... Tá... Tá... - Fico corada - Quero dizer... Ããã... - As palavras simplismente sumiram do meu cérebro e comecei a gaguejar - Ai desculpa! Devo estar parecendo uma idiota né?!
     - Não está não... - diz ele. - Bem pelo contrário... - fico corada novamente.
     - (...) algum problema Srta. Wright?
     - Ããã... Não, não... - Digo pegando meus materiais e pondo sobre a carteira do colégio. - A gente... A gente só estava... É...
     - Estávamos conversando sobre as causas das Guerras Mundiais... - diz 'o garoto do capuz vermelho' tirando - me da emboscada. - Né Beth?!
     - Ããã... Aham... Claro! - digo meio surpresa pelo fato dele ter ajudado - me. 
     - Ok. - diz o professor.
     - Valeu! - sussurro para o garoto.
     O sinal soa -indicando o início do intervalo- e eu corro para os armários, pois lembrei-me que tinha de fazer o dever de biologia para a aula após o intervalo e vou a procura -NOVAMENTE- de Kalinda.


Notas Finais


Onde será que essa Kalinda se enfiou? 😒 Tirem suas conclusões... 😁 Espero que tenham gostado! 😊 BJO e até o próximo capítulo... 😘❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...