História Never Forget You - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Chaz Somers, Christian Beadles, Justin Bieber, Ryan Butler
Personagens Chaz Somers, Christian Beadles, Justin Bieber, Ryan Butler
Tags Fama, Romance, Segredos
Visualizações 84
Palavras 2.993
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Heyyy!
Esse é o primeiro cap da fic mas só irei falar as regras da estória no próximo cap, a única regra desde já é que *É PROIBIDO PLAGIAR*
A fic é escrita com muita paciência, então respeite meu trabalho, e não plagie
Me perdoe qualquer erro ortográfico desde já, espero que gostem.
Não esqueçam de comentar e favoritar

Capítulo 1 - Prólogo


-Mamãe, por favor, deixa eu dormir na casa do Matt- peço pra minha mãe que nega novamente com a cabeça - Mas mãe, eu arrumei toda a casa essa semana - ela parece pensar

-Ok, pode ir, mas tem que voltar amanhã, e me avise o tanto que der - ela fala e eu abraço ela por pura espontâneidade. Meus pais sempre foram um tanto quanto liberais, mas mesmo com 18 anos nas costas já estou a procura de um apartamento pra morar com meus dois melhores amigos, Matt, o gay da minha vida, e a Kath.

-Obrigada! Vou arrumar minhas coisas - falo subindo as pressas pro meu quarto e na metade das escadas eu esbarro no idiota do meu irmão, Zack, me fazendo cair e rolar a escada á baixo

-Argh! Idiota! Me ajuda - digo me levantando aos poucos vendo o idiota segurando o riso

-Machucou, maninha? - ele fala ainda segurando o riso e eu mostro o dedo do meio pra ele subindo de novo e dando um tapa na cabeça dele e indo pro meu quarto pegando minha mochila e colocando algumas roupas ali

-Zara! - Minha mãe grita lá de baixo

-Que é? - grito novamente e me surpreendo com a rapidez que ela chega na porta do meu quarto sendo que ela estava lá embaixo

-Você vai pegar o Theo na creche? - assinto - A mãe do teu pai ta vindo pra cá e eu vou ter que fazer um almoço mais reforçado hoje, pois ta vindo tua vó, teu avô e sua tia - fala nada empolgada e eu também não fico e reviro os olhos. Qual é, nem pra ser meus avós maternos que são engraçados, os meus avós paternos são um saco, eles são tão religiosos que acaba irritando, não por conta da religião, mas por conta do fato que eles julgam quem não segue a mesma religião

-Sério, mãe? Por que eles avisaram só agora? Nem pra eu me preparar psicológicamente - eu digo e ela concorda revirando os olhos

-Nem me fale, seu pai ta até saindo do serviço pra vir pra cá. Olha pra minha cara de quem gosta de fazer almoço?! Ainda mais pros outros - ela diz e eu rio, minha mãe é demais, apesar dos seus 39 anos, ela não deixa de ser uma loira linda do corpo invejavel, ao ponto de muitas vezes acharem que somos irmãs. E também mesmo com alguns empregados na casa ela insiste em arrumar as coisas também 

-Argh! Droga, vou ir logo buscar o Theo, ai quanto mais rápido eu volto, mais rápido eu me livro e vou pra casa do Matt - eu falo pegando meu celular e colocando no bolso do short

-Isso, seja livre! - ela zoa e eu dou risada e nós descemos as escadas - Vocês dois - ela aponta pro Zack, de 19 anos e pro Caleb, meu irmão de 14 anos, que estavam estirados no sofá assistindo e logo olham pra ela assustados - Vão no mercado comprar umas coisas pra mim, os avós de vocês estão vindo pra cá - ela diz e escuto os garotos reclamarem, mas saio antes que eles começem a reclamar ainda

-Matt, to indo buscar o Theo na creche, tem como tu me encontrar lá? - Mando um áudio no WhatZapp pro meu amigo e sigo o caminho pra escola do meu filho de 6 meses, sim ele nem tem um ano e já ta numa creche.
Meu celular vibra e vejo que o Matt havia mandado uma mensagem de áudio

-Ok, to indo lá - escuto e nem respondo seguindo o caminho pra creche pegar meu bebê

-Piranha da minha vida! - fico em choque na hora, mas fico calma quando vejo que foi o idiota do Matt que surgiu do cu do capeta e veio me abraçar

-Oi viado - digo me soltando dele e a gente segue reto vendo a creche de longe

-Mana, tu nem sabe - ele diz e eu nego fazendo ele prosseguir - Eu e a Kath achamos um apê aqui no Centro, nada muito caro, é um amor! Tem dois quartos, dois banheiros, uma sala, cozinha e lavanderia, nada muito pequeno e nem muito grande, é perfeito pra gente - ele fala empolgado me contagiando também, sempre foi meu sonho morar com meus melhores amigos

-Ah! Vamos marcar de ver esse apartamento depois - a empolgação nas minhas palavras eram óbvias

-Vai lá pegar o catarrento - paramos em frente a creche e dou um tapa no braço dele

-Não fala assim dele! - retruco e vou até a sala do Theo a professora dele na porta, uma mulher nova, no máximo 25 anos. E eu explodia por dentro, eu morro de ciúmes de outras pessoas que não fossem meus amigos e meus familiares com meu filho

-Theo Larsson? - pergunto pra ela que desconfia, talvez porque é sempre minha mãe que vem o buscar

-Quem é você? - me olha de baixo pra cima me fazendo revirar os olhos, ja entendi por que não gostei dela de longe

-Mãe dele - sorrio falsa pra própria que me olha novamente fazendo um sinal pra mim esperar e eu coloco meu peso numa perna cansada dessa enrolação.

-Aqui - ela chega com o meu bebê e eu sorrio quando ele me da os braçinhos com um sorriso largo me fazendo pegar ele no colo

-Tchauzinho - falo de forma debochada e saio encontrando meu amigo me esperando com o celular na mão

-Oi pivete - o idiota fala mexendo na mão do Theo que vira o rosto. Ele nunca gostou do Matt, por isso sempre o tal provoca o bebê

-Não fala assim com ele - reclamo e começamos a seguir o caminho de volta pra minha casa - Vai ir la pra minha casa?

-Vou sim

-Os meus avós vão ir pra lá hoje - reviro os olhos lembrando - Se prepare, eles são bem religiosos

-Eu ligo o botãozinho do foda-se pra eles - rio assentindo sabendo que ele realmente é capaz de fazer isso e continuamos seguindo o caminho e quando chegamos vejo que o carro do meu avô ja estava estacionado na rua - Botãozinho do foda-se ativado - Matt fala fazendo uma voz de robô me fazendo rir e o pequeno no meu colo também.
Abro o portão e entramos na garagem e em seguida abro a porta de casa com o Matt atrás de mim

-Ah! Meus netos - minha avó se levanta dando um beijo na minha bochecha e em seguida pegando meu filho dos meus braços. Desde que eu tive o Theo ela me olha com desgosto como se eu não fosse alguém normal. Otária. Perdão Deus -Quem é esse? - ela fala sendo direta olhando pro meu amigo de baixo pra cima, óbviamente ela percebeu que ele era gay, ninguém olharia pro Matt sem ter total certeza que ele é gay

-Meu melhor amigo, Matt - digo na maior paciência do mundo

-E essas roupas, Zara?! Isso é coisa que se use?! - ela fala abismada pelo simples fato de eu estar usando um short de cintura não muito alta e um cropped largo

-Ué, são apenas roupas - digo dando de ombros sentando no sofá com o Matt, do lado dos meus irmãos

-Você sabia que roupa curta não faz mulher casar? - ela esbraveja e o Theo começa a chorar e eu o pego no colo balançando ele que logo para de chorar e me sento novamente ao lado dos garotos

-Se for verdade ainda bem que eu sempre comprei roupa curta pra minha filha, dona Alexia - minha mãe fala saindo da cozinha e eu sorrio.
Minha mãe não é do tipo que me impede de namorar ou algo do tipo, mas ela sempre me deu conselhos pra não casar cedo, pois ela casou com 17 anos e até hoje se arrepende, não de casar com meu pai, mas sim de não ter aproveitado sua juventude, pois ela teve filhos cedos também.

-Como você deixa uma coisa dessa, Kimberly?

-Ela tem 18 anos, pode muito bem se vestir como quiser.

[...]

-Filha, tente ser paciênte, meu pai sussurra pra mim do meu lado na mesa - E você também, Matt! - meu pai se estica sussurrando pra ele

-To tentando - reviro os olhos e o Matt concorda e meu pai recompoe a postura

-Então, me falem sobre vocês, e o que estão fazendo, queridos - Meu avô pergunta pra mim e pros meus irmãos enquanto minha mãe e a Dorota que trabalha aqui colocam a comida

-An.. ah, bom, eu to na minha - Zack fala gaguejando e rio

-Como assim, e a faculdade? Trabalho? - minha avó olha pra ele

-To fazendo faculdade de música, e to trabalhando do Estúdio do meu pai - Ele fala

-Até você ta querendo seguir essa vida de músico? Sempre falei pro seu pai não seguir essa vida - ela fala com tom de desgosto amargurado

-E ainda bem que não segui seus conselhos, mamãe, pois minha vida está ótima - Meu pai retruca

-Ok, e você, Caleb, o que ta fazendo? - minha avó ignora totalmente meu pai

-Beijan.. - vejo minha mãe beliscar ele quando ela passa por ele pra ir na geladeira - Estudando

-Pretende fazer que faculdade?

-Sei lá - ele da de ombros e ela bufa

-E você, Zara? - era só o que me faltava

-O que? - me faço de sonsa

-O que ta fazendo?

-Cursando moda, e logo em breve alugando ou comprando um apartamento pra morar com o Matt e a Katherine - digo sem paciência

-Com esse garoto ? - ela olha pro meu amigo com desgosto - Ele nem sabe do amor de Cristo, vai te desviar

-Para com isso!

-Quem não sabe é você, pois se soubesse  se lembraria sobre o que fala em Mateus 22:39 - ele revida e eu fico chocada, eu amo meu amigo

-E o que fala? - Caleb pergunta de propósito e eu rio baixo

-Amáras o teu próximo como a ti mesmo - Matt diz calmo - Se é tão crente assim, reveja seus atos - Ele pisca debochadamente

-Ok, ok, podem se servir - minha mãe fala e se senta e todo mundo come em silêncio

-Amiga, tuas coisas estão prontas? - Matt pergunta quando termina de comer

-Estão, vou ali no meu quarto pegar, você vem? - pergunto e ele assente e a gente se levanta pra ir pro quarto e quando passo por minha mãe ela sussurra no meu ouvido

-Pode ir tranquila, eu fico com o Theo - eu sorrio pra ela e subo pro meu quarto pegando minha mochila

-Mana, sua vó é insuportável - Matt se joga na cama

-Eu avisei - pego meu celular - Essa foto do Theo ta linda, né? - Mostro a foto pra ele do bebê no carrinho dando risada

-Ta linda, posta no instagram - ele diz e assim eu faço - Vamos? - diz se levantando da cama e eu assinto

[...]

-Zara! Olha os comentários na foto do Theo - Kath fala se sentando na cama a eu pego meu celular vendo os comentários

"@justinbieber esse garoto é a sua cara"

"seria o mini @justinbieber ?"

"futuro crush da minha filha"

"@justinbieber teve um filho???"

Merda, e não era apenas esses comentários, tinham vários outros

-Será que é melhor eu apagar a foto?

-Não, mana! Deixa, pelo menos o Theo vai ser famoso - Matt fala e eu rio e meu celular vida

"justinbieber curtiu sua foto"

Ele curtiu a foto do Theo, merda.

-Olhem isso - mostro meu celular pra eles e eles arregalam os olhos

-Puta merda - eles falam e meu celular começa a tocar, minha mãe.

-Oi mãe

-Filha, vou sair com o Theo pra algum parque, ok? Tenho que me livrar desse lugar - rio do desespero dela


-Ok, mãe.

POV JUSTIN

-Cara, eu acho que to apaixonado - Chaz começa enquanto faziamos caminhada mo parque sem camisa

-Por quem?

-Velho, ontem conheci uma garota há dois meses

-E já ta apaixonado? Qual é o nome dela pelo menos?

-Claire - ele sorri e de longe vejo uma mulher com um bebê no colo andando pelo parque, o garoto era lindo, olhos azuis, cabelos loiros e ainda um pouco pequeno - Ta querendo ter filhos é? - Olho pra ele sem entender - Ta quase babando no bebê ali - ele ri

-Mano, longe de mim ter filhos agora, mas eu gosto de crianças, que não sejam minhas - ele ri e eu também

-A mãe parece ser bonita também em

-Cara, acho que vou lá pedir pra pegar o garoto no colo

-Vá, quem negaria Justin Bieber de pegar o próprio filho no colo? - ele ri e a gente vai até a mulher e o bebê

-Oi - sorrio de lado e a mulher me olha chocada, era de se esperar

-Hm.. Oi - ela sorri amarelo

-Posso pegar ele um pouquinho? - aponto para o garotinho que estava com uma roupinha azul

-Bom, eu acho melhor não - ela fala sem graça

-Por que não? - Chaz se intromete

-É melhor assim, acredite - ela sai as pressas e eu e o Chaz ficamos sem entender

-Cara, aquele garoto é a sua cara - se senta


-Você ta viajando, cara - Beleza, o garoto até tinha uma semelhança, mas eu não lembro de ter me envolvido com a mãe do garoto.

-Eu não acredito que você teve um filho e não me chamou pra ser padrinho - ele fala rindo e eu mostro o dedo pra ele

POV ZARA

-Manas, o corretor de imóveis acabou de me ligar e falou que o apartamento foi vendido - Matt desliga o celular e se deita na cama com a gente com um semblante triste. E automaticamente o meu também ficou

-Como assim, por que? - Afobada, Kath pergunta

-Não sei, mas já foi vendido, era o último do prédio

-Relaxa, a gente vai encontrar outro - ou não.

-Igual aquele?! Jamais - esbraveja Matt

-Bem melhor que aquele - pisco o olho direito.

-Que tal a gente já começarmos a procurar? - Kath sugere com um sorriso de orelha a orelha que é retribuido por mim e Matt.

[...]

Depois de tantas procuras e não ter achado nenhum apartamento legal e num preço favorável a gente decidiu voltar pra casa e dormir na casa do Matt

-Ja ta pronta? - abro meus olhos devagar e vejo a Katherine em pé do lado da cama já arrumada. MERDA. Eu esqueci que tenho aula hoje

-Merda, Kath. Esqueci da aula - me levanto rápido da cama e abro a bolsa que eu trouxe com minhas roupas.
Provavelmente iremos chegar na segunda aula, merda.

-Anda, Zara! - Matt começa, ele adora me testar, é incrível.
Visto a calça Jeans e a blusa larga na frente dela mesmo e amarro meu cabelo num rabo de cavalo normal e vou pro banheiro lavar o rosto e escovar os dentes

-Pronto - saio do banheiro e pego a mochila que estava com meus materiais e saimos do quarto e vamos pra faculdade.

[...]

-Zara, você vai fazer a festa de 1 aninho do Theo? - Archie, um amigo que era da nossa faculdade, mas não cursava moda me pergunta enquanto eu, ele e a Kath andávamos pra lanchonete Wop's 

-Eu não sei ainda, é provavel que sim - arrumo a alça da mochila

-Se você não fizer eu juro que te quebro todinha, Zara - Kath ameaça

-Até por que eu morro de medo de você, não é? - reviro os olhos e nós atravessamos a rua e entramos no Wop's nos sentando na mesma mesa de sempre

-Olá, o mesmo de sempre? - A garçonete nos pergunta, e rio pelo nariz logo assentindo junto com os outros três, sempre frequentamos essa lanchonete depois da aula e pedimos o mesmo pedido de sempre

-Daqui a pouco quando o dono da lanchonete morrer ele vai colocar nossos nomes no testamento dele como donos do Wop's - Matt fala assim que a garçonete vai embora e nós rimos alto

-É bem capaz - rio e sinto um braço em volta ao meu pescoço e olho pro lado vendo que era o Dylan sentado ao meu lado

-Hey - fala baixinho - Tudo bem?

-Tudo sim - sorrio de leve, Dylan é meu amigo/ficante, a gente sempre fica, saimos juntos, mas nunca passou disso, nunca rolou um pedido de namoro, filho da puta

-Cadê meu pivete? - ele sempre foi um pai pro Theo, quando o conheci eu estava grávida de três meses, desde então ele ficou praticamente assumindo a responsabilidade de pai, e todos os dias o agradeço e tento retribuir tudo que ele faz por mim e pelo Theo

-Ta la em casa, provávelmente dormindo - deito minha cabeça no ombro dele 

-Gente, olha isso isso - Kath vira o celular pra nós - Vai ter uma festa na piscina na casa do Maxon amanhã de tarde, quem vai?

-Eu vou - falam juntos, exceto minha pessoa

-Você não vai? - Dylan me pergunta com uma feição de confuso

-Galera, eu tenho um filho, esqueceram? - falo como se fosse óbvio - Tenho minhas responsabilidades depois que ele nasceu

-Pode parar, você nem ta indo pra muitas festas ultimamente, e sua mãe já falou que sempre que tivesse uma festa você poderia ir pois ela cuida do Theo, porque ela disse que você tem que aproveitar - Matt fala rápido, mas tão rápido que eu quase não entendo, e adivinhem? Ainda falou com o dedo apontado pra mim, é muito desaforado mesmo

-Argh! Ta bom, Matthew, eu vou - reviro os olhos e ele bate palminhas. 

Eu com certeza tenho os melhores amigos do mundo, isso não posso negar.


Notas Finais


Heyyyy meus amores.
É isso, provavelmente o próximo cap pode ser essa semana, então fiquem atentos.
Me perdoem qualquer erro.
Comentem e favoritem!! ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...