História Never give up - Capítulo 47


Escrita por: ~ e ~Ma1306

Postado
Categorias Andrew Lincoln, Chandler Riggs, Lauren Cohan, Norman Reedus, Steven Yeun, The Walking Dead
Personagens Abraham Ford, Beth Greene, Carl Grimes, Carol Peletier, Daryl Dixon, Enid, Eugene Porter, Glenn Rhee, Maggie Greene, Michonne, Personagens Originais, Rick Grimes, Rosita Espinosa, Tara Chambler, Tyreese
Tags Carl Grimes, The Walking Dead
Exibições 32
Palavras 890
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Super Power, Survival, Terror e Horror, Violência
Avisos: Canibalismo, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


oiii voltei
GENTE MT OBG PELOS 63 FAVs , VCS N SABEM O QUANTO EU FICO FELIZ
ainda n superei a morte do Glenn

Capítulo 47 - Foi por pouco


P.O.V. Luiz

-vocês podem ir indo, falei para Rick que pegaria a Judy antes de ir – Helena disse indo em direção ao quarto de Rick.

Eu continuei descendo as escadas, seguido por Maggie, quando chegamos à varanda da casa percebi que Carl não estava conosco, o que me deixou um pouco (muito) desconfortável.

 Eu ainda tenho muito ciúmes da Lena com o Carl, ela e minha irmã, e eu a amo com todas as minhas forças, fico muito feliz que ela tenha encontrado felicidade neste mundo horrível onde só existem mortes, dor e sofrimento. Carl e meu melhor amigo, também quero que ele seja feliz, confio minha vida a ele, mas tenho medo de que ele a machuque.

Acho que Maggie percebeu meu desconforto, pois disse que tinha esquecido sua bolça lá em cima, sendo que ela nem estava de bolça, só para ir atrás dos dois. Sentei-me no murinho da sacada para espera-los. As ruas de Alexandria estavam calmas, pois quase todos os moradores se encontravam na casa de Deanna. A única luz presente eram as de algumas casa perdidas pela comunidade, a luz da lua e a das estrelas.

Um barulho não muito alto me chamou a atenção. Olhei em sua direção e vi uma silhueta escalando o muro e pelo que Lena avia me falado Enid tinha pulado aquele mesmo muro alguns dias atrás. Pus a mão na parte de trás da minha calça onde tinha escondido minha faca, para ver se a mesma estava lá. Não pensei duas vezes antes de sair correndo para pular o muro atrás de Enid, a vi correndo entre as arvores

-ENID!- gritei na esperança de que ela parasse o que não aconteceu. Continuei seguindo-a para dentro da floresta – ENID? - gritei quando a perdi de vista. Assustei-me quando uma mão me puxou para trás de uma arvore.

-cala a boca, tem um bando deles passando- sussurrou em meu ouvido, o que me causou um pequeno arrepio- Quer que te escutem? – perguntou baixo porem com raiva na voz.

- acho que já escutaram- disse quando ouvi o grunhido deles se aproximando

-merda – disse jogando sua mochila no chão, pegando sua faca ficando de costas para mim. Cravei minha faca na cabeça do primeiro, do segundo, terceiro, quarto, quanto mais matávamos mais deles apareciam. Não queria revelar meus poderes para Enid, pois não a conheço, não sei se posso confiar, mas se for necessário terei de revela-los. Quando achei que não teríamos mais saída, que teria que queimar todos os zumbis vi lanternas se aproximando, era Helena seguida por Rick e Carl. Ela sussurrou um “prepare-se” para mim, entendi o recado.

- confia em mim – disse para Enid. Antes que ela pudesse dizer ou fazer qualquer coisa eu tampei seus olhos com minha mão e a puxei para o chão, fechei meus olhos e logo senti o frio do gelo de Helena. Já estava acostumado, pois quando éramos mais novos ela treinava em nosso quarto e quando tem um pesadelo, ela fica fria como gelo que sai de suas mãos.

- o que esta acontecendo? – Enid perguntou encolhida em meus braços por causa do frio, Não respondi. Quando abri meus olhos vi gelo e muitos zumbis mortos no chão

- o que faremos com ela? – Carl mexeu os lábios para ela não ouvir  

- ela ira descobrir – foi a vez de Lena mexer os lábios

- vamos ter que apaga-la – Rick mexeu os lábios veio atrás de nos e bateu sua arma na cabeça de Enid

-isso era mesmo necessário? – perguntei alto e irritado quando Rick a pegou no colo para leva-la de volta - Não precisávamos ter apagado a menina

- você queria que ela descobrisse? – Helena perguntou na mesma altura- que ideia foi essa? Sair no meio da noite só com uma faca de arma? O que você tinha na cabeça? – gritou com raiva apontando uma lanterna na minha cara. Fiquei calado não sabia o que responder, sabia que ela estava com raiva, mas também sabia que estava feliz em me ver bem, sei que a raiava e um dos jeitos de ela demonstrar preocupação, de demonstrar amor.

– desculpa ok? Foi uma ideia idiota

- eu sei que foi – respondeu ainda com raiva

- ei me desculpa – disse a abraçando

- só pense duas vezes da próxima vez – respondeu me apertando

- eu não pensei nem a primeira – falei fazendo-a rir       

- vamos voltar, Maggie esta nos esperando no porta de Alexandria

 Peguei a mochila de Enid e comecei a andar de volta para Alexandria. Quando chegamos Maggie estava no portão a nossa espera. Fui com Rick para a enfermaria para deixar Enid lá

- eu vou ficar com ela, achar uma boa desculpa para quando ela acordar- disse para Rick que assentiu e a colocou em uma maca.

Umas duas horas depois ela acordou com um pulo, ofegante e assustada.

- o que aconteceu? Como eu vim para aqui? – perguntou com a mão na cabeça

- você bateu a cabeça quando eu te puxei pro chão-menti - desculpa ter te puxado muito forte – ela assentiu e se levantou – onde você vai?

- para casa, você deveria ir para a festa – disse fechando a porta da enfermaria. Não estava com cabeça para festa, então fui para “casa” dormir.  por muito pouco Enid nao descobre o maior segredo da minha vida 


Notas Finais


espero q tenham gostado
comentem e favoritem
bjs e ate a prxima
xau
S2 S2 <333333


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...