História Never Gonna Change My Mind - Terceira Temporada. - Capítulo 25


Escrita por: ~

Postado
Categorias Black Veil Brides (BVB)
Personagens Andrew "Andy" Biersack, Ashley Purdy, Christian "CC" Coma, Jacob "Jake" Pitts, Jeremy "Jinxx" Ferguson, Personagens Originais
Visualizações 3
Palavras 2.246
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Policial, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 25 - Capítulo 25.


Fanfic / Fanfiction Never Gonna Change My Mind - Terceira Temporada. - Capítulo 25 - Capítulo 25.

- Tenho uma coisa a dizer. - Disse Andrew em voz alta, os meninos nos encararam. - Mas acho melhor fazer isso em um jantar, então hoje jantarmos todos juntos. - Sorriu.

- Eu sei o que é. - Disse Jeremy.

- Acho que todos sabem. - Ri.

- Você é muito sem graça, Jenna! - Disse Andrew.

- E é por isso que estamos aí há dezessete anos. - Ri novamente.

- Eu quero saber é de comer. - Disse Christian, eu ri.

- Sabemos disso, Christian. - Respondi e fui em sua direção pegar Hanna. - Como está Anna e o bebê Ashley? - Sentei no sofá com Hanna no colo.

- Está bem ansiosa para o nascimento da nossa filha. - Ele sorriu, estava sentado a minha frente no outro sofá.

- Não acredito que é uma menina, meu Deus! - Sorri da forma mais fofa que pude, realmente estava animada para ser tia.

- É, ela está com quase quatro meses de gravidez. Estamos ansiosos demais. - Ele sorriu de um jeito que nunca vi antes.

- Também estou ansiosa, depois da turnê vou comprar uns mimos. - Sorri. - Já sabem o nome?

- Sim, mas será surpresa.

- Não acredito que vai me deixar na expectativa! - Bufei.

- Relaxa, Jenna! - Riu.

Fiquei brincando com Hanna, me apaixonei por ela, comemos alguns doces na mesa de comida e perguntei a Christian se eu podia ficar com ela o resto do dia, ele deixou e fomos com Andrew para o ônibus.

Entramos e subimos para o segundo andar, Andrew ficou sentado em nossa cama com Hanna enquanto fui tomar banho e me arrumar para o show da noite. Saí do banho, me arrumei e fui em direção a cama. Fiquei com Hanna enquanto Andrew tomava banho e se arrumava.

Descemos para o primeiro andar do ônibus, Hanna adorava comer papinha, então peguei uma no armário para dar a ela. Andrew desceu e sentou ao meu lado enquanto eu a alimentava.

- Você daria uma ótima mãe. - Ele disse com certo brilho nos olhos.

- Eu sei. - Ri. - Estou com muita fome, onde vamos comer?

- Que tal comermos hambúrguer?

- Acho uma ótima idéia. - Sorri.

Terminei de dar a papinha para a Hanna, saímos com Andrew para comer na lanchonete perto do local do show. Comemos hambúrguer e dei salada de frutas para Hanna. Voltamos para o local do show e deixei ela com Christian.

Fiquei sentada no sofá mexendo no celular, Andrew ficou ao meu lado, logo Jeremy apareceu com meu pai e sua mãe, convidamos eles para o jantar após os shows de hoje e eles aceitaram. Hoje era o grande dia, Andrew vai contar a todos que estamos juntos.

- Jenna, vamos! - Mark apareceu na porta do camarim.

- Estou indo! - Respondi ao me levantar e entregar meu casaco a Andrew, fui andando até o corredor que dava para o palco.

- Foco! - Disse o Mark ao me abraçar.

Nos soltamos, alonguei, aqueci, peguei meu violão e entrei no palco, o show da noite estava mais cheio do que o da tarde. Cantei as músicas de sempre, chamei Andrew para cantar comigo é isso me deixou muito feliz, o fato dele estar ali me ajudava muito.

Meu pai, a mãe do Jeremy, o restante dos meninos do BVB e os meninos do SWS assistiram o show todo, isso também me deixou muito feliz, muitas coisas passaram pela minha cabeça. A última música era a que escrevi para a minha mãe, só pensei nela enquanto tocava e cantava, ao terminar a música as lágrimas começaram a correr pelo meu rosto, me segurei, agradeci e saí do palco deixando meu violão em um canto.

Passei pelo corredor e fui para o banheiro feminino, tranquei a porta, sentei no chão e comecei a chorar desesperadamente. Queria minha mãe comigo, queria que ele me visse feliz e em paz com Andrew, queria que ela vivesse essa paz comigo. Andrew bateu a porta, ouvi também a voz de Jeremy. Fiquei cerca de cinco minutos os ouvindo.

Levantei a mão e destranquei a porta, continuei no chão. Minhas mãos estavam em meu rosto e eu não conseguia parar de chorar, alguém me abraçou e não era o Andrew, o perfume dele não era o que eu estava sentindo. Tirei as mãos do rosto, abri os olhos, era Jeremy.

- Calma, Jenna! Estamos todos aqui. - Disse ele em um tom tranquilo.

- Eu queria minha mãe aqui, Jeremy! Isso dói! - Afundei meu rosto em seu peito, estávamos sentados no chão e abraçados.

- Não sei o quanto é difícil, mas eu estou aqui, nosso pai está, seu namorado está, seus amigos também! Não podemos substituir sua mãe, mas podemos te ajudar.

Jeremy foi se preparar para o show, fiquei mais um tempo no banheiro, lavei o rosto, ajeitei minhas roupas. Prendi o cabelo todo para trás, lavei o rosto mais uma vez, saí do banheiro e fui para o camarim do BVB, hoje eu não queria ver mais nenhum show e não queria mais o jantar, mas não desmarcaria, Andrew estava animado demais.

Acabou o show e os meninos voltaram para o camarim, todos me perguntaram se eu estava bem, respondi que sim e peguei Hanna no colo. Ficamos brincando no tapete do camarim. Após alguns minutos todos estávamos prontos para irmos para o restaurante.

Chegamos no restaurante, sentamos em uma mesa grande e redonda. Andrew estava do meu lado direito e Jeremy do meu lado esquerdo. Todos fizeram seus pedidos e ficamos conversando um pouco.

- Quero alguns minutos da atenção de vocês. - Disse Andrew se levantando. - Bom, isso que vou dizer vem acontecendo há alguns meses e quero oficializar. - Ele pausou, respirou fundo, me olhou e sorriu. - Eu e Jenna estamos juntos. - Os meninos aplaudiram. Andrew tirou uma caixa de alianças do bolso e me entregou. - Jenna, eu te amo desde aquela tarde de 1995, fica comigo para o resto da vida?

- Meu Deus! Quando que você comprou essas alianças Andrew? - Fiquei muito feliz, levantei e o abracei.

- Você aceita?

- Claro que aceito meu amor! - No beijamos.

Ele colocou a aliança no meu dedo, era uma aliança preta fosca, estavam gravados nossos nomes, mas nada de datas só o símbolo do infinito.

- Eu amei! - Disse a ele ao sentarmos a mesa.

- E eu amo você! - Ele me deu um beijo na testa.

- Amo você girafona! - Sorri.

Estavam todos animados e eu também, apesar de querer minha mãe ali comigo. Nossos pedidos chegaram, jantamos e ficamos conversando um tempo. Meu pai ficou feliz e disse que sempre soube que ficaríamos juntos. Foi a noite mais animada desde que minha mãe se foi.

Nos despedimos do meu pai e da mãe de Jeremy e fomos para o ônibus andando, fiquei com Hanna no colo. Chegamos no ônibus e deixei ela com Christian, subi para o segundo andar e fui direto para a minha cama, Andrew veio atrás. Tirei o tênis e deitei na cama.

- Você está bem meu amor? - Ele deitou ao meu lado.

- Estou bem sim. - Sorri. - E você?

- Estou bem, feliz e em paz. - Sorriu.

- Queria minha mãe aqui, amor.

- Por isso estava chorando no banheiro? - Ele virou de frente para mim.

- Sim. - Comecei a chorar novamente.

- Você sabe que vou estar aqui sempre que precisar e mesmo não precisando, não é? - Ele me puxou para mais perto e me abraçou.

- Obrigada Andrew! - Meu rosto estava em seu peito.

- Sei que não que eu disser vai melhorar isso que você sente, mas saiba que vou estar aqui é que amo você, chora tudo o que tem pra chorar. Sei que você vai estar aqui por mim também. - Nos soltamos, ele beijou minha testa.

- Obrigada por tudo! - Sorri. - Amo você!

Ele sorriu e o beijei, depois de alguns minutos levantei e fui tomar banho, coloquei meu pijama. Andrew foi buscar algo para comermos, pedi pra trazer um lanche pequeno para mim pois já havia jantado.

Fiquei deitada na cama, Christian veio trazer Hanna para ficar comigo, eles e os meninos iriam sair, até tentaram me levar junto mas não quis. Andrew quis ficar comigo, mas disse a ele que precisa sair e se divertir e que eu não estava no clima para isso.

Fiquei na sala assistindo animações da Disney com Hanna, comemos um pouco de pipoca e fiz a mamadeira dela. Às 22h ela estava dormindo, a levei para a cama de Christian e deitei junto com ela, adormeci.

Acordei no outro dia com Hanna em cima de uma das costelas que fraturei, isso doeu um pouco. Dei banho nela e a troquei, já sabia quais eram suas malas. As únicas que eram do Batman, sim ela era tão fácil dele quanto o Andrew. Ao menos era o que parecia, pois tudo que ela via dele ficava vidrada. Christian até começou a fazer uma coleção de HQs para quando ela fosse maior poder ler e entender melhor a história do herói.

Coloquei uma roupa confortável nela e descemos, deixei ela com Andrew e subi de novo, fui para o banheiro e fiz as minhas higienes, os meninos deixaram o banheiro de cima para mim e para Hanna. Coloquei uma roupa confortável, prendi o cabelo todo para trás, que aliás estava enorme, já tinha passado da altura da minha bunda.

Desci para o primeiro andar no ônibus e tomei o café que os meninos fizeram, Hanna estava sentada no tapete olhando para os desenhos que passavam na TV. Ela era a criança mais fofa que eu já tinha visto e estava ansiosa para que a filha de Ashley e Anna nascesse logo, não vejo a hora de ser madrinha.

Me sentei no sofá ao lado de Andrew, Jacob e Jeremy ainda estava dormindo no segundo andar, Christian estava sentado no tapete com Hanna, Ashley estava sentado no outro sofá mexendo no celular.

- Dormiu bem? - Perguntei a Andrew.

- Sim, meu amor. E você?

- Dormi bem também. - Sorri. - Se divertiu ontem?

- Sim, me diverti e você deveria estar lá. - Ele deu um beijo meu rosto.

- Você sabe que eu não estava no clima, quem sabe da próxima vez. - Sorri e encostei a cabeça em seu ombro.

Hoje era domingo e teríamos mais um show, o ônibus estava estacionado no estacionamento na parte de trás do local dos shows desse fim de semana. Na hora do almoço fomos a um restaurante próximo, comemos e voltamos para o ônibus.

Tomei banho, fiz as minhas higienes e me arrumei para o show. Hoje eu faria uma participação especial com o BVB e com o SWS, além do meu show acústico.

Participei dos dois shows e fiz o meu, meu pai e Morgana vieram novamente. Hoje não toquei a música que escrevi para a minha mãe. Meu pai conversou comigo sobre a minha mãe, me explicou algumas coisas e pediu por perdão por te agido como um babaca.

Às 20h eu já estava em minha cama junto Andrew, conversamos sobre o meu pai e sobre a minha mãe, mais uma vez chorei. Também conversamos sobre as minhas tatuagens.

- Quero ver com um tatuador se dá para arrumar as minhas tatuagens ou então removê-las. - Disse ao Andrew.

- Elas ainda te trazem lembranças ruins? - Ele passou a mão em cima das cicatrizes da minha coxa.

- Sim, as cicatrizes ainda me trazem lembranças e também tenho pesadelos. - Senti um nó em minha garganta.

- Você conversou com a dermatologista?

- Sim, eu tenho a opção de fazer um tratamento a laser para tirar as tatuagens e diminuir as cicatrizes. E depois que acabar a remoção das tatuagens, tem a opção de fazer cirurgia para sumir com elas de vez.

- Isso é bom, caso você queira fazer, é claro. - Sorriu.

- Eu acho melhor apagar tudo e começar de novo. - Sorri.

- Então você quer fazer o tratamento a laser?

- Sim, quero muito apagar tudo isso.

- Você não está se referindo só as tatuagens e cicatrizes... - Ele comentou sabendo o que eu quis dizer.

- Sim, você me conhece bem. - Sorri.

- Ela nunca mais vai fazer nada com você. - Ele me abraçou.

- Eu sei. - Na verdade eu não sabia, sempre dormi com a sensação que acordaria naquela garagem sendo torturada novamente.

- Sei que você está com medo, mas eu vou te proteger Jenna! - Nos abraçamos forte e ficamos ali um tempo.

Nos soltamos e peguei meu celular, respondi mensagens da Anna, Lara e Renne, fora as do meu pai. Também respondi mensagens da Amy e do Chris, eles ficaram sabendo que não estava muito bem e que eu e Andrew assumimos um relacionamento, ficaram felizes por isso.

Mandei um e-mail para a minha dermatologista marcando a primeira consulta para começar o tratamento, queria que já fosse quarta-feira. Por mais que eu estivesse em turnê, dava tempo de voltar de avião para o consultório ou então fazer o tratamento em um filial na cidade em que estaria.

Os meninos pediram pizza e descemos para comer com eles, achei bom passar um tempo com meus amigos e isso iria se repetir até agosto, era o que eu precisava no momento. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...