História Never Let Me Go - Capítulo 17


Escrita por: ~

Postado
Categorias Ian Somerhalder, Nina Dobrev, The Originals, The Vampire Diaries
Personagens Bonnie Bennett, Caroline Forbes, Damon Salvatore, Elena Gilbert, Enzo, Giuseppe Salvatore, Jeremy Gilbert, Klaus Mikaelson, Lexi Branson, Lilian "Lily" Salvatore, Matt Donovan, Personagens Originais, Rose-Marie, Tyler Lockwood
Tags Bonenzo, Damon, Delena, Elena, Ian, Klaroline, Nian, Nina
Exibições 117
Palavras 2.955
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hello! Venho trazer o capítulo mais esperado por vocês (creio eu)
Recomendo que vocês leiam o cap ouvindo Kiss me, do Ed Sheeran. Sério, vai ficar bem mais emocionante.

OBRIGADO POR TODOS OS FAVORITOS E COMENTÁRIOS, VOCÊS SÃO AS MELHORES ♡♡♡♡

O cap não está revisado, então me perdoem pelos erros.

Espero sinceramente que vocês gostem ♡

Boa leitura.

Capítulo 17 - I love you.


Fanfic / Fanfiction Never Let Me Go - Capítulo 17 - I love you.

Meu coração encostado em seu peito. Seus lábios pressionados ao meu pescoço. Estou me apaixonando pelos seus olhos, mas eles ainda não me conhecem. E com esse pressentimento de que esquecerei, agora estou apaixonado.

                               Kiss me - Ed Sheeran


Elena.

— Bem vindo. - falei quando entrei no apartamento, ficando ao lado da porta aberta.

Damon adentrou no local e passeou os olhos por cada lugar visível na sala. Logo em seguida, me olhou e sorriu.

— É um ótimo apartamento. Me surpreende ser organizado de tal maneira. - falou sentando-se no sofá.

— Vou levar isso como um elogio. - fechei a porta e me juntei á Damon no sofá. Ele soltou uma risada gostosa de se ouvir pelo meu comentário.

Escolhemos o filme Morrendo e Aprendendo, o qual eu já havia assistido e posso dizer que é incrível. Fiz pipoca, a coloquei em uma tigela e levei para a sala junto com os refrigerantes. Agradeci a mim mesma mentalmente por ter feito compras recentemente. Juntei-me a Damon novamente no sofá, alinhando-me ao corpo dele e deitando em seu peito.

Durante o filme, Damon passava os dedos levemente pelo meu braço, descendo e subindo, me fazendo arrepiar. E então, ele correu sua mão até minha cintura, por baixo da blusa, fazendo o mesmo movimento que antes. No mesmo instante eu senti meu corpo esquentar. Será que ele não percebe o que seu toque está fazendo comigo? Certamente não, pois eu levantei meu rosto para olha-lo e Damon continuava a assistir o filme tranquilamente. Decidi fazer o mesmo e voltei minha atenção para o filme, ou pelo menos tentei.

Mesmo que meus olhos estivessem concentrados na TV á minha frente, minha atenção estava completamente voltada á Damon. É incrível e confuso a forma que tudo nele é intenso, desde seu olhar até seu toque. Ninguém jamais me fez sentir tal sensação antes, o que torna Damon ainda mais especial na minha vida. Especial. Não sei se essa é a palavra certa para descrever o que sinto por Damon, ele é especial, mas não apenas isso.


Algum tempo depois o filme chegou ao fim. Já se passava das 02hrs e o cansaço ameaçava aparecer. Levei tudo que havíamos sujado para a pia e voltei para a sala, onde Damon estava sentado no sofá parecendo um zumbi. Certamente não está muito diferente de mim.

— Acho melhor eu ir embora, ou vou desmaiar aqui mesmo. - falou me olhando quando sentei ao seu lado.

— Isso não parece um problema pra você, já que gostou tanto do meu apartamento estranhamente bem organizado. - eu disse divertida e ele riu.

— Vai dizer que não é estranho? Você passa o dia no trabalho e mesmo assim seu apartamento é bem arrumado. - falou ainda rindo.

— Tudo bem, você me pegou. A Caroline insistiu para que pudesse organizar uma coisa aqui e outra ali, mas estamos falando de Caroline Forbes, ela não deixaria nada pela metade. - falei e Damon sorriu em concordância.

— Bem, posso dizer que não estou surpreendido. - piscou para mim - Vou indo agora, porém espero visitar-la aqui mais vezes.

— E que tal hoje á noite, com um jantar feito por mim? - eu disse mais animada do que gostaria e Damon franziu a testa.

— Você cozinha?

— Eu tento, mas prometo não decepcionar. - Damon levantou-se e eu fiz o mesmo, colocando meus braços em volta do seu pescoço.

— Claro que eu irei vir. Quem sabe não conheço outros cômodos além desse? - falou com seu sorriso malicioso.

Ele segurou em minha cintura e me puxou, juntando nossos lábios. Sua língua passeou por cada centímetro da minha boca e eu já sentia meu corpo esquentar. Damon me apertou mais contra ele, de modo que não havia nenhum espaço entre nós. Me afastei de Damon quando meus pulmões procuravam por ar e deixei um selinho em seus lábios logo em seguida.

Damon foi embora garantindo-me que voltaria á noite para o nosso jantar. Eu poderia dar pulinhos de animação por ele aceitar o convite, isso se eu não estivesse tão cansada. Me desfiz das minhas roupas e fui para o chuveiro, tomei um banho relaxante. Saí do banho e coloquei uma camisola rosinha de seda. Deitei-me na cama e me enrosquei debaixo das cobertas. Mesmo estando com muito sono, levou alguns minutos para que eu dormisse. Porque eu estou tão ansiosa para hoje a noite? Quer dizer, nós já estivemos em outros jantares antes. Contudo esse será o primeiro feito totalmente por mim.

E foi com a ansiedade para que a noite chegasse logo que acabei vencida pelo sono.

                            [...]

Acordei com a luz do sol no meu rosto e lembrei que não havia fechado as cortinas do quarto. Me levantei e fiz minha higiene "matinal", logo em seguida tomei um banho. Saí do banho e me troquei, colocando um shorts branco e uma blusa vermelha lisa de alça grossa. Fui até a cozinha e preparei meu café da manhã: ovos, bacon, torradas e café. Essa é minha comida preferida para um café da manhã, que na verdade também será meu almoço já que se passa das 13:45hrs.

Depois de tomar café, peguei minhas chaves e fui até o mercado que ficar próximo do meu prédio, apenas alguns minutos de caminhada. Eu havia feito compras recentemente, entretanto não tenho todos os ingredientes para o que quero fazer para o jantar: espaguete á carbonara.

Poucos minutos depois eu já estava no mercado. Fui até o setor onde ficava cada ingrediente e decidi levar alguns morangos para a sobremesa, que será morangos com chocolate. Afinal, não há sobremesa mais simples e deliciosa como essa.

Damon.

O relógio ao lado da minha cama marcava 14:57 da tarde. Levantei da cama me espreguiçando, ainda sonolento. Tomei banho, troquei de roupa e desci para comer algo.

É engraçado como tudo na minha vida mudou tão depressa. Há alguns meses atrás eu estaria acordando com uma enorme dor de cabeça e com alguma mulher ao meu lado. Contudo depois do beijo de Elena, depois de tudo que já passamos no nosso curto tempo em que estamos juntos; estar com ela é a mais pura certeza que eu tenho e eu não quero a minha antiga vida de volta. Elena me mudou para melhor, ela me fez perceber que vale a pena se importar, que vale a pena sentir.

Entrei na cozinha e Josy estava lavando alguns pratos, enquanto Leslie — creio que esse seja o nome dela — limpava o chão. Leslie cuida de boa parte da limpeza, apenas nos finais de semana, pois é quando Elena está de folga.

— Boa tarde, querido. - Josy disse quando percebeu minha presença.

— Boa tarde, Josy. - fui até ela e deixei um beijo em sua testa.

— Você acordando a essa hora... Não vai me dizer que estava em alguma festa ontem?! - ela disse secando as mãos em um pano e encarando séria. Leslie terminou o que estava fazendo e saiu da cozinha.

— Na verdade eu estava com Elena. - um pequeno sorriso surgiu nos seus lábios finos - Nós saímos com nossos amigos e depois Elena e eu assistimos um filme no apartamento dela. - falei abrindo a geladeira e procurando algo para comer.

— Vocês passaram a noite juntos? - perguntou dando ênfase a última palavra.

— Sim. Quer dizer, nós não dormimos juntos, se é o que está pensando. - falei divertido e peguei uma fatia do bolo que estava na geladeira. Virei-me para Josy e ela me olhava com um sorriso carinhoso.

— Já faz algum tempo que eu venho observando o modo como você a olha. Você realmente gosta dela, não é? - disse Josy.

— Eu a amo. - falei sem hesitar. Josy me olhou surpreendida, porém o mesmo sorriso permanecia em sua boca. Eu já havia dito em alto e bom som isso, porém adimitir que eu amo Elena para outra pessoa era estranho, vindo de mim. Mas ainda é a mais absoluta verdade.

— Eu estou muito feliz por você, Damon. - Josy disse com um sorriso largo e com os olhos negros brilhando.

— Eu também estou feliz.

                          [...]

Recebi uma mensagem de Elena dizendo que eu poderia estar lá ás 19:00. Agora são 18:30 e sendo assim, peguei a chave do meu carro e desci as escadas. Não posso negar que estou sentindo uma ansiedade pela noite de hoje.

Saí da mansão, entrei no meu carro e coloquei o cinto de segurança, logo em seguida dei partida. Mesmo depois de termos jantado juntos outras vezes, essa será, de certa forma, especial. Será nosso primeiro jantar depois de começarmos a namorar e ao ser na casa dela, não posso evitar que fluem pensamentos involuntários na minha cabeça.

Alguns minutos depois eu já estava estacionando o carro na frente do prédio de Elena. Saí do veículo, entrei no prédio e em instantes eu estava andando pelo seu corredor até chegar á última porta do mesmo. Toquei a campainha e em segundos fui recebido pelo que só podia ser uma obra de arte. Como é possível ela estar ainda mais linda?

Elena estava com um vestido preto com duas alças finas,  que deixava boa parte de suas coxas torneadas á mostra e um decote em V. Os lábios dela estavam ainda mais convidativos no batom vermelho vinho que ela usava. Seu cabelo castanho estava liso como de costume, e jogado para o lado deixando-a sexy. Oh meu Deus. Muito sexy.

— Oi. - disse ela com um sorriso deslumbrante.

— Oi. Você está ainda mais linda. - coloquei minhas mãos na cintura dela e a beijei.

Senti seus lábios macios se curvar em um sorriso. Corri minha língua pelo seu lábio inferior, fazendo Elena segurar nos meus cabelos e me levar de encontro a ela. Sorri satisfeito por causar esse efeito nela. Parecendo uma provocação, Elena contornou sua língua na minha e em seguida mordiscou meu lábio inferior. Ouvi um grunhido sair pela minha garganta e eu parei nosso beijo.

— O que houve? - perguntou confusa.

— Acho melhor entrarmos, ou então eu não me responsabilizo pelos meus atos. - eu disse e ela deu seu melhor sorriso meigo misturado com malícia. Reparei que mesmo depois do nosso beijo, seu batom estava quase intacto.

— Vem. - ela segurou na minha mão e me guiou para dentro do apartamento.

Elena.

Meu queixo quase caiu quando vi Damon. Ele está ainda mais bonito — se é que é possível. Ele vestia uma camisa branca com um blazer cinzento por cima, uma calça jeans preta e sapatos de mesma cor. Seu cabelo estava lindamente desgrenhado. Simplesmente sexy.

Levei Damon para dentro do apartamento e vi sua expressão surpreendida ao ver o que eu havia preparado.

As luzes estavam baixas, o que mais iluminava a sala eram as velas aromatizantes. Na mesa da cozinha haviam algumas rosas em um pequeno vaso fino bem no centro e ao lado mais duas velas. Junto das flores e das velas estava uma garrafa de vinho que eu colocara lá logo quando Damon tocou a campainha. A comida também já estava na mesa e com ela os pratos e talheres.

— Você fez tudo isso sozinha? - perguntou-me.

— Sim. - sorri satisfeita e Damon riu deixando um beijo rápido nos meus lábios - Eu fiz espaguete á carbonara, espero que você goste. Aliás, é a única receita que sei fazer. - eu disse.

— Tenho certeza que irei gostar, caso contrário nunca mais voltarei aqui. - brincou e eu ri dando um soco leve em seu ombro.

Sentamos na mesa, nos servimos com o espaguete e eu coloquei o vinho nas nossas taças. Conversamos sobre coisas aleatórias, rimos das piadas sem graça que ambos contamos, mas que de alguma forma elas nos faziam rir e por fim quando terminamos de comer eu peguei a sobremesa. Ambos colocamos pequenas porções do espaguete, de modo que havia espaço suficientemente para a sobremesa.

— Aqui está a sobremesa. - falei colocando os morangos e o chocolate na mesa. Damon sorriu e quando ergueu a mão para pegar um morango eu lhe dei um tapinha.

Eu farei isso do meu jeito.

Levantei da cadeira e ele fez o mesmo. Peguei um dos morangos, passei a ponta no chocolate e levei até a boca de Damon. Seus olhos azuis fitavam os meus e ele mordeu um pedaço do morango. Depois eu peguei outro morango, o passei no chocolate e mordi um pedaço. No entanto o chocolate veio mais do que eu gostaria e ele pingou, caindo no meu vestido e ficando um pouco no canto da minha boca. Sussurei um "merda" e antes que eu pudesse limpar o chocolate no canto da minha boca Damon o fez, passando o dedão suavemente para limpar e depois levando-o até a boca. Ok, por essa eu não esperava.

Sem nem pensar duas vezes, eu coloquei o morango na mesa e pressionei Damon contra a parede da cozinha. Em questão de segundos minha boca já estava colada na dele com um beijo de puro desejo. Sua língua se enroscava na minha e eu sugava seu lábio inferior, enquanto puxava os cabelos dele levemente. Ouvi Damon soltar um gemido e em seguida me empurrou para o outro lado da cozinha, colando nossos corpos. Ele colocou uma das mãos em minha nuca, puxando meu cabelo para trás de leve, e a outra estava na minha cintura. Agora foi a minha vez de soltar um gemido. Quando nossos pulmões pediam por ar, Damon separou os lábios dos meus e os levou até o meu pescoço. Ele passou a ponta da língua no local e eu soltou outro gemido arfando.

Damon voltou sua atenção para a minha boca. Sem quebrar o beijo, eu o levei para o meu quarto e quando Damon percebu onde estava ele me encarou.

— Conhecendo outros cômodos, lembra? - eu disse com um sorriso cheio de malícia se formando em meus lábios e Damon sorriu da mesma forma.

Ele me ergueu de modo que eu fiquei com as duas pernas envolta da cintura dele e Damon fechou a porta com o pé. Ele me colocou gentilmente na cama de casal e juntou seus lábios novamente aos meus, ficando em cima de mim.

— Você está linda com esse vestido, mas tenho certeza que ficaria melhor sem ele. - murmurou roçando os lábios nos meus.

— Então o tire. - sussurei mordendo o lóbulo da sua orelha.

Damon passou as mãos pelas minhas coxas antes de ir para a barra do meu vestido. Levantei um pouco minhas costas para que ele pudesse tirar sem nenhum problema no caminho. O vestido já não estava mas no meu corpo e sim em algum lugar no quarto, sendo assim eu estava apenas com minha lingerie preta rendada. Damon me olhou por alguns segundos e depois sorriu.

— Você é linda. - falou e eu senti minhas bochechas ruborizadas.

Me virei na cama ficando em cima dele, passei minhas unhas por debaixo da camisa de Damon e em seguida a tirei, deixando seu peitoral exposto para mim. Fiz uma trilha de beijos do seu pescoço até seu abdômen e eu senti Damon se arrepiar. Ele sentou na cama comigo em seu colo. Seus lábios estavam pressionados na pele do meu pescoço e eu ofegava puxando seus cabelos. Damon passou as mãos pelas minhas costas até que parou no fecho do meu sutiã, ele o soltou e jogou em algum ponto no quarto. Ele me deitou novamente na cama e eu o ajudei a tirar sua calça e cueca e ele fez o mesmo com a minha calcinha. Estávamos totalmente nus. Damon me beijava com urgência e eu correspondia do mesmo modo. Até que ele hesitou.

— Merda! - resmungou parando o beijo.

— O que aconteceu? - perguntei. Será que fiz algo errado?

— Você por acaso teria uma camisinha? - disse ele com indiferença.

— Sim. - eu disse e abri a gaveta da cômoda pegando um pacotinho de lá e entregando a Damon. Ele a colocou e voltou a me beijar. Em poucos segundos já estávamos quentes e ofegantes como antes.

Ele sugava os meus lábios e eu dava leves mordiscadas nos dele. E então ele me penetrou. Eu gemi com a sensação de prazer e Damon também; passei minhas unhas pelas costas dele fazendo-o arfar ainda mais. Separei meus lábios dos de Damon, os levei até seu ombro e eu mordia cada vez que ele acelerava os movimentos de vai e vem. Damon prendeu meus braços acima da minha cabeça e me beijou com carinho.

 Me virei ficando em cima dele enquanto os movimentos continuavam. Damon segurava em minha cintura com força e mordia o lábio inferior. Depois de mais algumas investidas nós chegamos ao nosso ápice juntos e eu cai ofegante ao lado de Damon. Me alinhei ao seu corpo e deitei minha cabeça em seu peito onde era possível ouvir o coração dele ainda acelerado. Nós ficamos em um silêncio confortável por alguns segundos, até que Damon falou o que eu menos esperava ouvir, porém o que eu mais desejava.

— Eu te amo. - disse ele tranquilamente enquanto acariciava os meus cabelos.

Eu te amo.

Aquelas três palavras se repetiam na minha mente. Ele me ama. E sim, eu também o amo. Essas são as palavras mais significativas que eu já ouvi em toda a minha vida. Eu o amo, mais do que a mim mesma. Eu o amo a ponto de me sentir segura em seus braços, mesmo que o mundo estivesse caindo lá fora. Eu o amo e quero que isso dure para sempre.

— Eu também te amo. - levantei minha cabeça para poder olhar em seus olhos azuis hiponotizantes, que brilhavam feito estrelas. Meus olhos já estavam marejados. As palavras saíram naturalmente da minha boca e uma sensação de paz me percorreu. Eu poderia repetir isso milhares de vezes sem enjoar e seu que causaria o mesmo efeito. Damon sorriu, o sorriso mais verdadeiro que eu já vi, e deixou um beijo no topo da minha cabeça.

Eu nunca me senti tão amada.


Notas Finais


Quem diria que um simples morango com chocolate causaria isso tudo hehehe
Gente, me desculpem se o hot não ficou como vocês esperavam, ou sei lá. É que eu não consigo escrever isso muito bem, sabe?! Ashuashua
O Damon ficou meio sentimental demais nesse cap, né? Mas essa será uma das poucas vezes, prometo.
O que acharam da relação do Damon e da Josy nesse capítulo? Eu achei fofo o modo como ela o trata igual um filho.

Espero ansiosa pelos comentários.

Bjs e até breve ♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...