História Never let me go - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Drama, Ficção, Guerra, Magia, Suspense
Exibições 8
Palavras 1.492
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Suicídio, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 3 - Capítulo 3


Os dois foram cada vez mais perto do castelo, Nylind com um pouco de medo e hesitação por já ter sido um "herege" à rainha, mas Sykal estava determinado e corajoso, e por isso nem ousou hesitar antes de entrar escondido nas masmorras. Ele fingiu-se ser um dos guardas do local e conseguiu adentrar com sucesso onde queria.
Então era alí...onde Thysriel poderia estar. Todos os escravos, plebeus  que brigavam com a rainha, ou até mesmo pessoas com quem o reino queria se livrar ou guardar estavam naquele lugar com um  cheiro forte de bebida e drogas no ar.
Então, os dois partiram para onde os escravos ficavam, mas sem sinal do irmão mais novo.
-Thysriel...-Chamou Skyal já roco de tanto chama-lo -Cadê você?
Próximo setor, os plebeus que brigavam com a rainha.
-Thysriel!- Tentou novamente esperançoso, mas sem resposta.
Próximo setor, o das pessoas rejeitadas ou guardadas.
-IRMÃO!- Gritou desta vez, com medo e preocupação.
Mas, novamente, sem resposta.
-Ele não está com a rainha- Disse Nylind tentando puxa-lo para fora do castelo- Vem, vamos procurar em algum lugar.
-NÃO!- Com sua raiva e teimosia elevadas, ele apenas conseguiu formular um plano rapidamente- Iremos invadir o castelo.
-O QUÊ?- Exclamou sem acreditar- Eu não vou invadir o castelo da minha rainha desta maneira! Ela pode matar minha família inteira e me torturar até a morte se descobrir. Eu já fiz muito pra você e eu nem sei porque eu concordei e...- Sykal apontou novamente o facão para o pescoço do mais novo, e mesmo ele estando com raiva, conseguiu controla-la o suficiente para completar:- Lembrei agora porque eu concordei. Ok, vou invadir, como você quiser.
O mais velho pareceu satisfeito, mas ainda precisava planejar uma estratégia decente.
-Me escuta- Ordenou olhando com autoridade nos olhos de Nylind- Nós vamos desmaiar dois serviçais da Rainha, ou se você quiser, escravos- Começou com o facão cada vez mais perto do pescoço do rapaz-  E vamos roubar as roupas deles para nos disfarçar e procurar por Thysriel.
-E ele não estiver lá?- Perguntou o outro observando Syakl recolocando o facão no seu bolso.
-Você estará livre de mim e do facão- Respondeu decido.- Agora, vamos logo.
Syakl pegou novamente na mão do mais novo, carregando-o até a ala encima dos setores dos rejeitados pela rainha. Ela era assustadora, embora tivesse uma aparência tão amável. E, mesmo com toda aquela boboseira do irmão mais novo, Syakl o amava, e precisava protege-lo até a morte. Pelo menos, era nisso que acreditava. Enfim chegado nos fundos do castelo, como o planejado, o mais forte -Skyal- agarrou dois escravos para dentro da porta onde ele se encontrava e os nocauteou rapidamente.
-Você pega as roupas deste e eu desse- Ordenou já retirando a roupa do que apontou para sí.
Com muita vergonha, Nylind conseguiu retirar a roupa do escravo, mas demorou bastante para vesti-la sem olhar para Sykal, que se trocava naturalmente.
Já vestidos, os dois saíram dos fundos do castelo, no disposito de lixo, e  mesmo com hesitação, conseguiram ir à sala onde ficava os escravos geralmente; em um jardim, na frente do quarto da rainha.
-Thysriel...- Sussurou o irmão mais velho, franzindo o senho de preocupação- Cadê você?
O castelo era enorme, com certeza a maior construção da região, para que todos os súditos pudessem ver. Ele era completamente branco, mas havia partes douradas por todo lugar, representando a bandeira dos "seres invisíveis". Dentro do lar da Rainha, havia todo o tipo de criatura como escravo, desde magos e bruxos até híbridos, monstros e gnomos. Eles pareciam estranhamente felizes em servi-la como escravo por algum motivo, provavelmente por sua família ser bem alimentada com dinheiro enquanto eles eram torturados até a morte se não fizessem o trabalho com perfeição.
Eles rodearam os jardins várias e várias vezes, mas Thysriel não parecia estar em lugar nenhum.
-Ele....não está aqui- Concluiu Syakl decepcionado e triste  com pensamentos do que poderia ter acontecido ao seu irmão caçula- Então, Nylind, você está livre de mim.
Embora isso significasse algo realmente bom para o mais novo, ele estava estranhamente triste em deixar Sykal alí daquela maneira.
-Mas você não está livre de mim- Disse autoritário erguendo a varinha, Nylind- E se você ficar sofrendo aqui, nesse jardim idiota, eu vou te matar.
O mais alto, que estava ajoelhado cansado à sua frente, riu sem acreditar.
-Você não faria isso.
-Duvida?- Perguntou desafiador.
Sem reclamar, Sykal levantou, segurando a mão de Nylind, pela primeira vez aproveitando o contato físico.
-Então, o que vamos fazer agora?- Perguntou o mais velho, triste e segurando as lágrimas por não ter achado o irmão.
O mago deu-lhe um sorriso acolhedor e pôs a mão no braço do outro à sua frente, colocando sua varinha de volta no bolso.
-Bem, eu deixo você trabalhar como marceneiro comigo e minha família, que tal?
Mesmo ele não gostando da ideia de uma vida sem Thysriel, concordou fungando.
-É, vamos embora- Concordou saindo com os olhos vermelhos.
Agora Nylind não poderia fazer nada além de segui-lo para dentro da floresta e para fora do castelo.
Eles saíram facilmente pela frente, pois como o rosto de Syakl era conhecido, os híbridos guardas assustaram-se e deixaram-os passar tranquilamente.
No caminho, o bruxo foi tirando aquela roupa imunda de escravo, ficando só com a bermuda que mais parecia um trapo sujo.
Nylind tentou anima-lo de alguma maneira, mas nada conseguia substituir a companhia do irmão. Visto que já estavam longe do castelo, Syakl deixou algimas lágrimas rolarem soltas em seu rosto.
-Eu prometi à minha tia- Finalmente falou após uma longa caminhada- Que cuidaria dele até a minha morte- Completou fungando- E olha só a minha situação agora.
-Espera....sua tia?- Perguntou o mago confuso.
-Sim...Minha mãe largou eu e o meu irmão para a minha tia porque odiava crianças, mas ela morreu depois que Thysriel nasceu, então pediu para eu cuidar dele até a morte, pois a minha família era horrível e pecaminante.- Explicou secando o rosto com uma mão.
Sem saber o que falar, Nylind apenas deixou-o só.
Ao pesar da noite, o mais novo invocou novamente as tendas, mas nenhuma palavra foi direcionada à ele antes de dormir.
Agora....onde Thysriel estava?
A rainha é tão má e parecia tão vingativa...
***
No outro dia, Syakl acordou cedo como de costume, mas Nylind apenas o seguiu sentindo falta do contato que eles tinham assim que o brutamontes puxava-o pela mão. Ele sabia que o outro estava machucado, mas ainda queria conversar e diverti-se.
Com a caminhada parada e lenta, eles chegaram tarde no pântano imundo que Sykal vivia, mas pelo jeito, os centauros que ele machucou uma vez, decidiram vingar-se e invadiram sua casa, destruindo-a completamente.
-NÃO!- Gritou sem acreditar- Minha casa!- Com essa última exclamação, os centauros fugiram assustados.
Sua raiva e decepção era tamanha a ponto de não perceber que Nylind estava perto da árvore, onde ele deu um soco forte.
Sem forças, o mago caiu acabado na grama podre.
-Desculpe....- Pediu ajudando-o a levantar-se - Quer saber? Eu vou tentar construi-la novamente. Eu merecia tudo isso.
As gramas voltaram a movimentar-se estranho, e sangue manchava-as penumbramente.
-Esse sangue é seu?- Perguntou Sykal curioso.
-Não...- Respondeu o outro preocupado.
Ele não queria que o bruxo avançasse e procurasse de quem era aquele sangue, mas a teimosia insubistimavel não caiu tão cedo.
Sem hesitar, Sykal atrevesou a grama podre a procura do dono do sangue, ao mesmo tempo curioso e indignado. Nylind tentou impedi-lo, mas foi tudo em vão.
No final da trilha de sangue, seu irmão estava sendo enforcado com uma corrente de ferro puro, com uma grande quantidade de sangue caindo por todo seu corpo.
-THYSRIEL!- Syakl Gritou exasperado e desesperado, tentando quebrar a corrente com o facão e algumas magias que sabia de cor.
-Morrer....é assustador...- Disse fraco, assustando o irmão mais velho cada vez mais.
-Não se preocupa, eu vou te libertar!
Mas todos os seus esforços eram em vão, e Nylind apenas observava petrificado de longe.
-NYLIND!- Gritou ao lembrar dele- ME AJUDA!
Ele tentou puxar sua varinha, mas suas mãos estavam tão trêmulas que o objeto caiu.
-RAPIDO!- Ordenou chorando.
Nylind conseguiu levantar a varinha novamente, mas Thysriel já havia morrido.
Decepcionado, triste e inconformado, Sykal chorava fortemente, berrando mais do que qualquer criatura enquanto observava o corpo duro e sem cor do irmão que amava, com os olhos revirados e coração parado.
-Thysriel...-Lamentou-se chorando- Por que você não me ajudou?- Perguntou olhando para o outro garoto. -Por quê?
Mas, Nylind ainda estava petrificado demais para falar.
-Espera...você tentou evitar que eu seguisse a trilha de sangue- Começou aproximando do outro. - Então você sabia que esse era Thysriel.
-Não...eu...
-POR QUE NÃO ME AJUDOU? POR QUE TENTOU ME IMPEDIR?- Perguntou exasperado.
E com um passe rápido, Sykal jogou a varinha dele para longe e encarou seus olhos verdes assustados, segurando a gola da camisa com tamanha força esmagadora que tanto era comentada pelos fracos.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...