História Never let me go - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Drama, Ficção, Guerra, Magia, Suspense
Exibições 3
Palavras 1.008
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Suicídio, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Esse cáp vai ser em primeira pessoa ^^

Capítulo 5 - Capítulo 5


{Nylind}
Eu abri meus olhos devagar, o corpo de Thysriel ainda estava em cima de mim, mas algumas larvas haviam invadido o cadáver, o que me deu uma leve vontade de vomitar.
Tentei me levantar empurrando sem devaneios o corpo, mas com certeza eu teria pesadelos essa noite.
Mas, o que importa no momento é apenas uma pessoa: Sykal.
Eu não poderia deixa-lo nas mãos da rainha, embora eu sempre prometi minha lealdade para a mesma depois de ter sido considerado "herege" por um tempo.
Me levantei rápido, e observando o céu que percebi que já era noite, o que me deixou ainda  mais sem energia.
Mas, mesmo assim, eu saí em disparada pela floresta. Como eram dois dias até o castelo da rainha, ela poderia estar dormindo naquele local que eu e Sykal dormimos na última vez.
Tentei ao máximo não pensar coisas sujas, mas falhei miseravelmente.
Minhas pernas, diferentes da de Sykal, eram finas e sem músculos, então cansaram-se rapidamente. Meus pés, ainda por cima, ainda estavam machucados daquelas correrias que ele me obrigava a acompanhar. E, eu sinceramente odiava quem fazia esse tipo de coisa comigo, porém deixei ele passar por mim sem ouvir uma boa reclamação.
A imagem daquele garoto veio a tona durante a minha correria. Seus cabelos negros, que antes bagunçados naturalmente, estavam mórbidos e espessos como eu nunca havia visto antes na vida; seus olhos, que eram quase verdes, estavam brancos e sem cor alguma; e por último, seu entusiasmo, que realmente fazia falta. Thysriel, embora não tivesse pais ou uma família completa como eu, era a criança mais feliz que eu havia conhecido. Ele parecia ter um orgulho e admiração tão grande pelo irmão mais velho...eu não deveria te-lo deixado sozinho.
Eu queria chorar, gritar e exibir todo o meu arrependimento, mas nos dias de hoje, homens de verdade nunca devem mostrar suas fraquezas. Essas merdas que todos diziam...eram pura baboseira.
Sem conseguir evitar, uma lágrima solitária desceu pelo magro rosto, tão só quanto eu.
-Auron, deus protetor dos corações arrependidos e decepcionados- Rezei em voz alta, com as minhas mãos entrelaçadas em minha frente enquanto corria- Perdoa-me como perdoaste meu velho pai. Prometo cuidar das crianças frágeis e pessoas necessitadas- Prometi com um voto para meu deus, olhando para o céu pedindo piedade e confiança.- Juro não decepciona-lo mais.
Pus minhas mãos nos lugares devidos e comecei a correr, sem parar um segundo. Pelo menos, até eu ver uma fogueira ao longe.
-Ertha, deusa da sorte e dos magos, proteja-me- Sussurei me aproximando entre as moitas.
A grama alta movia-se lentamente de acordo com os meus movimentos, e tão silenciosamente que ao menos chamou atenção da rainha. Pelo jeito, os guardas estavam em cima das árvores para dar privacidade àquela idiota que eu estava de débito. O trato era: Para o meu pai viver, eu estaria devendo um favor à ela, sem poder recusar e obedecer com veemência e calma, senão, uma morte bem dada à alguém especial para mim.
Ela parecia dormir tranquilamente sobre um amontoado de lençóis e travesseiros, tão linda e leve como uma criança. Porém, eu sabia que aquela beleza era só por fora.
Me aproximei sorrateiro, procurando Sykal, com um tanto de cuidado para não acordar a formosa rainha.
-Sykal...-Chamei preocupado ao não conseguir acha-lo.
Eu ouvi um pequeno muxoxo, e eu sabia exatamente quem estava o fazendo.
Segui em direção a ele, e consegui encontrar Sykal, que estava com os olhos bem abertos e apavorados. Ele estava atrás de uma árvore, realmente assustado por ter a companhia da cabeça do seu irmão ao lado da sua.
-Não se preocupa, eu vou te tirar daí.- Assegurei-o com um sorriso acolhedor, tirando um canivete do bolso da minha calça.
Eu apertei-o para sair as opções, e ao ver a pequena lâmina, retirei também minha varinha.
-Um segundo- Pedi mirando a varinha com cuidado para a lâmina do canivete, virando-as para o lado para não acertar Sykal.
Após um feitiço rápido, a lâmina rapidamente virou uma espada enorme, e com esse proveito, quebrei a corrente rapidamente e silenciosamente graças ao feitiço.
Assim que o soltei, ele me abraçou agradecido, com um cheiro de morto horrível, mas ainda vivo e bem sadio, embora com uma fome assustadora.
-Como vamos nos livrar da rainha?- Perguntou desfazendo o abraço e me deixando sozinho novamente.
Apontei pra minha espada como se fosse óbvio, escondendo meu desapontamento por ele ter se separado do abraço, e aparentemente o mesmo teve uma ideia.
-Tive uma idéia- Anunciou pegando a corrente atrás de sí- Enrola ela com essa corrente, eu cuido dos guardas.
-Como você vai fazer isso?- Perguntei desafiador.
-Você vai ver, cara de bebê- Respondeu com um sorriso aberto, mas igualmente desafiador.- Agora vai logo.- Disse por fim me entregando a corrente.
Sem questionar, peguei a corrente e me levantei, ajudando-o a fazer o mesmo.
Então cada um foi para um lado, enquanto eu corria silenciosamente para a rainha, ele desaparecia no meio da floresta com sucesso.
Cheguei perto de seu corpo belo, e embora seus seios fartos estivessem bastante a mostra, não hesitei em amarra-la rapidamente e com bastante força, fazendo-a roncar pela falta de ar repentina. Como sua pele era branca como o vestido de seda que usava, ela ficou avermelhada em questão de segundos.
Com um barulho ensurdecedor, olhei para trás, e ri ao perceber que Sykal havia derrubado os dois guardas das árvores e juntado-os com pó de Hust, um que tinha a utilidade de amarrar com força ou apenas prender um corpo físico ao um objeto ou outro corpo com força.
Com o barulho, a rainha acordou assustada, observando nossos rostos -Com Sykal já ao meu lado após caminhar um pouco- com um leve espanto.
Eu levantei-me do seu lado e ficando no  de Sykal, e apontei minha espada para seu pescoço, imitando o idiota do meu lado como ele fazia comigo.
-Você nos deve respostas- Disse devolvendo seu sorriso maníaco.
-E rápido- Avisou Sykal puxando seu facão e apontando igualmente para o pescoço da formosa rainha.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...