História Never Say Never (Imagine Jackson - Got7) - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Got7
Personagens Jackson, Personagens Originais
Tags Imagine Jackson, Jackson, Jackson Wang, Pockyx, Você, Yugyeom
Visualizações 364
Palavras 1.652
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Esporte, Ficção, Hentai, Luta, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi oi gente
Sei que demorei, mas não me matem, vamos esclarecer algo, essa fic é sobre luta, quando se retrata isso, eu quero que seja perfeito, então espero que entendam a minha demora.

Boa leitura

Capítulo 5 - Cuidados


Eu não sabia o que dizer, eu realmente estava sem fala, e naquele momento, eu apenas optei em apertar Jackson, seus braços, os quais eram muito forte, me apertaram, fechei meus olhos, suspirei e ofeguei. Me afastei e olhei nos olhos dele.

- Por que fez isso? – Perguntei em um sussurro.

- Não existe um porque, e sim um querer, eu não quero te ver machucada. – Segurou meu rosto com as duas mãos.

Suspirei. Ele ia tocar naquilo de novo e eu não estava afim de discutir com ele. Eu sinceramente queria esquecer que pedi ajuda à ele, eu já estava desistindo de tanta coisa, por que não esquecer dessa vingança idiota?

Olhei sobre o ombro de Jackson, vendo os seguranças da escola, um deles colocou a mão no ouvido, fiquei os olhando, algo não cheirava bem e eu tinha certeza que não era o suor de Jackson.

O olhei de novo, suspirei e dei as costas, Jackson segurou meu pulso machucado e eu soltei um grunhido.

- Para de fugir. – Pisquei algumas vezes, fiz um barulho com a boca e o empurrei.

- Temos que ir treinar, pé no saco. – Fiz uma careta.

- Não. – Cruzou os braços. – Como seu mestre e professor, exijo que me responda... – Se aproximou enquanto eu permaneci parada. – Você ainda gosta de mim?

- Ahn? – Dei um passo para trás, senti a borda da fonte em minhas pernas.

- Só... Responde. – Suspirou. 

- Eu não tenho que responder nada. - Tentei passar por ele, mas o mesmo me impediu. - Não, me solta, que droga, eu não gosto de você, eu odeio você, com todas as minhas forças, eu odeio seu jeito idiota, o jeito em que você tenta forçar as coisas. - Ele me soltou. - Satisfeito? Ahn? - O empurrei. 

- Não, eu não estou satifesfeito, eu quero que me diga a verdade, é pedir muito? Ahn? - Solucei. 

- Já conversamos sobre isso. - Me afastei. 

Segurei as alças de minha bolsa com força, passei pela feira de frutas, obtendo o olhar de algumas pessoas, passei pelo portão de ferro e me deparei com um homem vestido de preto. Me virei para voltar mas o portão foi fechado por outro homem. 

- O que... Quem são vocês? - Eu não tinha para onde ir, eu estava encurralada. 

- Pegue ela. - O cara que fechou o portão ordenou. 

O outro veio para cima de mim, me lembrei de um chute que Jackson havia me ensinado, girei meu corpo, acertando a cabeça dele e o fazendo cair no chão. O outro me segurou por tras, me debati em seus braços e gritei o mais alto que pude. 

O portão balançou e Jackson pulou ele, tirou sua mochila e seu blazer, torceu o pescoço  e as mãos, engoli em seco, o cara me largou, me fazendo rolar pelo chão. 

O cara de preto assobiou, mais homens apareceram, mas Jackson pareceu não se intimidar com isso, ja que continuou a puxar  a manga de sua blusa para cima. Mas foi quando ele me olhou que ele ficou com raiva, derrubando dois dos caras de uma só vez. 

Mas eles se levantaram rapidamente, acertando diversas vezes o estômago dele, o fazendo ir para trás e fazer uma careta a cada chute que recebia. 

Tentei me levantar, mas no mesmo instante alguém impediu, colocando o pé sobre minha coluna. O olhei com raiva. Puxei seu outro pé,  fazendo cair no chão, me levantei e chutri sua costela com força. 

Atirei minha mochila, acertando um dos caras com ela. O cara se virou enquanto o outro segurava Jackson, dei passos para trás, olhei para Jackson, vendo ele se debater, ele recebeu um chute, caindo com o peito no chão, seu cabelo foi puxado e o cara forçou ele a me olhar. 

Minhas costas encostaram na parede, o cara acertou um chute em minha barriga, soltei todo meu ar naquele momento. O olhei, parecia ser um dos seguranças da escola, o que era muito estranho. 

Me esquivei de seu soco e o acertei na barriga, fazendo ele ir para trás, sorri acertando mais um chute, peguei impulso na parede e girei meu corpo, acertando outro chute no cara, ele caiu no chão e eu também, só que em posição de base. 

O cara deu com a testa de Jackson no chão, trinquei meu maxilar e avancei contra ele. Minhas pernas chicoteou o ar e em seguida meu pé foi para o rosto do cara. 

Dei diversos chutes no cara, eu estava ficando cansada, minha perna estava doendo, mas eu não queria parar, eu não sei queria me limitar à dor. Girei meu corpo uma umtima vez, com força e rapidez, acertando o rosto do cara e o derrubando. 

Olhei ao redor, vendo que todos eles estavam caídos, fui até Jackson, mancando por conta da minha perna estar doendo, virei o corpo dele e pude ver o rosto dele cheio de sangue. 

- Jackson, você tem que me ajudar, temos que sair daqui. - Sussurrei beijando a bochecha dele. - Me ajuda, por favor. - Ele fez uma careta. 

Jackson se sentou, o puxei e cambaleei enquanto o segurava, peguei nossas coisas, colocando o casaco sobre a cabeça dele e saindo daquele lugar. 

Jackson cambaleava e me levava junto, ele colocava a mão a frente do corpo, talvez tentando enxergar à algo nítido. 

Suspirei olhando a escada que teríamos de subir para chegar em minha casa, segurei o corpo de Jackson com mais força e peguei impulso, mas logo voltamos para trás por ele resmungar. 

- Eu não consigo ver nada, minha cabeça ta doendo. - Suspieei. 

- A minha também, mas me ajuda, eu preciso cuidar de você. - Respondi baixinho. 

Então ele deu o primeiro passo, subindo lentamente todos os 42 degraus comigo. Apoiando seu braço sobre meu ombro e com uma mão no corrimão. Jackson tentou, ele tentou por mim. 

Paramos para ele respirar um pouquinho, tirei o cabelo da frente dos olhos dele. Senti meu coração bater mais forte quando ele me olhou e tocou minha bochecha. 

- Va-Vamos? - Gaguejei e ele assentiu. 

Continuamos andando quando subimos todos os degrais. Encostei Jackson na parede e procurei a chave de minha casa, ele ficou me olhando atentamente, eu sentia o olhar dele sobre  mim. Abri a porta e joguei as mochilas e os casacos para dentro, segurei Jackson e tirei meu tênis, o ajudei a tirar os dele também, andamos até o sofá e eu logo o sentei ali. 

- Eu já volto. - Sussurrei e ele assentiu. 

Puxei as mangas de minha blusa para cima, entrei na cozinha e peguei o balde que ficava para fora da janela, girei o registro da torneira e o coloquei ali, esperando que enchesse tudo, para que eu  pudesse cuidar dos ferimentos de Jackson. 

Assim que encheu, eu peguei, voltei para a sala e coloquei o balde perto dos pés de Jackson, corri para o banheiro e peguei uma toalha. Voltei para a sala o vendo com a cabeça inclinada para frente, me sentei ao seu lado e molhei a toalha, ergui seu rosto para que ele pudesse me olhar. 

- Por que enfraqueceu? - Perguntei baixo. 

- Eu não sei o que aconteceu. - Sussurrou com os olhos fechados enquanto eu passava a toalha ali. 

- Idiota. - Ele sorriu de canto mas logo fez uma careta. - Não faça isso de novo, não se arrisque de novo. - Sussurrei passando a toalha por seus machucados. Jackson segurou meu pulso e me analisou atentamente. 

- Farei isso quantas vezes forem preciso, eu estou orgulhoso, não só por ter visto seu progresso, mas porque você não me deixou.- Sussurrou deixando uma lágrima cair.  

Toquei sua bochecha, a acariciando e limpando aquela lágrima, Jackson fechou os olhos e eu me aproximei, apertando a toalha em minha outra mão, Jackson abriu os olhos e me analisou antes de se inclinar e selar nossos lábios. 

Fechei meus olhos, sentindo a textura da boca dele na minha, sua mão encostou na minha, a qual estava com a toalha e a apertou, suspirei entre o beijo e me inclinei mais para cima, querendo que ele fosse para trás, e foi exatamente o que ele fez. 

- Esta melhor? - Sussurrei um pouco envergonhada. 

- Ainda não. - Me puxou pela nuca. 

Fiquei de joelhos sobre o sofá, sentindo Jackson me invadir com sua língua, ofeguei sentindo o aperto dele em minha cintura, embrenhei meus dedos nos fios de cabelo dele, o puxando para mais perto de mim. 

Jackson puxou minha perna, me assustando e me deixando sentada sobre ele, me deparei um pouco perdida no que estava acontecendo. Seus dedos se embrenharam no meu cabelo e Jackson apenas me deu um selinho. 

- Eu... Eu acho... - Ele me calou com outro selinho. 

- Você não acha nada. - Sussurrou me dando outro beijo, esse, muito mais intenso. 

Deslizei minhas mãos para seu peito, sentindo a textura de seus músculos, cada pedacinho se contraindo contra meus dedos, me fazendo ofegar e rebolar contra ele, provocando um choque elétrico por meu corpo. 

Jackson me apertava, tanto minha cintura quanto minha nuca. Me separei lentamente, apenas sentindo a mordida em meu lábio, os dentes de Jackson o puxar lentamente. 

- Jackson. - Ofeguei sentindo ele puxar minha camisa para cima. 

- Eu sinto falta de você, do seu sorriso, da sua boca em minha bochecha, do seu abraço, eu sinto sua falta. - Sussurrou distribuindo beijos por meu pescoço. 

- Você... Tem que tomar um banho. - Me afastei. Seus olhos me fitaram por breves segundos. 

- Você não sente a minha, nem um pouco? - Perguntou e eu engoli em seco. 

- Eu respondo depois que você tomar banho. - Me levantei de seu colo, arrumando minha roupa e tropeçando nos meus próprios pés. Entrei em meu quarto um pouco ofegante, coloquei a mão em meu peito, tentando regular minha respiração, a qual estava muito descompensada. 


Notas Finais


Nhaaaaaa vocês gostaram? Hihihi
Eu vou demorar mais um pouco, espero que entendam.

Trailer: https://youtu.be/9l_f-XniRK8

Perfil: @Park_Nick


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...