História Never Stop Dreaming - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Alexy, Ambre, Armin, Castiel, Dakota, Debrah, Kentin, Lysandre, Nathaniel, Rosalya
Tags Amor Doce, Clichê, Escolar, Originais
Exibições 14
Palavras 1.556
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Escolar, Ficção, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi, Yuri
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oi brigadeiros!!
Gente...
BERROOOOOOOOOOOOOOOOOOO
Fiz uma fanfic lalalalalalala
Estou orgulhosa de mim mesma. PALMAS!
Ok. Ok. Maravilindas, espero que gostem!
Boa leitura! <3
(Prometo que sou menos chata que essa fanfic :v)

Capítulo 1 - Capítulo 01


CAPITULO 01

Pov’s Rebecca Adams

Eu via minha vista embaçada. Pisquei. Tudo continuava desfocado. Pisquei novamente, e passei a reconhecer o papel de parede de meu quarto.

Espreguicei – me, colocando minhas pantufas, e fui em direção ao banheiro.

Oh, bom dia ser intrometido. Chamo – me Rebecca. Rebecca Adams. Tenho 18 anos e fui transferida para a França, mais especificamente, Villa Du Kiss.

Sou brasileira, e sempre foi meu sonho especializar – me em Londres. E agora, eu posso! Não tem ideia de como estou animada, pessoa que está cuidando da minha vida!

Bom, não quero descrever – me muito, mas parece ser necessário.

Sou brasileira, pele bronzeada naturalmente, cabelos castanhos, longos, lisos e tenho olhos verdes. Tenho um corpo violão, pelo menos é o que dizem. Canto e toco, por diversão. Não gosto de gente que acha – se superior, e não levo desaforo para casa. Por fim, adoro dançar. Uma das minhas grandes paixões.

Acho que é o suficiente para início. Afinal, vocês também descobrirão ao decorrer de minha vida.

Voltando, assim que entrei no banheiro, lavei o rosto e caminhei sonolenta até o box. Tomei um banho relativamente rápido. Depois de fazer todas as outras higienes matinais, fiz uma maquiagem bastante básica, não sou muito disso.

Separei minha roupa – um cropped, um short claro, minha blusa xadrez e o que não podia deixar de lado, meu all star. E logo após, meus acessórios e óculos de sol.

Depois de vestir – me, penteei meus cabelos, deixando – os soltos mesmo.

Peguei minha mochila da Kipling – que eu havia organizado no dia anterior – adicionando as chaves, meu celular e dinheiro. Peguei meu skate que permanecia perto de um Everest de caixas – das quais eu não fazia ideia de onde deixar – e saí de casa colocando os fones de ouvido, onde tocava Back In Black – AC/DC.

QUEBRA DE TEMPO                              – Quarta, 06:47   ------   Portão de Sweet Amoris

Uau.

Eu havia pesquisado sobre a escola, e eu estava ciente de que ela deveria ser enorme por ser uma das melhores e mais conhecidas mundialmente. Mas ver de perto, era completamente diferente.

Como eu parecia uma biruta parada, encarando a escola, continuei caminhando. Notei alguns olhares, distingui alguns de curiosidade, desejo e inveja – o que me fez suprimir o desejo de revirar os olhos.

Pelo que vi, devo ir até o grêmio ver sobre minha ficha de inscrição. Falta 10 minutos para a aula e não tenho a menor noção de onde estou ou preciso ir. Pareço cego em tiroteio, uma barata tonta que encheu a cara de pinga.

Os olhares passaram a incomodar – me, mas decidi continuar procurando, renderia mais.

Decidi que superaria meu orgulho, e pediria informação a alguém. Corri os olhos pelas pessoas próximas e decidi que conversaria com o grupo menos arrogante à primeira vista.

Havia uma garota platinada – particularmente muito bonita, de olhos âmbar, e roupas em estilo vitoriano, parecia – me muito simpática, ela acenava e andava sorrindo.

Sorri e fui até ela.

- Oi! Me chamo Rebecca, sou nova por aqui, poderia auxiliar – me? Me sinto tonta de tanto rondar esse andar! – Disse à garota, com um sorriso um pouco sem – graça.

- Gente, olha para essa beldade – Falou me dando uma voltinha, ri. – Me chamo Rosalya, e sinceramente, eu estudo aqui desde a quarta série e ainda assim, tenho que pensar para lembrar onde está cada coisa - falou divertida.

- Me abraça alma gêmea! – Exclamei, rindo.

Ela riu e me abraçou – Mana de outro útero, vem comigo, vou te levar até o Nath!

Andamos por alguns corredores, e logo, avistei uma porta que parecia ser a sala dos representantes. Rosalya deu três leves batidas na porta e ouvimos um abafado entre.

Ao entrarmos, demos de cara com um garoto loiro, com olhos âmbar como os de Rosa, era alto e esguio, sinceramente, muito gato.

- Olá, Rosa. Quem traz consigo?

- Nath, essa é a Becca! Ela é nova na escola, e você sabe, ela precisa realizar todo o processo da folha de ausência – Rosa disse animada.

- Olá.... – Fiz uma pausa para que ele complementasse.

- Nathaniel – sorriu – Rosa, pode ir para a aula, vou auxiliar Rebecca.

- Valeu! Cuide dela, hein? – Piscou para nós e abraçou – me.

Sorrimos um para o outro e iniciamos o processo de minha ficha, enquanto conversávamos e ríamos.

- Bem, está tudo certo, aqui está sua chave de armário, as redes sócias da faculdade, onde há mais informações e ao entrar você entenderá melhor. A papelada está em sua pasta e contém um mini – mapa da escola. – Explicou.

- Entendido. Eu realmente gostaria de abraçar a pessoa que teve a ideia do mini – mapa – falei.

Ele deu um breve riso.

- Bom, pode dirigir – se ao pátio, faltam 20 minutos para a segunda aula, onde você vai entrar e apresentar – se. Aliás, eu também devo ir para a sala – Nath falou sorrindo gentilmente.

- Ótimo! Muito, muito obrigada, Nath! Vou indo! – Nos abraçamos e ele murmurou um disponha sorrindo.

Ao sair, observei o mini – mapa e descobri onde era o pátio. Bem perto de onde meu armário estava. PERFEITO!

QUEBRA DE TEMPO                 Corredor Principal de Sweet Amoris             -Quarta   07:51

Ainda confiando em meu não tão bom senso geográfico, encontrei minha devida sala – aula de Biologia, Mr. Faraize Oliveira Ramos.

Respirei fundo, adentrando logo em seguida o local. Havia muitos alunos. Cogitei rapidamente a ideia de sair correndo e fazer companhia ao simpático mendigo que dei $10,00 enquanto procurava meus fones de ouvido que por algum motivo, perdi no pátio, próximo a ele. Mas essas ideias fugiram no momento em que o professor adentrou o recinto.

- Muito bom dia, classe. Peço silêncio, e atenção à chamada – Mr. Faraize disse após escrever seu nome na lousa – Alexy [...]

Faraize deu continuidade, até chegar no R.

- [...] Rebbeca Adams...

- Presente – Neste momento, todos os olhares cravaram – se em mim, até mesmo o do professor, que deu um sorrisinho. Rosalya acenou sorridente, eu devolvi o sorriso e o professor deu continuação a chamada.

[...]

- Bem, ao que parece, temos uma nova aluna entre nós. Por favor, apresente – se Rebbeca – o professor disse dirigindo – se a mim, fazendo com que eu tivesse a atenção total da classe. Ótimo, muito obrigada Faraize.

- Bom, vocês sabem meu nome, Rebbeca Adams. Gosto de que chamem – me de Becca, mas usufruam de sua criatividade própria para outros bons apelidos. Sou completamente apaixonada por música e tudo o que a envolva! – Nessa parte, foi inevitável sorrir – Sou brasileira, com orgulho. Gosto de meu jeito próprio de pensar e agir. Odeio pessoas que acreditam ser superiores aos outros, são ridículas. E isso já é mais que suficiente, o resto não é da conta de vocês – fui sincera em cada palavra e não arrependo – me de ter sido honesta. Saberiam de qualquer maneira, além do mais, não vejo problemas em ser sincera com pessoas que conviverei – Alguma pergunta?

Algumas pessoas ergueram suas mãos.

- Viktor – O professor disse, escolhendo um garoto de cabelos negros e olhos castanhos, bonito.

- Tem namorado? Gostosa.

Revirei os olhos – Não e isso não mudaria nada, pois eu continuaria sendo e você continuaria sem poder me pegar – disse após com um sorriso cínico.

No momento em que disse isso, a sala em sincronia gritou: UUUUUUUUUOOOOOOOOOOOO.

É impressão minha ou aquela garota está filmando? Ah, dane – se.

Faraize tentou esconder o sorriso e surpresa, mas acabou por segurar o riso – Certo, certo. Ambre.

- Suas roupas são um lixo, não é querida? Tens vergonha, não?

- Não. O jeito que me visto é problema meu, se acha feio ou não, isso não afeta minha opinião e nem sua vida, portanto cuide da sua, que eu cuido da minha, beleza?

[...]

As primeiras aulas acabaram a um tempo, portanto, estou indo até à lanchonete ao lado de S.A, onde Rosalya pediu para que nos encontrássemos. Pelo que entendi, gostaria de apresentar – me alguns amigos. Rosa sendo Rosa.

Aceitei, não apenas pela chance de socializar – me melhor e criar mais intimidade com Rosa, mas também porque eu seria capaz de comer um boi nesse momento. Não me julgue.

Se por algum motivo, queira saber o que houve depois do imprevisto com Ambre na sala, aqui vai um breve resumo: A sala entreolhou – se e aplaudiu. Loucos. Gostei. Logo após a chuva de aplausos que recebi, respondi algumas outras perguntas, mas que pareciam – me mais comuns e bem menos ofensivas. Faraize deu continuação à sua aula – que por sinal, gostei, por mais incrível que isso soe. Depois, tive mais duas aulas de química. Pronto, esse foi o relatório.

Logo ao entrar o recinto, reconheci alguns rostos que avistei pela faculdade. Aqui parece ser bastante popular entre os alunos.

Ando distraída, com o celular em mãos, o aroma dos bolos deixando – me extasiada. Sou fanática por bolos. Não me julgue.

Até observar Rosa em uma mesa rodeada de outras pessoas.

- OI PESSOAS QUE NUNCA CONVERSEI!

Todos viraram – se em minha direção. Rosa sorriu.

- Barraqueiros, essa é a Rebecca. Como pessoas boazinhas, serão educados com ela. Não a assustem logo de cara.

Ri.

- Oi guria que nunca vimos! – Falaram em sincronia.

- Que amor de coral – Um garoto de cabelos ruivos tingidos disse em zombo – Quando apresentei – me não houve nada disso.

Quando virou – se para observar – me, eu o ouvi completamente, e,

Uau.

 


Notas Finais


Eu vou demorar a postar :v
Maravilhas, espero que tenham gostado.
Opinem! Adoro saber o que pensam de algo que realizo <3
DISPONÍVEL PARA NOVAS AMIZADES, CONVERSAS, DIVULGAÇÕES, CRITICAS CONSTRUTIVAS, E PARA COMER UM POTE DE NUTELLA.
Bj na xereca *3*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...