História Never Tear Us Apart - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Tags Camren
Exibições 133
Palavras 2.987
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hey... Desculpa a demora.
Desculpa os erros e boa leitura <3

Capítulo 2 - 2


POV Lauren

“Música” Que dica foi aquela?

Depois que Camila foi embora eu fiquei na varanda por mais um tempo tentando juntar as partes, imagine, uma mulher que você conheceu em um bar segue você até sua casa e te dá um endereço relacionado a música.

- No que tanto pensa Lauren? – Lucy apareceu atrás de mim enquanto eu arrumava ração para alguns animais.

- Nada, só uma coisa louca.

- A qual é, eu sou sua amiga Lauren.

- É que eu nem sei se foi algo real mesmo, se não eu te falava.

- Okay Laur – Lucy saiu com uma expressão desapontada no rosto. Não é que eu não confiava nela, mas a um mês atrás ela tentou me beijar e depois de declarou pra mim, o que deixou um clima estranho em nós, porque eu não sinto nada por ela, nunca senti não sei se por algum momento deixei a entender que sentia algo por ela. Terminei de arrumar comida para os cachorros e então arrumei cobertores já que meu turno já estava acabando e fui buscar minha jaqueta. Peguei tudo e então saí com minha bicicleta dar uma volta por aí antes de ir para casa, parei em um parque que tinha ali perto e me sentei embaixo se uma árvore e comecei a observar as pessoas que ali se divertiam, famílias sorridentes. Eu fazia isso com minha família, meu pai que me ensinou a tocar violão e me levou a amar a música, minha mãe me ensinou a nunca desistir das coisas, mesmo sendo impossíveis ao meu ver, meus irmão desenvolveram meu instinto protetor que eu tenho com as pessoas, eles fizeram eu ser que eu sou hoje, mas a vida prega peças e comigo foi umas das mais traiçoeiras.

- Lauren Jauregui? – fui tirada de meus pensamentos quando ouvi uma voz bem conhecida por m.

- Eu – encarei a morena em pé na minha frente com roupas de marca, como sempre usou par a jogar na cara das pessoas que era rica, meus tempos de escola foram ótimos, boas notas, amigos legais e professores que criei amizades. A alegria só acabava quando Alexa chegava.

- Não lembra de mim?

- Não tem como esquecer uma praga.

- Eu sei, sou inesquecível linda... Então, como anda a vida? – apenas ignorei e ela percebeu que eu não queria papo – aí queridinha, já percebeu que você nunca vai ser nada? Não adianta me ignorar, você é uma inútil e sempre será, é uma nada.

- Já entendi Alexa, tchau – ela revirou os olhos e saiu em direção a um Camaro prateado e fez questão de ficar acelerando para mim e buzinar, se tem uma coisa que meus pais me ensinaram foi a não abaixar a cabeça pra ninguém, então eu ignorava, eu sabia que eu podia ser melhor que Alexa.

POV Camila

Meu sábado foi baseado em dança e dança, Sean pegou pesado na aula de hoje. Tínhamos uma apresentação do novo single no the Ellen show e estávamos ensaiando a vapor. E eu ainda estava com uma leve dor de cabeça pela bebida de ontem, eu não fiquei bêbada, mas eu bebi uma quantidade boa para me levar a uma dor de cabeça no outro dia. Eu estava empolgada em ver se Lauren realmente iria aparecer segunda, a voz dela era simplesmente incrível e tinha uma beleza de deixar qualquer um a seus pés, e pela pequena conversa que tive seu amor pela música mostra que tem um caráter lindo.

- Eu estou morta gente, preciso da minha cama, férias... – Dinah se jogou no chão da sala de dança e Ally fez o mesmo do lado dela.

- Sean pegou pesado – Normani falou enquanto alongava sua perna até sua cabeça.

- Da pra ver pela sua disposição – Ally comentou e Normani fez a mesma coisa com a outra perna.

- É só alongamento pós-ensaio... Mila aconteceu algo que está no mundo da lua?

- Eu só estou pensando em algumas coisas, como foi a noite comemorativa de vocês – perguntei mudando rapidamente de assunto.

- A minha foi bem legal Mila – Ally já estava ao meu lado tomando água.

- A festa que Normani e eu fomos estava muito boa, ainda mais que Mani se alterou uma hora que começou a dançar em cima da mesa, mas meu celular já estava sem bateria e não deu para gravar – eu ri imaginando a cena – e você Mila o que fez?

- Eu comi pizza com meus pais e Sofia.

- Só? – assenti – me poupe Mila, eu te conheço como a palma de minha mão, bebeu muito?

- Um pouco, como sabe que eu bebi.

- Alguns sinais básicos, e também porque você só toma café preto quando fica mal pela bebida.

- Faz sentido.

- Meninas estão dispensadas, até o próximo ensaio – Sean falou assim que voltou de um lugar qualquer e eu apenas agradeci por ter acabado o ensaio. Peguei minhas coisas e voltei para casa e capotei na cama rezando para que domingo fosse direto para segunda, eu estava ansiosa para ver Lauren novamente.

{...}

Segunda-feira

Acordei mais cedo e tomei café com minha família. Voltei par ao quarto tomando um banho e trocando de roupa. Me vesti no estilo colegial com uma camisa branca e uma saia xadrez e fiz uma maquiagem leve.

- Onde vai produzida assim? – minha mãe perguntou assim que desci as escadas em direção a porta.

- Vou até a Syco, tenho algumas coisas para resolver.

- Okay, vem para o almoço?

- Não sei, mas eu te aviso.

- Okay mi hija – ela beijou minha testa e é eu a abracei saindo de casa logo em seguida. Cheguei na Syco e subi pelo elevador normalmente já que eu não precisava marcar horário ou algo assim. Entrei em uma sala de gravação livre e ajeitei tudo, eu entendia algumas coisas com o manuseio dos equipamentos.

POV Lauren

Acordei mais cedo do que o normal é fiquei receosa entre ir ou não, para isso eu teria que faltar no meu turno no mercado, e eu estava com medo de faltar no trabalho para nada se esse fosse o caso, mas decidi arriscar, então eu tomei um banho congelante novamente, eu precisava urgentemente pagar as contas, tentei me vestir da melhor forma possível, coloquei uma calça preta com alguns rasgos, camiseta cinza com estampa do 1975 e coturnos, queria poder usar pelo menos maquiagem, mas tinha acabado as minhas e eu não iria gastar dinheiro com isso. Passei um perfume e baguncei meus cabelos, adorava o jeito rebelde em que ficavam. Comi uma maçã e saí com minha bicicleta pelas ruas de Miami a procura do endereço em que Camila me passou, tive que pedir ajudar para alguns. Quando eu cheguei fiquei de boca aberta, eu não sabia se tinha errado o endereço ou algo do tipo, mas eu estava de frente para a Syco records.

- Isso só pode ser uma piada Lauren – deixei minha bicicleta na frente e entrei pela grande porta de vidro, caminhei até um balcão onde tinha uma moça.

- Olá em que posso ajudá-la?

- Ah sim, sei que pode parecer estranho, mas primeiramente meu nome é Lauren Jauregui e estou procurando uma tal de Camila.

- Jauregui? -assenti – Senhorita Cabello lhe espera no andar 5, sala 2 – olhei confusa para ela que deu uma risada – eu acompanho você até lá – ela se levantou do balcão e fez sinal para que eu a seguisse até o elevador que tinha ali. Odiava elevadores, são pequenos e esmagadores, tenho claustrofobia e isso é horrível, mas subi assim mesmo. Chegando no lugar a mulher me guiou até a sala é bateu educadamente avisando sobre minha chegada – Srta Cabello, Lauren Jauregui está aqui.

- Deixe-a entrar – a mulher fez sinal com a cabeça e então eu entrei envergonhada pela porta – pode se retirar agora Amanda.

- Olá Camila.

- Oi Lauren – ela estendeu sua mão e eu a cumprimentei – deve estar bem confusa sobre estar na Syco records não é? – assenti animada – pode se sentar se quiser, vamos conversar um pouco – sentei no sofá que tinha ali e só então percebo que era uma sala de gravação, tinha uma mesa de mixagem gigante sofás e uma acústica maravilhosa – então, primeiramente eu quero agradecer por ter vindo e segundo, preparou a música que lhe pedi?

- Sim.

- Ótimo, entre naquela sala – ela apontou para a sala que tinha através do gigante vidro, era onde os cantores deviam gravar as coisas. Me levantei e entrei naquele pequeno lugar. Era tão bonito e sofisticado, microfones pelos lados, amplificadores, cabos, instrumentos, era lindo – fique à vontade Lauren, comece quando se sentir pronta – a voz de Camila soou pela caixa de som do pequeno estúdio e eu acabei dando um pulinho de susto, o que rendeu risadas de Camila. Eu peguei o violão que tinha lá e liguei ao amplificador, cheguei perto do microfone e Camila fez sinal para que eu iniciasse.

 

You've got the words to change a nation

But you're biting your tongue

You've spent a life time stuck in silence

So afraid you'll say something wrong

If no one ever hears it how we gonna learn your song?

So come on, come on

Come on, come on

You've got a heart as loud as lions

So why let your voice be tamed?

Baby, we're a little different

There's no need to be ashamed

You've got the light to fight the shadows

So stop hiding it away

Come on, come on

Olhei para Camila que encarava tudo sorridente e parecia ansiosa para o resto da música. A melodia estava invadindo aquela sala o que me deixava confortável. Me preparei para o refrão e então dedilhei o violão mais forte.

 

I wanna sing, I wanna shout

I wanna scream 'till the words dry out

So put it in all of the papers

I'm not afraid

They can read all about it

Read all about it, no

Oh-oh-oh

Oh-oh-oh

Oh-oh-oh

Oh-oh-oh

Oh-oh-oh

Oh-oh-oh

 

At night we're waking up the neighbours

While we sing away the blues

Making sure that we remember, yeah

'Cause we all matter too

If the truth has been forbidden

Then we're breaking all the rules

So come on, come on

Come on, come on

Lets get the tv and the radio to play our tune again

It's about time we got some airplay of our version of events

There's no need to be afraid

I will sing with you my friend

Come on, come on

 

I wanna sing, I wanna shout

I wanna scream 'till the words dry out

So put it in all of the papers

I'm not afraid

They can read all about it

Read all about it, no

Oh-oh-oh

Oh-oh-oh

Oh-oh-oh

Oh-oh-oh

Oh-oh-oh

Oh-oh-oh

 

Yeah, we're all wonderful, wonderful people

So when did we all get so fearful?

Now we're finally finding our voices

So take a chance, come help me sing this

Yeah, we're all wonderful, wonderful people

So when did we all get so fearful?

And now we're finally finding our voices

Just take a chance, come help me sing this

 

I wanna sing, I wanna shout

I wanna scream 'till the words dry out

So put it in all of the papers

I'm not afraid

They can read all about it

Read all about it

Oh-oh-oh

Oh-oh-oh

Oh-oh-oh

Oh-oh-oh

Oh-oh-oh

Oh-oh-oh

 

I wanna sing, I wanna shout

I wanna scream 'till the words dry out

So put it in all of the papers

I'm not afraid

They can read all about it

Read all about it, oh

 

(Você tem as palavras para mudar uma nação

Mas está mordendo sua língua

Você passou um tempo da vida preso no silêncio

Com medo de dizer alguma coisa errada

Se ninguém te ouve, como vamos aprender a sua canção?

Então vamos lá, vamos lá

Vamos lá, vamos lá

Você tem um coração tão barulhento quanto leões

Então, por que deixa sua voz ser domesticada?

Amor, estamos um pouco diferentes

Não há necessidade de se envergonhar

Você tem a luz para combater as sombras

Então pare de esconder isso

Vamos, vamos

 

Eu quero cantar, quero gritar

Eu quero gritar até que as palavras sequem

Então vou colocar tudo nos jornais

Eu não tenho medo

Eles podem ler tudo sobre isso

Ler tudo sobre isso, não

Oh-oh-oh

Oh-oh-oh

Oh-oh-oh

Oh-oh-oh

Oh-oh-oh

Oh-oh-oh

 

Essa noite, estamos acordando os vizinhos

Enquanto cantamos blues bem alto

Tendo certeza de que vamos nos lembrar, sim

Porque todos importamos muito

Se a verdade for proibida

Então nós estamos quebrando todas as regras

Então vamos lá, vamos lá

Vamos lá, vamos lá

Vamos ligar a tv e o rádio para tocar nossa música de novo

É sobre quanto tínhamos alguns momentos da nossa versão dos fatos

Não tem motivo pra ter medo

Eu vou cantar com você, meu amigo

Vamos lá, vamos lá

 

Eu quero cantar, quero gritar

Eu quero gritar até que as palavras sequem

Então vou colocar tudo nos jornais

Eu não tenho medo

Eles podem ler tudo sobre isso

Ler tudo sobre isso, não

Oh-oh-oh

Oh-oh-oh

Oh-oh-oh

Oh-oh-oh

Oh-oh-oh

Oh-oh-oh

 

Sim, somos todos maravilhosos, pessoas maravilhosas

Então, por que temos tanto medo?

Agora estamos finalmente encontrando nossas vozes

Então aproveite a chance, vem me ajudar cantar essa

Sim, nós somos todos maravilhosos, pessoas maravilhosas

Então, por que temos tanto medo?

E agora estamos finalmente encontrando nossas vozes

Então aproveite a chance, vem me ajudar cantar essa

 

Eu quero cantar, quero gritar

Eu quero gritar até que as palavras sequem

Então vou colocar tudo nos jornais

Eu não tenho medo

Eles podem ler tudo sobre isso

Ler tudo sobre isso, não

Oh-oh-oh

Oh-oh-oh

Oh-oh-oh

Oh-oh-oh

Oh-oh-oh

Oh-oh-oh

 

Eu quero cantar, quero gritar

Eu quero gritar até que as palavras sequem

Então vou colocar tudo nos jornais

Eu não tenho medo

Eles podem ler tudo sobre isso

Ler tudo sobre isso, oh)

 

Assim que eu terminei de cantar, eu abri meus olhos e encarei os castanhos de Camila que me encaravam de boca aberta e uma expressão que não identifiquei. Ela fez sinal para que eu fosse até ela.

- O que achou?

- Eu... Eu amei Lauren, isso foi incrível que letra linda – ela sorria para mim e eu não conseguia me conter.

- Obrigada Camila – tomei a água que estava ali e depois eu parei para pensar. Quem Camila era ali na Syco? – trabalha aqui?

- Eu? Meio que sim.

- Como assim meio? – ela deu uma risadinha e pegou em minha mão e me levou até uma parte do corredor onde tinham quadros de artistas. Eu não reconhecia muitos já que eu não tinha meios de me atualizar no mundo da música, não tinha nem internet. Ela soltou minha mão assim que paramos na frente de um quadro gigante onde tinha a foto de quatro mulheres com uma beleza invejável escrito Fouth Harmony, e Camila era uma das mulheres linda que faziam parte daquele quadro.

- Você faz parte dessa banda?

- Sim, fiquei um pouco chateada por não nos conhecer – ela deu uma gargalhada gostosa e eu juro que corei por não conhecer a banda – mas eu te perdoo, é agora que estamos ganhando mais reconhecimento, lançamos nosso álbum faz quase um mês e daqui um tempo já tem turnê mundial.

- Turnê mundial? Que incrível!

- É maravilhoso... Posso lhe mostrar um lugar? – assenti e então ela pegou em minha mão novamente e me puxou até o elevador. Assim que entramos eu não pude evitar de fechar os olhos – Lauren? Tem medo de elevador?

- E-eu sou claustrofóbica.

- Pode se segurar em mim se quiser – ela falou e eu não hesitei eu não me sentia nem um pouco confortável em elevadores. Assim que chegamos passamos por algumas portas e Camila abriu uma delas que dava para um telhado enorme. Caminhos até o parapeito e eu fiquei encantada com vista, dava para ver Miami inteira praticamente – eu venho aqui sempre quando estou estressada ou para pensar mesmo, é ótimo, ninguém vem aqui.

- É muito lindo Camila... Canta.

- O que?

- Canta para mim, você faz parte de uma girlband e eu cantei para você.

- Okay.

Am I out of my head?

Am I out of my mind?

If you only knew the bad things I like

Don’t think that I can explain it

What can I say it’s complicated

Don’t matter what you say

Don’t matter what you do

I only wanna do bad things to you

So good, that you can’t explain it

What can I say it’s complicated.

 

Que voz angelical era aquela? Tão doce e meiga, mas ao mesmo tempo tão mulher. Camila tinha um voz linda e eu não cansaria de ouvir todos os dias.

POV Camila

Assim que eu terminei de cantar para Lauren, fitei aquelas esmeraldas me encarando encantadoramente, ela sorriu para mim e bateu palmas.

- É uma voz muito linda, é doce – juro que corei com o comentário.

- Obrigada – ficamos em silencio por um tempo até ela quebra-lo.

- Camila? Por que me trouxe aqui?

- Porque como eu disse, a vista é ótima.

- Não o telhado, a Syco records.

- Porque eu vejo um futuro em você, sua voz é encantadoramente linda, você é uma mulher bonita, e tem um talento invejável – vi suas bochechas branquinhas logo ficarem em um tom vermelho por vergonha.

- Você me deixou sem jeito idiota – ela sorriu para mim e eu retribuí.

- Desculpa, mas é verdade... Vou perguntar de novo, e vai ser a última vez okay? – ela assentiu – sei que pode parecer estranho, louco ou até mesmo se noção, mas, quer fazer parte do mundo da música?

- Se eu quero? É um sonho de infância – eu vi seus olhos brilhando quando ela falou sobre.

- Então... Vamos falar com Simon Cowell, o dono de tudo e o homem que será responsável pelo seu futuro.

 

 

 


Notas Finais


Espero que tenham gostado, e não esqueçam de comentar e favoritas, beijos e até a próxima <3
E obrigada Karla5h por me falar que postei na fic errada, é tanta coisa para atualizar que eu me perco :3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...