História Neverland. - Capítulo 4


Escrita por: ~ e ~RukasuPepper

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO, Got7, Monsta X
Personagens Baekhyun, BamBam, Chanyeol, Chen, D.O, Hyung Won, I'M, Jackson, JB, J-hope, Jimin, Jin, Joo Heon, JR, Jungkook, Kai, Ki Hyun, Kris Wu, Lay, Lu Han, Mark, Min Hyuk, Personagens Originais, Rap Monster, Sehun, Show Nu, Suga, Suho, Tao, V, Won Ho, Xiumin, Youngjae, Yugyeom
Tags Bts, Demonios, Ecchi, Exo, Festa, Got7, Harem, Hentai, Lemon, Lycan, Mistério, Monsta X, Sobrenatural, Suspense, Terror, Vampiros, Yaoi
Exibições 35
Palavras 6.159
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Bishoujo, Bishounen, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Fantasia, FemmeSlash, Festa, Ficção, Fluffy, Harem, Hentai, Lemon, Lírica, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Orange, Policial, Romance e Novela, Saga, Seinen, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Shounen, Slash, Sobrenatural, Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Visual Novel, Yaoi, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Necrofilia, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Batata!
RukasuPepper: Hey galera! Como vão? Obrigado por ler e "acompanhar" a fanfic. Espero que gostem e desculpe pelo atraso. Boa leitura <3

Capítulo 4 - Start Something


Acordo com o rosto contra o assento do sofá grafite que havia na casa de Emma, pela primeira vez durante meses eu dormira de verdade, sem pesadelos bizarros me acordando durante a madrugada. Estar com SeHun fazia eu sentir-me seguro, talvez Lay estivesse certo e eu realmente sentisse algo pelo irmão de minha amiga, mesmo não tendo certeza se qualquer sentimento que eu tivesse por ele seria recíproco.
Sento-me coçando os olhos, corro o olhar pela sala procurando por alguém, ouço alguns barulhos vindos da cozinha e me levanto do sofá, indo em direção ao som enquanto passo as mãos por meus cabelos, colocando-os para trás. Ao chegar na cozinha, deparo-me com SeHun em frente ao fogão, preparando alguma coisa, a mesa estava posta para o café da manhã.

- Bom dia... - falo baixo - Porque não me acordou?

- Bom dia - ele vira-se em minha direção com uma frigideira na mão - Você parecia cansado, merecia descansar um pouco - ele dá um sorriso.

- Eu realmente estava exausto - confesso olhando para baixo lembrando-me dos pesadelos - Onde está Emma? - observo-o curiosamente.

- Ela saiu bem cedo - ele revira os olhos - Levando todo meu dinheiro.

- E porque não me acordou?! - resmungo.

- Você só sabe perguntar isso? - ele comenta dando uma risada baixa.

- É que eu vim aqui ontem tão tarde só para falar com ela - explico um pouco irritado - Para no final ela ir embora enquanto eu dormia.

- Ah, só veio para falar com ela? - ele pergunta, parecia irritado por um instante, mas talvez fosse apenas impressão minha - Desculpa se achei que não quisesse voltar para casa, que precisasse se distrair ou descansar.

- Casa?! - pergunto lembrando que fazia um dia que eu não dava notícias - Aigo! Eu preciso ir para casa agora! - falo indo em direção à porta - Meu pai deve estar surtando.

- Como assim? - SeHun larga a frigideira no fogão e caminha atrás de mim - Fugiu de casa? - ele pergunta com cara de reprovação.

- Eu só tive uma discussão com meu pai - dou de ombros - E sai correndo de casa, isso foi ontem quando acordei.

- É... Acho que já sei porque se dá tão bem com minha irmã - ele fala em um tom brincalhão enquanto eu passava pelo batente da porta, para minha surpresa ele me segura pelo pulso. Ficamos nos olhando nos olhos por um instante, sem dizer nada.

- Desculpe se eu pareci mal agradecido - falo baixo e constrangido - Muito obrigado por ter sido tão gentil ontem a noite...

- Quem sabe você não tenha a oportunidade de retribuir - ele dá um sorriso de lado e eu apenas balanço a cabeça. Eu não sabia se aquilo era apenas gentileza ou se havia alguma coisa por trás daquelas palavras.

- Até mais SeHun e obrigado novamente - me viro para ir embora, mas tenho meu pulso segurado novamente por SeHun. Volto a olhá-lo nos olhos, sentindo meu rosto esquentar.

- Até mais Kali... - ele me solta e eu saio dali com passos rápidos sem olhar para trás.

A manhã estava ensolarado, mas ainda assim uma brisa gélida corria pelas ruas. Aos poucos a vergonha pela cena com SeHun passava, eu ainda não acreditava nos últimos acontecimentos e nem que eu perdera tanto tempo achando que não seria correspondido, mas agora as coisas pareciam ter mudado, ou pelo menos era o que eu sentia. Caminho rapidamente entre as pessoas perdido em meus pensamentos, cerca de vinte minutos depois eu finalmente havia chegado em casa.
Eu estava destrancando o portão de minha casa, quando um movimento na árvore ao meu lado chama minha atenção, observo de forma apreensiva as folhas movimentarem-se. Querendo descobrir o que havia ali, começo a caminhar em direção à árvore lentamente. Num rompante, um bando de pássaros sai voando pelas folhas, fazendo-me dar um pulo de susto.

- Seu idiota... Eram apenas alguns pássaros - falo após uma risada sem graça, volto para o portão e destranco o mesmo, olhando em volta para certificar-me de que ninguém havia visto a ridícula cena do susto.

Depois de entrar na casa e fechar o portão, caminho pelo jardim de minha casa, chutando algumas folhas mortas que estavam caídas pelo caminho. Subo os degraus da varanda, caminho pelo piso de madeira até a porta e a abro lentamente, entrando em casa em seguida. O interior da casa estava com cheiro de café, o que me fez andar diretamente para a cozinha. O cômodo estava vazio, provavelmente todos já haviam tomado café da manhã, pelo menos eu não teria de enfrentar uma conversa de reconciliamento.

- Kali? - ouço a voz de meu pai vinda de trás de mim.

- Merda... Deduzi cedo demais - penso enquanto coloco um pouco de café em minha caneca com estampa de gatinhos. Viro-me para ele e encosto-me na bancada.

- Achei que não estivesse em casa - comento meio desinteressado, tentando disfarçar.

- E eu achei que não fosse voltar para casa - ele cruza os braços e me olha de forma severa - Onde passou a noite?

- Eu passei a noite na casa da Emma - falo baixo sem citar o nome do irmão dela, não queria levantar mais desconfianças de meu pai.

- Porque não deu notícias? - ele me observava da mesmo forma. - Saiu de casa transtornado e não me deu notícia alguma.

- Eu precisava de um tempo só... - respondo e o observo caminhar até mim.

- Desculpa - ele me abraça apertado - Talvez eu não tenha falado da maneira certa, mas se você não fosse um garoto tão estourado, tudo havia sido mais fácil.

- Eu não sou estourado! - resmungo - Tá, talvez um pouco... Desculpa ok? - sussurro retribuindo seu abraço.

Uma parte de mim sentia-se desconfortável por ter de me desculpar à alguém, mas a outra sentia-se com um peso a menos para conviver, esta manhã eu estava me sentindo estranhamente mais leve. Após nos reconciliarmos, eu e meu pai sentamos à mesa e tomamos café da manhã juntos, minha madrasta não estava conosco, pois havia ido trabalhar no escritório da empresa de nossa família. Ao terminar de comer, subo rapidamente para o quarto, retirando meus sapatos ao entrar no cômodo, pego meu roupão bordô e caminho diretamente para meu banheiro.
Encosto a porta de madeira branca, caminho até a minha banheira e coloco a mesma para encher com água quente, colocando alguns sais de fruta na água, deixando-a com um cheiro doce e relaxante. Paro em frente ao espelho, retiro meus jeans, camiseta e cueca, observo-me por alguns instantes, em seguida entro na banheira rapidamente, deixando a água quente cobrir meu corpo até os ombros.
Estico o braço até meus jeans e pego meu celular no bolso da calça, desbloqueio a tela e coloco numa lista de reprodução aleatória. Stressed Out do Twenty One Pilots começa a tocar, canto a música baixinho enquanto começo a me ensaboar. Lavo o cabelo, em seguida deixo minha cabeça submersa por um instante, ao abrir os olhos ainda em baixo da água, vejo uma figura escura parada ao lado da banheira.  Levanto a cabeça num rompante, passando a mão em meu rosto e vejo meu pai observando-me.

- Pai?! Você me assustou Sr. Ross! - falo rindo de nervoso.

- Desculpe - ele começa a rir - Só vim avisar que estou indo para a empresa. Tranque bem a casa se for sair, tudo bem?

- Tudo bem - falo dando de ombros - Só irei sair mais tarde, mas trancarei sim.

- Ok... Até mais tarde filho - ele fala saindo rapidamente do banheiro.

- Até - respondo um pouco baixo.

Fico relaxando na água por mais alguns instantes, solto um suspiro e saio da banheira, vestindo meu roupão bordô. Tiro a tampa do ralo da banheira, esvaziando-a, em seguida volto para meu quarto apressadamente. Sento-me na cama e olho de relance para meu notebook que estava largado em cima da cama, noto que alguém ligava para o meu Skype. Volto a atenção para a tela do computador e vejo o contato de HyungWon, um de meus melhores amigos. Atendo a ligação, mas desativo minha webcam, pois não queria aparecer apenas de roupão.

- Eai sumido! - ele fala rindo, seu cabelo castanho estava desgrenhado, vestia uma camiseta preta desbotada - Onde estava? Sempre está online, mas ontem nem deu sinal.

- Eu passei o dia fora... - explico dando um sorriso amarelo - Acabei discutindo com meu pai.

- O que aconteceu?  - ele me pergunta com as sobrancelha arqueadas - Fazia tempo que vocês não brigavam, qual foi o motivo dessa vez?

- Minha madrasta engravidou - respondo tentando aparentar tranquilidade - E ele agiu de forma idiota - dou de ombros - Mas já tá tudo bem.

- Tá... Porque não ligou a webcam? - ele pergunta com o olhar semicerrado.

- Acabei de sair do banho, estou só de roupão - respondo enquanto começo a secar meu cabelo.

- Como se eu nunca tivesse visto você sem roupa - ele revira os olhos - Se esqueceu que eu sempre passo as tardes em sua casa? Somos melhores amigos seu idiota...

- Tá... Espera eu por uma cueca - resmungo indo até meu closet que ficava do outro lado do quarto e pegando uma cueca boxer preta, vestindo a mesma. Volto para o quarto, ligo a webcam e volto a falar com HyungWon - Satisfeito?

- Viu, é bem mais confortável conversar um olhando para o outro - ele fala rindo - É chato você não poder ver a pessoa, mas a pessoa poder te ver.

- Tem razão - falo pensativo - Vou secar meu cabelo, se prepara para o barulho do secador - comento enquanto pego o secador em meu criado mudo e o ligo na tomada.

- Tudo bem... Vou diminuir o volume aqui... - ele fala, ligo o secador e começo a secar meus cabelos, passando os dedos sobre os fios úmidos. - Ei, de onde saiu esse piercing no mamilo? - ele pergunta surpreso.

- Eu furei faz pouco...

- Ops... - ouço a voz de HyungWon sair baixa, em seguida ouço o Skype fazer um pequeno barulho.

- Piercing legal... - ouço uma voz grossa e desconhecida, viro-me em direção ao notebook totalmente em choque, com uma mecha de cabelo cobrindo meu olho direito.
Vejo que havia mais duas pessoas em nossa chamada de vídeo, um era o ChangKyun, seu cabelo castanho levemente bagunçado, e seus pequenos olhos estavam inchados, provavelmente estava cochilando. Não fora ele quem fizera o comentário. O outro garoto tinha o cabelo branco com azul e me observava com um olhar curioso.

- Não sabia que havia outras pessoas na chamada - comento lançando um olhar furtivo para HyungWon, pego meu roupão e o visto novamente, sentando-me na cama e ficando de frente ao computador.

- Kali, esse é o Shin HoSeok. - ChangKyun fala sorrindo - Ele queria se enturmar um pouco.

- Oi... - falo para o garoto de cabelos diferentes - Sou Ross Kali - dou um sorriso simpático.

- Pode me chamar de WonHo... Se quiser - ele fala retribuindo o sorriso.

- Tudo bem, desculpe pela semi nudez - falo rindo um pouco mais relaxado - Achei que estivesse só com HyungWon, ele já está acostumado a me ver assim

- Ele me contou que são melhores amigos... - WonHo comenta - Achei seus piercings legais, doeu muito para colocar?

- Um pouco - confesso dando uma risada baixa - Mas valeu a pena.

WonHo era uma garoto legal, durante a longa conversa que tivemos esta manhã, ele parecera um pouco antiquado em alguns assuntos, mas fora isso, ele era muito legal. Não sei ao certo onde os três se conheceram, porque se fosse pela escola, eu também o conheceria, afinal estudamos juntos. Como Mia por exemplo, que eu conhecia por estudar comigo, HyungWon e ChangKyun também.

Converso com os meninos até a hora do almoço, me despeço deles e desligo o notebook.

Desço da cama e volto para meu closet, afinal eu ainda estava apenas de roupão. Enquanto observo minhas roupas, decido chamar Emma para sair, mando um SMS para a mesma e já começo a me arrumar.
Visto uma calça skinny verde oliva, uma camiseta preta um pouco apertada com estampa de desenhos tribais.
Paro em frente ao espelho por um instante, meu cabelo não estava em um dia muito bom... Faço um coque mal feito e vou rapidamente para a parte do closet em que eu deixava meus sapatos, corro o olhar pelos vários pares que haviam ali e pego um par de coturnos pretas, calçando-as em seguida.
Olho novamente uma última vez no espelho, saio do closet, cruzando o quarto e saindo do mesmo.

Eu precisava fazer algo para passar o tempo, pois só iria sair com Emma as três da tarde. Caminho pelo corredor principal do segundo andar, passando em frente ao quarto de meu pai e indo em direção às escadas. Desço para o primeiro andar, minhas coturnos fazendo barulho a cada passo, ecoando pela casa silenciosa. Passo pela sala de estar e pela sala de jantar, indo diretamente para a cozinha.

- Comer é uma boa forma de passar o tempo... - falo comigo mesmo enquanto abro a porta da geladeira, procurando algo para comer.

Vejo pequenas taças de cristal com salada de fruta, pego uma das taças, em seguida pego uma colher e começo a comer. Saio pelas portas de correr de vidro que ficavam na cozinha, que davam acesso aos fundos da propriedade.

Caminho pela grama, passando pela piscina e indo em direção ao velho balanço em que eu brincava quando era pequeno, sentando-me no mesmo.
Balanço-me lentamente enquanto como, penso em onde poderia ir com Emma, quando finalmente chego a uma conclusão, termino de comer, levanto-me do balanço, desequilibrando-me é quase caindo sentado no chão ao fazê-lo.

Volto para o interior da casa, deixando a louça suja na pia da cozinha. Pego meu celular no bolso de minha calça, disco o número de táxi e enquanto espero alguém me atender, começo a fechar as portas e janelas da casa.

Quando termino de fechar tudo, vou para meu quarto, pego minha carteira com meus cartões e meu dinheiro, em seguida pego um casaco preto com gola alta.

Impaciente, fico esperando o táxi do lado de fora de casa, encostando-me no portão de ferro. Cerca de cinco minutos depois, o veículo para a minha frente, entro no carro rapidamente, sentando-me no banco de trás. Falo o endereço para o motorista, retiro meu celular do bolso e observo minhas redes sociais enquanto o carro se move pela estrada.

Eu estava tão distraído com o celular que nem percebi quando o carro parou, apenas sou arrancado de minha distração quando Emma bate levemente na janela do carro.

Vou um pouco mais para o lado do banco, Emma abre a porta do táxi e senta-se ao meu lado. Ela vestia jeans skinny claros, blusa grafite, um casaco preto simples, calçava um par de vans roxos. Seu longo cabelo castanho avermelhado voava levemente com a brisa que entrava pela janela entreaberta.

- Posso saber onde vamos? - ela pergunta enquanto observa a paisagem em movimento pela janela do táxi.

- Primeiramente vamos ao shopping - respondo mexendo em meu celular - Preciso comprar roupas novas...

- Primeiramente? - ela me observa curiosamente - Iremos para outro lugar?

- Eu queria ir na biblioteca - explico guardando o celular no bolso - Preciso ler algum livro novo.

- Entendi... - ela responde e logo em seguida dá um sorriso diabólico - Olha essa foto que tirei.

Ela ergue o celular em direção ao meu rosto, olho para tela do celular e vejo uma foto minha dormindo com SeHun no sofá da sala de sua casa. Minha cabeça estava apoiada em seu ombro, sua cabeça estava apoiada na minha, minha mão estava em sua coxa e seu braço estava em volta de minha cintura.
Sinto meu rosto esquentar de vergonha e solto uma risada baixa.

- E-Emma! - choramingo ainda constrangido.

- Eu não pude perder essa oportunidade - ela fala rindo - Estavam tão fofos...

- Eu devia ter tirado uma foto sua de mãos dadas com o SuHo então! - falo empinando o queixo.

Recebo um empurrão e começo a rir sem entrar em mais detalhes sobre qualquer outro garoto. O taxista estaciona em frente ao shopping, pego minha carteira e retiro algumas notas da mesma, pago a corrida e saímos do carro novamente.

O interior do shopping estava bem movimentado, várias pessoas passavam de um lado para o outro enquanto eu e Emma observamos as vitrines.

- O que acha da gente comer primeiro ? - pergunto enquanto observo um manequim que usava uma camisa xadrez preta com verde e jeans claros - Ainda não almocei e "tô" morrendo de fome...

- Claro - ela fala sorrindo, observando-me com seus olhos cor de mel - O que vamos comer?

- Não sei - falo coçando a cabeça - Mas tem um ótimo restaurante aqui no shopping - começo a andar em direção ao local, a puxando comigo pelo braço.

Instantes depois chegamos no restaurante. Assim que entro no local, sou atingido pelo forte cheiro de carne sendo assada, sinto meu estômago roncar e dou um pequeno sorriso.

Caminho até uma das mesas retangulares de madeira com uma grelha em seu centro e sento-me no delicado assento de couro caramelo.

Faço pequenos círculos na mesa distraidamente enquanto Emma mexe em seu celular, me perco em meus próprios pensamentos quando uma garota alta para ao lado de nossa mesa.
Vestia uma camisa social branca, blazer preto, saia lápis preta e meia calça também preta, calçava delicados saltos pretos. Seu cabelo castanho claro estava preso em um coque delicado e bem feito, usava pouquíssima maquiagem. Seus olhos castanhos claros corriam de mim para Emma de forma curiosa.

- Boa tarde, sejam bem-vindos - ela fala dando-me um sorriso tímido, nos entrega pequenos cardápios com capa de couro vermelha que estava em seus braços e volta a falar - Aqui estão os cardápios...

- Obrigado - falo sorrindo, abro o cardápio e volto a olhar para Emma - Então, o que quer?

- Pode escolher - ela responde folheando o cardápio - Sei que tem bom gosto para comida.

- Pois bem - respondo após uma risada curta, dou uma olhada no cardápio e volto a falar - Eu gostaria de... Kimchi, Bibimbap, Bulgogi e Shigeungi namu. Para ela o mesmo - falo indicando Emma.

- Ótimas escolhas - a garota fala anotando nossos pedidos - Em breve retornarei com seus pedidos.

- Kali... Isso vai custar os olhos da cara! - Emma sussurra assim que a outra garota se afasta.

- Dinheiro serve para ser gasto - respondo empinando o queixo de brincadeira - Aliás, gastar com comida, livros e roupas nunca é demais...

- Só você mesmo - ela fala rindo baixo - Eu não tenho sua sorte, preciso arrumar um emprego. Se eu continuar pegando dinheiro do SeHun, é capaz de ele me bater.

- Ele estava bem irritado hoje cedo - comento rindo também, neste momento a garçonete retorna com os pedidos.

- Aqui está - ela fala colocando a comida em nossa mesa - Comam bem... Meu nome é Park SeungSoo, se precisar de algo é só me chamar - ela dá uma piscadela em minha direção e sai dali rapidamente.

Olho para baixo tentando conter o riso pela situação inusitada, coloco um pequeno pedaço de carne na grelha e o observo em silêncio.

- Kali arrasando corações - Emma comenta sorrindo maliciosamente - A coitada mal olhou para mim, só tinha olhos para você.

- Isso foi extremamente constrangedor - comento olhando em volta - Enfim, como chamam isso aqui na Coréia? - falo erguendo os palitinhos que pegavamos a comida, tentando mudar de assunto.

- Você sabe que é jeotgorak - ela fala com os olhos semicerrados - Alguém já disse o quanto você é ruim em mudar de assunto para disfarçar algo?

- Não... - falo rindo e jogo um pouco de molho na carne - Mas sei que sou ruim nisso, é que eu não estou acostumado, sei lá. Eu fiquei com vergonha - dou de ombros, vejo que minha carne já está no ponto desejado e a coloco no prato.

- Não sei como não se acostuma - Emma fala enquanto comia - Sempre tem alguém dando em cima de você, você que é lerdo demais para perceber.

- Nada a ver - resmungo, em seguida coloco o pedaço de carne em minha boca, mastigando-o - Isso está ótimo...

Comemos bastante, ao terminarmos, chamo Park SeungSoo e peço minha conta. Pago pela comida em dinheiro, aproveitando para dar uma pequena gorjeta para a garota por ter nos servido tão bem e também por ter um ótimo gosto para garotos... Modéstia parte...
Saímos do restaurante e vamos direto para a loja em que eu havia visto a camisa xadrez.

- Pode escolher o que quiser - falo para Emma assim que entramos na loja, ela me olhava com uma sobrancelha arqueada - Eu sei, sou o melhor amigo que alguém podia ter - falo olhando algumas camisas que estavam penduradas em cabides.

- Acho que aquela garçonete elevou sua auto-estima até demais - Emma provoca passando a mão por seu cabelo.

- Não fala bobagem!  - dou risada e jogo um short vinho com cintura alta na mesma. Ela o agarra e observa a peça.

- Olha só! É meu tamanho - ela sorri para mim e sai andando pelo corredor, eu continuo por ali observando algumas camisetas.

Encontro uma regata preta com estampa da série American Horror Story que combinava com Emma, pego a mesma, pendurando em meu braço junto com outras roupas que eu escolhera. Pego uma calça de couro preta, começo a caminhar em direção ao caixa quando outra peça chama minha atenção, uma camisa 3/4 branca com tecido fino. Volto a caminhar em direção ao caixa, encontro Emma segurando algumas peças de roupa.

- Acho que combinou com você - falo entregando-a a regata preta.

- É linda - Emma comenta segurando a peça.

- Podemos ir? - pergunto de forma curiosa - Já terminou?

- Uhum - ela fala colocando as roupas que pegara em cima do balcão.

Entrego minhas roupas para a vendedora, pago as compras com o cartão de crédito.

Instantes depois saio da loja com Emma, cada um de nós segurando uma sacola de roupas. Ligo novamente para o táxi, saímos do shopping e esperamos o táxi, encosto-me na parede e começo a mexer em meu celular.

(...)

- Minha calcinha está na bunda - Emma resmunga baixo assim que descemos do táxi.

- Aigo! - falo rindo alto enquanto guardo minha carteira no bolso da frente de minha calça, após pagar o taxista - Só você mesma... - caminho em direção as escadas que davam à biblioteca, o local era um prédio simples, branco e com portas de vidro.

- O que é? Eu falei sério - ela me observa com o cenho franzido e eu volto a dar risada - Besta... - ela fala empinando o nariz.

Subimos os degraus de concreto calmamente, a sacola em minha mão começava a pesar.

Quando chegamos ao topo da escada, observo a placa de "aberto" pendurada na porta, empurro a mesma lentamente com Emma logo atrás de mim

Para um amante dos livros, uma biblioteca era um pedacinho do paraíso aqui na Terra, tantas histórias incríveis juntas em um lugar só. Respiro fundo sentindo o cheiro dos livros enquanto caminho ao lado de Emma entre as prateleiras de madeira e dou um sorriso.

Procuro a estante que contenha o gênero em que tenho interesse, aproveitando para conhecer o local que era muito bonito. O interior do local era um tanto clássico, tinha piso de madeira coberto por longos tapetes cor de vinho nos corredores, as paredes eram cobertas por um papel de parede feito com camurça vermelha com desenhos florais dourados, no teto haviam pinturas de anjos em meio à nuvens num céu azul.

- É bem bonito né? - ouço uma voz grossa vinda de trás de nós,  fazendo-me pular de susto.

Viro-me em direção à voz ao mesmo tempo que Emma.

Era um garoto de cabelo castanho avermelhado com um topete bagunçado, olhos castanhos grandes e puxados, e os lábios... Lábios perfeitos, carnudos e rosados. Vestia uma camisa social branca, gravata preta, calça skinny preta e calçava All Star preto.

Sinto meu rosto esquentar e solto um suspiro nervoso, o observo dos pés a cabeça e mordo levemente o piercing em meu lábio. Aquele rosto angelical era um tanto familiar para mim.

- Estamos dando apenas uma olhada... - Emma fala parecendo confusa.

- Tudo bem - o garoto dá um sorriso e volta a falar - Qualquer coisa é só me chamar, meu nome é Kim SeokJin - ele se vira para ir embora e eu finalmente lembro de onde o conhecia.

- Ei, você é o garoto que eu esbarrei ontem de manhã! - falo coçando levemente minha nuca.

- E você é o apressado que me atropelou - ele dá uma risada curta - É bom te ver mais calmo... Preciso arrumar algumas coisas, se precisarem... Me chamem. - ele dá meia volta e começa a caminhar pelos corredores.

Seguro Emma pelo antebraço e volto a caminhar em meio as estantes repletas de livros. Durante nosso caminho, ela para em frente à uma prateleira e começa a observar alguns livros sobre uma série de Zumbis.

Continuo caminhando pelo longo corredor com piso de madeira, não sei ao certo quando mudei de corredor, mas quando olho para trás, vejo que não estava mais no mesmo corredor que Emma.

Aquela parte da biblioteca estava mais fria do que a restante, o que me fez sentir alguns calafrios. Pego meu fino casaco preto com gola alta e o visto rapidamente, coloco a mão que estava livre no bolso do jeans e continuo observando as estantes.

No meio do silêncio, tomo um pequeno susto quando um livro cai de uma das prateleiras, caminho até o mesmo e o pego do chão. Observo a capa do livro e vejo a ilustração de vários anjos voando em um céu nublado, o nome do livro dizia algo sobre o Éden.

Observo a brecha que o livro caído havia deixado entre os outros e me surpreendo ao ver alguém do outro lado, olhando diretamente para mim com seus olhos pequenos, seus lábios pequenos e carnudos estavam sérios. Sua pele era pálida e seu cabelo rosa claro estava um pouco desgrenhado, vestia roupa inteiramente preta. Ele continuava a me encarar de forma tão intensa que eu começara a sentir-me desconfortável, fazia uma angústia tomar conta de mim. Involuntariamente dou alguns passos para trás, me viro e começo a andar rapidamente à procura de Emma ou SeokJin.

Percebo que ainda estou com o livro em mãos, observo o mesmo por alguns instantes, dou de ombros e decido que iria leva-lo para ler em casa. Após alguns instantes caminhando, finalmente avisto SeokJin mexendo no computador da livraria, Emma estava debruçada sobre o balcão e conversava com o mesmo. Vou rapidamente até eles e coloco o livro em cima do balcão.

- Vai levar esse? - ele pergunta pegando o livro. Eu assenti e ele voltou a falar - Já tem cadastro aqui?

- Já - respondo com um sorriso, observando o garoto e admirando sua beleza.

- Ross Kali, certo? - assenti novamente, solto uma risada curta. Ele volta a falar, dessa vez com Emma. - Como eu estava dizendo... Aqui não tem muito movimento, hoje mesmo vocês são os únicos a virem aqui.
Olho para trás por reflexo e não vejo ninguém. Se SeokJin disse que éramos os únicos ali, quem era o menino de cabelo rosa?

Coço a cabeça de forma confusa enquanto penso em uma explicação sobre o garoto não ter sido contado como cliente.

- Eu consegui um emprego aqui! - Emma fala animadamente com a mão em meu ombro - Obrigado por ter a ideia de vir aqui.

- Wow! Que maravilha - falo animado - Obrigado SeokJin.

- Me chamem de Jin - ele fala com um sorriso simpático.

- Obrigado Jin - falamos eu e Emma em uníssono - Acho que já estamos indo embora... - falo guardando o livro em minha sacola de roupas.

- Tudo bem - ele sorri e sai do balcão, surpreendendo-nos com um abraço - As portas estarão abertas para você Kali, sempre que quiser ler algum livro. E você Emma, estarei te esperando no dia que combinamos.

- Pode deixar - falamos em uníssono novamente, fazendo nós três darmos risada.

Enquanto caminhávamos em direção a saída do local, ligo para o táxi e recebo a ótima notícia de que o taxista chegaria rapidamente, pois estava perto de onde estávamos.

Saímos da biblioteca com leves risadas, grande parte de minhas risadas eram devido a sensualidade que o garoto tinha. Comento o mesmo com Emma, puxando a gola de meu casaco para refrescar a pele quente.

Quando estávamos atravessando a rua para entrar no táxi, conversávamos tranquilamente, mas sou surpreendido novamente pelo garoto de cabelo rosa. Ele estava parado do outro lado da rua, me observava fixamente e ao notar meu olhar dá um sorriso de lado, colocando seu capuz deixando apenas seu sorriso à mostra.
Pisco uma vez tentando voltar a mim e quando olho na direção do garoto, não havia mais ninguém ali.

Tento disfarçar e volto a falar com Emma, entramos no carro e voltamos a conversar.
Pego meu celular e vejo que eu tinha recebido três mensagens de uma conversa. No começo não reconheci o contato, mas após olhar a foto, vejo que é o irmão de Emma.

SeHun: Está em casa?

SeHun: Precisei mexer no celular de Emma para achar o seu número.

SeHun: Passe aqui em casa... Preciso conversar com você. Popo.

Dou outra risada nervosa e volto a conversar com Emma naturalmente, ela iria para a casa da Hazel diretamente e eu inventei uma desculpa para não ir. Desço do táxi, após deixar algumas notas de dinheiro com ela,  entro rapidamente em minha casa, ouvindo apenas o som do táxi seguindo seu caminho.

Minha casa ainda estava vazia, entro em meu quarto, deixando a sacola por ali. Paro em frente à minha cômoda e pego meu perfume amadeirado com um leve toque doce, passando o mesmo em meu corpo inteiro, afinal, se eu estava indo para casa do garoto em que tenho interesse, precisava estar cheiroso. Saio de casa novamente e paro no quintal momentaneamente, olho para o celular em minhas mãos e para a bicicleta preta encostada na parede de casa.

- Chega de táxi por hoje - resmungo guardando o celular e pegando a bicicleta. Saio de casa e após trancar o portão, começo a pedalar rapidamente.

Cerca de quinze minutos depois, paro em frente à casa de SeHun, desço da bicicleta com a respiração ofegante e começo a caminhar em direção em direção à porta, deixando a bicicleta encostada nos degraus da varanda da casa. Dou algumas batidas na porta e espero alguém me atender, sinto a sensação estranha de ser observado novamente, corro o olhar pelo local. Do outro lado da rua, avisto uma figura caminhando lentamente em meio as sombras.

- De novo não... - falo começando a ficar com as mãos trêmulas. Passo a mão na testa de forma preocupada, a porta se abre atrás de mim, dando-me um leve susto. Viro-me e vejo SeHun, seu cabelo estava desgrenhado, vestia uma camiseta branca e uma bermuda preta. - Ah, oi SeHun.

- Está tudo bem? - ele franze o cenho e olha em volta - Parece que viu um fantasma - ele dá uma risada curta, eu ainda sentia a sensação ruim. Não consigo responde-lo, apenas assenti com a cabeça, respondendo a primeira pergunta - Entra.

Ele me puxa para dentro e fecha a porta atrás de nós, fazendo-me soltar um suspiro de alívio por não estar mais no campo de visão de seja lá quem estivesse lá fora.

- Onde estava? - ele pergunta caminhando em direção à cozinha - Demorou para responder.

- Sai com Emma - falo seguindo, retiro meu casaco e o penduro em meu ombro - Ajudei ela com emprego...

- Já estava na hora - SeHun pega uma xícara de café e dá um gole longo - Não aguentava mais ela pegando meu dinheiro.

- Seus pais não estão? - pergunto após uma risada curta. Encosto-me na parede e o observo.

- Sim, fiquei sozinho - ele levanta sua mão direita e a vejo enfaixada - Me machuquei.

- Como? - deixo a pergunta escapar, sem conseguir controlar a curiosidade.

- Nada demais, foi só um mau jeito - ele responde rapidamente.

- Ah sim - falo meio sem graça - Então, o que tinha para conversar comigo?

- Você é meio direto né? - agora era a vez dele ficar sem graça. Arqueio uma sobrancelha e dou um sorriso - Tá eu falo... - ele larga sua xícara vazia na pia e volta para a sala.

Sigo ele começando a ficar impaciente, pois a curiosidade ficava cada vez maior. Ele para repentinamente e vira-se para mim, nossos olhares se encontram e eu sustento seu olhar. Estávamos os dois parados no meio da sala, um olhando para o outro sem dizer nada.

- Fala logo - resmungo batendo o pé de forma impaciente.

- Aish! - ele resmunga de volta revirando os olhos - Espera.

- Tá... - respondo irritado, mas uma parte de mim ansiava por aquilo de forma boba, fazendo-me esboçar um sorriso.

- Não sei por onde começar - SeHun comenta.

- Do começo... - ele coloca a mão na testa e solta um suspiro alto ao ouvir minha resposta.
 
- A noite passada foi ótima - ele fala parecendo menos irritado, caminhando em minha direção - Mesmo tendo dormido de forma tão desconfortável naquele sofá, valeu a pena sentir seu corpo no meu, mesmo que tenha sido apenas daquela forma.

- C-Como assim? - gaguejo baixo, minhas pernas ficavam bambas enquanto meu rosto esquentava.

- Já faz algum tempo que eu comecei a te olhar de forma diferente... - ele explica calmamente, mas aquelas palavras não pareciam fazer sentido - Mas não sabia se devia investir, afinal você é mais novo e amigo da minha irmã...

- Eu não sou tão novo assim! - foi a única coisa que consegui dizer, em seguida ele estava com as mãos em minha cintura, aproximando seu rosto do meu - SeHun, você tem certeza?

- Sh... - ele sussurra deslizando o polegar por meus lábios, depois segura meu queixo entre os dedos, impedindo-me de me afastar.

Fecho os olhos com força, até porque se eu contínuasse com eles abertos iria acabar desmaiando de nervosismo.
Era difícil acreditar que aquilo estava realmente acontecendo, que eu não estava sonhando.

Sinto seus lábios quentes encostarem nos meus, sua língua explorando minha boca com certa ferocidade. Naquela hora me esqueci momentaneamente do resto do mundo, eu só queria me entregar à ele.

Apoio uma mão em seu peito e a outra em suas costas, deslizando os dedos pela mesma até chegar em sua nuca, onde acaricio alguns fios de cabelo platinado do garoto.  Suas mãos haviam decido para minha cintura e agora me apertavam com força contra o seu corpo, fazendo-me sentir seu membro por baixo de sua roupa. Arfo quando suas mãos puxam meu cabelo, fazendo minha cabeça tombar para trás enquanto ele beijava e mordia meu pescoço de forma pouco cuidadosa.

Deslizo a mão para dentro de sua camiseta e passo as unhas por seu peitoral e abdômen, até chegar no cós de sua calça. SeHun solta um gemido baixo e me puxa para o sofá, fazendo-me sentar em seu colo. Seus lábios haviam voltado a deixar marcas em meu pescoço, enquanto suas mãos em minha cintura fazia eu movimentar-me por cima de seu membro rígido apertado dentro de sua bermuda preta.

- Se- SeHun... - falo com certa dificuldade - É melhor pararmos, estamos indo rápido demais. Sem falar que Emma ou seus pais podem chegar a qualquer momento.

- Tem razão - ele se afasta de meu pescoço, falando de forma ofegante - Teremos bastante tempo para tudo isso - ele dá um sorriso malicioso, deixando-me envergonhado.

Novamente ficamos juntos no sofá, dessa vez acordados. Sem falar que eu ainda estava em seu colo, ficamos algum tempo ali juntos.

Até que vou embora com minha bicicleta, feliz demais para preocupar-me com qualquer garoto estranho que me observasse.


Notas Finais


Rukasu: Obrigado galera! Espero que tenha shippers de "KaHun" hahaha. Desculpe qualquer erro que passou despercebido. (Spoiler) Vai ter festinha!
Capítulo 5 tá gigante e finalizado pelo o que a Elfo me dissera. Tem hot "leve".

- Sobre Miss Right *Nossa outra fanfic. Estamos finalizando o capítulo.

Bye bye.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...