História Neverland - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Peter Pan
Visualizações 69
Palavras 1.462
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Ficção, Hentai, Luta, Magia, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 5 - Pesadelo vai embora,bons sonhos vem agora.


Fanfic / Fanfiction Neverland - Capítulo 5 - Pesadelo vai embora,bons sonhos vem agora.

Enquanto voltávamos para o esconderijo tinha algo que não saia da minha cabeça. Eu consegui vir para cá por que sou uma Darling,mas isso não explica o motivo de Gancho ter me raptado.Apesar do meu famoso sobrenome não é como se eu tivesse algum superpoder ou algo do tipo.Sou só uma garota comum.

-Peter.-murmurou um "hã?".-O fato de eu ser uma Darling não justifica o Gancho ter me raptado.

-Tem razão,não explica.-disse entediado.

-E  você não está nem um pouco interessado?

-Pra falar a verdade não.-parei de caminhar o olhando pasma.Com a mesma cara de cu ele se virou pra mim.

-Na boa,você é inacreditável.Uma hora você me leva para  um campo cheio de flores,me faz gritar com você-olha o duplo sentido ae- e depois despreza os meus sentimentos.

-E quais são esses sentimentos?-chegou mais perto.

-Confusão.Preciso da sua ajuda.Quero que me ajude a conseguir respostas.-falei confiante e ele deu um sorriso de canto irônico.

-E como pretende fazer isso,meu bem?

-Quero que me ensine a lutar.-ele deu sua típica risada sarcástica que me fez revirar os olhos.Ao ver que eu estava falando sério ele para de rir.

-É sério isso?-assenti como se fosse óbvio.-Está bem,vamos fazer o seguinte.Vamos voltar para o esconderijo e jantar,daí você pensa nessa sua história maluca e me dá uma resposta concreta pela manhã,o que acha?-vendo que não tinha outra opção resolvi aceitar.

-Tudo bem. Combinado.-estendi a mão para que ele apertace num tipo de acordo que de modo irônico concordou.

Assim terminamos nossa conversa e fomos rumo a árvore dos meninos.Nunca me cansarei de dizer o quanto aquela ponte é perigosa,uma hora aquilo vai acabar caindo e matando alguém.Não quero nem ver.Chegando lá os meninos ja estavam postos na mesa que continha muita comida como,carne,arroz,purês,saladas,e outras coisa que nem me dei trabalho de olhar.Notei que todos estavam sentados somente esperando Peter para poder comer.É incrível o modo como os meninos respeitam o Pan.

-Boa noite garotos.-falei meio tímida me sentando entre Floyd e Alex.Todos me responderam em coro.Piuí que estava na minha frente me deu um sorriso maroto e uma piscadela que fez todos rirem. 

-Peter,já podemos comer?Estou morrendo de fome.-O garoto que chamavam de Barriga disse,ele é gorducho então é claro que os meninos não deixaram de fazer alguma piada com ele.

-Então você está sempre morrendo,certo?-disse o Cabelo,menino cujo os cabelos são de um loiro encaracolado que cobre sua cabeça toda como se fosse um capacete.O resto riu da piadinha do moleque.

-Meninos...-Peter disse e todos ficaram em silêncio o olhando esperançosos.-1...2...3...ATACAR.-e nisso todos pularam por cima da mesa atacando todas as tigelas,eles nem se preocupavam em usar os talheres para pegar comida,usavam as mãos mesmo.Vendo que não iria sobrar comida se eu demorasse mais um pouco me prontifiquei a lutar pelo último pedaço de carne com o Barriga.

-Barriga,você já tem dois.Divida.-O olhei mortalmente mas o bochechudo não se intimidou e continuou com o garfo gravado no bife.Todos que estavam servidos pararam para olhar nossa disputa.

-Eu sou grande,preciso de muita comida.Você é magra,aposto que um grão de arroz já enche sua barriga.-me fiz de ofendida.

-Isso por acaso é um desafio?-O olhei desafiadora.

-O que você acha?-Peter ria junto com os meninos que nos olhavam animados.

-Proponho um desafio.Quem conseguir comer primeiro um prato cheio de macarrão fica com o bife.-ele pareceu pensar e concordou.Quando ele tirou o garfo,eu num movimento rápido peguei o bife para mim.Ao ver a carne já no meu prato ele me olhou incrédulo.Todos deram risada da minha estratégia.

- Isso é injusto.Peter eu proponho uma execução. -Todos riram mais ainda.

-Não seja idiota Barriga,é só um bife.-Peter disse de boca cheia.

-O mundo é dos espertos meu caro.-falei pondo em seguida o garfo com comida na boca.

O resto do jantar foi assim,animado,exceto pelo Barriga reclamando da minha trapaça.Todos comiam e conversavam sobre as aventuras que estavam planejando para o dia seguinte.Alguns queriam ir até os indígenas,outros caçar os tesouros de Peter,e alguns planejavam até uma pequena "visitinha" á vila dos piratas.Depois que comemos Peter fez uma fogueira onde todos dançaram e cantaram até a madrugada,foi quando todos cansaram e foram dormir.Eu fui até o quarto de Peter que era onde tinha cama sobrando,ele abriu a tranca pra mim e disse que ia fazer uma última vistoria para ver se todos os meninos estavam dormindo e não aprontando alguma .Enquanto ele não vinha resolvi usar sua pia para escovar os dentes.Imaginei um pijama bem quentinho já que fazia frio naquela noite.Me deitei na beliche de cima e esperei até que Peter entrasse. Ele entrou uma meia hora depois.Fez o mesmo processo que eu,na hora dele se trocar resolvi me virar de costas,era vergonhoso.

-Os meninos gostam de você,eles não se divertem assim desde...-Então ele parou de falar e ficou olhando para a parede por um tempo.

-Desde quê?

-Desde quê Wendy esteve aqui.-falou se recuperando e se deitando na cama que ficava ao lado da minha beliche.

-Por que não me conta como se conheceram,afinal,ela era minha vó.

-Como pode ter tanta certeza disso?

-Neebs disse que ela estava aqui a sessenta anos,quando ela foi embora teve um filho,que me teve.Então ela automaticamente  se torna minha avó. Vai me contar como se conheceram?-eu precisava saber,desde que soube que outra garota veio pra cá e Peter se apaixonou por ela essa curiosidade vem me matando.Ainda mais agora que descobri que essa garota era minha vó. 

-Tudo bem.Antes de Gancho começar a recrutar garotos para cá eu costumava a ir ao seu mundo,eu tocava uma flauta que só certo tipo de garotos pode ouvir.Aqueles que não se sentem amados.Então eu trazia esses garotos para cá,normalmente eu os resgatava das ruas ou era aquelas crianças que acabavam se perdendo das mães.Esse foi o caso do Piuí,acredita que ele é o mais velho de todos?Enfim,numa dessas visitas eu fui para Londres.Minha sombra tinha a mania de fugir de mim,entâo ela entrou em uma casa.Minha única opção era ir lá e pega-lá,eu não podia voltar sem ela.Entrei pela janela do quarto das crianças,todos estavam dormindo.Por alguma razão eu não consegui por ela de volta.Wendy acordou e me viu ali,chorando.Ela não gritou nem se assustou,apenas me ajudou.Ela colou minha sombra de volta,sinto que foi desde aí que me apaixonei por ela.Eu fiz promessas a ela.Prometi uma vida cheia de aventuras e que ela nunca precisaria crescer e se preocupar com a vida adulta.Ela veio pra cá comigo e eu cumpri minha promessa.No começo vivíamos felizes,lutavamos com os piratas,faziamos festas na tribo e nadavamos a tarde na cachoeira,ela era a mãe dos meninos,nós  eramos tão felizes.Mas depois de um tempo ela mudou,começou a ficar deprimida e tudo piorou depois que Gancho a raptou.Demoramos dois dias para resgata-lá e quando conseguimos ela estava diferente,não queria mais caçar tesouros e nem brincar,vivia falando de como queria ter filhos ou de como sentia saudade de sua família.Até que chegou o grande dia,ela disse que ia embora.E ela se foi.Eu a ensinei a voar e ela me ensinou a amar.

Eu estava sem palavras,não sabia o que dizer a ele,nunca pensei que ele se abriria tão rápido comigo.Por um momento eu invejo Wendy por ter vivido um amor tão maravilhoso com Peter,a odiei também,afinal,aqui é o lugar dos sonhos,quem trocaria uma vida de aventuras com Peter Pan para viver com a cara em um escritório.

-E você nunca foi atrás dela?

-Fui,claro.Eu ia sempre na sua janela que nunca esteve fechada.Mas depois de um tempo ela já estava adulta e eu via homens entrar em seu quarto e toca-lá de um jeito que somente eu tinha tocado.Mas eu continuei indo.Até que um dia eu cheguei lá e encontrei sua janela fechada.Foi aí que a ficha caiu.Ela não cumpriu a promessa que tinha feito antes de partir.

-Que promessa?

-Se nunca me esquecer,Lia.-sua voz agora estava embargada,e meu coração doía.

-Peter,me desculpe,eu nunca deveria ter tocado no assunto.-ele não respondeu,mas o som de seu choro e seus soluços eram audíveis.Me levantei com cuidado e fui até sua cama.

Coloquei sua cabeça em meu colo e fiquei fazendo cafuné em seus cabelos grandes e macios.Ele abraçou minha cintura e não se importou de chorar mais um pouco,e eu também não me importei de secar suas lágrimas.

-Pesadelo,pesadelo vai embora.Bons sonhos,bons sonhos vem agora.Pesadelo,pesadelo vai embora.Bons sonhos,bons sonhos vem agora. Pesadelo,pesadelo vai embora.Bons sonhos,bons sonhos vem agora.-fiz o que minha mãe sempre fazia quando estava triste,fiz movimentos circulares em sua cabeça como se estivesse expulsando os pesadelos.

-Você é  tão esquisita.-ele riu baixo e eu dei um tapa fraco em sua cabeça.-Eu gosto da sua esquisitice.-ele pegou minha mão e pôs  de volta em seu cabelo para mim fazer carinho.

Fiquei acariciando seu cabelo até ele pegar no sono.Quando eu não estava mais aguentando meus olhos abertos fui pra minha cama.

 


Notas Finais


O lance do pesadelo foi algo que eu peguei lá do Grey's Anatomy,a série que eu amo demais.
Eu sei que as coisas estão um pouco confusas mas elas vão ser esclarecida ao longo da fanfic.
XOXO.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...