História Nevermore - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Seventeen
Personagens Jeon Wonwoo, Kim Mingyu
Tags Drama, Edgar Allan Poe, Meanie, Mingyu, Minwon, Morte, O Corvo, Seventeen, Tragedia, Wonwoo
Visualizações 27
Palavras 197
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drabble, Drabs, Drama (Tragédia), Droubble, Poesias, Yaoi
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Eu só vou dizer para vocês lerem com o coração e aproveitar cada segundo dessa história.
Completamente baseada em O Corvo, poema de Edgar Allan Poe e, diga-se de passagem, meu poema e escritor favoritos.
Boa leitura.

Capítulo 1 - Nunca mais.


Fanfic / Fanfiction Nevermore - Capítulo 1 - Nunca mais.

A noite fria de inverno era tenebrosa, a ventania se arrastava pela madeira velha da casa isolada. O vento ecoava um barulho estranho ao passar pelas brechas, era um assovio agudo, lúgubre. O frio que percorria seu corpo encolhido sobre a cama de casal, era o sopro de morte.

Todos os dias de inverno, ela batia a sua porta para lhe lembrar do verão de 99, quando seu amado viera a óbito naquele mesmo colchão. Embalado pelo sono da morte, Wonwoo perdeu-se em escuridão e, pelos braços esqueléticos, fôra carregado sabe-se lá para onde!

Céu!

Inferno!

Se a aquela criatura de mau agouro fosse tão bondosa e acolhedora como eles dizem quem é, o bondoso e vívido Wonwoo estaria posto numa cama de plumas, flutuando nas nuvens brancas, fazendo companhia ao bondoso Senhor Da Terra.

Mas, o arrogante e prepotente Mingyu fora entregue às mãos do frio, da solidão, a bondosa Morte arrancou-lhe entre gritos agonizantes e silêncios noturnos a sua chama de vida.

E como se não bastasse levar sua razão de viver...

Ainda tivera a audácia de lhe presentear com a frieza de uma noite de inverno.

E um Corvo bicando sua janela.

Para lhe lembrar:

Nunca mais! 


Notas Finais


Obrigada por chegarem aqui. Nos dêem muito amor❣


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...