História New Life - Capítulo 24


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Amizade, Amor, Baladas, Brasil, Conflitos, Faculdade, Festas, Futebol!, Namoro, Vôlei
Visualizações 213
Palavras 2.006
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Esporte, Famí­lia, Festa, Romance e Novela, Suspense
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Boa leitura!
<3

Capítulo 24 - The taste of your kiss


Fanfic / Fanfiction New Life - Capítulo 24 - The taste of your kiss

~~~~ Carol ~~~~

O bar estava bem cheio, as meninas ainda não tinham chegado e foi difícil encontrar um lugar vazio. Acabamos sentando em uma mesa pequena, um pouco afastada, perto do caixa e o garçom logo veio nos atender:

- Miss! Que bom te ver por aqui, está sumida! - disse entregando o cardápio.

- Pois é, fui visitar a família. - respondi meio sem graça e ele sorriu. Quando essa história de miss vai acabar?!

- E o que vão querer?

- Por enquanto, só uma água de coco para mim. E você? - Perguntei ao Biel, que pediu um suco de acerola.

O garçom se retirou e Gabriel começou a rir.

- Qual a graça? - quis saber.

- É impagável a sua cara quando alguém te chama de Miss. - Ele respondeu divertido.

- Por que as pessoas não esquecem isso?! E pode parar de rir, não tem graça nenhuma! - Falei séria e Biel tentou segurar o riso sem sucesso.

- Desculpa! É mais forte do que eu! - Respondeu forçando uma carinha de culpado e eu lhe mostrei a língua.

Antes mesmo dos nossos pedidos chegarem, as meninas apareceram. Ao avistar Gabriel, percebi que Mel franziu o cenho, mas logo se recompôs e nos cumprimentou com animação, seguida pela Gabi e depois se sentaram conosco.

- Meu Deus! Você está super bronzeada! - Gabriela reparou.

- Sim! Foram os dias na lancha! Conhecemos cada lugar lindo! – Respondi animada.

- Eu vi seus posts, fiquei babando! – Falou Mel, que estava sentada ao meu lado.

- Fiquei babando nos seus amigos gatos, isso sim! – Gabi interrompeu Mel e caímos na risada. – Quando eles vêm para São Paulo te fazer uma visita?

- Nem me fale! Já estou com saudade deles... – Digo fazendo uma expressão triste.

- Algum deles namora? – Dessa vez foi Melissa quem quis saber.

- Só o Rafa que está meio enrolado com uma garota, mas não acho que seja algo sério. – Após dizer isso, o garçom chegou com nossas bebidas e aproveitamos para pedir os açaís. Depois de anotar todos os acompanhamentos que escolhemos, ele se retirou.

Lembrei que havia prometido para Biel que não seria só papo de menina, então decidi mudar de assunto. Mas, antes que eu dissesse alguma coisa, Gabriela se pronunciou:

- Não te vimos nas festas de carnaval da faculdade, Vazques... nem os meninos do time. Por onde vocês andaram?

- Fomos para Maresias. – ele respondeu ainda um pouco tímido na presença delas.

- Fala sério! Foram no Sirena, né?! – Gabi parecia super animada.

- Claro! Todos os dias! – Disse empolgado, começando a se soltar.

- Melhor balada, só tem gente bonita naquele lugar! Aposto que pegou geral! – Falou e encarou Biel, esperando que ele respondesse afirmativamente para continuarem o assunto, mas ele apenas sorriu fraco e abaixou a cabeça.

Nesse momento, senti uma pontada na boca do estomago, uma sensação estranha percorreu meu corpo. Peguei meu copo e dei um grande gole na água de coco para tentar empurrar o que quer que fosse aquilo, para longe.

Não sei se a Melissa percebeu algo ou se foi sem querer, mas ela quebrou o silêncio que parecia já durar horas:  

- Por falar em balada, nunca te agradeci por ter me ajudado aquele dia! – Se dirigiu ao Gabriel.

- Que dia?! – Ele parecia confuso.

- Na festa pré carnaval...

- Eu te ajudei?!

- Sim! Me levou para sentar em um sofá, comprou água para mim e ainda foi procurar a Carol.

- Que louco, não lembro de nada disso. Aliás, de nada desse dia... – Ele pensou um pouco antes de continuar. - Então foi por isso que fui atrás de você, Carol! – Biel se dirigiu a mim e ri lembrando de como ele se aproximou de mim aquela noite.   

- Aquela balada rendeu! – Foi a vez da Gabi se manifestar com um sorriso no rosto.

- É tipo um buraco negro na minha memória. Só lembro que cheguei na festa com meu primo e que acordei na casa da Carol.

Quando Gabriel começou a falar, eu já sabia o que estava por vir. Assim que ele terminou de pronunciar a última palavra dessa frase, Melissa e Gabriela viraram para mim com os olhos arregalados, pois eu não tinha contado nada a respeito para elas. Revirei os olhos e respirei fundo.

- Vou resumir: rolou uma briga meio que por minha causa, Gabriel estava tão bêbado que não sabia o próprio endereço e não tive coragem de largar ele no meio da rua. Peguei o carro dele e fomos para meu apartamento, onde ele comeu macarrão instantâneo com pimenta, dormiu, acordou bem e foi embora. Fim. – Tentei ser clara, mas, ao mesmo tempo, parecer descontraída, evitando alguma pergunta por parte delas.

Elas se encararam com um olhar semi serrado e depois se voltaram para mim exibindo sorrisinhos debochados no rosto. Senti meu rosto corar e, de canto de olho, reparei que Gabriel não havia percebido todo esse movimento. Agradeci por isso!

Os açaís chegaram e comemos nossos pedidos conversando sobre a volta às aulas após uma semana inteira de recesso.

- Preguiça de começar a fazer os trabalhos... – Mel reclamou desanimada.

- Tenho apresentação na quinta-feira! Já comecei a preparar, mas preciso acelerar o processo. – Gabi disse com expressão séria.

- Eu até que estou de boa com a faculdade, mas preciso arrumar algum trabalho. Minhas economias não durarão para sempre! – Falei e fiquei pensativa, ponderando minhas opções.

- Você trabalhava lá no Rio de Janeiro? – Ouvi Biel perguntando e voltei a prestar atenção ao que estava a minha volta.

- Sim! Dava aulas de inglês e de reforço escolar, era hostess de evento... fazia de tudo um pouco! – respondi.

- Quem diria, Maria Carolina é mil e uma utilidades hahaha – Gabriela sempre me zoando.

- Ah, também cuidava dos filhos dos amigos dos meus pais quando eles precisavam sair. – Lembrei de mais uma ocupação que eu tinha por lá.

- Eu posso pedir para minha mãe recomendar você às amigas dela. Várias tem filhos com idades próximas a da Nina. - Biel ofereceu.

- Nossa! Seria ótimo! Obrigada! - Sorri animada.

- Divulga sobre as aulas lá no mural do centro acadêmico, sempre tem alguém precisando.

- Boa ideia, Gabi! Eu mesma já usei indicação de lá para revisão de trabalho. - Disse Mel.

- Vou preparar uns panfletos! Obrigada pelas idéias e pelo apoio, gente! - Agradeci.

Continuamos conversando e falamos sobre os mais diversos assuntos. Gabriel já estava super entrosado com as meninas e demos boas risadas. Quando terminamos nosso açaí, decidimos ir embora, pois estava ficando tarde e teríamos uma longa semana pela frente.

Nos despedimos na porta do bar. Biel e eu seguimos a pé para meu prédio, já Gabi e Mel, foram até um ponto de táxi próximo dali.

- Já me sinto tão íntima das meninas! O que é um pouco incomum para mim, pois só nos conhecemos há algumas semanas. - falei sorridente.

- Elas são gente boa mesmo. Já as conhecia de vista, dos eventos da faculdade, mas nunca tínhamos conversado assim.

- Normalmente não me dou bem com outras garotas, mas com elas, sinto que é diferente.

- Você não faz amizade fácil? - Ele quis saber.

- Não é isso... É que não sei lidar com muita frescura, fofoca... Acabo me afastando.

- Hummm... Esse tipo de coisa é chata mesmo! - Biel concordou comigo.

- Só tenho uma amiga mulher no Rio, a Juliana, que pensa como eu.

-  E vocês faziam tudo juntas?

- Quase tudo! Eu, ela e nossos cinco amigos. Essa turma com quem estava em Angra do Reis agora. Somos inseparáveis desde o nono ano! - Expliquei feliz, lembrando de tudo que passamos.

- Legal ter amigos assim, da época da escola. Meus melhores amigos são os caras do time mesmo, passamos tanto tempo juntos que é até estranho sair sem eles. - falou e sorri em resposta.

Quando nos demos conta, já estávamos em frente a portaria do meu prédio. Me bateu uma pontinha de nervosismo, não sabia se ele esperava que eu o convidasse para subir ou se se despediria ali mesmo. Ele estava sendo tão legal comigo, será que queria alguma coisa além da minha amizade?

- Bom, está entregue. - Biel disse se virando para mim. Ficamos um de frente para o outro.

- Obrigada! Por ter ido me buscar no aeroporto, por ter aceitado sair para tomar açaí com minhas amigas e por me acompanhar até em casa. - Agredeci. Ele se aproximou e segurou minhas duas mãos. Senti um pequeno tremor e me esforcei para controlá-lo.

- É muito bom passar um tempo com você, mesmo quando só rola papo de menina entre você e suas amigas. - Nós dois rimos.

- Ahhhh... Nem foi tanto, vai! Nos controlamos! - Respondi descontraída.

- Estou brincando, foi divertido! - Gabriel deu um passo à frente e se inclinou para beijar minha bochecha.

Quando seus lábios tocaram meu rosto, meus olhos se fecharam instintivamente. Biel não se afastou após o beijo e comecei a sentir sua respiração quente perto do meu pescoço. Meu corpo estremecia cada vez mais, estava difícil esconder. Sua mão direita, que segurava a minha esquerda, se soltou,  indo em direção à minha nuca. Fiquei ali, parada, sem forças para abrir os olhos ou mexer qualquer músculo.

Ele me deu mais um beijo, só que dessa vez, no canto da boca. Aquilo foi demais para mim, tinha certeza que Gabriel já havia percebido o quanto meu corpo ansiava por seus toques e, principalmente, por seus beijos, não tinha mais como esconder. Virei meu rosto lentamente, fazendo com que nossos lábios se tocassem e começamos um beijo intenso, urgente, como se nossas vidas dependessem daquilo.

Quando o fôlego acabou, nos separamos, mas suas mãos ainda estavam em minha cintura e, as minhas, em volta de seu pescoço. Biel sorriu de um jeito tão fofo, que minha reação foi lhe trazer para perto de mim em um abraço. Ficamos assim por algum tempo, até que um morador do prédio nos pediu licença para passar pelo portão.

- Acho melhor a gente não ficar aqui na rua, pode ser perigoso. - Ele advertiu.

- Sim... Melhor eu subir, tenho que desfazer as malas e arrumar tudo ainda... - Falei e Gabriel assentiu.

Ele segurou meu rosto com as duas mãos e me beijou novamente, mas, dessa vez,  de forma lenta, sem pressa. Sua língua fazia movimentos sincronizados com a minha e eu ainda podia sentir o gosto do açaí. Terminamos o beijo com alguns selinhos e Gabriel me encarou por alguns instantes até dizer:  

- Boa noite, Miss. A gente se vê amanha.

Eu ri e lhe dei um tapinha no ombro. - Engraçadinho! Até amanhã!  

Ele me deu mais um selinho e se afastou, caminhando em direção ao seu carro.

- Se cuida!

- Pode deixar, você também!

O portão do prédio se abriu e eu entrei. Olhei para trás e vi que o carro havia começado a andar e o acompanhei com o olhar até sumir da minha vista. Ainda estava em êxtase! Corri para meu apartamento, onde me joguei na cama, peguei o celular e escrevi uma mensagem enorme para a Juliana contando tudo o que tinha acontecido.

Desarrumei as malas, coloquei algumas roupas para lavar e organizei o resto das coisas. Tomei um banho relaxante e, ao voltar para o quarto, chequei as mensagens: havia algumas de Biel e apenas uma da Ju. Resolvi ler as dele primeiro:

 

Gabriel Vasquez

Descobri que açaí fica ainda mais gostoso quando misturado com seu beijo...

Ah! Acabei de entrar em casa, mas não tem ninguém. Assim que minha mãe chegar, falo para ela te indicar às amigas!

Dorme bem

Beijos

 

Sorri feito boba e respondi agradecendo. Fui então abrir a mensagem da minha melhor amiga:

 

July Porto

Maria Carolina Vilella de Alcântara está apaixonada!

 

Será? Bloqueei o celular, o coloquei para carregar e caí no sono antes que pudesse refletir sobre meus sentimentos. 


Notas Finais


Ahhhh... esses dois!!! <3
Também quero beijo sabor açaí kkkkkkkkkkk

Amores, quero agradecer a parceria, a paciência, os comentários, as mensagens... Já passamos dos 500 favoritos!!! Estou tão feliz!!! Vocês são demais!!!

Beijoss


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...