História New Romantics - Capítulo 23


Escrita por: ~

Postado
Categorias One Direction
Personagens Harry Styles, Personagens Originais
Tags Comedia, Drama, Harry Styles, One Direction, Romance, Sexo
Exibições 103
Palavras 998
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Boa leitura! 💞
Até dia 31-12-2016.💞

Capítulo 23 - Capítulo XXII: De mudança para casa ao lado.


[Domingo]




— E então, conseguiu organizar suas coisas? — Harry pergunta.


— Sim. — Digo, encarando ele que está encostado no batente da porta.


— Eu fiz chá. — Informa.



Agarro a última camiseta e a coloco sobre a pilha dentro do armário. Harry sinaliza com o polegar na direção do corredor. Descemos e vamos até sua cozinha.



— Harry, obrigada por tudo que está fazendo por mim. — agradeço assim que entramos na cozinha e nos sentamos.


Ele me passa o pires. Permanece em silêncio. Suspiro e bebo um gole do chá. Quente e forte. E também muito saboroso.


— Não precisa agradecer. — diz, em seguida assopra o chá e leva a xícara aos lábios.



Hm. — escondo meu sorriso e volto a beber o chá.



Mais cedo, eu recebi um recado furioso da minha mãe. Onde me xingou de todos os nomes possíveis, me culpou pelo fim do seu casamento e me expulsou da casa que me dera.



Mas não liguei para as palavras rudes que me foram dirigidas. Minha única preocupação foi, e até esse momento é, única e exclusivamente com meu pai. Tentei falar com ele inúmeras vezes hoje de manhã e não obtive um retorno. Um sinal de que ele estivesse bem.



Harry tentou me acalmar, dizendo que ele deve estar bem e que, provavelmente, está tirando um tempo para pensar. E, bem, consegui me acalmar. Só que, agora, minha preocupação está voltando.



Terminamos o chá em silêncio. Levanto e pego seu pires. Coloco os pires e as xícaras na lava-louças e ligo o eletrodoméstico. Me viro e apoio o corpo na bancada da pia. Harry me encara fixamente.



— Está pensando no seu pai? — pergunta, me analisando.



— Sim. — digo. Coço a nuca e respiro fundo.



— Ele está bem. E você precisa descansar. — diz. Me encara com os olhos semicerrados. — Sobe e deita um pouco.



— Tudo bem. — vou até ele e beijo sua bochecha. Cruzo os braços e encaro seus olhos verdes. — Obrigada. — sussurro.



Saio da cozinha. Subo para seu quarto, onde estou muito bem instalada. Após localizar o abajur no criado-mudo, acendo a luz. Tiro as sapatilhas e sento na cama. Respiro profundamente.



Deito na cama e me enfio debaixo das cobertas. Fecho os olhos e esvazio a mente. A fim de obter um descanso. Sorrio, para onde quer que eu vá nessa cama, posso sentir o cheiro dele.



[...]



— Eu odeio comédia romântica! — Harry diz, me olhando de cima abaixo assim que entro na sala. — Por que está vestida assim? — pergunta.



Puxo a camisola para baixo.



— Desculpa, eu… Desculpa? — Arrisco.



— Não é isso. — Ele dá risada. — É que, a sua camisola, ela é sexy. — diz. — Está tentando me seduzir? — pergunta.



— N-Não. — Digo, desconfortável.



— Foi uma brincadeira. — diz. Me puxa para o sofá.



— Quer ficar em casa mesmo? Sei lá, não quer sair pra algum lugar? — Pergunta, olhando para TV.



— Acho que é melhor ficar aqui. Mas se você quiser sair tudo bem. — Digo. Seus olhos verdes alternam entre a TV e eu.



— Netflix, feriado prolongado, frio e um sofá. — diz. — O quê aconteceu comigo nessas últimas horas?



— Minha companhia nem é tão ruim. — rebato. Ele deixa de ler a sinopse do filme, olha pra mim com os olhos semicerrados.


— Não é. Mas seria melhor se estivéssemos fazendo outra coisa. — ele diz.


Demoro para entender, mas quando a ficha cai dou um tapa em seu ombro.



— Idiota! — Digo. Ele ri.



— Ah, parece que alguém pensou besteira. Hanna Mitchell, você é surpreendente. — Diz, balança a cabeça rindo.


— Hm.



— Preciso ir no banheiro, escolhe um filme. Por favor, qualquer coisa que não seja comédia romântica. — Pede, levantando.



Assim que ele passa pelas portas deslizantes, coloco um dos meus filmes prediletos. Quando o filme chega aos seus primeiros dez minutos, Harry retorna.



— Comédia romântica? — pergunta, olhando com desgosto para TV. — Que porra. — Reclama. Reviro os olhos.



— Senta aí. — Digo.


— Vou fazer pipoca. — diz.


Sai da sala de novo. Em pouco menos de dez minutos ele retorna. Senta no chão, ao lado do sofá. Oferece pipoca, mas recuso. Harry revira os olhos e começa a murmurar um monte de coisas.



— Loirinha, esse filme é horrível. — Diz.


Shhh.


— Mas é uma merda. — rebate. Se vira e olha pra mim. — Deixa eu sentar aí em cima. — pede se levantando. Bufo irritada.


— Vai ficar quieto? — pergunto, sem deixar de prestar atenção no filme.


— Sim. — diz.


Balanço a cabeça. Puxo as pernas, dando espaço para ele. Harry se levanta e senta no sofá. Ficamos em silêncio. Por quinze minutos Harry consegue ficar quieto. Apenas por quinze minutos.



— Essa mulher é louca. — Resmunga. Respiro fundo e olho pra ele, que me encara de volta.



— Poderia ficar quieto? — pergunto.


Revira os olhos. Harry puxa meus tornozelos e abre minhas pernas. Grito assustada. Observo-o deitar e apoiar a cabeça no meu abdômen. Ele inclina a cabeça e olha em meus olhos.



— Posso? — pergunta, já se acomodando entre minhas pernas.


Er. — resmungo.


Ele ri e volta sua atenção para o filme. Durante o resto do filme, Harry ficou calado. Agradeci mentalmente por finalmente ter ficado quieto.


Diferente de mim, ele fica, no mínimo, confortável com a situação. Passo todo o filme me controlando para não mexer no seu cabelo e tentando não ficar arrepiada quando Harry respirava fundo e seu hálito quente toca levemente minha pele.


Olho para a TV, os créditos finalmente subindo. Suspiro. Encaro Harry. Sorrio. Ele está dormindo. Lábios levemente  entreabertos, expressão pacífica e respiração regular.


Harry? — Chamo, mexo em seu ombro.


Resmunga alguma coisa incompreensível. Ele me segura com força e fica em silêncio de novo. Respiro fundo. Começo a enrolar mechas do seu cabelo nos dedos. Apoio a cabeça no sofá.


Acabo adormecendo enquanto mexo nos seus cabelos e penso no quanto minha vida tem tido capítulos surreais. Eu nunca seria capaz de imaginar coisas como as que aconteceram. Jamais.


Notas Finais


💞Desculpa ter ficado pequeno.
💞Desculpa a demora para postar e também qualquer erro ortográfico.
🎄Merry christmas🎄
All the love, Xx.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...