História New Society - Yoonseok - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias 2NE1, Bangtan Boys (BTS)
Personagens Cl, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Park Bom, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Ação, Bts, Futurista, Jikook, Namjin, Yoonseok
Visualizações 52
Palavras 1.176
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Romance e Novela, Survival, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 8 - O Sofrimento Molda


Fanfic / Fanfiction New Society - Yoonseok - Capítulo 8 - O Sofrimento Molda

   Hoseok acordou duas horas depois, sentia sua cabeça doer e seus olhos arderem levemente. Olhou pela janela, vendo que ainda estava nevando, não se lembrava de muita coisa desde o beijo de Yoongi, e quando ele recusou ir mais a fundo. Olhou para NNamjoon  vendo que estava com a cabeça escorada no peito do mais velho, suas bochechas ficaram automaticamente vermelhas.

Os dois tinham mesmo dormido juntos?

Por mais que aquilo fosse estranho e Hoseok não lembrasse de nada, os braços de Yoongi eram tão quentes e confortáveis, ele não queria deixá-los, e então o mesmo pensamento de Yoongi começou a rondar por sua cabeça, ele também estava apaixonado por Yoongi? Nunca considerou a possibilidade de estar em um amor com o colega, que conhecia a tão pouco tempo, mas já se sentia tão íntimo dele que até a vergonha de dormirem juntos havia desaparecido. A neve continha a cair, e o jovem do campo ainda pensava no rapaz que havia conhecido, como seu coração se apegou a ele tão rápido?

Se encolheu para ficar mais aquecido, não pôde evitar de sorrir para o homem ao seu lado, e como ele era lindo quando estava dormindo. Hoseok queria muito ter alguém para si, mas não estava pronto ainda, ou achava que não era a hora, já que ele não devia cometer um crime quando estava tentando ser perfeito, mas seu coração não iria suportar mais ficar longe de Yoongi daquela forma.

O mais velho acabou acordando, ele sorriu e beijou a testa de Hoseok, acariciando seus cabelos, o outro achou estranho e tentou iniciar uma conversa.

— Eu... Te ajudei?

— Até demais. Eu estou convencido de uma coisa. — Yoongi fez uma pausa olhando para Hoseok, que fez uma cara de curioso, fazendo o mais velho rir. — Convencido de que eu te amo.

— Foi muito rápido, e eu não sei se eu quero. Tipo, eu quero mas eu preciso de tempo.

Yoongi respirou fundo, bom, ele esperava uma resposta nesse estilo vinda do amigo tímido, mas não o culpava, sabia que começar um novo romance não era tão fácil assim, entendeu que ele precisava de tempo, mesmo que tivesse que sufocar o seu coração por um tiquinho.

— Eu espero o tempo que for necessário.

Ele sorriu e beijou a bochecha de Hoseok, os dois se levantaram e se vestiram, saíram do quarto e foram passear pelo reformatório, que pelo visto, tinha espaço de sobra.

-×-

Jimin estava sozinho no refeitório, ele detestava tempos frios e ficava muito nervoso quando não conseguia se aquecer, a única coisa que podia tranquilizar o jovem era uma boa xícara de café bem quente, ou de qualquer outra bebida com uma alta temperatura. Pegou seu café e sentou em uma mesa, enquanto olhava para a neve que cobria as janelas, Namjoon tinha dado para eles o dia livre, já que não tiveram descanso desde que chegaram.

O jovem baixo viu que alguém tinha entrado no refeitório e se sentou ao seu lado, ele permaneceu em silêncio, era tímido para falar com qualquer pessoa, e aquilo também se aplicava a Jungkook. O mais novo do grupo estava olhando para uma colher de prata sobre a mesa, como ele ficava atraente usando aqueles casacos de Inverno.

— Eu soube... Que você fica bem irritadinho no frio.

Jungkook deixou as palavras no ar, atraindo a atenção de Jimin, não sabia como ele tinha descoberto, já que não falou com ele diretamente desde que chegou.

— Como sabe disso?

— Você estava com frio ontem a noite, se debatia na cama e ficava falando "droga".— Jimin fez cara de confuso, se perguntando como ele sabia disso se dormia sozinho. — Meu quarto é ao lado do seu, eu ouvi você se debater e esbravejar, mas não assusta ninguém, até bravo você é adorável.

Isso fez o garoto torcer o nariz e soltar um pouco de fumaça pela boca, ele não admitia para sí mesmo o quão pequeno e adorável era, mesmo que tivesse mais de 20 anos de idade. Jungkook riu com a cena, afinal, desde que colocou os olhos no garoto, achou ele uma verdadeira gracinha.

— Porque aceitou vir?

— Eu já contei o que acontecia comigo naquele dia em que fomos na sala do Namjoon. Matava animais e vendia a carne para a área branca.

— Eu queria uma história mais específica.

Jimin suspirou, apoiando seu cotovelo sobre a mesa e apoiando seu queixo sobre sua mão, olhando para a neve que caia do lado de fora, se lembrando dos seus dias sofridos.

— Meu pai tinha a mesma função que eu, ele teve que ir pro exército, então eu fiquei trabalhando, cuidando da minha mãe e esperando que ele cumprisse o serviço militar. O problema é que o exército só manda o soldado embora quando ele não pode mais lutar, então, ele não vai voltar nem tão cedo. Eu fiquei no lugar dele, muitas pessoas me conhecem como pequeno Park que vendia carne. Mas ai... O Namjoon chegou na minha casa, ele fez minha mãe de refém e me entregou uma prova. Eu tinha livros velhos do meu pai guardados na biblioteca e eu só sabia ler por causa deles, depois de fazer a prova, ele soltou minha mãe e disse que poderia nos levar dali se eu fizesse o que ele mandasse.

O refeitório ficou em silêncio, todos ali compartilhavam da mesma dor, até mesmo o inspetor frio que tinha feito a família de todos de refém, forçado eles a saírem de sua casa e passarem em uma prova para serem selecionados. Jimin suspirou e olhou para Jungkook, qur continuava com a expressão de atenção que tinha desde o início da conversa.

— Quero que me conte o sobre você, já contei a minha parte.

— Nada mais justo. — Jungkook suspirou e molhou um pouco os lábios, deixando os olhos de Jimin concentrados naquela parte de seu rosto. — Eu não conheci meu pai. Minha mãe era uma escrava que foi levada para trabalhar na produção das placas áricas, e como ela era a única mulher, ela era como o divertimento dos melhores trabalhadores. Os que faziam o melhor trabalho, tinham direito a uma noite com ela, todos de uma vez. Então eu nasci no meio do trabalho, eu tive um irmão, que nasceu morto, minha mãe ficou doente e não pôde mais engravidar, mas ela ainda tinha que ficar nas mãos dos trabalhadores. Comecei a trabalhar aos três anos, e desde então, nunca mais parei, fiquei surpreso como Namjoon me achou naquele fim de mundo. Havia um escritor que tinha cometido um crime, e sua punição era trabalhar naquele campo até o dia de sua morte, ele disse que eu era jovem, que eu ainda tinha um futuro, e então me ensinou a ler. Ele trouxe a mim e a minha mãe para cá, estão cuidando dela.

Os dois ficaram se olhando, até que Jimin colocou sua mão acidentalmente sobre a de Jungkook.

— Vamos conseguir. Por mais que tenhamos que confiar no Namjoon



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...