História New Vision (INTERATIVA) - Capítulo 4


Escrita por: ~

Exibições 46
Palavras 5.123
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Espero que gostem... me dediquei muito nesse capitulo. O próximo já vai ser na ACADEMIA... HAHAHAHA QUE OS JOGOS COMECEM.

Capítulo 4 - Second.


S.H.I.E.L.D.

 

-Quando elas vão ficar prontas? - Nick perguntou com os braços apoiados duramente sobre a mesa.

-Estamos trabalhando muito nisso senhor - Um dois cientistas envolvidos no projeto respondeu rapidamente, notando o nervosismo de seus colegas - Não é tão fácil criar algo assim senhor, existem muitas variáveis que precisam ser levadas em conta.

-Vocês me deram a mesma resposta a três semanas - Nick rebateu e se sentou - Eu quero isso pronto para antes do inicio do ano letivo.

-E vai estar pronto senhor - Outro cientista respondeu - Estamos trabalhando na vacina da Bennett... 

-Alguma já esta pronta?

-Sim senhor, não terminamos todas... Mas já temos da grande maioria, vamos terminar a da Bennett, Madison e Jonathan - O cientista numero 5 respondeu olhando de relance para sua prancheta - Antes do inicio das aulas você vai ter todas prontas e enviadas.

-Ótimo - Nick respondeu de forma fria - Dispensados...

Um a um cada cientista saiu da sala deixando Nick com Hill.

-Quando vai contar para os pais deles? - Hill perguntou o olhando seriamente. 

-Assim que estiver tudo pronto - Ele deu de ombros, voltando sua atenção para os papéis em sua mesa.

-Eles não vão concordar, e você sabe disso.

-Eles não tem que concordar agente Hill - Nick respondeu. Ele levantou o olhar para a mulher a sua frente e sorriu falso - Oque estamos fazendo tem haver com a segurança nacional... eles mais do que ninguém deviam se preocupar com isso.

-Ninguém se importa com a segurança nacional quando seus filhos estão em jogo - Hill respondeu tão fria quanto ele - Eu quero deixar bem claro que eu não concordo com isso. 

-Está dispensada agente Hill - Nick respondeu agitando a mão em sinal de 'saia'.

 

Katherine On~

 

-Quanto tempo vocês pretendem ficar lá? - Perguntei colocando um pedaço de lasanha em meu prato. 

-Duas semanas - Papai respondeu  - Temos alguns assuntos para resolver lá.

-Aham, vocês tem assuntos para resolver em Paris? - Perguntei quase rindo.

-É, qual o problema? - Mamãe perguntou sorrindo - Obrigada querido - Ela agradeceu assim que papai encheu sua taça com vinho tinto.

-Vocês sabem que podem simplesmente me dizer que querem ter uma segunda lua de mel... certo? 

-Nós só não queremos que você ache que estamos sendo ruins por não te levar - Papai deu de ombros.

-Por que eu iria querer ir na segunda lua de mel de vocês? - Franzi testa - E além do mais eu vou adorar ter a casa só pra mim por dois finais de semana. Eu sempre posso dar uma festa.

-Não mesmo... nada de festas - Mamãe sorriu colocando um pouco mais da massa em sua boca. 

-E se eu chamar só algumas amigas? - Perguntei sorrindo inocentemente e abertamente.

-Tudo bem... apenas algumas amigas - Papai disse e mamãe concordou sorrindo.

-Obrigada - Sorri tentando manter minha expressão inocente... Eles não falaram nada, caso essas minhas amigas resolvam chamar outras amigas.

-Confiamos em você filha - Meu pai sussurrou. Ele sabia como aquilo mexia comigo.

-Não é justo usar essa técnica comigo... - Disse fingindo uma indignação maior do que eu estava realmente sentindo.

-Usamos tudo que podemos - Mamãe sorriu abertamente. 

O toque do meu celular me assustou por alguns segundos. Olhei para os meus pais com um pedido silencioso. Eles apenas deram de ombros e eu atendi a ligação.

-Licença - Pedi educadamente e me afastei da mesa.

Call On~

-Fala vadia - Murmurei me afastando da sala de jantar.

-Eu amo o modo que você demonstra o seu amor por mim - Allison murmurou do outro lado. Acabei rindo.

-Fala logo oque você quer - Respodi revirando os olhos.

-Vou no centro com a Ben amanhã, quer ir com a gente? - Ela perguntou com sua voz infantil. 

-Vocês vão fazer oque lá?

-Compras - Ela disse como se fosse a coisa mais obvia do mundo - Ben precisa comprar algumas coisas para o quarto dela aqui em casa. E eu quero aproveitar para comprar umas coisas para o meu quarto na Academia. 

-Tudo bem... vai ser divertido - Concordei dando de ombros. Mesmo sabendo que ela não veria aquele meu movimento. 

-Okay, passo na sua casa as 11:00AM esteja pronta - Ela disse, e pelo seu tom de voz eu sabia que ela estava sorrindo.

-Tá... Taylor não vai né?

-Eu não entendo essa sua implicância com o meu namorado - Ela disse com o tom de voz neutro.

-Eu já falei Ally, até mesmo a Ben te falou... não confiamos nele - Disse baixo. Não sei por que, mais toda vez que eu o via com ela, meu coração se apertava de modo angustiado, e eu acabei descobrindo que Bennett sente o mesmo, então definitivamente, tem algo errado com ele. 

-Vocês estão enganadas... Taylor é incrível, e eu sinceramente não sei mais oque fazer para vocês notarem isso - Ela disse de modo um pouco mais irritado. Ela odiava tocar nesse assunto. 

-Tudo bem Ally, esqueça - Revirei os olhos - Vejo você amanhã.

-Até... - Ela respondeu fria antes de desligar o telefone. 

Call Off~

Eu realmente odeio o Taylor, e agora ainda mais, ele sempre acaba sendo o motivo das minhas brigas ou discussões com a Ally. Bufei. Voltei para a mesa, e meu humor com certeza estava mais azedo agora.

 

Jonathan On~

 

Abri a janela e olhei para os lados, meu pai estava dormindo. Eu não deveria estar feliz por isso... mas graças a deus por uma simples dor de cabeça. Eu passei o dia inteiro pensando no meu discurso... Acho que eu mereço um certo, descanso. 

Lancei a teia e pulei para fora do apartamento e tive que segurar o meu grito de animação, fazer isso sempre me deixa animado e relaxado. 

Coloquei minhas mãos dentro do bolso do casaco e respirei fundo, assim que meus pés alcançaram o chão.  As pessoas a minha volta estavam tão fechadas em seus próprios mundos que nem ao menos perceberam que eu havia acabado de 'cair' do céu. 

Nova York era uma cidade noturna, mesmo que o frio esteja muito forte, as ruas ainda possuem um grande transito de pessoas, não esta exatamente tarde, mas eu não imaginava que tantas pessoas estariam livres agora. Assim que pisei na Times Square eu não consegui segurar meu sorriso. Como esse lugar consegue continuar tão cheio de vida, é quase como se ele respirasse. Parece loucura, mas eu conseguia sentir a pulsação que inundava aquele lugar, eu acho que tem algo haver com o meu sentido aranha. 

Coloquei o capuz do casaco e apressei meu passo para chegar até o pequeno starbucks. Apenas pedi um café. Não demorou nem três minutos, e logo eu já estava do lado de fora do estabelecimento, algumas crianças estavam brincando com uma mascara plástica do homem-aranha. Acabei sorrindo e me aproximando.

-Olá... posso me juntar a vocês? - Perguntei sorrindo. Os garotos deram de ombros e concordaram.

-Você gosta do Homem-Aranha? - O garoto mais velho perguntou levantando um pouco a própria mascara.

-Ele é o meu herói favorito - Respondi dando de ombros, praticamente engoli o conteúdo do meu copo pequeno, e joguei a embalagem no lixo. 

-É o nosso também - O garoto mais novo disse rapidamente, agitando sua cabeça para cima e para baixo - Eu já vi ele uma vez.

-Oh... é mesmo? - Perguntei rindo.

-Sim, teve um incêndio em uma casa no nosso bairro - O mais velho respondeu - Ele apareceu lá para ajudar... a gente viu tudo.

-A gente tem super poderes que nem ele - O mais novo respondeu adquirindo um sorriso soberbo. Não deixei de arquear minha sobrancelha. 

-Meninos - Uma garota loira surgiu - Não fiquem enchendo o moço.

-Tudo bem - Disse sorrindo - Eu tô gostando de conversar com eles.

-Sério... - A garota riu de leve - Eu sou a Susan.

-Jonathan - Sorri e estendi minha mão. Ela apertou rapidamente.

-Ela é a nossa babá - O mais velho disse com uma expressão de tédio - Não que a gente precise de uma...

-Claro, vocês dois são dois super heróis - Disse como se fosse obvio, eles responderam com acenos de cabeça agitados, acabei rindo mais alto.

-Olha só - O mais novo, fez um movimento estranho com a não e logo uma espuma branca surgiu de dentro do seu casaco, indo rapidamente para o chão - Viu...

-Minha vez - O mais velho fez o mesmo, e me olhou com soberba.

-Posso tentar também? - Perguntei cruzando os braços.

-Vai me dizer que você também tem um desses? - A tal Susan perguntou com um olhar de descrença. 

-Não - Olhei para os meninos e sorri - Prontos? - Eles concordaram com pouco caso.

Apontei para um dos prédios e fiz a teia sair, me segurei firmemente nela e dei um tchauzinho para os meninos que tinham os olhos arregalados, acenei levemente para a garota e comecei os meus saltos. Indo de prédio a prédio. Gritei alto. Eu adoro essa sensação de liberdade.

 

Nathaniel On~

 

-Aposto 800 no garoto - Um homem muito bem vestido, com boa parte do corpo apoiado em uma bengala preta disse apontando para mim. Arqueei minhas sobrancelhas.

-Só 800? - Bobby, mas conhecido como o cara das apostas perguntou com um sorriso de lado - Vou te contar uma coisa Marco... todos os maderas estão apostando contra ele, aposte alto nele, e você vai sair ganhando, oque você apostar nele, vai para o garoto, tudo que apostaram contra ele, vai para você...

-Em quanto estão as apostas contra o garoto - Marco perguntou me encarando de maneira desafiadora. 

-12 mil dólares - Bobby respondeu sorrindo. Marco me encarou impressionado e sorriu.

-Tudo bem... aposto 5 mil dólares no rapaz... e é melhor que ele não perca - Ele me encarou, em sua melhor tentativa de parecer assustador. 

-Ele não vai - Bobby respondeu, antes que eu conseguisse abrir minha boca.

 

[...]

 

-Já sabe Nate, você tem que ganhar essa - Bobby disse segurando meu rosto firmemente, revirei os olhos dando de ombros.

-Eu vou... depois de ter perdido a semana toda, é bom saber que eu finalmente vou poder ganhar - Suspirei.

-Você sabe o por que a gente teve que fazer isso - Bobby disse com obviedade.

-É... precisávamos aumentar as apostas contra mim - Dei de ombros e coloquei minhas mãos dentro do bolso da minha jaqueta de couro.

-Vai se preparar - Bobby deu dois tapinhas em meu braço - A corrida vai começar em 10 minutos. 

Bobby se afastou rapidamente, me aproximei do carro que eu usaria essa noite. Uma Ferrari preta, tunada, claro... Não sei como Bobby arranjava esses carros, e sinceramente, não me importava. 

Entrei no carro, diferente dos carros normais, essa Ferrari tinha alguns botões um pouco abaixo do cambio de marchas, eles acionavam o... bom... o 'modo turbo'.

As luzes da rua ficaram verdes, e logo os carros começaram a se alinhar ao meu lado. Sorri grande. As luzes ficaram amarelas e todos ligaram os carros. Liguei meu carro e sorri ainda mais quando o motor roncou alto. Uma garota loira, que tinha mais peitos do que roupa se colocou na frente dos carros, e com o seu lenço ela deu inicio a corrida.

Acelerei meu carro e em poucos segundos eu já estava 'voando', mas eu ainda não estava em primeiro, dois carros estavam na minha frente. Passei a marcha e acelerei ainda mais virando bruscamente na curva, escutei o barulho alto dos pneus marcando o chão. Com a curva fechada, eu consegui ultrapassar e ficar em segundo lugar. Alguns metros a minha frente, eu consegui ver outra curva, uma ainda mais fechada. Respirei fundo e esperei alguns segundos, e como o esperado, o cara a minha frente acelerou.

-Iniciantes... - Murmurei pra mim mesmo e desacelerei.

O carro a minha frente continuou com a mesma velocidade. E como o esperado, o carro dele derrapou, dando voltas e mais voltas pela pista, e acabou se chocando contra um dos muros. Fiz a curva com precisão, e acelerei assim que passei por ela. Os carros atrás de mim aceleraram, tentando me ultrapassar, mas eu conseguia fechar todas as tentativas.  

Acionei o meu modo 'turbo' apenas para acabar com a corrida logo. Ultrapassei a linha de chagada, gritando em comemoração. Antes que eu pudesse sair do meu carro, varias pessoas o rodearam, prontos para a babação de ovo que eles sempre faziam. Assim que sai do carro as garotas agarraram meus braços, sorri e abracei elas pelos ombros.

-A gente podia fazer uma festinha - A loira disse a minha direita.

-A gente pode fazer você se sentir muito bem - A morena disse a minha esquerda. 

-Vamos ver isso depois - Sorri grande olhando para ambas. 

 

Skylar On~

 

Joguei a casca da pizza de volta na caixa e a fechei. Afundei meu corpo no sofá, os canais da tv não pareciam mudar, todos pareciam estar sempre passando a mesma programação. É tão... meu corpo estava quente, eu preciso fazer algo... antes que eu enlouqueça.

Me levantei do sofá em um pulo, e praticamente corri para o andar de cima. Meu closet não estava exatamente arrumado, então não foi uma tarefa muito fácil encontrar algo para vestir. 

Encontrei um vestido preto justo e me troquei, coloquei um dos meus saltos e passei um pouco de maquiagem, não fiz nada no cabelo, peguei meu sobretudo e sai do meu quarto.

Desci as escadas, rapidamente, não me importei com a tv ligada, apenas segui para a porta, me colocando para fora rapidamente. O frio estava diminuindo, a primavera estava chegando, mesmo que não estivesse tão mais frio... ainda estava gelado, coloquei o sobretudo sobre a roupa e segui pelas ruas cheias.

Gotham é uma cidade noturna e isso é fato, a noite parecia que todas as pessoas da cidade resolviam sair para se divertir. Na avenida principal era onde geralmente as baladas e as lojas de bebidas. Essa cidade é meio sem regras, todo mundo sabe disso. Entrei em uma das lojas de bebida, e dei um meio sorriso para o cara que estava no balcão. 

Peguei uma vodka e voltei para o balcão, deixei uma nota de 100 dólares no balcão e me retirei. Ainda na rua, abri a garrafa e bebi um pouco de seu conteúdo. O liquido quente desceu quase rasgando minha garganta, mas era uma sensação bem vinda. Muito bem vinda.

 

Madison On~

 

-Okay... - Sussurrei quase rindo - Vamos começar o jogo. Vocês sabem como isso funciona.

-Quem ganhar a rodada escolhe quem vai tirar a roupa - Jayden murmurou sorrindo.

-Nós sabemos oque é strip poker - Carly disse revirando os olhos.

-Tenho que ter certeza, vocês são sempre tão bonzinhos... - Mumurei e ri. Eles reviraram os olhos. 

-Se o Professor pegar a gente fazendo isso... vai dar problema - Math disse olhando para os lados de modo desesperado.

-Estamos no porão... ninguém vem aqui nesse horário - Dei de ombros - Vamos começar.

As cartas foram distribuídas. E o jogo começou... algumas rodadas depois, Jayden estava só de cueca, Carly já tinha tirado a blusa, Math estava sem as calças e eu... bem eu estava completamente vestida. 

-OH MEU DEUS, FINALMENTE - Carly gritou animada - Flush - Ela disse sorrindo, espalhando as cartas no chão. 

Todos os olhares foram pra mim, abaixei a cabeça e neguei furtivamente. 

-Olhe e chore Carly - Sorri para a garota que franziu a testa - Royal flush - Sussurrei puxando mais o 's', espalhei minhas cartas no chão, e o sorriso dela diminuiu até sumir completamente - Mostre seus seios little Carly... eu quero que você tire seu sutiã.

A garota arregalou os olhos e ficou vermelha. Ela pareceu suspirar por dois segundos antes de levar suas mãos para as costas e soltar a peça pequena. Ela tirou a peça rapidamente e tapou seus seios com os braços.

-Tudo bem... chega - Carly murmurou se levantando - Você ganhou Maddie... como sempre. 

Ela se virou e saiu praticamente correndo. 

-Mas alguém quer sair do jogo? - Perguntei revirando os olhos e cruzei os braços abaixo dos seios.

-Eu acho melhor a gente parar - Jayden disse baixo - Eu já estou de cueca... não sei se quero que vocês vejam meu amigo...

-Frouxo - Sussurrei rindo.

-Eu não sou frouxo - Ele murmurou - Tudo bem... vamos continuar. 

Sorri e comecei a reembaralhar as cartas. Consegui convence-los a apostar dinheiro. E no fim da noite, eu tinha visto, um par de seios e dois pênis estranhamente pequenos... pelo amor de alguma divindade, eles tem 17 anos, e eu com certeza sentiria mais prazer com o meu dedo mindinho. Enfim. E estava 100 dólares mais rica.

 

Russel On~

 

A neve estava começando a derreter, o vento estava diminuindo de intensidade, eu quase podia sentir uma nuance de calor. E eu? Eu estava sentado na mureta do terraço do prédio da avenida principal. Minha mãe ia sair mais tarde, eu iria busca-la. Estava esperando a hora de sua saída. 

De onde eu estava, conseguia ver o topo do edifício 'Stark' e em seu extremo oposto, a Academia... o lugar que em algumas semanas seria minha casa. Puta merda! Eu não quero estar em um lugar cheio de riquinhos metidos a besta... Isso é um saco.

-Ótimo Russel... você fez uma aposta que vai ferrar com a sua vida - Murmurei pra mim mesmo. 

[...]

Quando cheguei no solo, eu finalmente notei o quanto as pessoas costumam ser frias com os outros, elas esbarravam em mim o tempo todo, e nem se preocupavam em pedir 'desculpas'.

Deixei meus passos me guiarem, e nem ao menos notei quando estava no centro residencial. As casas aqui são bem mais bonitas, e maiores. Riquinhos idiotas. 

Coloquei minhas mãos nos bolsos do meu casaco. Meu corpo se chocou com outro, um mais magro e mais baixo.

-Ai merda - Uma voz feminina exclamou. O som de algo de vidro se chocando com o chão me assustou momentaneamente - Desculpa... eu estava com pressa.

-Relaxa - Murmurei ajudando a garota a se estabilizar. 

Finalmente encarei seu rosto. Não vou mentir, o ar em meu corpo se esvaiu, ela era linda. 

-Meu nome é Allison - Ela sorriu estendendo a mão.

-Russel - Sorri sem amostrar os dentes e apertei sua mão. 

Um vento gelado cortou nossos corpos, senti sua pele se arrepiar, não consegui segurar o meu sorriso.

-Droga - Ela murmurou olhando para o chão, acompanhei o seu olhar, uma garrafa de vinho estava completamente espatifada no chão. 

-É só vinho...

-Não, não era... meus pais estão dando um jantar... e essa é a bebida do prato principal, eles esqueceram de comprar - Ela bateu na própria testa - Agora eu vou ter que ir na loja de bebidas de novo... e vou atrasar ainda mais o jantar... e...

-Calma - Exclamei cortando ela - Meu deus... você fala muito... Relaxa, vão ser só mais alguns minutos. Se você quiser eu te acompanho...

-Faria isso por mim?

-Faria qualquer coisa para você não dar outro faniquito perto de mim - Sorri falso - Vamos...

Diferente do que eu pensei que seria... por todo o caminho ela ficou quieta. Na verdade, ela parecia estar contando algo.

-Oque você esta fazendo? - Perguntei não aguentando mais os seus sussurros.

-Contando... - Ela me olhou por apenas um segundo, e sorriu - Quando não tenho nada pra fazer, eu conto meus passos... me acalma. 

-Eu não costumo dizer isso para pessoas que acabei de conhecer, por que eu não acho legal mas... você é estranha - Disse com toda sinceridade que carregava em mim naquele momento. 

-Bem... já me chamaram de muitas coisas nessa vida, mas estranha... acho que você é o primeiro - Ela riu baixo.

-Fico feliz em abrir os seus olhos - Dei de ombros. 

[...]

O caminho de volta, pareceu curto... a gente não falou sobre nada, absolutamente nada de importante, falamos sobre o tempo... sobre as luzes noturnas. Eu fiquei realmente impressionado em como a conversa simplesmente fluía com ela. 

-É aqui que eu fico - Ela apontou para uma casa a poucos passos de nós - Valeu pela companhia Russ.

Russ? De onde ela tirou essa intimidade comigo?

-Tranquilo... tenha um bom jantar - As palavras, simplesmente pularam da minha boca, nem sei como isso aconteceu. Ela sorriu, e deu um beijinho em minha bochecha, antes de se virar e seguir o seu caminho.

 

Feyre On~

 

-Eu gostei daqui - Comentei baixo. Minha mãe me olhou por dois segundo e sorriu.

-Fico feliz - Ela parecia estar achando meio engraçado aquilo.

-Oque foi? - Perguntei rapidamente. Depois do que aconteceu hoje a tarde eu estou morrendo de medo de acabar dando uma fora novamente.

-Nada, é que é só uma pizzaria... e você parece completamente encantada - Mamãe sorriu abertamente - Eu fico feliz em estar te mostrando um pouco mais do mundo.

-Esse novo mundo é louco mesmo - Sorri grande - Aqui existe um sanduíche que tem cachorro no nome... Aqui tem lugares lindos, e mesmo assim as pessoas parecem não parar um segundo para observar, estão sempre correndo e correndo... sempre parecendo que tem algo a fazer ou algum lugar para ir.

-As pessoas nesse lado do mundo costumam agir dessa maneira - Mamãe pareceu observar o nada - Passam a vida toda dizendo que não tem tampo para nada, não tem tempo para observar... não tem tempo para respirar... e no fim da vida, quando estão quase morrendo, tudo oque eles querem é a chance de voltar no tempo para fazer tudo diferente. 

-E eles sabem que a vida deles vai ser assim no final?

-Geralmente... sim, mas sempre acham que em algum momento, o tempo vai simplesmente dar um tempo - Mamãe voltou a me encarar e sorriu - Okay, não vamos falar nesse assunto aqui e agora, amanhã vamos fazer algo mais divertido.

-Podemos ficar no sofá e assistir TV? - Perguntei sorrindo.

-Eu pensei em algo um pouco menos sedentário - Ela riu.

-Mas fazer essas coisas é divertido - Dei de ombros e ela fez o mesmo - Eu gosto.

-Olha só... a nossa pizza chegou. 

[...]

Mamãe me encarava com expectativa, então eu finalmente o fiz, coloquei um pedaço daquela massa estranha na minha boca. E MEUS DEUSES... Encarei meu prato e arregalei os olhos.

-Isso é... meu... uau - Voltei a olhar minha mãe e ela estava com um sorriso grande no rosto. 

-Pizza é maravilhoso - Ela concordou finalmente comendo o seu pedaço.

-Isso é a minha coisa favorita aqui... com certeza definitiva - Murmurei ainda de boca cheia. 

-Daqui uma semana você muda de conceitos - Ela disse mexendo a cabeça.

-Eu duvido - Disse seriamente - Pizza mudou a minha vida... nunca mais serei a mesma.

 

Francis On~

 

  Balancei meu corpo e me deixei levar pela batida. Era contagiante, todo o clima ali era contagiante, desde as pessoas até a musica. Eu ainda não acreditava que meus pais haviam realmente permitido que eu estivesse aqui. Em uma festa no meio de Los Angeles.

-Se divertindo irmãozinho? - Luna se aproximou colocando um drink azul.

-Eu já falei Luna... sai de perto de mim, nenhuma garota vai chegar perto de mim desse jeito - Disse empurrando Luna um pouco para trás.

-Ah irmãozinho... ninguém vai chegar perto de você de maneira nenhuma, já se olhou no espelho? - Ela sorriu irônica.

-Eu vou lembrar disso amanhã quando você quiser sair e precisar de alguém para dirigir - Dei de ombros cruzando os braços.

-Você sabe que eu te amo maninho... mas eu não acho que você vá conseguir pegar alguém hoje não - Ela disse rindo - Mas eu vou me afastar... pode deixar, a gente se vê por ai.

Deixei ela ir apenas com um pequeno aceno na cabeça. Olhei em volta... vamos ver... Uma garota estava encostada no bar, os olhos dela não desviavam de mim. Sorri e me aproximei.

-Oi... 

-Olá - A garota respondeu sorrindo.

-Eu estava te observando e você é muito bonita... - Terminei a frase 'perguntando' seu nome.

-Lilly - Ela respondeu mordendo os lábios. Lilly... - E o seu nome é?

-Francis - Disse adquirindo um sorriso maldoso.

-Belo nome...

-Digo o mesmo... Lilly - Baixei um pouco mais o tom quando pronunciei o nome dela.

-Quer dançar? - Ela perguntou apontando para a pista.

-Claro...

O clima na pista de dança estava  mais quente, como se realmente algo mudasse ali. Lilly não se fez de rogada, assim que a musica recomeçou ela colou o corpo dela no meu e literalmente começou a se esfregar em mim. E bom, eu apenas aproveitei.

 

Bella On~

 

-Tenho mesmo que ir? - Perguntei mordendo os lábios.

-Querida... não podemos fazer uma desfeita como essas... Eles nos convidaram por que descobriram que você vai estudar naquela escola granfina - Tia Penny respondeu enquanto embrulhava a torta de maçã que ela havia preparado.

-Como eles descobriram isso? - Perguntei franzindo a testa.

-Eles... eu não sei, eu acho que a filha do casal também vai estudar lá... vamos querida... não vai ser maravilhoso ter alguma amiga para contar? - Se ela estava indo direto para o meu ponto fraco? Sim, ela estava... ela sabe exatamente como fazer isso.

-Tudo bem - Me dei por vencida e me sentei na cadeira - Você sabe que já estamos atrasados certo?

-É... eu sei, mas seu tio Mark resolveu fazer a barba agora...- Ela me olhou normal por alguns segundos, mas logo seus olhos se arregalaram como se ela tivesse acabado de ter uma grande ideia - Vá indo na frente... e avise que já estamos indo - Antes mesmo que eu pudesse abrir minha boca para rebater ela me olhou com seu olhar 'cortante'

-Tudo bem - Levantei as mãos em sinal de rendição - Se alguém tiver que passar vergonha primeiro... bom que seja a sua sobrinha.

 

Bennett On~

 

-Eles estão atrasados - Murmurei para Allison que revirou os olhos.

-Nós também, acabei de chegar da loja de bebidas - Ela deu de ombros e se levantou ainda colocando os brincos - Quer que eu passe maquiagem em você?

-Não obrigada - Ela revirou os olhos - Sou fã do 'natural look', não estou entendendo por que você esta parecendo que esta indo para um desfile de moda.

-Eu gosto de estar apresentável - Ela deu de ombros.

-Ally... eu estou apresentável... você parece que quer conquistar alguém - Franzi a testa e semi cerrei os olhos - A não ser que você tenha passado para o outro lado e esteja afim de conquistar a sua nova vizinha.

-Não obrigada... eu gosto do time em que eu jogo - Ela sorriu sem mostrar os dentes - Vem cá... eu vou colocar um pouco de glitter em você. 

Abri a boca para protestar, mas ela foi mais rápida e me colocou sentada na cadeira de sua penteadeira. Allison era rápida... em pouco tempo meus olhos estavam cobertos por uma sombra preta e brilhante. 

-Com licença - Uma voz completamente diferente ecoou no quarto. Era tão melodiosa e doce.

-Oh... olá - Allison falou com o tom de voz sorrindo. Abri meus olhos e finalmente encarei a pessoa 'estranha' no quarto. Era a tal vizinha.

-Sua mãe disse que eu deveria subir - Suas bochechas ficaram rubras e sua voz tremula.

-Tudo bem... relaxa - Allison entrou em seu modo 'altamente agradavel' - Meu nome é Allison... e essa aqui é a minha irmã Bennett... qual seu nome?

-Bella - A garota respondeu em um sussurro.

-Pode ficar tranquila Bella - Disse e sorri - Eu pensei que você costumasse ficar mais relaxada com garotas... em quartos.

Assim que disse isso, Allison me olhou e fez questão de me enviar seu olhar 'metralhadora'. Assim que voltei a encarar a tal Bella, ela estava mais branca que papel.

-Eu estou apenas brincando - Disse tentando parecer mais casual - Afinal, quem nunca foi em uma festa do pijama...

-Então... Bella - Allison murmurou de modo animado, tentando mudar de assunto - Quer que eu te maquie?

-Eu não costumo passar essas coisas não - Ela disse brincando com os próprios dedos.

-Ah... então vai ser ainda melhor - Allison praticamente me empurrou do banco da penteadeira para colocar a garota ruiva em meu lugar - Você vai ver como um pouco de isso aqui muda a vida de alguém. 

-Olha... eu vou descer - Disse revirando os olhos. Não aguentaria assistir todo aquele processo novamente, assistir a Allison fazendo aquilo já foi demais para minha cabeça - Juízo vocês duas... as pessoas costumam ficar meio... diferentes quando estão em dupla...

 

Allison On~

 

Eu quase explodi Ben com o olhar antes dela sair do quarto. Voltei a olhar para Bella e sorri, ela estava tão vermelha que eu não precisaria usar blush.

-Vamos começar então... - Murmurei quase que para mim mesma.

...

Bella tem uma pele ótima, quase não precisei usar nada, coloquei uma sombra clara e um batom escuro, e bem, ela estava maravilhosa, incrivelmente maravilhosa.

-Você esta linda Bella - Disse sorrindo. virei o corpo dela para o espelho e ela sorriu.

-Nossa... nem parece que sou eu - Ela murmurou me olhando pelo espelho - Obrigada Ally - Sorri e dei de ombros - Eu posso te chamar assim...? Quer dizer...

-Tudo bem Bella - Sorri para ela - Que tal descer e mostrar para todos minha obra de arte?!

Ela apenas deu de ombros e se levantou. Desci antes dela e olhei para todos que estavam na sala. 

-Olha só - papai murmurou sorrindo - Aí esta a princesa da casa.

-Você deve ser a Ally... - Uma moça muito fofinha disse sorrindo.

-Olá... vocês devem ser os novos vizinhos - Desci as escadas mais rápido e os abracei - Eu tenho uma surpresa para vocês. Desce Bella...

A garota ruiva desceu as escadas de modo lento, ela parecia nervosa. 

-Olha como ela ficou ainda mais linda - Disse sorrindo.

Sem querer acabei parando meus olhos em Bennett, e bem, ela parecia estar completamente hipnotizada, e vai por mim, eu não estou exagerando, eu quase conseguia ver baba caindo de sua boca. Me aproximei dela lentamente e dei uma cotovelada em sua costela, Ben se encolheu rapidamente e me encarou.

-Para de secar a garota desse jeito - Sussurrei pra ela.

-Ela tá muito bonita - Ela disse tão rápido que ela com certeza não tinha pensado sobre suas próprias palavras.

-Oh meu deus - Quase ri - Vamos comer? - Perguntei sorrindo.


Notas Finais


Perguntinhas....

1~ Se ele tivesse que escolher entre servir o bem que esta seguindo ideias errados, ou se juntar ao mal... que esta indo pelas certas ideologias... quem ele seguiria?
2~Seu personagem faria alguma tatuagem?
3~Qual a unica coisa que seu personagem nunca faria... nem sobre toda pressão do mundo?
4~Maior fetiche sexual? (UIIII)
5~Oque acharam do capitulo? Sejam legais....:)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...