História Newland, Kansas - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Comedia, Drama, Ficção, Horror, Original, Realidade Alternativa, Romance, Terror, Tragedia
Visualizações 17
Palavras 731
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Festa, Ficção, Mistério, Policial, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Cross-dresser, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Suicídio, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Parece que eu voltei, pois bem, deixo aqui isso, espero que gostem.

Capítulo 2 - Eu faço esses saltos altos mais bonitos.


Fanfic / Fanfiction Newland, Kansas - Capítulo 2 - Eu faço esses saltos altos mais bonitos.

Bunny Face era uma prostituta muito conhecida da cidade, não mostrava o rosto nem morta, usava sempre uma máscara de coelho branco, o que a dava um ar inconfundível de surrealismo, ela estava do lado de fora da casa noturna onde costumava trabalhar, Inferno era o nome da casa, um lugar amável, com brigas constantes, e um nível baixíssimo de seus frequentadores, todas as prostitutas que lá também trabalhavam eram as protegidas de Bunny Face, suas pequenas amigas que a cercavam, ela estava do lado do inferno, ela ascendeu um cigarro, só para sentir o cheiro da fumaça que saia dele, vira e mexe ela o colocava na boca por de baixo da máscara, mas, ela gostava mesmo era do cheiro da fumaça do tabaco.

Encostada na parede, sua pele pálida se coloria por conta dá luz amarelada dos postes da lua, ela coçava com suas unhas enormes vermelhas as suas tatuagens feitas com tinta barata em seus braços magros e extremamente finos, um homem chegou perto dela e perguntou a ela.

_ Está em expediente? Quanto você me cobra? _ o rosto do homem era pálido e mórbido.

Bunny Face olhou para ele de cima a baixo, o analisou bem, ela não aceitava qualquer um como cliente, e aquele homem, mal vestido, mórbido, e mal cheiroso, não tinha a menor chance com ela.

_ Estou tirando um descanso, além disso, você não teria como me pagar. _ ela disse com um tom de deboche, ela era conhecida como a melhor prostituta da região, além de ser caríssima não aceitava qualquer um como cliente.

O homem fez uma cara estranha, ia começar a reclamar, quando um homem saiu do Inferno anunciando empolgado.

_ Há um homem do circo lá dentro! Ele vai falar sobre o circo! _ ele voltou para dentro correndo, o possível cliente de Bunny Face entrou também.

Bunny ficou curiosa, tentou disfarçar, olhou para os lados, a rua estava vazia, ela entrou andando devagar, jogou o cigarro no chão e pisou em cima para apagar, ela encostou na parede laranja desbotada de veludo do lugar, e olhou com atenção para o homem em pé em cima da mesa.

Ele era estranho, tinha a pele cinza e mórbida, suas mãos e seus antebraços eram pretos, ele era careca, tinha um bigode, era repleto de piercings, vestia uma calça velha cinza escuro, dois suspensórios, sapatos desgastados e nada mais, ele chamou a atenção de Bunny Face, não era todo lugar que se via um homem assim, com essa aparência tão fantasmagórica mas, para Bunny Face ele parecia até levemente atraente.

_ Senhoras e senhores! _ ele gritou de cima da mesa fazendo uma reverencia, todos do inferno se calaram para o ouvir falar. _ Imundos, asquerosos e terríveis, nós do circo de horrores da Madame Deiserre chegamos recentemente a Newland, e eu Sr. Madson adoraria convidar todos vocês, para nossa gloriosa estreia, sexta que vem, as 23 horas, conto fielmente com a presença de todos aqui presentes. _ ele piscou com um olho, todos no Inferno bateram palmas.

Ele desceu da mesa, saiu pela porta, e foi embora do Inferno, a coelhinha que tinha assistido tudo tão calada, resolveu seguir Sr. Madson, ela correu sobre seus saltos altíssimos plataforma cor de rosa e chegou do lado de Sr. Madson.

_ Sr. M né? Porque não me conta mais sobre o seu circo? O que o senhor faz lá? _ ela perguntou com um ar curioso e sedutor.

_ Arthur Madson, prazer. Vá no show e descubra belezinha, se eu contar estraga a surpresa. _ ele disse tirando um cigarro do bolso e colocando nos lábios.

Ela se colocou na frente dele, e disse mexendo no cabelo loiro na altura dos ombros _ Não seja tão grosseiro, não sabia que é feio falar assim com uma mulher. _ ela fez uma cara de triste por de baixo da máscara.

Ele a olhou nós olhos com seus olhos sem pupilas _ Eu adoraria ficar aqui a noite toda, te falando sobre tudo e vendo você dar em cima de mim, mas, eu tenho gente esperando eu chegar. _ ele disse desviando dela e indo embora.

Era verdade, gente esperava ele no circo, o circo ainda se ajeitava, os trailers dos artistas estavam organizados como uma pequena cidade, lá no circo todos eram como família, sempre unidos pra o que der e vier.

 


Notas Finais


Foi só isso, espero que tenham gostado, deixem sugestões e opiniões nos comentários.
:)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...