História NewTale - Capítulo 18


Escrita por: ~

Postado
Categorias Undertale
Personagens Alphys, Asgore Dreemurr, Asriel Dreemurr, Chara, Doggo, Flowey, Frisk, Greater Dog, Mettaton, Napstablook, Papyrus, Sans, Toriel, Undyne, W. D. Gaster
Tags Alphys, Asgore, Asriel, Chara, Charisk, Dream, Dream! Sans, Error Sans, Flowey, Frisk, Gaster, Genocide, Ink Sans, Mettaton, Nightmare, Nightmare! Sans, Outertale, Pacifist, Papyrus, Sans, Surface, Tale, Toriel, Under, Underfell, Underswap, Undertale, Undyne, Wd Gaster
Exibições 87
Palavras 1.443
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Escolar, Famí­lia, Fantasia, Luta, Magia, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Spoilers, Suicídio, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Capítulo 18, onde Chara encontra uma porta trancada que pode esconder um terrível segredo, enquanto Frisk e Sans fazem um plano!

Capítulo 18 - Porta


Chara – O.N
C!Chara: Por Asgore Frisk, isso é extremamente chato.
C!Frisk: Nem tanto...Até que essas reuniões são legais as vezes! Quando eles servem café...
Frisk estava junto com Asgore e um monte de políticos humanos em uma reunião democrática. Um dos homens de terno não parava de falar e parecia estar citando todos os direitos e leis cabidos aos monstros agora que eles estavam na superfície. A maioria deles parecia entediada e acho que um ou dois estavam dormindo. Imaginar o ventilador da sala sair voando e cortar a cabeça de todo mundo era engraçado, mas eu ainda estava entediada. Depois de alguns minutos eu decidi que isso tudo era muito chato de se escutar e resolvi explorar a mente de Frisk.

Eu nunca havia entrado na mente de alguém antes, mas graças ao meu elo de empatia com Frisk, isso era possível. A mente de um ser humano é bem grande e tinham muitas coisas a se explorar. Eu decidi ver as memórias dele, que era tipo um lugar imenso com várias portas, se eu abrisse uma eu podia ver os eventos de que Frisk se lembrava. Tinham muitas portas, mas a maioria mostrava acontecimentos de quando Frisk ainda estava no Underground, e outras mostravam coisas recentes. Até que eu cheguei em uma porta que chamou muito minha atenção. Era uma porta grande e cinza, mas estava com cadeados presos a ela e correntes bloqueando a passagem. Que estranho, era algum tipo de memória inacessível? Escrito na porta, estava: “Antes da Queda”.

Queda? Aquilo estava se referindo a queda de Frisk no MT Ebott?...Eu  acabei de notar, que eu não sei NADA de Frisk antes dele cair no Underground. Por alguma razão eu nunca perguntei, e ele nunca disse nada. Por que ele nunca contou nada sobre o passado dele? ...Eu tentei forçar a porta, mas ela está definitivamente trancada. Então eu ouvi um barulho vindo de dentro, e coloquei meu ouvido na porta pra ouvir melhor...Parecia que alguém estava chorando? Frisk estava chorando? Eu não sabia porque essas memórias estavam trancadas pra ele, mas o jeito seria perguntar ao próprio Frisk o que ele fazia antes de cair na montanha. Eu voltei a conversar com ele mentalmente...

C!Chara: Frisk.

C!Frisk: Uhn? Oi Chara?

C!Chara: Eu acabei de perceber que eu não sei nada sobre você antes de cair no MT Ebott. O que você estava fazendo antes da queda?

C!Frisk: Eu... estava subindo a montanha, oras!

C!Chara: Não tente fugir da pergunta. Como você vivia antes de tudo isso?

C!Frisk: Vivo ué!

C!Chara: Me responda sério! O que você estava fazendo antes da cair na montanha?!

C!Frisk: ...

C!Chara: Responde!

C!Frisk: ...Chara...Existem algumas coisas...Que eu acho que é melhor esquecer, sabe? Eu...Não quero falar disso.

C!Chara:...Se você não vai falar, eu vou descobrir sozinha.

C!Frisk: Bem...Se você quiser...

Flowey – O.N

Flowey: MORRAM! MORRAM! EU NÃO TEREI MISERICÓRDIA!!

Nesse momento Sans entrou no quarto e abriu a cortina. Eu estava jogando Super Smash Bros no 3DS...

Sans: Uh, Flowey? O que você está fazendo aqui?

Flowey: Eu MORO aqui, lata de lixo sorridente.

Sans: Ah, então você é  tipo o bichinho de estimação de Frisk? Heh...

Frisk: N-NÃO!  É porque eu não posso viver pra sempre no Underground seu idiota! E o que VOCÊ está fazendo aqui?
Sans: Você estava lá quando minha casa explodiu ontem. Tori deixou que vivêssemos aqui.

Nesse momento eu ouvi Papyrus gritando do primeiro andar
Papyrus: SSSAAAAAAANNNNSSSSS!!!!! UMA AJUDINHA AQUI POR FAVOR!!!

Sans: Já vou bro.

Flowey: Ei! Sans...Como vamos derrotar a porcaria do Gaster agora...?

Sans: Não vai ser difícil. Lembra que ele está com as almas humanas? Se ele estiver, eu posso rastreá-las.

Flowey: Você pode? Como?

Sans: Bem, eu meio que tenho uma conex-

Papyrus: SAAAAAANNNSSS!!!! ME AJUDA COM ESSE CACHORRO!!! DE ONDE ELE AO MENOS ENTROU?!!

Sans: Parece que o developer veio nos dar uma visita. Já vou, bro!

Flowey: UGH! Por que ele nunca me responde?!

Frisk – O.N

Depois que a reunião acabou, Asgore me levou de volta pra casa. Sinceramente, eu nem sei porque eu tenho que ir nessas reuniões...Eu geralmente nem falo nada, só fico lá parado do lado de Asgore. Talvez eles me vejam como algum tipo de mascote político? Isso seria engraçado!
....Depois que eu conversei com Chara ela ficou bem quieta...Eu não a culpo, eu sabia que alguma hora alguém ia perguntar sobre meu passado. Tudo que é bom dura pouco. Mas eu não quero lembrar...Seria doloroso demais...Eu não quero que isso aconteça novamente. Esquecer é a única solução. Mas alguma hora, talvez eu precise explicar...Se eu ao menos eu conseguir me perdoar.

Eu voltei da reunião, o dia passou, e eu não tive nenhum pesadelo...Talvez seja Dream me ajudando! Mas é claro que eu esqueci, que hoje é o dia em que eu volto as aulas. É meio difícil você voltar a estudar quanto fica muito tempo em casa. Depois do café da manhã, mamãe me perguntou se eu poderia ir de ônibus, já que ela teria que ir mais cedo pra resolver algumas coisas de professora. Antes que eu respondesse, Sans disse que poderia me levar de carona na lambreta dele.

Frisk: Mas se sua casa tinha explodido, a lambreta também não tinha sido destruída?

Sans: Nope, algumas coisas são preciosas demais pra guardar em casa, kiddo. 

Frisk: Isso não faz o menor sentido!

Sans: Eu sei. Mas vai ser bom irmos juntos. Assim podemos conversar sobre AQUELE assunto.

Frisk: Ah, AQUELE assunto...

Papyrus: SIM, AQUELE ASSUNTO!!!

Sans: Bro, você nem sabe qual é o assunto.

Papyrus: É CLARO QUE VOCÊS VÃO ESTAR FALANDO SOBRE O QUÃO INCRÍVEL EU SOU!!! NYE HEH HEH HEH!!!

Sans: Definitivamente é esse o assunto.

Durante a carona de lambreta que o Sans me deu até a escola, ele contou algumas coisas. Primeiro ele perguntou o que Gaster havia me mostrado nos “sonhos” e depois contou toda a verdade. O objetivo inicial de Gaster era criar uma espécie de “super monstro” misturando fragmentos de uma alma humana em um corpo artificial. Fazendo assim, ele criou Sans e Papyrus, que possuíam alma de monstro artificiais, e fragmentos de Almas humanas dentro deles. Ele queria usar os dois para abrir a barreira, mas os“experimentos“ eram muito “fracos” e não possuíam poder suficiente para libertar os monstros. Então ele simplesmente abandonou o projeto, e resolveu usar Sans e Papyrus como cobaias em outras pesquisas  próprias. Foi nessa época que ele começou a trabalhar na construção do Core, e estudar linhas temporais...Logo depois disso, o acidente ocorreu, com Gaster caindo no Core.

Frisk: E ele ficou perdido todo esse tempo até agora...

Sans: É. E ele já tem 6 almas humanas. Se ele quisesse já poderia ter voltado pra esse plano de existência, ou até mesmo se tornam um “deus”

Frisk: Mas se ele já tem essas 6 por que ele precisa da minha?

Sans: Frisk, a sua alma possuí uma quantidade imensa de Determinação. De uma forma que eu nunca vi antes. Se ele a tivesse, ele não se limitaria apenas ao nosso mundo, ele poderia quebrar a barreira entre os universos, e se tornar uma espécie de deus do Multiverso. Ele poderia até quebrar a quarta parede, como eu estou fazendo agora, mas de um jeito bem pior. 

Frisk: Isso é bem ruim...

Sans: BEM ruim.

Frisk: E como paramos ele?

Sans: Como eu havia explicado, minha alma é feita de fragmentos de algumas almas humanas. Eu tenho um tipo de elo com elas, e se Gaster estiver no nosso mundo, eu consigo sentir onde ele está, já que ele possui as 6 almas. Isso é como o localizamos, agora parar, vai ser um pouco difícil...Mas eu posso dizer que tenho alguns “contatos”.  Lembra do Ink? Heh.

Frisk: Ink? Aquele esqueleto que gosta de pintar? Que vocês viajaram pra derrotar um tal de Cross?

Sans: Esse mesmo. Ele pode nos ajudar a derrotar o Gaster. Se eu conseguir contatar ele. Eu estou trabalhando como professor substituto na sua escola, e...

Frisk: Você? Como professor substituto? Como arranjou esse emprego?

Sans: Geez garoto, nem é tão difícil. Alphys está ocupada com o corpo novo de Mettaton então eu tomei o lugar de professor de ciências. Eu posso vigiar você é ainda ganhar algum dinheiro. Eu preciso de uma casa nova afinal.

Frisk: Então...Esse é nosso plano? Eu meio que tenho 50% certeza de que vai dar errado...

Sans: Só? Eu tenho 98% de certeza. Mas fazer o quê, a esperança é a última que morre. Heh.


 


 


Notas Finais


Pra quem não entendeu como Frisk e Sans conhecem o Ink, eu estava me referindo a Underverse, uma série de animação/comic de Undertale.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...