História NewTale - Capítulo 20


Escrita por: ~

Postado
Categorias Undertale
Personagens Alphys, Asgore Dreemurr, Asriel Dreemurr, Chara, Doggo, Flowey, Frisk, Greater Dog, Mettaton, Napstablook, Papyrus, Sans, Toriel, Undyne, W. D. Gaster
Tags Alphys, Asgore, Asriel, Chara, Charisk, Dream, Dream! Sans, Error Sans, Flowey, Frisk, Gaster, Genocide, Ink Sans, Mettaton, Nightmare, Nightmare! Sans, Outertale, Pacifist, Papyrus, Sans, Surface, Tale, Toriel, Under, Underfell, Underswap, Undertale, Undyne, Wd Gaster
Exibições 75
Palavras 1.397
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Escolar, Famí­lia, Fantasia, Luta, Magia, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Spoilers, Suicídio, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Capítulo 20, no qual Sans e Flowey fazem uma bagunça na sala de artes, e Frisk salva a primeira alma!

Capítulo 20 - Paciência


Flowey – O.N

A lata de lixo sorridente, também conhecida como Sans, estava demorando. Eu estava no local certo, a sala de artes da escola que Frisk estuda. Sinceramente, eu não entendo pra que essas “escolas” servem. Não me lembro de já ter ido em uma. Pra que ir em um lugar pra te ensinarem coisas que você pode aprender sozinho? Que idiotice. Sans entrou na sala, usando um jaleco Branco que era quase três vezes o tamanho dele e arrastava no chão. Ele parecia mais idiota que o usual.

Sans: Eai colega. Bom ver que está aqui.

Flowey: Não venha com essa de “colega”! O que você quer comigo de novo?

Sans: Já vou dizer. Mas antes, está vendo esses potes de tinta na prateleira a sua direita? Quero que quebre todos. Jogue os no chão.

Flowey: ...Pra quê?

Sans: Se funcionar, você vai ver.

Flowey: HEH! Já estava com saudade de quebrar algo mesmo! Mas se alguém ver a culpa vai ser sua!

Sans: Sem problemas.

Depois isso eu fiz uma bagunça na sala. Com minhas vinhas, eu derrubei potes de tintas no chão, quebrei várias coisas, e Sans também. Não sei qual era o propósito dele com isso, mas era deveras divertido! A sala ficou parecendo um tipo de arte abstrata tridimensional de tanta tinta espalhada. Quando ia quebrar mais um pote, Sans parou. Ele colocou a mão no peito como se tivesse sentido alguma coisa na alma.
Sans: ...Gaster está aqui. Nós temos que encontrar o garoto.    
Flowey: UGH...Mas já? E essa bagunça toda?

Sans: Não vai servir de nada por enquanto. Vamos.

Frisk – O.N

Tudo estava muito escuro, eu não conseguia enxergar nada...Eu estava caído sobre algum lugar em uma sala totalmente escura, e eu sentia uma dor de cabeça muito forte...Eu me levantei e olhei em volta. Atrás de mim, tinham 7 ...Crianças?  O que elas estavam fazendo aqui? Eu me aproximei, elas estavam paradas em linha reta, mas tinha uma espécie de “névoa” sobre o rosto deles, e eu não conseguia ver suas faces.

Uma menina usando uma fita vermelha no cabelo, e segurando uma faca de brinquedo.

Um menino usando uma bandana bem máscula, e duas luvas de boxe.

Uma menina usando um tutu de balé rosa, e sapatos de balé.
Uma menina usando óculos meio embaçados, e segurando um livro.

Um menino usando um avental de cozinha, e segurando uma frigideira queimada.   

Um menino usando um chapéu de Cowboy, e segurando uma arma.

E uma última menina, que mesmo que não pudesse ver o rosto dela por estar embaçado com névoa, eu pude reconhecer que era Chara...Eu tentei chamar por ela, mas ela não respondeu. Ela não falava nada, só ficava...Parada. O que estava acontecendo? Eram aquelas crianças...As 6 almas humanas? Quando Gaster absorveu minha alma...Eu vim parar aqui, e Chara ficou desse jeito? Droga...Como eu sou idiota! Se eu não tivesse...

Antes que eu terminasse meu pensamento, eu ouvi um murmúrio, vindo da primeira garota, e fui na direção dela. Ela falava algo parecido com...

“Eu não quero esperar...”

“Eu vou fazer isso agora!”

Eu pude reparar melhor nela. Ela era loira, usava um suéter azul, e tinha um bandaid na bochecha esquerda, e também uma fita no cabelo, e segurava a faca de brinquedo. Eu não conseguia ver o rosto dela por estar embaçado com a névoa. Agora que eu me lembro, quando eu lutei contra o Asriel, eu tive que salvar meus amigos, e eles tinham essa mesma névoa no rosto. Será que essas crianças são como almas perdidas? E a consciência delas está presa em algum lugar, por causa de Gaster? Se for assim, talvez eu consiga salva-las! Eu cheguei mais perto da menina, e tentei segurar a mão dela...Então tudo começou a ficar extremamente claro, uma luz forte surgiu do nada....E agora eu estava em outro lugar.

Eu estava em uma floresta, que dê cara reconheci, é a mesma floresta que fica logo abaixo do Mt Ebott. Uma das primeiras coisas que eu notei e quase levei um susto foi que minhas mãos eram transparentes, não...Meu corpo inteiro era! Como se eu fosse algum tipo de fantasma! Isso era definitivamente bizarro. Mas antes que eu pudesse pensar qualquer outra coisa, eu ouvi uma voz vindo das árvores. Uma menina, a mesma menina loira com a fita no cabelo e a faca de brinquedo, andando na floresta e conversando com outro menino. Eles não pareciam me ver. O menino era bem mais novo, e eles estavam conversando...

-Você realmente enfrentou ele! E sem medo? – Dizia o garoto

-Sim! Mas primeiro, eu esperei ele acordar, precisei ser bem paciente! Quando ele acordou, tentou me devorar, mas acabamos virando amigos! – Respondia a garota

-Puxa, queria ter visto esse urso...

Esses dois pareciam ser irmãos, e o menor parecia levar a irmã como um exemplo. Eu estava tendo algum tipo de visão do passado dela? Eles já estavam passando por mim, quando um grupo de três outros meninos saiu da floresta e apareceu na frente deles. Parecia um bando de valentões, bem maior do que eles. O garoto que parecia o líder do grupo zoou eles.

-Olha só!  A pequena exploradora e o seu irmãozinho! Contando mais algumas das suas histórias bestas e mentirosas?

-Sai daqui, Jeff. Nós deixa em paz! 

- “Nos deixa em paz” – Disse o implicante com tom de deboche – Vocês são dois perdedores! Principalmente você! Realmente acha que é algum tipo de exploradora? Você é só uma garota mimada!

-E desde quando ser menina me impede de ser exploradora? Existem muitas mulheres aventureiras por aí!

-Hah! Mas você é só uma menininha, talvez quando você crescer, ainda consiga “sonhar” em ser algo desse tipo.

Os valentões iam voltando pelo caminho deles. A menina parecia muito zangada.

-Esses idiotas...

-Não liga pra ele irmã...Em certa parte ele está certo, somos apenas crianças...Mas é só esperar! Nós vamos crescer e mostrar pra eles!  -Dizia o menino-

-Eu...Não quero ter que esperar pra fazer isso! Eu posso fazer isso agora!

A menina saiu correndo na direção do valentão, e disse:

-Ei! Eu vou provar pra vocês que eu posso ser o que eu quiser! Mesmo não sendo adulta!

-Ah é? E o que VOCÊ vai fazer? Subir no Mt Ebott? Aproveita e se joga lá embaixo, talvez algum monstro das histórias te devore! Haha! Perdedora! – Depois de dizer isso, os garotos foram embora.

-Eu...Eu vou fazer isso mesmo! Eu vou subir lá encima e mostrar pra eles!

-Irmã você ficou doida?! Você não pode subir lá! É proibido e muito perigoso! Seja paciente, quando a gente crescer, nós...

-Não! Eu não quero esperar! Eu vou fazer isso agora!

A garota saiu correndo na direção da montanha. O irmão gritou pra ela esperar, mas ela não ouviu, era bem rápida. Mesmo assim, algo me forçava a ir junto com ela, como se eu fosse algum tipo de imã fantasma. Já estava no fim de tarde quando ela conseguiu subir até o topo do MT Ebott, da mesma forma que eu havia feito...Ela já estava pronta pra correr na entrada da montanha, quando eu me lembrei...Se ela caísse ali, ela morreria! Todos os 6 humanos que caíram ali, eles morreram! Eu tinha que parar ela de alguma forma! Então eu tentei gritar:

-“NÃO FAÇA ISSO! VOCÊ VAI CAIR AI DENTRO! E VAI MORRER LÁ EMBAIXO”

Por um momento, ela parou e olhou pra trás, não sei como, mas ela conseguia me ver agora.

-Quem...Quem é você? Como me seguiu até aqui?!

-Você...Pode me ver?...Escuta não pule aí! Ouça o que o seu irmão disse! Eu sei que você quer ser uma exploradora, mas tem que ser paciente!

-...Você...Por alguma razão, me parece muito familiar...
-Meu nome é Frisk. Eu fui o oitavo humano a cair aqui embaixo.

-Isso tudo...Isso já aconteceu antes...Eu estou tendo uma espécie de flashback? Eu...Eu já caí ali dentro...Eu morri?

-Me desculpe...Mas, acho que sim...

-Eu...Eu me lembro agora! Aquele monstro, Gaster...Ele absorveu nossas almas...Nós temos que derrota-lo!

-Sim...! Foi isso que aconteceu.

-Eu...Entendo. Eu não vou cometer o mesmo erro, sempre serei paciente. Obrigada, Frisk...

-Não foi nada...

Antes que eu falasse qualquer outra coisa, a luz muito forte voltou, e agora eu estava em outro lugar...    



 


Notas Finais


Uou, esse foi o maior capítulo que eu já fiz! 5 páginas no Word! Essa é a minha visão do que aconteceu com a alma que simboliza Paciência. Obrigado por ler!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...